quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Apenas um documento será exigido para votar


Supremo aprova ação do PT: eleitor só precisará de um documento para votar

Camila Campanerut

Do UOL Eleições


"Em Brasília Por oito votos a dois, os ministros do Supremo Tribunal Federal aprovaram a ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) do PT que pedia para que a Suprema Corte negasse a decisão da justiça eleitoral de cobrar do eleitor no dia da votação a apresentação, além do título de eleitor, de um documento de identidade com foto. Com isso, o eleitor não é mais obrigado a levar dois documentos (o título de eleitor e um documento oficial com foto) para ter acesso à cabine de votação, ou seja, de porte de apenas um documento com foto é possível votar; só com o título de eleitor, não".

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Disponível gibi eletrônico João Antonio 13644


Já está disponível para leitura o GIBI ELETRÔNICO da minha candidatura a deputado estadual. São três pequenas histórias que contam minha trajetória pessoal, minha atuação política e mostram propostas para a Assembleia Legislativa de São Paulo.

O gibi foi convertido para o formato "flipbook" (livro eletrônico com sequência de páginas na tela), o que torna fácil sua leitura. Bom para repassar para amigos, amigas e militantes na reta final da campanha para reforçar nossa presença na juventude.

Clique no link a seguir e leia: GIBI JOÃO ANTONIO 13644.

Também é possível ler o gibi clicando na imagem da capa colocada na coluna da direita do blog.

Novas pesquisas apontam decisão no 1º turno


Duas novas pesquisas de intenção de voto divulgadas nesta quarta-feira (29) continuam apontando a tendência da eleição presidencial ser decidida no primeiro turno, no próximo domingo. Foram feitos levantamentos CNI/Ibope e CNT/Sensus que mostram ampla vantagem de Dilma Rousseff (PT) sobre os demais concorrentes.

Veja um resumo dos dados divulgados:

Do Blog do jornalista Fernando Rodrigues

Ibope: Dilma 50% X 41% de todos os outros

petista ganharia no 1º turno se eleição fosse hoje


"Pesquisa realizada pelo Ibope sob encomenda da CNI (Confederação Nacional da Indústria) nos dias 25 a 27 de setembro indica que Dilma Rousseff (PT) está com 50% contra 41% de todos os seus adversários somados. Se a eleição fosse hoje, a petista venceria no primeiro turno".

Do UOL Eleições

CNT/Sensus: Dilma tem 47,5% e ganharia no primeiro turno; Serra soma 25,6%

"Pesquisa do Instituto Sensus encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) indicou, nesta quarta-feira (29), que a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, continua na liderança das intenções de voto, com 47,5%, seguida por José Serra (PSDB), com 25,6%, e Marina Silva (PV), com 11,6%. Nesse cenário, Dilma ganharia no primeiro turno".

Brasil pode ter 7ª maior reserva cambial do mundo


Do portal IG

Reservas externas chegarão a US$ 300 bilhões, dizem economistas

"O sucesso da maior capitalização do mundo, a oferta de ações da Petrobras, contribuirá para que as reservas internacionais atinjam brevemente a cifra dos US$ 300 bilhões, elevando a posição do Brasil na classificação mundial de detentores de moedas estrangeiras.

O relatório do Banco Central (BC) mostra que as reservas internacionais do Brasil subiram nada menos que US$ 12 bilhões em setembro, para US$ 273,8 bilhões na segunda-feira, o dado mais recente disponível.

“Acredito que as reservas cheguem em breve a US$ 300 bilhões”, diz Cristiano Souza, economista do grupo Santander Brasil. Quando atingir esse patamar, a reserva internacional brasileira será a sétima maior do mundo, atrás de China (US$ 2,4 trilhões), Japão (US$ 1 trilhão), Zona do Euro (US$ 715 bilhões), Rússia (US$ 461 bilhões), Arábia Saudita (US$ 410 bilhões) e Taiwan (US$ 372 bilhões). O Brasil superaria a Índia (US$ 287 bilhões) e Coreia do Sul (US$ 286 bilhões)".

COMENTÁRIO - Só para efeito comparativo, veja o seguinte dado: as reservas internacionais brasileiras cresceram muito nos últimos anos. De US$16,3 bilhões, em 2002, quando excluídos os empréstimos do FMI (período FHC/Serra), subiram para US$ 273,8 bilhões em setembro de 2010.

Menos alunos e mais reprovação com Alckmin


Trecho de matéria do jornal Folha de S. Paulo de hoje (29) que reproduzo abaixo mostra um dos resultados da política de sucateamento da Educação com Geraldo Alckmin (PSDB) no governo do Estado.

Este é um dos tantos problemas criados em 16 anos de PSDB - e que só pioraram com José Serra. Quem tem filho em escola pública estadual conhece a realidade. É isto que os tucanos têm a oferecer ao povo de São Paulo!

FOLHA DE S. PAULO

Com Alckmin, reprovação aumenta e matrículas caem

Durante gestão do tucano, ensino médio "perdeu" mais de 260 mil alunos

EVANDRO SPINELLI
DE SÃO PAULO


"Líder nas pesquisas de intenção de voto para o governo de São Paulo, com chance de vencer no primeiro turno, Geraldo Alckmin (PSDB) viu os índices de reprovação aumentarem e o número de matrículas cair no ensino estadual durante sua gestão como governador.

No ensino médio, de responsabilidade exclusiva do governo do Estado, a reprovação cresceu de 11,2% em 2003 para 17,8% em 2006. A diferença percentual equivale a 71 mil estudantes.

No período, o ensino médio "perdeu" mais de 260 mil alunos -de 1,78 milhão em 2003 para 1,52 milhão em 2006. No ensino fundamental também houve queda de matrículas e aumento dos índices de reprovação". Leia mais (para assinantes do UOL/Folha).

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Dados Vox/Band/IG mostram Dilma estável

Do Portal IG

Tracking Vox/Band/iG: Dilma fica estável em 49%

"A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, aparece, pelo terceiro dia consecutivo, com 49% das intenções de voto no tracking Vox Populi/Band/iG publicado nesta terça-feira. José Serra (PSDB), segundo colocado, oscilou um ponto para cima e agora tem 25%. Já a presidenciável do PV, Marina Silva, que um dia antes contava com 13%, agora soma 12% - o que interrompe uma sequência de três dias consecutivos de crescimento. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais".

O que o PSDB fez com o salário dos policiais


O governo do Estado de São Paulo paga R$ 372,00 (trezentos e setenta e dois reais) a um policial ferido em serviço. Esta é mais uma obra do PSDB de Geraldo Alckmin e de José Serra em matéria de desestruturação da segurança pública no Estado.

O que dizem os candidatos tucanos sobre este tema não passa de discurso vazio, promessa e enganação.

CLIQUE AQUI, ASSISTA AO VÍDEO E COMPROVE.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

São Paulo quer a mudança


Do portal IG:

Lula: 'Tem que acabar com esta história de tucano governando SP'

"Em seu último comício na capital paulista antes das eleições, no sambódromo do Anhembi, nesta segunda-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou a presidenciável Dilma Rousseff de lado e centrou esforços em defesa do candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante.

Debaixo de chuva, o presidente pediu que os eleitores deem uma oportunidade ao senador, e disse que o Estado de São Paulo tem uma dívida com o seu povo. "Não basta eleger a Dilma. É preciso acabar com esta história de tucano governando São Paulo", disse Lula, para quem os adversários tucanos “já tiveram a chance deles” no Estado. "Tá na hora de colocar uma estrela para governar este Estado, que é o Estado mais extraordinário do Brasil, que é o Estado de São Paulo."

Serra 'trabalhando': obras no papel


Do Jornal da Tarde

R$ 74 mi em projetos não saem do papel

Diego Zanchetta e Rodrigo Brancatelli

"A Prefeitura de São Paulo gastou nos últimos cinco anos R$ 73,8 milhões na contratação de estudos que ainda não saíram do papel – dinheiro suficiente para a construção, por exemplo, de 30 creches ou 23 escolas da rede municipal.

Dos 70 projetos encomendados pelo governo desde 2005 para a construção de túneis, parques lineares, viadutos e ações de revitalização urbanística, 33 não têm prazo para ser licitados, o equivalente a 47,1% do total.

Nesse mesmo período, a Prefeitura triplicou a contratação de estudos, resultando em 16 projetos executados e 21 em andamento. As gestões José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (DEM) aplicaram R$ 139,5 milhões em estudos desse tipo entre janeiro de 2005 e agosto de 2010. Entre 1999 e 2004, a Prefeitura encomendou 22 estudos, dos quais 16 foram aplicados, e gastou R$ 13 milhões". Leia mais.

COMENTÁRIO - Esta foi uma das "obras" do candidato tucano quando da sua passagem pela Prefeitura de São Paulo. Serra paralisa tudo quando entra no governo, alardeia problemas do governo anterior e multiplica a publicidade para tentar convencer todo mundo de que "melhorou e ampliou".

domingo, 26 de setembro de 2010

Dilma em mais um debate na TV


Do portal IG

Presidenciáveis enfrentam-se hoje em debate da Record

"Os quatro principais candidatos à Presidência enfrentam-se na noite deste domingo em mais um debate na televisão. Organizado pela Record, o confronto é o penúltimo antes da votação do dia 3 de outubro e é apontado pelas coordenações das principais campanhas como decisivo para definir se a disputa chegará ou não ao segundo turno. A audiência da emissora - segunda colocada nas medições do Ibope - e a proximidade com o dia da eleições foram citados como relevantes para mudanças no cenário eleitoral".

O debate começa às 21h na Rede Record.

Quem tem medo da democracia?

Do blog da Agência Carta Maior:

FALTAM SETE DIAS

MÍDIA DEMOTUCANA SAI DO ARMÁRIO E ASSUME: O MAL a EVITAR É A DEMOCRACIA

"A sete dias das eleições, o jornal O Estado de São Paulo adota a sugestão feita pelo Presidente Lula que, em recente entrevista ao Portal Terra, aconselhou a mídia demotucana a assumir honestamente a defesa de seu candidato nas eleições, sem insistir na patética simulação de uma eqüidistância jornalística ausente das páginas do noticiário.

A retardada coragem do jornal paulista é digna de registro. Não tanto pelo impacto residual neste pleito, mas pelo efeito espelho capaz de desmascarar simulacros equivalentes, ou piores –caso da Folha, por exemplo, que insiste em evocar a condição ‘jornalística ‘ de uma pauta em intercurso explícito com a propaganda demotucana.

Há, como se sabe, uma longa fila de outros veículos agarrados ao armário das dissimulações nesse momento. Nisso se diferencia a família Mesquita ao publicar o editorial deste domingo, para dizer que, sim, sempre teve candidato na disputa sucessória de 2010. A diferença com veículos como Carta Maior, por exemplo, que registrou seu apoio a Dilma Rousseff logo no início da corrida eleitoral, não é, todavia, apenas de escala temporal. A verdade é que no caso do jornal da família Mesquita –mas também da Folha, Globo etc-- persiste uma dissimulação de fundo mesmo quando se admite o engajamento.

‘O Mal a Evitar’ , titulo do manifesto de apoio a Serra publicado pelo Estadão, vem se juntar a uma longa lista de apoios antecedentes do mesmo gênero, expressos com a mesma ressalva mitigatória pela mídia demotucana em diferentes momentos históricos. Incluem-se nessa modalidade de ‘ação preventiva e profilática’ o apoio dado pelas convicções liberais do Estadão, por exemplo, ao sangrento golpe desfechado em 1973 pelo General Augusto Pinochet contra o governo democraticamente eleito do socialista Salvador Allende, no Chile. Ou o da família Frias à ação repressiva do aparelho policial paralelo no regime militar. Sua cumplicidade histórica com um poder ilimitado, e sanguinolento, empresta aromas de cinismo, para dizer o mínimo, à soberba que exala das 'advertências' típicas de filho mimado da elite inscritas no estilo juvenil mal-educado de seu editorial deste domingo --'Todo poder tem limite'. ‘Mal a evitar’’, na complacente escala de valores democráticos dos Frias & Mesquitas, terá sido, igualmente, seu apoio à derrubada do governo de João Goulart pelo golpe de 64.

Por uma dessas finas ironias da história, o Estadão seria uma das vítimas da ditadura que ajudou a instaurar em defesa das 'instituições ameaçadas'. Infelizmente, como se vê neste pleito, o revés foi contabilizado na rubrica dos acidentes de percurso dos autonomeados tutores da democracia, cujos editoriais tomam de assalto as primeiras páginas sempre que a cidadania amplia seus limites ou argui os da mídia conservadora.

Foi assim em 64; repete-se agora. Ontem, como hoje, na concepção que ombreia os veículos da chamada grande imprensa, o ‘mal a evitar’ --e o poder a limitar-- será sempre a própria democracia quando passa a ser entendida como espaço daqueles que nunca tiveram espaço na economia e na sociedade.

É disso que se trata, admite o editorial dos Mesquitas, quando explicita a necessidade de ceifar pela raiz o 'mal exemplo' que Lula representa para a massa ‘hipnotizada’ (preconceito emprestado de Caetano Veloso), ao afrontar aqueles que, historicamente, sempre foram e assim pretendem continuar, tutores inquestionáveis das finalidades e limites da democracia brasileira.

(Carta Maior, 26-09)

sábado, 25 de setembro de 2010

Istoé mostra 'onda vermelha' varrendo o país


A onda vermelha

De cima a baixo no País, o eleitor apoia a continuidade e tende a garantir uma quase inédita maioria governista no Congresso

Octávio Costa e Sérgio Pardellas - da Istoé:

"Na esteira da candidatura de Dilma Rousseff à Presidência, uma onda vermelha está tomando conta do País. No início da corrida eleitoral, essa imagem foi cunhada pelos estrategistas da campanha do PT para motivar a militância. Mas, agora, tornou-se realidade. As pesquisas de opinião revelam a supremacia dos candidatos governistas na maioria dos Estados, o que poderá garantir a um eventual governo Dilma ampla maioria na Câmara e no Senado. Surfando numa maré mais favorável do que aquela que levou o ex-metalúrgico Lula ao Palácio do Planalto em 2002, os candidatos da base aliada aos governos estaduais lideram as eleições em 19 das 27 unidades da Federação. Na disputa pelas cadeiras do Senado, a onda vermelha é tão volumosa que deverá eleger 58 dos 81 representantes e deixar sem mandato quadros históricos da oposição. Na Câmara, os partidos governistas devem conquistar 401 dos 513 assentos.
“Acho que vamos assistir a uma vitória esmagadora dos partidos da coalizão do governo”, prevê o presidente do Instituto Brasileiro de Pesquisa Social, Geraldo Monteiro". Leia mais.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Vox Populi aponta para 2º turno em SP


Do portal IG:

Vox Populi/Band/iG: Alckmin cai e vitória no 1º turno é ameaçada

"O cenário de vitória do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) logo no primeiro turno, em São Paulo, está ameaçado, de acordo com a mais recente pesquisa Vox Populi/Band/iG. O tucano perdeu nove pontos em relação ao último levantamento, em agosto, e conta agora com 40% das intenções de voto – exatamente a soma do desempenho dos quatro principais adversários.

O senador Aloizio Mercadante, do PT, foi quem mais cresceu: saltou de 17% para 28% entre agosto e setembro. Celso Russomano (PP) oscilou dois pontos para baixo e aparece agora com 7%. Paulo Skaf (PSB), que antes tinha 1%, soma agora 3%. Fábio Feldmann, do PV, tem 2% das preferências. Com o cenário, fica no limite a possibilidade de a disputa ser decidida no primeiro turno. Em julho, a distância de Alckmin em relação à soma dos demais candidatos era de 18%".

Lula, Dilma e Mercadante em São Paulo dia 27


Do site do PT Estadual de São Paulo:

Dia 27, em SP: Grande Comício da Vitória com Lula, Dilma e Mercadante

"Na próxima segunda-feira (27), a capital recebe o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, o candidato a governador de São Paulo, Aloizio Mercadante (PT), e os candidatos ao Senado pelo estado, Marta Suplicy (PT) e Netinho de Paula (PCdoB), para a realização do Grande Comício da Vitória. O evento ocorre no Sambódromo do Anhembi, às 18h.

Na reta final da campanha eleitoral, apenas a seis dias antes das votações, que ocorrem no domingo (3), este será o último grande comício da Coligação União Para Mudar ao primeiro turno em São Paulo".

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Capitalização faz da Petrobras a 2ª do mundo


Do portal UOL

Petrobras capta R$ 120,4 bi com ações

"Pouco mais de um ano depois do anúncio, a Petrobras levantou hoje R$ 120,36 bilhões (US$ 69,97 bilhões) na maior venda de ações já feita no mercado de capitais. A captação supera as ofertas da japonesa NTT (US$ 36,8 bilhões) e do chinês AgBank (US$ 22,1 bilhões). A dez dias da eleição presidencial, a capitalização marca uma nova fase da Petrobras, agora com maior participação do governo.

Com valor de mercado alçado para US$ 270 bilhões, a engenharia financeira transforma a estatal brasileira na segunda maior petroleira do mundo, atrás apenas da americana Exxon (US$ US$ 313 bilhões) e à frente da Petro China (US$ 266 bilhões). Até ontem, a empresa valia US$ 150 bilhões na Bolsa, segundo a Bloomberg". Leia mais.

COMENTÁRIO - O êxito do processo de capitalização da Petrobras deixou órfãos parte da oposição e parte dos ditos 'analistas econômicos' que apostavam no fracasso da captação recorde feito pela empresa brasileira em toda a história do capitalismo. Com os recursos será possível garantir não somente a exploração do pré-sal, mas também um caráter ainda mais nacionalista à adminstração da Petrobras - o que contraria frontalmente interesses de grupos privados multinacionais e de setores da mídia e da oposição que defendiam sua privatização em período recente da história brasileira. Mais uma vitória do povo!

Dilma mantém distância de Serra, diz Vox Populi


Do portal IG

Vox Populi/Band/iG: Dilma mantém 51% e Serra segue com 24%

"A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, manteve a distância de 27 pontos sobre o tucano José Serra na mais recente pesquisa Vox Populi/Band/iG, divulgada nesta quinta-feira. Com 51% das intenções de voto, a ex-ministra da Casa Civil seria eleita logo no primeiro turno. Serra manteve os mesmos 24% apontados no levantamento do último dia 17. Em agosto, a distância entre eles era de 16 pontos.

Marina Silva (PV) foi a única presidenciável que avançou em relação à pesquisa anterior. Ela cresceu dois pontos percentuais e tem agora com 10% das preferências. O número de eleitores que não sabem ou não responderam à pesquisa agora é de 9% - contra 11% da semana passada. Brancos e nulos somam 5%. Juntos, os demais candidatos têm 1%".

A verdade sobre o Metrô de SP com o PSDB

O último suspiro de Serra


O texto abaixo foi publicado no blog do jornalista Luís Nassif mais de um ano antes da atual campanha. José Serra ainda vacilava entre ser e não ser candidato, embora fizesse de sua passagem pelo governo de São Paulo um palanque 24 horas da fixação pessoal pela candidatura presidencial.

Em tom premonitório, Nassif mostrava por onde caminharia a oposição sob a batuta do "preparado" tucano que hoje apela para expedientes bem piores do que aqueles que o jornalista já listava ainda em 2009:

O último suspiro de Serra

Enviado por Luis Nassif - 19/07/2009 - 15:23

"Entenda melhor o que está por trás dessa escalada de CPIs, escândalos e tapiocas da mídia. A candidatura José Serra naufragou. Seus eleitores ainda não sabem, seus aliados desconfiam, Serra está quase convencido, mas naufragou.

Política e economia têm pontos em comum. Algumas forças determinam o rumo do processo, que ganha uma dinâmica que a maioria das pessoas demora em perceber. Depois, torna-se quase impossível reverter, a não ser por alguma hecatombe – um grande escândalo.

O início da derrocada - O início da derrocada de Serra ocorreu simultaneamente com sua posse como novo governador de São Paulo. Oportunamente abordarei as razões desse fracasso.

Basicamente:

1. O estilo autoritário-centralizador e a falta de punch para a gestão. O Serra do Ministério da Saúde cedeu lugar a um político vazio, obcecado com a política rasteira. Seu tempo é utilizado para planejar maldades, utilizar a mão-de-gato para atingir adversários, jornalistas atacando colegas e adversários e sua tropa de choque atuando permanentemente para desestabilizar o governo.

2. Fechou-se a qualquer demanda da sociedade, de empresários, trabalhadores ou movimentos sociais.

3. Trocou programas e ideias pelo modo tradicional de fazer política: grandes gastos publicitários, obras viárias, intervenções suspeitíssimas no zoneamento municipal (comandado por Andrea Matarazzo), personalismo absurdo, a ponto de esconder o trabalho individual de cada secretário, uso de verbas da educação para agradar jornais. Ao contrário de Franco Montoro, apesar de ter alguns pesos-pesados em seu secretariado, só Serra aparece. Em vez de um estado-maior, passou a comandar um exército de cabos e sargentos em que só o general pode se pronunciar.

4. Abandonando qualquer veleidade de inovar na gestão, qual a marca de Serra? Perdeu a de bom gestor, perdeu a do sujeito aberto ao contato com linhas de pensamento diversas (que consolidou na Saúde), firmou a de um autoritário ameaçador (vide as pressões constantes sobre qualquer jornalista que ouse lhe fazer uma crítica).

5. No meio empresarial (indústria, construção civil), perdeu boa parte da base de apoio. O mercado o encara com um pé atrás. Setores industriais conseguem portas abertas para dialogar no governo federal, mas não são sequer recebidos no estadual. Há uma expectativa latente de guerra permanente com os movimentos sociais. Sobraram, para sua base de apoio, a mídia velha e alguns grandes grupos empresariais de São Paulo – mas que também (os grupos) vêem a candidatura Dilma Rousseff com bons olhos.

A rede de interesses - O PSDB já sabe que o único candidato capaz de surpreender na campanha é Aécio Neves. Deixou marca de boa gestão, mostrou espírito conciliador, tem-se apresentado como continuidade aprimorada do governo Lula – não como um governo de ruptura, imagem que pegou em Serra.

Será bem sucedido? Provavelmente não. Entre a herança autêntica de Lula – Dilma – e o genérico – Aécio – o eleitor ficará com o autêntico. Além disso, se Serra se tornou uma incógnita em relação ao financismo da economia, Aécio é uma certeza: com ele, voltaria com tudo o estilo Malan-Armínio de política econômica, momentaneamente derrotado pela crise global. Mas, em caso de qualquer desgaste maior da candidatura oficial, quem tem muito mais probabilidade de se beneficiar é Aécio, que representa o novo, não Serra, que passou a encarnar o velho.

Acontece que Serra tem três trunfos que estão amarrando o PSDB ao abraço de afogado com ele.

O primeiro, caixa fornida para bancar campanhas de aliados. O segundo, o controle da Executiva do partido. O terceiro, o apoio (até agora irrestrito) da mídia, que sonha com o salvador que, eleito, barrará a entrada de novos competidores no mercado.

Se desiste da candidatura, todos os que passaram a orbitar em torno dele terão trabalho redobrado para se recolocarem ante outro candidato. Os que deram apoio de primeira hora sempre terão a preferência.

Fica-se, então, nessa, de apelar para os escândalos como último recurso capaz de inverter a dinâmica descendente de sua candidatura. E aí sobressai o pior de Serra".

Povo reconhece sua principal liderança


Da Folha.com - Poder

Estável, avaliação de Lula aponta aprovação de 78%, mostra Datafolha

"A avaliação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva manteve-se estável segundo nova pesquisa Datafolha, divulgada nesta quarta-feira.

O percentual dos que consideram o governo Lula ótimo ou bom, 78%, é idêntico ao registrado em levantamento na semana passada. Para 17% dos entrevistados, o governo é regular, enquanto 4% o consideram ruim ou péssimo". Leia mais.

Três milhões de novos empregos em 2011

Do portal R7:

Ministro do Trabalho prevê criação de mais
de 3 milhões de empregos formais em 2011


"O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, prevê que o país criará mais de 3 milhões de empregos com carteira assinada em 2011 e atingirá a marca de 10 milhões de novas vagas ao longo do próximo governo, superando o desempenho recorde dos últimos anos". Leia mais.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Passageiros postam vídeos sobre caos no Metrô

Abaixo, veja um dos diversos vídeos postados no Youtube por passageiros do Metrô de São Paulo vítimas do caos ocorrido na manhã desta terça-feira (20) que causou prejuízos a milhares de pessoas.

Caos no Metrô de São Paulo


Do portal IG:

Metrô de São Paulo volta a apresentar problema nesta manhã

"Um problema na Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) atrapalha a vida do paulistano na manhã desta terça-feira. Desta vez, por volta das 8h10, duas composições da Linha 3-Vermelha (principal ligação entre a zona leste e o centro da cidade) estavam paradas no trecho entre a estação Parque Dom Pedro II e estação Sé, na região central da cidade, sentido Barra Funda".

COMENTÁRIO - É lamentável que a falta de planejamento do governo de São Paulo tenha provocado mais este problema no Metrô da Capital. Panes como estas de hoje são verificadas quase que diariamente no Metrô e também nos trens da CPTM. Além de não avançar na ampliação da rede metroviária e ferroviária, o que existe hoje não é melhorado. Ou seja, propaganda demais e serviços de menos.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Debate fortalecerá ainda mais Mercadante


Debate na Rede Record

A Record realiza nesta segunda-feira (20/09) debate eleitoral entre os candidatos ao governo de São Paulo. O site R7 promete transmitir ao vivo a partir das 23h. Mas a concentração pré-debate você acompanha já a partir das 22h na redemercadante. Acompanhe o debate ao vivo pelo site do PT-SP.

Cresce chance de 2º turno em SP, diz pesquisa


Reportagem do jornal Diário de S. Paulo desta segunda-feira (20) confirma a tendência que se vê nas ruas: o crescimento da candidatura do senador Aloízio Mercadante (PT) e a soma das intenções de votos nos demais opositores da candidatura do PSDB podem levar a disputa ao segundo turno no Estado. Eis aí uma das razões para a multiplicação dos ataques do tucano Geraldo Alckmin a Mercadante.

Leia abaixo um trecho da matéria do Diário:

Eleição em São Paulo tem cheiro de 2º turno

"A 13 dias da eleição, os números das pesquisas eleitorais apontam que, neste momento, um segundo turno é muito provável no Estado. Isso está indicado solidamente pela pequena diferença entre o total da intenção de voto no candidato Geraldo Alckmin e a soma de todos os outros.

Segundo a pesquisa Ipespe/DIÁRIO, a intenção de voto em Alckmin é sete pontos percentuais maior do que a soma de seus adversários. Considerando a margem de erro de 3,2% para cima ou para baixo, Alckmin pode ter 42,8% ou 49,2%; os adversários somados podem ter 35,8% a 42,2% dos votos".

domingo, 19 de setembro de 2010

Respostas inteligentes para perguntas indiscretas

É o emprego, tucanada!


Do Jornal da Tarde:

Está mais fácil encontrar emprego no País

"Nos últimos cinco anos, nunca pareceu tão fácil para o brasileiro achar um emprego como agora. Sondagem conjuntural da Fundação Getúlio Vargas (FGV), feita mensalmente em mais de 2 mil domicílios de sete das principais capitais no País, mostra que 10,9% dos entrevistados acham que hoje é fácil encontrar um emprego.

É o maior índice já registrado desde que a pesquisa começou a ser feita, em setembro de 2005. Em dezembro de 2006, por exemplo, esse número era de 0,3%. Na outra ponta, a fatia dos brasileiros que consideram difícil encontrar emprego bateu nos níveis mais baixos da série. Em agosto, data do levantamento mais recente, o número chegou a 52,2% dos consultados. Há um ano, era de 71,8%, depois de ter atingido o pico de 88,1% em setembro de 2006".

Ricardo Kotscho e o 'casal serrista do JN'


"Já não dá mais para saber onde acaba o telejornal e onde começa o horário político eleitoral, o que é fato e o que é ilação, o que é notícia e o que é propaganda. A estratégia não chega a ser original. Mas, desde o segundo turno entre Collor e Lula, em 1989, eu não via uma cobertura tão descarada, um engajamento tão ostensivo da imprensa a favor de um candidato e contra o outro".

Gaspari diz que tucanos 'entregaram os pontos'


Trecho da coluna do jornalista Elio Gaspari publicada na Folha de S. Paulo deste domingo (19) especula sobre 'abandono' da corrida presidencial pelos principais caciques do PSDB:

"TUCANOPATIA - O tucanato parece ter vocação para virar espécie extinta. Está no auge de uma campanha eleitoral e seu cardinalato põe nos jornais a informação de que José Serra poderá ser candidato a prefeito de São Paulo em 2012. Avisam que entregaram os pontos. Algo como um time que pede para ser dispensado de jogar o segundo tempo". Leia mais (assinantes do jornal ou do UOL).

sábado, 18 de setembro de 2010

A jogada suja de sempre em véspera de eleição

Da agência REUTERS

Calúnia sempre surge a 15 dias da eleição, diz Dilma

"A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, mencionou indiretamente na sexta-feira as denúncias que derrubaram sua antecessora da Casa Civil Erenice Guerra e voltou a chamá-las de calúnias.

"Diante da eleição, aqueles que temem perder no voto utilizam calúnias e falsidade... vocês já perceberam que isso sempre acontece 15 dias antes da eleição?", indagou a candidata a uma plateia de mineiros durante comício em Juiz de Fora.

A presidenciável lembrou a campanha de 2002 quando, segundo ela, a oposição dizia que o Brasil iria parar, que iria ser o caos". Leia mais.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Campanha nos bairros e com lideranças


Mais um dia de muitas atividades na reta final da campanha deste ano. Na parte da manhã e nesta tarde de sexta-feira (17) destinei boa parte do tempo para o contato com moradores da região do Itaim Paulista, bairro da zona leste da Capital.

Fiz novas visitas a lugares onde o governo do PT melhorou muito as condições de vida dos moradores quando Marta Suplicy era prefeita e eu estava na Liderança do Governo na Câmara Municipal de São Paulo.

ECONOMIA INFORMAL - Ainda hoje realizarei encontro com um grande número de lideranças e de trabalhadores da economia informal da cidade. São pais e mães de família, trabalhadores e trabalhadoras que passaram a ser tratados como "caso de polícia" pelos governos Serra/Kassab.

Vou falar sobre propostas do meu futuro mandato de deputado estadual para melhorar as condições de vida de quem trabalha e ouvir o que essa parcela importante dos trabalhadores tem para crescer e gerar renda.

A agenda prossegue depois em outras regiões da cidade.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O jogo dos desesperados



El País critica jogo sujo da campanha

Da BBC Brasil

"O jornal espanhol El País diz na sua edição desta quinta-feira que o "jogo sujo está ofuscando o debate político no Brasil".

Para o jornal, o aparecimento de escândalos às vésperas das eleições está se tornando um costume que os cidadãos brasileiros assistem com impotência.

"Milhares de brasileiros sonhavam com uma campanha eleitoral sem sobressaltos e centrada nas propostas dos candidatos, mas mais uma vez o jogo sujo está eclipsando o debate político."

O El País diz que, apesar das acusações de corrupção e tráfico de influências no círculo de confiança da candidata petista Dilma Rousseff, "tudo parece indicar que a novata de Lula pode mais que qualquer acusação jogada aos quatro ventos".

Datafolha mostra consolidação do voto em Dilma


Da Folha.com - Poder

Dilma oscila para 51% e se distancia 24 pontos de Serra, diz Datafolha

FERNANDO RODRIGUES

"Apesar do intenso noticiário das últimas semanas sobre a quebra dos sigilos fiscais de tucanos, a corrida presidencial entrou em fase de alta estabilidade nas taxas de intenção de voto dos principais candidatos.

Dilma Rousseff (PT) venceria a disputa no primeiro turno se a eleição fosse hoje". Leia mais.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Mercadante excelente em debate na Rede TV!

Frase do candidato do PT ao governo do Estado, Aloízio Mercadante, que resume o desejo de mudança que toma conta da população paulista nestas eleições:

"O coração de SP tem que bater junto com o coração do Brasil".

No confronto com o candidato tucano, Mercadante desmascarou os dados repetidos à exaustão pelo ex-governador do PSDB, falou de propostas para o futuro, de investimentos em transportes, saúde, educação e segurança - com toda a seriedade e competência que marcaram a carreira do senador mais votado do país.

Alckmin, por sua vez, apenas mostrou dados soprados pelos marqueteiros e provou, com seu estilo dissimulado politicamente que não quer mudar, e sim continuar com um governo que já cansou o povo de São Paulo.

Serra, o "democrata"


Do portal Terra:

Serra se irrita e ameaça deixar entrevista em programa de TV

"Em gravação do programa Jogo do Poder, da CNT, o candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, se irritou com perguntas sobre a quebra de sigilos de tucanos e pesquisas e ameaçou deixar a entrevista". Leia mais.

COMENTÁRIO - É este o "preparado" que insiste em falar em democracia, em liberdade de expressão? Por isso o Brasil vem rejeitando seu projeto vazio!

STF dá um 'cala-boca' no PSDB/DEM

Supremo arquivo caso dos "aloprados"

Do blog do Luís Nassif, com informações do site do STF

Mantida decisão da Justiça Eleitoral sobre compra de dossiê nas eleições de 2006

"Nesta terça-feira (14), a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter arquivado o recurso apresentado pela coligação que patrocinou a candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência da República nas eleições de 2006, contra decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que negou pedido de investigação de petistas no caso de suposta compra de um dossiê que vincularia políticos do PSDB à chamada "máfia dos sanguessugas". O presidente Luiz Inácio Lula da Silva era um dos acusados na representação arquivada no TSE". Leia mais.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Governo tucano atrasa o Estado

CESAR OGATA

Da Rede Brasil Atual:

Mercadante volta a criticar lentidão no governo de SP

"O candidato a governador paulista pelo PT, Aloizio Mercadante, atribuiu à falta de agilidade do atual governo o risco de São Paulo perder a abertura da Copa do Mundo de futebol. Nesta terça-feira (14), o senador concedeu entrevista à rádio CBN. Ele disse ainda que pretende "colocar nos trilhos" a educação paulista". Leia mais.

Retrocesso na Educação com PSDB


Trecho de reportagem da Folha de S. Paulo desta terça-feira (14) aponta o retrocesso no setor educacional desde que os tucanos assumiram o governo do Estado (1995) - e mostra que sob a gestão de José Serra piorou ainda mais.

Temporários chegam a 46% dos professores em SP

FÁBIO TAKAHASHI
DE SÃO PAULO



"O número de professores temporários na rede estadual de São Paulo chegou neste ano a 46% do total, a maior proporção desde 2005. No ano passado, o então governo de José Serra (PSDB), hoje candidato à Presidência, anunciou como meta diminuir a taxa para 10% em quatro anos. Àquela época, o número era 42,4%.

Os dados são da própria Secretaria da Educação. Em números absolutos, são hoje 101 mil não efetivos. Um concurso público com 10 mil vagas foi feito em março, mas os aprovados só começarão a trabalhar no ano que vem". Leia mais (para assinantes da Folha/UOL).

Dilma sobe mais de 4 pontos em nova pesquisa


Pesquisa CNT/Sensus aponta Dilma com 50,5% e Serra com 26,4%

Camila Campanerut - do UOL Eleições

"Pesquisa CNT/Sensus divulgada na manhã desta terça-feira (14) indica a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, com 50,5% das intenções de voto, contra 26,4% de José Serra (PSDB). Em terceiro lugar, aparece a senadora Marina Silva (PV) com 8,9% das intenções de voto. Brancos, nulos e indecisos totalizam 12,6% e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou menos.

Foram entrevistados 2 mil pessoas, em 136 municípios de 24 estados, entre os dias 10 e 12 de setembro de 2010. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número 29.517-2010.

No último levantamento, divulgado em 24 de agosto, a candidata petista tinha 46% das intenções de voto, contra 28,1% de José Serra. A senadora Marina Silva aparecia com 8,1%. Votos em branco, nulos e indecisos somam 16,8%".

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O que o consórcio PSDB/DEM também não fez



Trecho de editorial do jornal O Estado de S. Paulo desta segunda-feira (13) critica a inoperância do consórcio PSDB/DEM desde que José Serra passou pela Prefeitura de São Paulo (2005/2006) e "manteve e melhorou" as coisas na Capital, conforme sempre promete quando é candidato:

O centro esquecido

"A Prefeitura de São Paulo tem disponíveis mais de R$ 121 milhões para usar nas obras de recuperação do centro da cidade, principalmente nos programas habitacionais e de assistência aos moradores de rua. O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) concedeu, em 2003, linha de crédito de US$ 100 milhões para financiar os projetos elaborados durante o governo Marta Suplicy. Seriam 137 ações, abrangendo desde a recuperação de praças até a construção de moradias populares e a reforma da Cracolândia. Cinco anos depois, foi a vez de o governo federal destinar outros R$ 6,2 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para a instalação de dez galpões de triagem de material reciclável para cooperativas de catadores que circulam pelo centro.

Sobra dinheiro, mas o planejamento falho e as picuinhas políticas mantêm intacto o processo de decadência da região com melhor infraestrutura da cidade". Leia mais.

Dilma colocou Serra no seu devido lugar


ANÁLISE - DEBATE NA REDE TV!

O debate presidencial de ontem (12) na Rede TV! foi mais um importante marco da campanha deste ano porque teve como destaque o fato de Dilma Rousseff (PT) reafirmar suas posições programáticas e o candidato de parte da mídia e das oposições ficar ainda menor do que as pesquisas de opinião captam do sentimento popular.

O vazio de um José Serra acuado em suas próprias armadilhas, repetitivo e agressivo contrastava claramente com uma Dilma serena e disposta a discutir o futuro do Brasil. O opositor apenas repetia calúnias e informações desmentidas pelos fatos, mas sustentadas por alguns órgãos de imprensa que lhe dão suporte na campanha - talvez a única força que ainda resta à sua candidatura no momento.

De tanto repetir o que sabe ser uma montanha de inverdades colossais, Serra ouviu uma resposta categória da candidata do PT: "O senhor Serra poderá passar à história como um caluniador". E completou, ao rebater nova intervenção deste acerca de suas supostas qualidades: "O senhor não é melhor do que ninguém".

Foi o fechamento de um encontro diante da TV que os marqueteiros tucanos tinham como "o confronto pós-escândalos" - como eles chamam episódios da Receita Federal e fantasias editoriais da revista Veja das últimas semanas. O tal "confronto", de fato, favoreceu Dilma por sua postura altiva e consequente.

Dentre outras coisas, estes são alguns motivos que levam o povo brasileiro a depositar sua confiança na candidata petista. E também porque quer o Brasil seguindo em frente, avançando e melhorando. Por isso rejeita uma oposição raivosa, vazia, denuncista e inconsequente como a representada por Serra e aliados.

VEJA ABAIXO O VÍDEO DA DILMA COLOCANDO O SERRA NO SEU DEVIDO LUGAR.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Forte queda de Alckmin e subida de Mercadante


Do portal IG:

Ibope: Em SP, Alckmin perde 6 pontos e Mercadante ganha 2

"O candidato tucano ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), caiu seis pontos percentuais em uma semana, segundo pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo divulgada hoje (10). Alckmin tinha 51% na última sexta-feira e caiu para 46% na nova sondagem, mas, ainda assim, venceria no primeiro turno. O petista Aloizio Mercadante oscilou positivamente de 20% para 22%.

Celso Russomanno (PP) passou de 7% para 8%, Paulo Skaf (PSB) continua com 2% e Fábio Feldmann tem 1%. Os outros candidatos não pontuaram. Brancos e nulos somam 10% e os indecisos, 11%".

Pesquisa: baixaria afasta eleitores de Serra


Reprodução de trecho de matéria da Folha.com - Poder

Com 50%, Dilma mantém vantagem e quadro é de estabilidade, diz Datafolha

"A 23 dias da eleição, pesquisa Datafolha realizada nos dias 8 e 9 de setembro aponta para um quadro de estabilidade na disputa presidencial.

Com 50% das intenções de voto, a candidata petista Dilma Rousseff manteve o percentual registrado na pesquisa anterior, realizada há cinco dias.

Seu principal adversário, o tucano José Serra, oscilou negativamente um ponto percentual e registrou agora 27% das menções do eleitorado. Marina Silva (PV) foi de 10% para 11%". Leia mais.

Tucanos: "Governar é privatizar"


Lula: Tucanos não têm competência para governar e só sabem vender bens públicos

Durante o comício da campanha da candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff, realizado na noite ontem (9), em Ribeirão Preto (SP), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez duras críticas aos governos tucanos, principalmente aos processos de privatização paulista e federal. Dilma não pode comparecer ao ato por causa do nascimento do seu primeiro neto, Gabriel, em Porto Alegre, ocorrido pela manhã.

Ao lado do candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, Lula disse que os governantes tucanos não têm competência para governar e enfatizou a sanha privatista dos seus governos. "Eles demonstram que não têm competência de governar, porque a única coisa que aprenderam a fazer foi vender o que não era deles; bem público, estradas, ferrovias". "Quando eu entrei, em 2003, eles queriam vender a Petrobrás, o Banco do Brasil e a Caixa", reafirmou o presidente.

Aumento da renda e da poupança no país


Dados da Caixa Econômica Federal mostram que o crédito para a compra da casa própria pode chegar a R$ 70 bilhões neste ano - superando a meta inicial de R$ 50 bilhões. Isso se deve ao aumento da renda e da poupança dos brasileiros.

Ou seja, mais uma vez um acerto da política econômica do governo Lula que privilegiou o impulso ao crédito e a garantia de que o país melhora quando há confiança no futuro. É isso que acontece hoje e que leva a população a optar pela continuidade do atual governo com a escolha de Dilma Rousseff, de acordo com tendência apontada pelas pesquisas eleitorais.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Governo de SP faz serviço demorado e reprovado

Trecho de matéria do Jornal da Tarde, hoje (9):

MP reprova placas da Marginal e multa Dersa

Rodrigo Burgarelli

"O Ministério Público (MP) Estadual vai cobrar multa de R$ 100 mil por dia da Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa) por causa da falta de sinalização na Marginal do Tietê. Para o MP, a empresa não cumpriu acordo firmado no início de agosto no qual se comprometia a regularizar a situação até o dia 31. A multa começou a ser contada a partir dessa data e será acumulada até que a sinalização esteja completa – até esta quainta-feira, 9, o valor já é de R$ 900 mil.

A decisão foi baseada em laudo técnico concluído ontem a pedido da promotora Maria Amélia Nardy Pereira, da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo. Segundo o estudo, a sinalização horizontal (faixas nas pistas) é o principal problema encontrado. Foram identificados vários trechos já liberados para a circulação de veículos sem as faixas pintadas – um exemplo é o trecho na frente do Sambódromo do Anhembi, no sentido Castelo Branco. Além disso, o laudo apontou a ausência de sinais numéricos no solo para orientação e a existência de pinturas antigas que não foram totalmente apagadas". Leia mais.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Política habitacional de Lula dá resultados



Casas próprias representam 73% dos domicílios no Brasil, diz IBGE

Raquel Maldonado - Do UOL Notícias

"Do total de 58,6 milhões de domicílios estimados em 2009 no país, 73,6% eram próprios (43,1 milhões), sendo 69,4% quitados (40,6 milhões) e 4,3% em aquisição (2,5 milhões). Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada nesta quarta-feira (8), de 2004 a 2009 as casas próprias aumentaram 13,4%".

Tendência eleitoral mostra um Serra 'perdido'

Do portal IG:

Serra está perdido. Hoje ele é um passageiro da campanha”.

Frase do cientista político Murilo de Aragão, presidente da consultoria Arko Advice, ao analisar a tendência das pesquisas que apontam chance de vitória de Dilma Rousseff ainda no primeiro turno das eleições presidenciais.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O Brasil que dá certo


Brasil é o terceiro destino preferido dos investidores

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo

GENEBRA – "À frente dos Estados Unidos e da Europa, o Brasil é o terceiro destino favorito de multinacionais que planejam realizar investimentos até 2012. Os dados foram anunciados nesta segunda-feira, 6, pela Conferência da ONU para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad) a partir de uma pesquisa feita anualmente com 236 empresas multinacionais e 116 agências de promoção de investimentos pelo mundo. Segundo o levantamento, empresas multinacionais apostam em uma alta importante no fluxo de investimentos no mundo nos próximos dois anos, em mais um sinal de que o mercado estaria retomando confiança depois da crise. Mas a crise deixou seu legado. Para as multinacionais, nove dos 15 países preferidos nos próximos dois anos para investir estão nas regiões emergentes".

domingo, 5 de setembro de 2010

Boa pergunta!


Do blog do jornalista Ricardo Kotscho, sobre a estratégia do PSDB de apostar na reprodução sistemática do discurso do seu candidato na mídia e suas implicações na campanha eleitoral:

"Por que esta história só surge agora, na antevéspera das eleições, no momento em que todas as pesquisas eleitorais mostram ampla vantagem de Dilma Rousseff sobre José Serra, com possibilidades de vencer no primeiro turno? Quem ganha com isso?".

sábado, 4 de setembro de 2010

Baixarias só fazem Serra cair nas pesquisas


Se os marqueteiros do PSDB apostam tudo no festival de baixarias em que se tornou o programa de TV do candidato da oposição, os resultados das mais recentes pesquisas eleitorais desmentem essa estratégia: Serra só cai nas intenções de voto do eleitorado brasileiro.

A lógica é que o povo desaprova esse tipo de comportamento do candidato tucano e dos seus aliados - que repetem acusações sem provas e tentam fazer uso da chantagem emocional com base em fatos ainda em processo de apuração.

No portal G1, pesquisa do Datafolha deste sábado (4), aponta novo crescimento de Dilma e nova queda de Serra. Veja um trecho da matéria e os números:

Dilma tem 50%, e Serra, 28%, aponta Datafolha

"Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (4) mostra a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, com 50% das intenções de voto, contra 28% do candidato do PSDB, José Serra. A candidata do PV, Marina Silva, obtém 10% no levantamento.

Na pesquisa anterior do Datafolha, feita no dia 26 de agosto, Dilma teve 49%, Serra, 29%, e Marina, 9%".

O coro dos descontentes e as mentiras


Frase do presidente Lula em comício realizado neste sábado (4) em Guarulhos (SP)

Do UOL Eleições:


Em comício, Lula acusa campanha de Serra de mentir ''descaradamente'' sobre quebra de sigilo

Nossa campanha está tranquila. Do outro lado, nós temos um adversário que o bicho está em uma raiva só”, afirmou o presidente. “Mentira tem perna curta [..] quando as pessoas começam a mentir descaradamente, quando começam a procurar alguém para responsabilizar pelo seu fracasso, aí a coisa não fica bem”.

COMENTÁRIO - A observação do presidente é feita dentro do contexto em que o programa do tucano usa de artifícios rasteiros, manchetes de jornal e capas de revista que se multiplicam nos últimos dias com o intuito de acudir a candidatura do PSDB - em franca desvantagem na preferência popular. Um jogo rasteiro que o presidente denuncia e que a população sabe separar, e por isso prefere a segurança da continuidade, com Dilma presidente.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

João Antonio 13644 faz a política do bem!

É lei: coletivo quebrou, passageiro escolhe outro


Foi transformado em lei projeto de minha autoria que dá o direito de escolha ao usuário do transporte coletivo de utilizar qualquer outro veículo da frota municipal quando este quebrar. O PL 239/08 agora é a Lei 15.274/10 e foi publicada no Diário Oficial do Município de São Paulo nesta sexta-feira (3/9). Pela nova lei, caberá ao usuário a escolha de qual ônibus utilizará para seguir viagem.

Atualmente, o passageiro sofre transtornos quando um veículo do transporte coletivo quebra, sendo obrigado a esperar outro da mesma linha. Hoje o usuário sofre com a espera, o risco de aglomeração de pessoas onde houve a pane no ônibus e vê o trânsito piorar.

A lei veio para melhorar a qualidade de vida do passageiro e respeitar seu direito de escolha. Se levarmos em consideração que a frota municipal não passa por renovação devida e constante e que ônibus quebrados nas ruas e avenidas são muito comuns nos últimos tempos, é importante garantir a mobilidade de quem usa o transporte coletivo.

A 'expansão' dos problemas sobre trilhos


ANHANGABAÚ: SUPERLOTAÇÃO AO MEIO-DIA

Tirando o caráter publicitário do programa Expansão São Paulo, do governo do Estado de São Paulo, sobra a realidade: o Metrô e os trens da CPTM rodam superlotados em praticamente qualquer horário do dia. Outro problema que se agravou é a repetição de falhas sucessivas no sistema.

O resultado disso é que os trens sofrem atrasos, são recolhidos ou rodam com velocidade reduzida - muitas vezes em horário de pico. Não há mais previsibilidade de horário para trens da CPTM e do Metrô. Isso prejudica os passageiros e trabalhadores de um modo geral.

A foto acima foi tirada por volta do meio desta sexta-feira na Estação Anhangabaú. Ou seja, este é o mundo real que a propaganda de Serra na TV pinta de outro modo.

PROPOSTA DE MERCADANTE - Diante da lentidão dos governos do PSDB para enfrentar o agravamento dos problemas na rede de trens e Metrô, o candidato do PT ao governo estadual, Aloízio Mercadante, anunciou no plano do seu futuro governo uma verdadeira expansão do sistema de transportes sobre trilhos no Estado: a construção de 30 quilômetros de linhas de Metrô em quatro anos. Com Dilma no governo federal, Mercadante conseguirá ainda mais apoio para fazer o que os tucanos e aliados não fizeram em mais de 28 anos de governo.

Veja a proposta de Mercadante na REDE MERCADANTE:

Mercadante vai construir 30 quilômetros de Metrô em 4 anos

Expansão do Metrô, corredores de ônibus e investimento em bairros mais afastados do centro. Essas são algumas das propostas apresentadas pelo candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante em entrevista à rádio SulAmérica Trânsito na tarde desta terça-feira (24/08). “Nossa meta é construir 30 quilômetros nos próximos quatro anos. O que vai acontecer em São Paulo se nós não fizermos? Aqui você marca um compromisso e nunca sabe se vai chegar. Se acontece um acidente na Marginal, a cidade para”, declarou Mercadante.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

CHEGOU O RASPUTIN... - Belo editorial do portal Carta Maior


A candidatura Serra desidrata sob taxas alarmantes de perda de credibilidade. Um clima político seco envolve o representante do conservadorismo brasileiro. A menção ao nome 'Serra' registra níveis recordes de rejeição em todas os termômetros de intenção de voto. A pouco mais de 30 dias do escrutínio das urnas, o tucano não consegue obter uma única notícia positiva para mudar a sensibilidade predominantemente negativa da sociedade ante a hipótese de tê-lo como ocupante da Presidência da República.

À antipatia alia-se agora a convicção majoritária entre os brasileiros de que ele será derrotado em 3 de outubro. Mesmo os que o apóiam compartilham dessa convicção. Sondagem diária feita pela Vox Populi indicava nesta 4º feira que a candidata Dilma Rousseff já teria 51% das intenções de voto, contra 25% de Serra. Em uma palavra, Serra não aglutina no presente, nem motiva para o futuro. A isso se dá o nome de decadência. A sua, a exemplo de toda decadência política, também inclui um Rasputin. Chama-se Ravi Singh, um autodenominado guru indiano que se anuncia especialista em milagres digitais para acudir aflitos na reta final de campanhas eleitorais. Mistura equivalente de santo milagreiro e charlatão, o Rasputin original, Grigori Rasputin, tornou-se eminência parda da autocracia russa entre 1905 e a queda do regime, em 1917.Quando mais a monarquia russa era odiada pelo povo e perdia densidade política, mais Nicolau II e sua esposa, a imperatriz Alexandra Feodorovn, se cercavam de bruxos e charlatões.

O mesmo se deu na decadência do peronismo na Argentina, nos anos 70. José López Rega, um ocultista e auto-proclamado vidente, passaria a exercer então influência terminal sobre a viúva de Perón, Isabel Martínez de Perón, que assumiu a presidência após a morte súbita do marido. Lopez Rega, depois se soube, foi um dos organizadores da Triple A, organização para-militar envolvida no assassinato de dezenas de comunistas e militantes populares argentinos. Singh, o Rasputin de Serra, teria sido contratado por US$ 500 mil para promover 'a virada' no projeto de poder do tucano. O comando da campanha demotucana desaprovou as mudanças introduzidas pelo guru no site do candidato, que para isso ficou três dias fora do ar. Gonzales, o contestado marqueteiro de Serra, afirma desconhecer a origem da contratação.

O único fato novo trazido para a campanha de Serra no bojo da auto-proclamada 'virada' resume-se a uma obscura quebra de sigilo fiscal de que teria sido vítima sua filha, Verônica Serra. No leito da extrema-unção eleitoral, o fato nebuloso deu ao tucano o discurso de 'família agredida pela conspiração petista', enredo que inspira tanta confiabilidade quanto um envelope de Ki-suco sabor framboeza. Verônica Serra, que foi sócia da irmã do banqueiro Daniel Dantas em empresa de internalização de capitais registrada em Miami, curiosamente, é apontada por tucanos como a responsável pela introdução do rasputin Ravi Singh na 'virada' prometida na campanha do pai.

Insegurança também em regiões nobres

Do Jornal da Tarde:

Na Oscar Freire, o 13º arrastão do ano

Josmar Josino

"Dez assaltantes armados de fuzil, metralhadora e pistolas usaram dois veículos de luxo, um deles um BMW, para invadir, por volta das 19 horas desta quarta-feira, 1, um condomínio na Rua Oscar Freire, uma das mais elegantes dos Jardins, na zona sul. Os criminosos renderam funcionários e moradores, entraram em três apartamentos, roubaram dinheiros e joias. Até as 23h, ninguém havia sido preso. Este foi o 13º arrastão do ano a condomínios na capital".

COMENTÁRIO - Este é o modelo de "segurança" que Serra e Alckmin defendem - um para o Brasil e o outro para continuar em São Paulo? Não é isso que o povo paulistano e paulista merece!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Veja o vídeo e vote em João Antonio 13644!

Efeito Lula e efeito contrário Serra


Trecho de análise publicada no blog do jornalista Luís Nassif sobre a influência de Lula no voto em Dilma e os desacertos de Serra:

"O índice de popularidade de Dilma depende, em grande parte, de Lula. O de impopularidade de Serra é obra exclusiva do próprio candidato".