quinta-feira, 30 de abril de 2009

Debate na Rádio Record segunda-feira


Participo na próxima segunda-feira (4 maio) de um debate com outros dois vereadores no programa do jornalista José Nello Marques, na Rádio Record AM. Vamos falar sobre os principais problemas da cidade no programa Zé Nello Marques - A Voz de São Paulo, que vai ao ar de segunda a sexta-feira das 16h às 18h.

A rádio pode ser sintonizada na faixa dos 1000 khz.

Fim dos albergues: segregação social piora

Prefeitura cria centro-dia e fecha albergues

Diego Zanchetta e Vitor Hugo Brandalise, do jornal O Estado de S. Paulo, hoje:

"O atendimento ao morador de rua mudou na capital. Albergues tradicionais do centro, onde transitavam todos os dias parte dos 10,7 mil desabrigados da cidade, foram fechados. O acolhimento ocorrerá agora principalmente em três “centros de convivência” diurnos. Esses locais - 1 em Santa Cecília e 2 no Parque D.Pedro II - são a maior aposta da secretária da Assistência Social e vice-prefeita, Alda Marco Antonio, 64 anos. “Estão ocorrendo mudanças e elas vão continuar. Se em seis meses esse novo modelo não tiver resultados, pensamos em outro”, afirma a secretária, criticada por entidades que classificam sua política de “higienista”.

As mudanças nesses primeiros quatro meses já causam polêmica entre entidades envolvidas há duas décadas na assistência à população de rua. Alda admitiu, por exemplo, que não gosta de ver moradores de rua “comendo em chãos duros”.

COMENTÁRIO - Essa política de tratar as pessoas em situação de rua como um 'entulho' se fortaleceu com a chegada de Serra ao poder. A Comissão de Direitos Humanos deve aprofundar o debate sobre essas mudanças e encaminhar providências para que os direitos desses cidadãos e cidadãs sejam respeitados.

Uma boa dica de vídeo para o feriado


Por Celina Sales, com informações do portal Cineclick:

MEUS QUINZE ANOS (Quinceanera, EUA, 2006)

Sinopse: Esta produção foi premiada em dois dos principais eventos do cinema independente norte-americano - o Festival de Sundance (prêmio do grande júri e audiência) e o Independent Spirit Awards (prêmio John Cassavetes) - e é inédito nos cinemas brasileiros. O filme mostra o drama de Magdalena (Emily Rios), prestes a completar 15 anos. Sua vida simples, já repleta de conflitos graças à idade e à descendência latina, complica-se mais quando ela descobre que está grávida. Expulsa da casa dos pais, ela encontra uma nova família ao viver com o tio-avô e o primo homossexual.

Elenco: Emily Rios, Jesse Garcia, Chalo González, David W. Ross, Ramiro Iniguez, Araceli Guzman-Rico, Jesus Castanos, Johnny Chavez.

Bom fim de semana e ótimo feriado!!!

Creches fecham e Prefeitura não tem plano

Também na sua edição desta quinta-feira, o Jornal da Tarde traz reportagem que mostra como a Prefeitura de São Paulo não tem plano algum voltado para resolver o problema da falta de vagas em creches na cidade. Os números reais apontam um déficit de mais de 110 mil vagas. Com o fechamento de creches conveniadas, anunciado hoje em alguns bairros de Capital, serão mais de 750 crianças sem lugar para estudar - isso em um único dia. A administração Serra/Kassab foi avisada do problema, mas não tomou medida.

750 crianças podem ficar sem creche hoje

Bárbara Souza

"Cerca de 750 crianças podem ficar sem atendimento em creches municipais que mantinham convênio com o Grupo Assistencial e Promocional São Januário a partir de hoje. A rescisão do contrato ocorreu por problemas financeiros da entidade.

A Secretaria Municipal de Educação informou que o atendimento a 150 crianças de duas das creches será retomado no dia 11. Em outras duas, com 400 alunos, a entidade teria se comprometido a manter os funcionários até que fossem firmados novos convênios. No caso de outras três unidades, que atendem cerca de 200 crianças, a expectativa é conseguir outros contratos em menos de 60 dias. A pasta não informou o destino dos cerca de 100 profissionais que trabalhavam nas unidades desconveniadas.

O Grupo São Januário diz que suspendeu o atendimento porque a secretaria não aceitou fazer um acordo. “Pedi ‘pelo amor de Deus’ por uma audiência para solicitar que me dessem mais 60 dias para regularizar a situação, mas a Prefeitura não aceitou”, disse o secretário executivo da São Januário, Tadeu Roberto Corbi. Segundo ele, havia chance de a situação financeira ser normalizada". Leia mais.

Sabesp cobra para poluir córrego em São Paulo


Matéria do Jornal da Tarde de hoje (30) mostra que o programa Córrego Limpo, anunciado com alarde pelo governo do Estado e pela Prefeitura de São Paulo, não é respeitado nem mesmo pela companhia que o realiza - a Sabesp. A empresa cobra os serviços de esgoto e depois joga a água não tratada em córregos da Capital, inclusive naqueles que ela diz ter despoluído. Veja a matéria:

Morador paga, mas esgoto vai para o rio

Naiana Oscar

"Moradores do bairro Jardim Nélia, na zona leste, descobriram que pagam por um serviço público que não têm. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) cobra pela coleta e tratamento de esgoto e despeja tudo no Córrego Itaim. Revoltados com o valor das contas que chegam todo mês, os moradores resolveram testar o serviço para cobrar uma solução.

Despejaram tinta branca no vaso sanitário de uma das residências do bairro e, depois da descarga, correram para o rio. “Para nossa surpresa, a água começou a ficar branca”, disse o presidente da Associação de Moradores do Jardim Nélia, Joãoberto da Silva Neto. “É um absurdo a gente pagar para poluir nosso próprio bairro.” Leia mais.

PS - A Câmara Municipal precisa levar em conta essas atitudes da Sabesp, que o Serra tem o desejo de valorizar para privatizar. Neste momento o governo atua para votar em segundo turno o projeto de concessão de serviços à companhia, enquanto a população paga por um serviço que é danoso ao meio ambiente e ao bolso de todos. É a primeira vez que se ouve falar de uma empresa cobrar para poluir um córrego.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Diário de S. Paulo repercute texto sobre Sabesp

A coluna de política Diário Paulista, do jornal Diário de S. Paulo desta quarta-feira (29), repercute texto que publiquei ontem aqui no blog falando sobre a intenção do governo Serra/Kassab de votar em segundo turno a concessão municipal dos serviços de água e saneamento à Sabesp. Também levei o tema ao plenário da Casa e rendeu um bom debate. Veja a nota assinada pelo jornalista João Carlos Moreira:

ÁGUA EM PONTO DE FERVURA

"A Sabesp deve estar no centro das atenções do novo embate entre governistas e oposição na Câmara Municipal. Ontem, o vereador João Antonio, líder da bancada do PT, reclamou da pressa dos aliados de Gilberto Kassab em votar o projeto de lei autorizando a Prefeitura a conceder à empresa os serviços de água e saneamento da cidade. Pela proposta, a concessão teria validade de 30 anos, podendo ser prorrogada pelo mesmo período. O projeto tem o aval de José Serra - o governo do estado detém o controle acionário da Sabesp - e também é apoiado pelos parlamentares ligados ao prefeito. A oposição afirma que a eventual concessão dos serviços não prevê contrapartidas suficientes ao município e lembra que a Sabesp já foi considerada como empresa passível de privatização".

Enem 2: 'trabalho' de Rose Neubauer aparece

É uma vergonha que o Estado de São Paulo passa a cada Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Neste ano, a Capital tem a escola com a "pior nota entre as escolas do Estado (públicas e particulares)". É uma escola estadual da zona norte da cidade.

Não se trata de um problema daquela escola, e sim de um dos resultados do "trabalho" iniciado em 1995, no governo Mário Covas, com o desmonte promovido pela então secretária tucana da Educação, Rose Neubauer.

É lamentável, mas diz o ditado "quem semeia ventos, colhe tempestades". A julgar pelo que foi feito naquela época a Educação paulista ainda tende a piorar mais, inclusive porque a política educacional com Serra mantém a mesma linha desastrosa dos tucanos que lhe antecederam.

Por que São Paulo fica para trás no Enem

Os dados do Enem confirmam, mais uma vez, o fracasso da educação paulista sob o comando do PSDB nos úlitmos 14 anos. As melhores escolas estão, em sua maioria, nas cidades do interior, conforme mostra matéria da Folha de S. Paulo de hoje (29).

A conta é simples: os tucanos desarticularam o sistema de ensino, demitiram milhares de professores, fecharam escolas e pioraram os salários, além de tentarem atribuir o fracasso aos professores, fazendo de conta que eles não estavam no governo. Serra deu a última "cartada política" ao chamar para a Educação o ex-ministro de FHC Paulo Renato Souza para ser, pelo menos até o momento, mais um dos seus "cabos eleitorais" para 2010.

Veja abaixo um trecho da matéria da Folha sobre as notas do Enem:

Ações do documento 6 em cada 10 escolas "top" estão fora das capitais

Colégios com notas mais altas estão em maior parte no interior, revelam dados do Enem

"O bom ensino médio não está restrito aos grandes centros. Os dados do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) mostram que as escolas com as notas mais altas estão em sua maior parte no interior. Considerando-se os colégios na faixa dos 10% de melhor desempenho, 64% estão fora das capitais.

Aqueles nas regiões metropolitanas das capitais respondem por 10% do total; o restante está ou no litoral ou, principalmente, no interior. Em São Paulo, a fatia é maior -60% da "elite" do Enem está no interior do Estado; 26%, na capital; outros 12% na região metropolitana e 2% no litoral".

terça-feira, 28 de abril de 2009

Centro Desportivo para São Miguel Paulista

O distrito de São Miguel Paulista, na zona leste da Capital, recebeu apoio na sessão de hoje da Câmara Municipal com a aprovação - ainda em primeira votação - de projeto de lei de minha autoria que torna uma extensa área do bairro de utilidade pública. O objetivo é criar entre as ruas Manoel Barbosa dos Reis e Bras da Rocha Cardoso um Centro Desportivo Municipal.

A intenção é criar mais um equipamento público numa localidade onde há uma grande carência de locais para a prática desportiva. Vou lutar para a sua aprovação em segundo turno e, em seguida, a sanção do Executivo.

PL da Sabesp, o próximo 'desejo' da base


Depois de aprovar os projetos da Concessão Urbanística e da Nova Luz, a base aliada do prefeito Gilberto Kassab (DEM) dá sinais de que já chegou a um consenso sobre a nova empreitada: passar em segunda votação o PL 558/08, que concede a exploração dos serviços de água e saneamento à Sabesp por 30 anos, prorrogáveis por mais 30. Informações de bastidores indicam que a intenção é encaminhar a votação final nos próximos dias.

PT QUESTIONA - A Bancada do PT questiona a decisão do governo Serra/Kassab de firmar um acordo tão longo. Há indícios de que isso atenda a interesses privados e do governo José Serra, uma vez que a administração estadual detém 50,03% do capital da Sabesp, e a venda de um percentual mínimo de ações no mercado levaria a companhia ao controle privado. É sabido que os tucanos têm a intenção de privatizar a Sabesp, como já foi feito com os serviços públicos de telefonia e de eletricidade, dentre outros.

Existe também uma questão financeira de fundo que a Prefeitura e o Estado escondem: a Sabesp obtém cerca de 60% de sua receita com a prestação de serviços na Capital. Aprovado o PL de concessão é possível que os ativos da empresa sejam altamente valorizados, o que favoreceria, mais uma vez, a tese da privatização que domina a administração tucana em sua essência.


O PT também é contrário ao projeto por não ser estabelecida uma contrapartida à cidade. A pergunta é: o que São Paulo ganhará com essa concessão tão longa e duvidosa? O governo não diz nada sobre o assunto.

Enquanto o PSDB e aliados preparam sua base para tentar aprovar este projeto em segundo turno a Bancada do PT mostra à sociedade os riscos que se corre ao entregar um patrimônio público e um serviço essencial por um tempo tão longo, sem retorno garantido à cidade e que possivelmente atenderá a interesses eleitorais e/ou de grupos privados.

Descaso

Do Jornal da Tarde, hoje (28):

Atraso de obra em via tem multa extinta

"A gestão Gilberto Kassab (DEM) cancelou multa de R$ 224,7 mil à empresa que não entregou obras de canalização do córrego do Ipiranga - que transbordou durante a enchente de 18 de março - e pavimentação da avenida Ricardo Jafet - que sofreu solapamento em dezembro - , ambas na zona sul de São Paulo. As obras haviam sido contratadas em fevereiro de 2008. Procuradas, Prefeitura e empresa não se pronunciaram até a conclusão desta edição". Leia mais.

Tucanadas caseiras de FHC

Do blog do jornalista Josias de Souza, da Folha de S. Paulo:

Filha de FHC pede demissão do gabinete de Heráclito

"Em carta endereçada a Heráclito Fortes (DEM-PI), primeiro-secretário do Senado, Luciana Cardoso pediu demissão. Luciana é filha do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Recebia contracheque do Senado desde 2003. Coisa de R$ 7,6 mensais.

Deveria despachar no gabinete do senador. Mas não dava as caras. Pilhada pela coluna da repórter Mônica Bergamo, Luciana vocalizou emendas que pioraram o soneto.

"Trabalho mais em casa, na casa do senador. Como faço coisas particulares e aquele Senado é uma bagunça e o gabinete é mínimo, eu vou lá de vez em quando”.

Ditadura: abertura da subcomissão dos arquivos


Excelente aula de História e testemunhos fortes marcaram a sessão de instalação da Subcomissão de Direitos Humanos que acompanhará a abertura dos arquivos da ditadura militar, ontem na Câmara Municipal. A mesa foi composta por parlamentares, representantes dos familiares dos mortos e desaparecidos políticos, ex-presos políticos, organizações que lutam pelos direitos humanos e convidados do Judiciário - além de um público jovem que veio entender esse período da vida brasileira.

Os trabalhos do grupo que é composto pelo presidente Ítalo Cardoso, por mim e pelo vereador Jamil Murad (PC do B) terão acompanhamento do Ministério Público Federal e de órgãos de defesa dos direitos humanos. Serão retomados os registros da CPI da vala clandestinada mantida pela ditadura no cemitério de Perus, realizada nos anos de 1990, que investigou as mais de 1500 ossadas encontradas naquela ocasião. As investigações revelaram que algumas ossadas eram de mortos pelo regime militar.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

A questão dos precatórios

Do jornal O Estado de S. Paulo, hoje:

MP investiga Kassab por não pagar precatório e usar verba em outras áreas

"O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), é alvo de uma investigação do Ministério Público Estadual (MPE) por inadimplência no pagamento de precatórios alimentares (dívidas da administração com pensões, salários, aposentadorias, entre outras). Os inquéritos civis abertos pela Promotoria da Cidadania da capital apuram descumprimento das ordens judiciais de pagamento entre 2006 e 2008. Os recorrentes calotes e remanejamentos ilegais do Executivo fizeram o débito do Município com os precatórios em geral dobrar em cinco anos - de R$ 5,3 bilhões, em 2004, para os atuais R$ 11,3 bilhões. Como os ex-prefeitos Celso Pitta (PTN) e Marta Suplicy (PT), Kassab corre agora o risco de ser processado por improbidade administrativa.

A Câmara Municipal também está na mira do MPE. O promotor César Ricardo Martins, responsável por dois dos inquéritos, já reuniu provas de que dois vereadores - o líder do governo, José Police Neto (PSDB), e o ex-parlamentar Attila Russomanno (PP) - apontaram a verba destinada ao pagamento de precatórios como fonte de custeio para emendas (projetos prometidos em redutos eleitorais) em 2008. "Os recursos foram desvirtuados". Leia mais.

Ronaldo fez a diferença!

Veja que preciosidade de gol

Subcomissão Arquivos da Ditadura começa hoje


Participo hoje às 19h na Câmara Municipal de São Paulo da instalação da Subcomissão de Direitos Humanos que acompanhará abertura dos arquivos da ditadura militar.

O ato também terá a presença de autoridades e familiares de mortos e desaparecidos políticos. Além de acompanhar a abertura dos arquivos da ditadura (1964-1985) , o trabalho da subcomissão terá a função de resgatar a trajetória das suas vítimas.

Na sessão de instalação, os membros da subcomissão terão acesso à documentação da comissão parlamentar de inquérito da Câmara que investigou, em 1990, a vala clandestina no cemitério municipal de Perus. Na vala, foram identificadas pela CPI 1.049 ossadas, algumas delas de presos políticos e de vítimas de esquadrões da morte. De acordo com os registros do cemitério, seis presos políticos deveriam estar enterrados no local, mas até hoje apenas dois foram identificados.

A subcomissão será presidida pelo vereador Italo Cardoso e também é integrada por mim e pelo vereador Jamil Murad (PC do B). A cerimônia de instalação será no Salão Nobre, a partir de 19h.

Entre os presentes à cerimônia estarão o ministro Paulo Vanucchi, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, Paulo Abrão, presidente da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, a ex-prefeita e deputada federal do PSB Luiza Erundina, e representantes da Comissão dos Familiares dos Mortos e Desaparecidos Políticos.

LOCAL: SALÃO NOBRE - 8º ANDAR DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO, VIADUTO JACARÉI, 100 - BELA VISTA - SÃO PAULO - SP

domingo, 26 de abril de 2009

Sem proteção social

Moradores de rua perdem albergues no centro

Do jornal Agora SP deste domingo (26):

"Com a alegação de que não tinham dinheiro para manter um serviço com o mínimo de qualidade, dois albergues do centro da capital fecharam as portas nos últimos dois meses. Um deles, o Glicério, era o maior da região, com 720 vagas por noite. Um terceiro abrigo suspendeu parte das atividades devido a um incêndio e ainda não tem prazo para voltar a funcionar.

Paralelamente, a Prefeitura de São Paulo mantém um programa para retirar sem-teto do centro e encaminhá-los para abrigos em bairros mais afastados, como São Miguel Paulista (zona leste)".

sábado, 25 de abril de 2009

Fotos da Audiência Pública no Conquista


Reproduzo do blog Cobra Notícias algumas fotos que ilustram a participação popular na Audiência Pública Cidadã que realizei neste sábado (25) no Jardim Nova Conquista, em São Mateus. Foram cerca de 200 participantes, que reivindicaram melhorias no transporte público, asfaltamento de ruas, mais vagas em escolas e creches, dentre outras demandas que serão encaminhadas pelo meu mandato às autoridades.

Audiência Pública Cidadã no Nova Conquista

Estarei logo mais às 17h no Jardim Nova Conquista, em São Mateus, para realizar uma Audiência Pública Cidadã com moradores daquela comunidade. Vamos debater problemas, encontrar soluções e propor encaminhamentos aos pedidos da região. Além de lideranças e moradores, convidamos para o encontro representantes do poder público local e regional, bem como dirigentes de empresas concessionárias de serviços públicos, tais como Eletropaulo, Sabesp e Telefônica, dentre outras.

Desde março passado realizo as audiências nos bairros com o intuito de aproximar ainda mais o mandato da população, encaminhar reivindicações locais, cobrar das autoridades, propor soluções e conhecer melhor a realidade de cada bairro onde nossa atuação tem crescido ao longo desses três mandatos como vereador.

LOCAL - A reunião acontecerá na Igreja Nossa Senhora do Carmo, que fica na rua Nossa Senhora do Carmo, 50, no Jardim Nova Conquista. Qualquer pessoa pode participar do encontro.

Diretório do PT-SP faz resolução sobre processo eleitoral 2010

O Diretório Estadual do PT-SP, reunido ontem (24) na cidade de Santos, aprovou resolução sobre o processo eleitoral de 2010. O objetivo do documento é iniciar o debate interno sobre a construção de um programa de governo que possa apresentar ao povo paulista uma alternativa aos sucessivos governos tucanos em nosso estado bem como a escolha de um nome petista para disputar o governo paulista.

Clique aqui e leia a íntegra da resolução.

Folha reconhece erros

A Folha de São Paulo publicou matéria hoje dia 25 reconecendo dois erros na edição do dia 5 de abril, ao publicar a reprodução de uma ficha criminal relatando a participação da hoje ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) no planejamento ou na execução de ações armadas contra a ditadura militar (1964-85).

O primeiro erro foi afirmar na Primeira Página que a origem da ficha era o "arquivo [do] Dops". Na verdade, o jornal recebeu a imagem por e-mail. O segundo erro foi tratar como autêntica uma ficha cuja autenticidade, pelas informações hoje disponíveis, não pode ser assegurada -bem como não pode ser descartada.

A ficha datilografada em papel em tom amarelo foi publicada na íntegra na página A10 e em parte na Primeira Página, acompanhada de texto intitulado "Grupo de Dilma planejou sequestro de Delfim Netto".

Assinantes clique aqui e leia a íntegra da matéria.

A RESPOSTA DA DILMA

Em carta enviada ao ombudsman da Folha anteontem, Dilma escreve: "Apesar da minha negativa durante a entrevista telefônica de 30 de março (...) a matéria publicada tinha como título de capa "Grupo de Dilma planejou sequestro do Delfim". O título, que não levou em consideração a minha veemente negativa, tem características de "factóide", uma vez que o fato, que teria se dado há 40 anos, simplesmente não ocorreu. Tal procedimento não parece ser o padrão da Folha."

No dia 17, a ministra afirmou à rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, que a ficha é uma "manipulação recente".

Na carta que enviou ao ombudsman, Dilma escreveu: "Solicitei formalmente os documentos sob a guarda do Arquivo Público de São Paulo que dizem respeito a minha pessoa e, em especial, cópia da referida ficha. Na pesquisa, não foi encontrada qualquer ficha com o rol de ações como a publicada na edição de 5.abr.2009. Cabe destacar que os assaltos e ações armadas que constam da ficha veiculada pela Folha de S. Paulo foram de responsabilidade de organizações revolucionárias nas quais não militei. Além disso, elas ocorreram em São Paulo em datas em que eu morava em Belo Horizonte ou no Rio de Janeiro. Ressalte-se que todas essas ações foram objeto de processos judiciais nos quais não fui indiciada e, portanto, não sofri qualquer condenação. Repito, sequer fui interrogada, sob tortura ou não, sobre aqueles fatos."

A ministra escreveu ainda: "O mais grave é que o jornal Folha de S.Paulo estampou na página A10, acompanhando o texto da reportagem, uma ficha policial falsa sobre mim. Essa falsificação circula pelo menos desde 30 de novembro do ano passado na internet, postada no site www.ternuma.com.br ("terrorismo nunca mais"), atribuindo-me diversas ações que não cometi e pelas quais nunca respondi, nem nos constantes interrogatórios, nem nas sessões de tortura a que fui submetida quando fui presa pela ditadura. Registre-se também que nunca fui denunciada ou processada pelos atos mencionados na ficha falsa."

MEU COMENTÁRIO: O DOPS - Departamento de Ordem Política e Social - polícia política estadual, no caso em tela de São Paulo, auxiliava o regime ditatorial, reprimindo indiscriminadamente todos que ousassem discordar do regime autoritário. Brasileiros foram torturados e muitos assassinados por essa "polícia política" aqui no nosso estado cujo símbolo de perversidade se expressa no delegado Sergio Paranhos Fleury.

O curioso sobre a matéria da Folha publicada no dia 5 de abril é que as informações partiram de um informante que o jornal presumiu ter informações "verídicas" dos arquivos do DOPS - Polícia Política de São Paulo no período da ditadura – Estado cujo comando está com os tucanos há 14 anos e tem como atual governador nada menos do que José Serra, aquele mesmo que armou contra sua adversária, Roseana Sarney, na primeira eleição do Lula em 2002. Na época ela pertencia ao PFL hoje DEM aliado de primeira hora do tucano.

Note que Serra é o virtual candidato tucano em 2010 para disputar com a Dilma, provável candidata petista. Pergunto: não é de se estranhar tal denúncia exatamente no momento em que as pesquisas registram um crescimento significativo do nome da Dilma como candidata?

Acho ainda mais estranho o jornal publicar aquela matéria no dia 5 de abril com o título: "Grupo de Dilma planejou seqüestro do Delfim", sem nenhuma investigação maior sobre a veracidade dos fatos. A autocrítica do jornal é bem vinda, porém, dificilmente vai reparar por completo os danos causados a imagem pública da ministra Dilma que é uma pessoa honrada, competente, integra e que merece todo respeito dos brasileiros, não somente pelas qualidades citadas, mais também por ter tido a coragem, no período mais difícil de nossa história, ter contribuído com ousadia e determinação para que hoje os brasileiros pudessem viver em pleno Estado Democrático de Direito.

Pergunta que não quer calar: Será que tal "informante" compõe o governo Serra aqui em São Paulo ou será um filiado tucano de alta plumagem?

sexta-feira, 24 de abril de 2009

MP pede cassação de prefeito tucano em SP

MP pede ao TSE cassação de prefeito de Monte Mor-SP

Da Agência Estado

"O Ministério Público Eleitoral entrou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para aplicar ao prefeito reeleito de Monte Mor (SP), Rodrigo Maia Santos (PSDB), pena de multa e cassação do mandato por propaganda institucional em período proibido por lei e abuso de autoridade. O prefeito foi denunciado por colocação irregular de outdoors, supostamente pagos com dinheiro público, para veicular propaganda no período eleitoral de 2008. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo".

Saúde também na fila de espera

Do jornal Agora SP, sobre o descaso da Prefeitura com a saúde municipal, embora a propaganda eleitoral em 2008 tenha conseguido maquiar perfeitamente a situação. Veja a matéria abaixo e tire suas conclusões:

Usuários esperam por horas na fila

"Grávida, a dona de casa Josielma Queiroz Ferreira, 34 anos, disse que precisou aguardar mais de cinco horas nos corredores do Hospital Municipal do Tatuapé, no Tatuapé (zona leste) para ser atendida por um clínico-geral ontem. O Agora acompanhou a espera da mulher das 16h às 17h30, quando ela foi atendida pelo médico.

Ela afirmou que deu entrada no hospital na tarde de anteontem, por volta das 17h, com dores abdominais, e, após passar a noite toda em observação, teve alta por volta das 12h. "Fui liberada, mas não fui embora porque ainda estou com dor", disse. Sentada em uma cadeira, ela gritava de dor enquanto esperava ser atendida, chamando a atenção dos outros pacientes".

Veja também no Agora: Hospital coloca pacientes em macas no corredor

À espera de um milagre...

Do Jornal da Tarde, hoje (24), matéria assinada pelo jornalista Fábio Mazzitelli:

Menino de 2 anos na fila de espera desde os 3 meses

"Tamires Santos Trancozo, de 21 anos, é mãe de três filhos. O caçula, que completou 2 anos na última terça-feira, é uma das 67 crianças da região do Jabaquara, zona sul, que buscam vaga na Justiça e tiveram o direito à matrícula imediata negada no Judiciário paulista. O menino foi cadastrado para vaga em creche três meses depois de nascer, e segue na espera.

“Me ligaram duas vezes, mas as creches que ofereceram ficavam longe. Pedi para o meu bairro e falaram para eu aguardar.”

Dicas de shows para seu fim de semana

TOQUINHO E MPB4 O músico e o conjunto vocal realizam um show especial, intimista e acústico, baseado no CD e DVD "Toquinho e MPB4 - 40 Anos de Música". O repertório terá sucessos de Chico Buarque e de Toquinho, parceiros de Vinicius de Moraes. HSBC Brasil - r. Bragança Paulista, 1.281, Santo Amaro, região sul, tel. 4003-1212. 1.800 lugares. 22h. 90 min. Não recomendado para menores de 14 anos. Ingr.: R$ 20 a R$ 120 (estudantes: R$ 10 a R$ 60). CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 20).

HOMENAGEM A PAULO VANZOLINI Neste sábado (dia 25), os músicos Ana Bernardo, Suzana Salles, Eduardo Gudin e Márcia entoam composições do compositor Paulo Vanzolini, entre elas, "Valsa das Três da Manhã", "Leilão", "Ronda", "Boca da Noite" e "Praça Clóvis". Sesc Vila Mariana - teatro - r. Pelotas, 141, Vila Mariana, região sul, tel. 5080-3000. 608 lugares. 21h. 90 min. Não recomendado para menores de 12 anos. Ingr.: R$ 7,50 e R$ 30.

Fonte Guia da Folha

Jamelao canta Ronda - De Paulo Vanzolini

A mídia em debate

Carta Maior promove hoje debate sobre a mídia

Acontece hoje à noite um debate sobre a mídia, com a participação de jornalistas e pesquisadores da área de comunicação, promovido pelo site Carta Maior. O evento Mídia em Debate será realizado no Hotel Macksoud Plaza, na Capital (Alameda Campinas, 150), a partir de 19h.

Confirmaram participação Laurindo Leal Filho, professor da Universidade de São Paulo, Venício Lima, pesquisador da Universidade de Brasília, Damian Loreti, professor da Universidade de Buenos Aires, Antonio Roberto Espinosa, jornalista e professor da USP, e dos jornalistas Luis Nassif e Ivan Seixas.

O debate será transmitido via internet pela TV Carta Maior.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Audiência Pública no Jardim Elisa Maria



No sábado passado (18) realizei uma Audiência Pública Cidadã no Jardim Elisa Maria, na região noroeste da Capital. Foram diversas as reivindicações da comunidade, principalmente ligadas à coleta do lixo que não chega a todos os locais. Além disso, o entulho que se acumula em vários pontos.

Lideranças comunitárias e moradores que falaram durante o encontro pedem a construção de praças públicas e de outros equipamentos para lazer e cultura no Elisa Maria.

Foi também um momento em que falei sobre o papel do vereador como legislador e fiscalizador dos atos do governo.



AUDIÊNCIA EM SÃO MATEUS - Neste sábado (25) realizo nova Audiência Pública Cidadã na região de São Mateus, no Jardim Nova Conquista, a partir das 17h, na Igreja Nossa Senhora do Carmo, que fica na rua Nossa Senhora do Carmo, 50.

Serra assume que prejudicará população

Cerca de um mês atrás publiquei aqui no blog uma nota sobre a atitude do governador tucano José Serra em relação ao programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. Na postagem, destaquei uma entrevista dele à imprensa falando que São Paulo poderia "não aderir" ao referido programa. Leia a postagem Serra tenta fazer marola contra programa federal, do dia 26 de março passado.

No jornal Agora SP, edição de hoje (23), vem a confirmação. Matéria da jornalista Juliana Colombo informa que Estado se recusa a aderir ao pacote da casa de Lula. A alegação do tucano, mais eleitoreira impossível, é a seguinte, de acordo com o Agora: "Segundo o governo estadual, se as regras de participação de Estados e municípios continuarem como estão, não haverá construção de moradias dentro do pacote federal. Para o governo de São Paulo, o melhor seria haver repasse de recursos diretamente à CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), para que as casas mais baratas sejam construídas de acordo com o modelo já existente".

A tradução para isso tudo é a seguinte: o governor do Estado está em campanha eleitoral e, para tanto, nada de apoiar programas que venham do governo federal. Nada de dizer que São Paulo recebe verbas federais. Ou seja, tudo o que for possível para prejudicar a população paulista será feito pelos tucanos em nome das eleições 2010!

Bate-boca lamentável no STF


O Judiciário brasileiro viveu cenas deprimentes no dia de ontem, segundo vídeo da própria TV Justiça exibido na internet (veja aqui do portal UOL).

Os ministros Gilmar Mendes (foto), presidente da Corte, e Joaquim Barbosa, trocaram acusações durante vários minutos. Barbosa chegou dizer que Mendes "destrói a credibilidade da Justiça brasileira".

Embora não seja a primeira vez que o episódio acontece, o fato é que sua ocorrência demonstra um desvio nesta que é a nossa Suprema Corte.

O STF começou a ganhar manchetes de jornais depois que o ministro Gilmar Mendes passou a dar declarações seguidas à imprensa comentando assuntos polêmicos como as ações dos sem-terra, gastos do governo e temas que estão ou virão a ser analisados pelo Supremo. Teve também o episódio da soltura do banqueiro Daniel Dantas, ordenada duas vezes por Mendes em julho do ano passado.

Sumiu, câmbio!


A antiga base da Polícia Militar na Praça da Sé, marco zero da Capital, simplesmente sumiu.

Foi o que constatou o presidente da ONG Educa São Paulo, Devanir Amâncio, em foto na qual mostra que sobraram apenas alguns cones de sinalização no lugar onde antes ficava a cabine com policiais a serviço da população.

A notícia está nos jornais de hoje com a promessa da PM de voltar ao local em 30 dias. Certamente o Amâncio voltará lá no prazo!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

PT reage a infâmia de dirigentes do PPS


O Partido dos Trabalhadores anunciou que acionará sua assessoria jurídica e solicitará na Justiça Eleitoral a cassação dos horários do PPS no segundo semestre, conforme prevê a legislação.

A medida é por conta dos comerciais do PPS que atacam o governo do presidente Lula e o PT.

O secretário nacional de Comunicação, Gleber Naime, assinou artigo no site do Diretório Nacional do PT falando sobre a motivação dos dirigentes do PPS para atacar Lula e o Partido dos Trabalhadores.

Leia aqui o artigo Os valores do PPS.

Repercussão dos projetos na mídia online

A aprovação dos projetos da Concessão Urbanística e da Nova Luz repercutiu em diversos sites de notícias na noite desta quarta-feira. Veja abaixo um resumo da cobertura de alguns veículos online que estará nas páginas dos jornais de amanhã:

FOLHA ONLINE - Câmara aprova projetos de concessão urbanística para áreas degradadas em SP

PORTAL G1 - Câmara aprova projeto que concede bairros à iniciativa privada

PORTAL TERRA - Câmara de SP aprova projeto de concessões urbanísticas

RÁDIO JOVEM PAN - SP: bairros podem passar para a iniciativa privada

Projetos aprovados sem plano urbanístico

A Bancada do PT votou contra os projetos da Concessão Urbanística e da aplicação da referida concessão na região da chamada Nova Luz, na sessão de hoje na Câmara Municipal.

O governo conseguiu aprovar os dois projetos sem apresentar o plano urbanístico que será aplicado na região da Luz.

Concessão Urbanística e Nova Luz

Gravei hoje entrevista para o SPTV, da TV Globo, na qual debati com a liderança do governo na Câmara sobre o projeto do Executivo que trata da Concessão Urbanística (veja aqui) que deverá ser aplicada primeiro na região da Luz - denominada de Nova Luz.

A intenção do governo é colocar os dois projetos em votação hoje. Apesar dos avanços conseguidos pela bancada do PT, o partido votará contra porque não foi apresentado até hoje o projeto urbanístico para esta primeira área que será objeto de concessão à iniciativa privada.

Além disso, várias diretrizes do projeto do governo Kassab representam um risco de o setor imobiliário utilizar as concessões para a especulação imobiliária. A Câmara e a sociedade precisam ter o controle do processo de concessão. Caso contrário, perdem os atuais moradores da região, o comércio estabelecido e podem ser abertas portas para beneficiar somente determinados setores da sociedade.

Câmara discutirá abertura de arquivos da ditadura


A Câmara Municipal de São Paulo instala na próxima segunda-feira (27) uma subcomissão temporária pela abertura dos arquivos da ditadura militar (1964-1985). A discussão ocorre no momento em que setores da imprensa tentam induzir a opinião pública a comprar a tese de que no Brasil a ditadura foi "suave".

Após realizada a abertura da sessão, com a indicação do presidente e relator, a subcomissão terá acesso ao trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito constituída em 1990, que investigou as irregularidades da vala clandestina de Perus, onde havia 1049 ossadas, algumas de presos políticos e vítimas dos esquadrões da morte.

A subcomissão - que é integrada por mim e pelo vereador Jamil Murad (PC do B) - será presidida pelo vereador Ítalo Cardoso (PT).

PRESENÇAS - O evento contará com a presença do ministro da Secretaria dos Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, Paulo Abrão, Presidente da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, de representantes dos familiares dos desaparecidos políticos, de parlamentares, de entidades que lutam pelos direitos humanos e também de jornalistas.

A reunião acontecerá às 19h no Salão Nobre, 8º andar da Câmara.

Jungman, o irresponsável


O deputado federal Raul Jungman (PPS-PE) ocupa espaço do partido na TV para fazer terrorismo político e econômico ao insinuar que o presidente Lula teria planos para mexer na caderneta de poupança. O pior é o parlamentar, com a maior desfaçatez, dizer que isso aconterá "como fez o presidente Collor".

Todo mundo sabe que não existe plano algum nessa linha. Existe, isso sim, um combate à crise internacional por parte do governo Lula que causa inveja àqueles - como o deputado Jungman - que apenas servem como papagaios das idéias e propósitos eleitorais do governador tucano José Serra.

O jornalista Antônio Mello, que assina o Blog do Mello, questiona: "Não fosse o Jungman um deputado obscuro, sem importância alguma, não poderia haver uma corrida aos bancos por conta dessa declaração irresponsável?".

É com gente desse nível que o Serra contará nas eleições 2010!

Brasil, potência regional, diz Newsweek

O site da BBC Brasil trouxe uma matéria da revista norte-americana Newsweek sobre a consolidação do nosso país como potência regional.

"O Brasil vem se transformando na última década em uma potência regional única, ao se tornar uma sólida democracia de livre mercado, uma rara ilha de estabilidade em uma região conturbada e governada pelo Estado de direito ao invés dos caprichos dos autocratas", diz a revista. Clique aqui para ler a matéria da BBC.

Eleição indireta

Do Estadão de hoje (22):

STF avalia impor eleição indireta em caso de cassação

"Depois das cassações dos governadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Jackson Lago (PDT-MA), cresceu no Supremo Tribunal Federal (STF) o debate interno sobre se está ou não correta a interpretação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que mandou os segundos colocados assumirem os Executivos da Paraíba e do Maranhão e descartou a necessidade de ser realizada uma nova eleição.

Para os ministros que discordam da decisão do TSE, a Constituição não está sendo respeitada e a Justiça Eleitoral vem permitindo que políticos rejeitados pela maioria do eleitorado "vençam no tapetão", sem que haja certeza de que as fraudes tenham sido decisivas para a vitória eleitoral". Leia mais.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Abandono total


Do Jornal da Tarde hoje (21)

"Podas de árvores e capinação de mato estão entre os problemas que mais incomodam os moradores da capital. Tanto é que em 23 das 31 subprefeituras de São Paulo a jardinagem aparece entre as três principais queixas feitas à Ouvidoria Geral do Município em 2008. Fica na frente até mesmo do comércio irregular, apontado em 21 subprefeituras, e dos buracos em vias públicas, citados em 15.

No ano passado, a Ouvidoria recebeu 922 reclamações sobre jardinagem, o que inclui serviços de capinação, conservação de áreas, plantio, poda, remoção e transplante de árvores. A Secretaria das Subprefeituras promete solucionar o problema ainda este ano". Leia mais.

Comentário: O prefeito congelou R$ 5,5 bilhões, todas as secretarias foram atingidas pelo contingenciamento incluindo aí as subprefeituras. Os subprefeitos reclamam da falta de verba para fazer a manutenção básica dos serviços, tais como limpeza de bueiros, poda de árvores, limpeza de praças. Falta de dinheiro não é: a Prefeitura tem aplicado nos bancos privados R$ 4 bilhões, talvez, estão esperando o ano de 2010 para gastar esse dinheiro em obras eleitoreiras.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Estado e prefeitura contra a população


O calendário eleitoral também é seguido à risca pelo governador tucano José Serra e pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Basta ver que o programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, sofre restrições em São Paulo.

Em São Paulo a falta de moradias chega a quase 1,5 mihão de unidades e, mesmo assim, Serra e Kassab preferem dizer que "não sabem como aderir ao programa".

Matéria do jornal Valor Econômico desta segunda-feira (20) mostra que o programa federal já avança apenas cinco dias depois de ser lançado. Veja um trecho da reportagem:

Plano já tem projetos, terrenos e muitas famílias cadastradas

"O programa Minha Casa, Minha Vida, começou, de fato, ao longo dos seus primeiros cinco dias. Nesta semana, dois contratos de financiamento de projetos habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida vão ser assinados na cidade de Curitiba direcionados para famílias até três salários mínimos.

Na semana passada, seis projetos de construtoras foram protocolados na Superintendência da Caixa Econômica Federal de Florianópolis, direcionados para famílias acima de três mínimos. Em Porto Alegre, foi registrada manifestação de interesse para nove projetos para 4,5 mil casas para baixa renda.

Ao mesmo tempo, no Estado de São Paulo, onde o déficit habitacional é de 1,4 milhão de moradias, a forte demanda por parte da população provocou a formação de filas nos postos de cadastramento, mas prefeitura e Estado - ambos governados pela oposição - ainda não sabem como vão aderir ao programa. Também em Minas Gerais, prefeitura (aliada do governo federal) e Estado (oposição) não formalizaram a adesão".

Como se vê, opositores do governo federal olham o calendário eleitoral para depois tomar atitude. A população que pague a conta, no entendimento desses senhores!

Produção agrícola e disputa eleitoral

Em artigo publicado no site da Agência Carta Maior, o sociólogo Gilson Caroni Filho disserta sobre um conflito político que move produtores rurais e alguns dos seus representantes - especialmente no Congresso Nacional.

Ele destaca declarações recentes da senadora Kátia Abreu, do DEM do Estado do Tocantins e uma das opositoras do governo Lula, que disse ser preciso orientar os produtores a "pisar no freio" da produção. A 'desculpa' seria a crise, mas o alvo seria mesmo a eleição presidencial de 2010.

Na mesma linha, o presidente da União democrática Ruralista (UDR), Antônio Nabhan, lembra que existe um processo eleitoral que se aproxima e que, nesse sentido, a diminuição da produção seria uma necessidade. Para Caroni, ambos estariam fazendo mesmo é uma pregação de "sabotagem produtiva" com viés eleitoral.

Leia aqui o artigo dele.

domingo, 19 de abril de 2009

Agora, as aposentadorias de ex-governadores

Os jornais agora colocam os ex-governadores na mira.

Do Estadão deste domingo (19):

Aposentadoria de ex-governadores sobrevive em quase todo o País

"O cidadão brasileiro comum trabalha por até 35 anos e contribui todo mês para a Previdência, a fim de garantir uma aposentadoria de no máximo R$ 3,2 mil. Já pelo menos 69 ex-governadores de 12 Estados, trabalhando por menos tempo e sem contribuir para a Previdência, recebem uma pensão vitalícia de até R$ 22,1 mil. Essas aposentadorias, equivalentes ao salário de um desembargador, custam pelo menos R$ 12,2 milhões por ano aos cofres públicos.

Quando extinguiu a pensão oferecida ao ex-governador do Mato Grosso do Sul Zeca do PT, em 2007, o Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu que o benefício fere o princípio da moralidade na administração pública. Os R$ 22 mil por mês que Zeca receberia foram declarados inconstitucionais. Mas nos demais Estados onde a prática sobrevive os valores continuam a ser lançados nas folhas de pagamento. Pelo menos seis ações para extinção dos benefícios nos Estados estão na fila do Supremo para ser julgadas".

sábado, 18 de abril de 2009

Dinheiro do contribuinte paulista em campanha


Do Jornal O Estado de S. Paulo, hoje (18):

PSDB busca aval a publicidade da gestão Serra fora de SP

"Uma proposta de emenda à Constituição estadual que altera as regras para gastos do governo com publicidade voltou a ser discutida esta semana na Assembleia Legislativa paulista, mais de um ano depois de ter ido parar na gaveta. O projeto, apresentado inicialmente em 2008 pela deputada Célia Leão (PSDB), poderá dar ao governador de São Paulo, José Serra (PSDB), o direito de realizar propaganda do Estado em todo o País, a título de promoção das atrações turísticas paulistas.

O assunto, levantado na quarta-feira pela deputada em reunião do colégio de líderes da Assembleia, despertou reações na bancada petista antes mesmo de entrar na pauta de votação. Apesar de afirmarem ser favoráveis à propaganda em outros Estados para atrair turistas, deputados do PT dizem ver viés eleitoral na iniciativa da parlamentar, a um ano e meio das eleições de 2010". Leia mais.

Comentário: Mesmo depois de aumentar os gastos com publicidade em quase 50% neste ano, Serra agora quer 'autorização' para usar o dinheiro dos paulistas como bem entender para alavancar sua candidatura nacional. Com a palavra, a Justiça!

Ensino municipal piorando

Do Jornal da Tarde, hoje (18):

Piora desempenho de aluno municipal da 6ª à 8ª série

"O desempenho dos estudantes da rede municipal de São Paulo em língua portuguesa e matemática melhorou nos primeiros anos do ensino fundamental e piorou nos últimos, segundo dados da Prova São Paulo, avaliação anual aplicada pela Prefeitura desde 2007. Em sua segunda edição, realizada em dezembro do ano passado, o exame teve a participação de 289 mil estudantes da 2ª a 8ª séries.

Isso quer dizer que o processo de alfabetização na rede municipal está melhorando nas escolas, com mais alunos capacitados para as séries em que estão, mas que existe uma dificuldade em manter esses níveis de aprendizado nos estudantes mais velhos, a partir do 6º ano, quando as notas começam a ficar mais baixas". Leia mais.

Comentário: Suspeito que isso é um indício da 'má influência' da administração tucana - que piorou a educação estadual nos últimos 14 anos - agora também na Prefeitura de São Paulo. Por onde os tucanos passam a Educação piora, é o que mostram os dados!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

O que é preciso agora para abrir a CPI?

Reportagem do Jornal da Tarde assinada pelo jornalista Fabio Leite desnuda o escandaloso esquema da merenda escolar na cidade de São Paulo. E reforça tudo aquilo que já falamos sobre a necessidade de ser aberta - com urgência! - uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Câmara Municipal. Leia a matéria:

MPE vê mais crimes na merenda escolar

Serviço sem contrato em 111 escolas, sumiço de 400 processos de multa e saque no total de R$ 22 milhões

"Investigação do Ministério Público Estadual (MPE) sobre a máfia da merenda em São Paulo revela novos indícios de crimes cometidos pelo suposto esquema de conluio de empresas para fraudar licitações, envolvendo servidores e fornecedores da rede municipal de ensino. Com base em depoimentos, promotores descobriram a prestação do serviço sem contrato em 111 escolas, cerca de 400 processos de multas ‘arquivados’ e saques na ‘boca do caixa’ no total de R$ 22 milhões em 3 anos, efetuados por uma empresa.

Desmantelada em fevereiro, a máfia cooptava servidores para ‘viciar’ licitações, segundo o MPE. São suspeitas as seis fornecedoras da capital, que, juntas, recebem cerca de R$ 258 milhões ao ano em contratos firmados em 2007, quando o Departamento de Merenda era subordinado à Secretaria de Gestão - hoje é da Educação (leia ao lado). À época, o titular da pasta era o atual secretário de Saúde, Januário Montone, também investigado pela Promotoria.

“Estamos convictos de que as empresas praticaram crimes”, afirmou ontem o promotor do Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos (Gedec), Arthur Pinto de Lemos Júnior, destacando como principais corrupção e formação de cartel. As investigações continuam em sigilo.

Contratos, multas e saques

Segundo o MPE, três servidoras ouvidas assumiram ter dado ordem de serviço que incluiu 111 escolas nos lotes das fornecedoras sem nova licitação ou aditamento contratual. A Prefeitura pagou integralmente pelo serviço. Duas delas - Joana D’Arc Pereira e Rosmary da Silva - foram exoneradas em fevereiro. Já a nutricionista Mônica Horta foi levada por Montone na sua transição da secretaria de Gestão para a Saúde. Procurado no fim da tarde ontem, o secretário informou, via assessoria, que não haveria tempo para se manifestar.

As mesmas três servidoras, segundo promotores, impediram o andamento de 400 processos administrativos, com penas às empresas por descumprimento de termos contratuais só em 2007, fazendo com que fornecedoras não fossem multadas. O MPE apura quais os valores pagos às empresas sem contrato e os das multas.

Análises preliminares baseadas em informações repassadas pelos bancos ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf)revelaram que, em três anos, uma das empresas investigadas, cujo nome está sob sigilo, movimentou de “maneira atípica” R$ 22,2 milhões. Funcionários sem vínculo com a empresa faziam saques em espécie na boca do caixa de até R$ 100 mil, segundo o MPE. Promotores suspeitam que o dinheiro pode ter sido usado no pagamento de propina a servidores.

Por conta disso, investiga-se também o uso de firmas de fachada no esquema. “Temos indícios de que usavam outras empresas para esconder as movimentações suspeitas”, diz Lemos Júnior".

Filme do Woody Allen

Por Celina Sales, com informações do portal Cineclick:

VICKY CRISTINA BARCELONA (Vicky Cristina Barcelona, EUA/ Espanha, 2008)

Sinopse: A comédia de Woody Allen que deu a Penélope Cruz o primeiro Oscar, de Melhor Atriz Coadjuvante, chega em DVD depois de ter passado pelos cinemas. A história gira em torno de duas jovens norte-americanas, a conservadora Vicky (Rebecca Hall) e a animada Cristina (Scarlett Johansson). Em viagem para Barcelona a fim de passar as férias de verão, acabam se envolvendo em confusões amorosas com um artista extravagante, vivido pelo sedutor Javier Bardem, e sua insana ex-esposa, interpretada por Penélope. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Scarlett Johansson, Penélope Cruz, Javier Bardem, Rebecca Hall, Chris Messina, Patricia Clarkson, Carrie Preston

Bom fim de semana!!!!

Nossas dicas de shows para seu fim de semana

3º FESTIVAL INSTRUMENTAL DE GUARULHOS Altamiro Carrilho e Izaias & Seus Chorões fazem o show de encerramento do festival. Teatro Adamastor - Centro Municipal de Educação Adamastor. 21h. Livre. Retirar ingr. c/ uma hora de antecedência.

CLUBE DA ESQUINA, NAS MINAS DA MÚSICA O último show do projeto reúne os expoentes mais famosos do Clube da Esquina, Milton Nascimento e Lô Borges. O repertório do álbum duplo "Clube da Esquina", lançado em 1972, é o foco das apresentações. Os ingressos estão esgotados. Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran - r. Paes Leme, 195, Pinheiros, região oeste, tel. 3095-9400. 1.010 lugares. Sexta e Sábado as 21h, Domingo as 18h. Não recomendado para menores de 10 anos. Ingr.: R$ 10 a R$ 40. Ingressos esgotados. Estac. c/ manob. (R$ 5 e R$ 7 p/ 3 h mais h adicional).

O "cara" das privatizações


FOTO: MANOEL MARQUES/ISTOÉ

Em artigo assinado na Folha de S. Paulo desta sexta-feira, o ex-ministro das Comunicações do governo FHC Luiz Carlos Mendonça de Barros tenta fazer de conta que não foi o responsável por uma das piores fases da economia brasileira - a era tucana das privatizações.

Mendonça mistura uma série de argumentos no artigo para criticar o governo do presidente Lula, embora o mundo inteiro reconheça que o Brasil é um dos países que tem dado melhor tratamento à crise internacional.

Quem escreve o artigo é ninguém menos que O Senhor Privatização, segundo matéria da revista Istoé de julho 1998. Ou seja, o ex-ministro tucano é o "cara das privatizações". Leia aqui o artigo dele na Folha e aqui a matéria sobre ele na Istoé.

PS - Não dá para esquecer que foi nesse período que o governo FHC se viu enrolado em grampos telefônicos sobre a formação dos grupos que mais tarde comandariam grande parte da telefonia privatizada no país. E também que essa história do banqueiro Daniel Dantas, amigo e financiador tucano, tem seus laços fortes com a privatização do setor de telefonia comandada por Mendonça de Barros.

Cultura para fins educacionais

Da Folha de S. Paulo, hoje (17)

Ministro da Cultura vai mudar trechos da nova Lei Rouanet

"O ministro da Cultura, Juca Ferreira, disse ontem que o projeto de lei que trata da nova Lei Rouanet passará por mudanças. Segundo ele, será reescrito o trecho que prevê a suspensão da reserva de direitos dos bens e serviços realizados com benefício da lei (renúncia fiscal), em favor do governo.

A proposta que está agora em consulta pública estabelece que, um ano e meio após a realização da obra financiada com recurso público, "a administração pública federal" poderá dispor dela "para fins educacionais".

De acordo com Ferreira, a intenção do governo é ter a permissão de uso de produtos culturais que tenham sido bancados por recursos públicos, para fins específicos, como os educacionais. Ele afirmou que, da maneira como está expresso, o texto pode dar a impressão de que seriam alteradas as regras dos direitos autorais".

quinta-feira, 16 de abril de 2009

O dia em que FHC teve juízo

Do Jornal do Brasil, hoje:

BRASIL ESTÁ BEM PARA A CRISE, ELOGIA FHC

Integrantes do governo tucano, como Fernando Henrique Cardoso, Armínio Fraga e Joaquim Levy, expuseram a condição privilegiada do Brasil diante da crise financeira internacional

“O país está bem posicionado em relação a outras economias”, reconheceu FHC, durante o Fórum Econômico Mundial da América Latina, no Rio, embora tenha feito críticas ao atual governo. “Estamos com ótima saúde”, completou o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga. O presidente Lula foi aplaudido ao afirmar que o FMI deve emprestar dinheiro sem as condições impostas no passado".

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Discussão de dois projetos importantes para SP

A pauta de hoje da Câmara Municipal de São Paulo foi dominada pela discussão de dois projetos importantes para a cidade: os PLs 87/09 (que trata da concessão urbanística) e 158/09 (que trata da aplicação da concessão na área da Nova Luz).

O governo tem interesse em colocar esses dois projetos em votação depois do feriado de Tiradentes, na próxima quarta-feira (22). A Bancada do PT quer ampliar o debate. Hoje debatemos sobre os principais problemas contidos nos dois projetos do Executivo. O PT apresentará um substitutivo ao PL da concessão urbanística.

MUDANÇAS - A Bancada do PT defende a construção de um substitutivo ao projeto por entender que, do jeito que está, trata-se de um "cheque em branco" ao Executivo. As principais mudanças que propomos são:

1 - É fundamental retirar o artigo 5º e estabelecer que cada projeto de concessão seja submetido ao legislativo. Pela proposta original, nem todos as áreas seriam passíveis de apreciação pela Câmara, e sim apenas aquelas onde "houvesse mudanças urbanísticas". Esse conceito é muito subjetivo.

2 - Cada projeto de concessão deve ter um Conselho Gestor com representação paritária do poder público e da sociedade.

3 - A delegação do poder da prefeitura para o concessionário particular só deve ocorrer para projetos de interesse social ou de utilidade pública. Isso evita deixar espaço para que se multipliquem projetos voltados exclusivamente para a exploração comercial. Do jeito que o governo propõe os concessionários teriam a liberdade para explorar qualquer tipo de atividade nas áreas a serem reurbanizadas.

NOVA LUZ - O segundo projeto em debate, que autoriza a aplicação da concessão urbanística na área atualmente chamada de Nova Luz, também deverá ser alterado, segundo proposta da Bancada do PT. A ideia é garantir que a área da rua Santa Ifigênia não seja atingida por futuros projetos de concessão, uma vez que ali se concentra um polo consolidado de eletroeletrônicos que gera empregos e riqueza para cidade.

Por fim, é fundamental que os vereadores e a sociedade conheçam o projeto urbanístico que a prefeitura quer implantar no que hoje ainda é conhecido como região da Cracolândia. Até as bancadas de apoio ao governo reconhecem que ninguém conhece o projeto que se pretende aplicar para a região.

Pelo visto o debate vai ser ainda maior nos próximos dias.

Quando a exceção vira regra

Da Agência Estado, hoje (15):

SP paga para enterrar 78 mil toneladas de entulho

"SÃO PAULO - A gestão do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), assinou ontem o 13º contrato sem licitação, no valor de R$ 900 mil, para o gerenciamento dos entulhos em aterros da cidade. Desde abril de 2007, quatro empresas recebem 78 mil toneladas de resíduos sólidos recolhidas mensalmente por empresas de caçamba cadastradas, dos 35 ecopontos e de obras públicas - todo o volume levado aos aterros é hoje enterrado. As empresas já receberam em caráter emergencial R$ 24,8 milhões nos últimos dois anos. Leia mais.

Comentário: Este é mais um caso de inoperância do governo Serra/Kassab, que não consegue (ou não tem interesse?) encaminhar o processo licitatório para uma área que consome uma grande soma de recursos municipais. O que seria uma exceção começa a virar regra nesta administração!

Mais empregos, mais sindicalização

O crescimento do emprego formal no país produz um resultado positivo: o aumento do número de sindicalizados no Brasil. É o que informa pesquisa do Ministério do Trabalho publicada na edição de hoje (15) do jornal Folha de S. Paulo. Veja trecho da notícia abaixo:

"O número de trabalhadores filiados a sindicatos no país cresceu 13% de abril a dezembro do ano passado, passando de 4,285 milhões para 4,838 milhões, segundo último levantamento do Ministério do Trabalho (MTE). No período de oito meses, 553.362 trabalhadores se associaram a sindicatos.

A expansão da sindicalização é reflexo do aumento no número de empregos com carteira assinada (foi aberto 1,452 milhão de vagas no Brasil em 2008) e da disputa acirrada entre as centrais sindicais para filiar mais sindicatos, provar representatividade e assim receber parte maior do imposto sindical (o equivalente a um dia de salário do trabalhador)".

terça-feira, 14 de abril de 2009

E o secretário só quer fazer política partidária


Que o governo Serra é o 'coroamento' de um processo que levou a Educação paulista ao buraco ninguém duvida. Os índices desastrosos do nível de ensino são a prova cabal do "fracasso retumbante" do ensino estadual, conforme editorial da Folha de S. Paulo publicado no dia 15 de março de 2007 (leia aqui).

Todavia, o que ninguém esperava é que o governador nomeasse um ex-ministro da Educação do governo FHC somente para fazer política partidária - justamente numa terra-arrasada como eles deixaram as escolas estaduais.

Infelzimente é isso que mostra uma matéria do jornal O Estado de S. Paulo desta terça-feira, na qual o secretário Paulo Renato Souza transformou seu discurso de posse em palanque contra o governo do presidente Lula, contra o PT e a favor da campanha do governador Serra. Veja um trecho da matéria:

Paulo Renato vê ''banalização da esperteza'' no PT

"Os tucanos aproveitaram a cerimônia de posse do novo secretário da Educação do Estado de São Paulo, o deputado e ex-ministro Paulo Renato Souza, para imprimir um caráter nacional ao evento, marcado por críticas ao governo federal e pela presença de representantes da oposição.

Diante de mais de 15 deputados federais, de praticamente todo o secretariado do governador José Serra, e dos presidentes do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), e do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), Paulo Renato atacou a gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, principalmente na educação".

CARA DE PAU - Em sua fala, Paulo Renato teve a cara de pau de criticar a Educação em nível federal, como se os tucanos não fizessem São Paulo experimentar a vergonha de ver seus índices de aprovação e de aprendizagem lá embaixo. Ele disse que a Educação sob o governo Lula "é um retrocesso".

Alguém precisa dizer urgentemente a Paulo Renato que ele é o secretário da Educação do Estado de São Paulo!

Serra ainda tem coragem de falar em Educação

A notícia abaixo, publicada na edição de hoje (14) da Folha de S. Paulo, é o retrato do caos que os tucanos provocaram na Educação paulista em mais de 14 anos de governos sucessivos. Precisa dizer mais?

Só dez colégios da capital têm média adequada

"Nenhuma escola estadual da capital paulista que oferece sexta e oitava séries ou ensino médio tem médias consideradas adequadas em português e matemática, conforme critério da própria Secretaria da Educação. Na quarta série, apenas dez unidades atingiram o patamar". Leia mais e comente aqui no blog.

O rol de 'facilitações' aumenta

Prefeitura alivia regras para valets

"Dois anos depois de apertar o cerco contra o serviço de valet em São Paulo, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) afrouxou a legislação. Os carros, que só podiam ser deixados em estacionamentos que estivessem com a documentação em dia, poderão ser levados para prédios comerciais, terrenos baldios e até postos de gasolina. Quem presta o serviço comemorou a mudança - e alguns já falam em aumento no preço.

O decreto publicado na sexta-feira no Diário Oficial da Cidade permite que as empresas de valet se utilizem de espaços alternativos, mesmo que não estejam legalmente autorizados a exercer a função de estacionamento". Leia mais.

Comentário: Passadas as eleições, a cidade é tomada por medidas que relaxam a fiscalização. Pouco tempo atrás, a prefeitura também "facilitou" a vida dos empresários do transporte coletivo. O risco disso é a fiscalização - tarefa essencial do poder público - virar exceção.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Será mais um peça publicitária?

Editorial do Jornal da Tarde hoje (13)

"Depois das más notícias trazidas pelas recentes enchentes provocadas por um temporal sem precedentes na cidade, está sendo dada uma boa nova aos paulistanos: até o fim do ano que vem, a Prefeitura de São Paulo e o governo do Estado de São Paulo, em parceria, vão despoluir mais 58 córregos na cidade. Na primeira etapa, iniciada em março de 2007 e concluída há pouco, o programa despoluiu totalmente 28 córregos e recuperou mais 14.

Esse trabalho de instalação de rede coletora de esgotos, limpeza e canalização de leitos beneficiou pelo menos 800 mil moradores das vizinhanças desses cursos d’água, que se viram livres das pragas das enchentes e também da proliferação de transmissores de várias doenças. As duas fases do programa custarão ao Município e ao Estado R$ 400 milhões nas duas fases, que beneficiarão 4 milhões de paulistanos". Leia mais.

Comentário:A proposta é boa, só precisa sair do papel. A propósito, você que mora nas imediações de algum córrego já foi beneficiado por esta parceria?

Inscrições para programa federal de habitação

Do Boletim PT Câmara SP, da Liderança do PT:

Minha Casa, Minha Vida: interessados podem procurar a Caixa hoje

"A partir de hoje (13) as construtoras e pessoas interessadas no programa “Minha Casa, Minha Vida”, já podem procurar as agências da Caixa Econômica Federal para receber as informações sobre as regras para a obtenção do financiamento.

O programa habitacional do governo federal foi lançado pelo presidente Lula no final do mês passado com o objetivo de construir 1 milhão de casas nas cidades com população acima de 100 mil habitantes e para famílias que possuem renda de até 10 salários mínimos.

Os limites de valores do imóvel e da prestação vão variar de acordo com a faixa de renda e a região. O valor máximo do imóvel, por exemplo, não poderá ultrapassar R$ 130 mil na faixa de renda até seis salários mínimos. As famílias que forem financiar o imóvel poderão comprometer até 10% da renda e o prazo para pagamento será de no máximo 10 anos.

Em entrevista ao site da Liderança do PT na Câmara dos Deputados, a secretária nacional de Habitação do Ministério das Cidades, Inês Magalhães, explicou o foco do projeto, destaca a importância do Fundo Garantidor, criado no programa, e fala sobre o processo de cadastramento de projetos e de financiamento. Confira a entrevista no endereço www.informes.org.br

(As informações são da Agência Informes e do PT Nacional)

sábado, 11 de abril de 2009

Mais uma secretaria para aliado político

Do Jornal da Tarde, hoje (11):

Em 100 dias, Kassab cria sétima secretaria

"O prefeito Gilberto Kassab (DEM) criou ontem mais uma secretaria - a sétima neste mandato - para acomodar aliado político. A partir da próxima semana, o deputado federal Jorge Tadeu Mudalen (DEM), de 54 anos, assume o cargo de secretário especial de Articulação Metropolitana. Ex-vereador da capital (2005-2006), ele foi apenas o sexto colocado na eleição de 2008 a prefeito de Guarulhos, onde tem base eleitoral". Leia mais.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Apenas 250 fiscais para 6 milhões de fumantes

Do Jornal da Tarde hoje (09)

"O governo estadual vai criar um grupo com 250 funcionários em todo o Estado para fiscalizar se os cerca de 6 milhões de fumantes paulistas estão cumprindo a lei que proíbe o tabaco em locais fechados, aprovada anteontem na Assembleia Legislativa. Na capital, onde pesquisa recente aponta 21% de maiores de idade fumantes, ficarão cerca de 100 dos fiscais. A Secretaria Estadual da Saúde espera que as vigilâncias sanitárias municipais ajudem no trabalho da chamada “força-tarefa”.

A nova legislação, de autoria do Executivo, deixa como opção para os fumantes somente as residências, a rua e as tabacarias. Os fumódromos e áreas de fumantes também devem ser extintos". Leia mais.

Minha opinião: A decisão de fumar ou não fumar é pessoal. Cabe a cada um decidir. Quanto às regras de convivência entre fumante e não fumante estas sim devem ser disciplinadas, pois, a ciência já provou que fumar é prejudicial à saúde dos fumantes e também daqueles que não fumam e são atingidos pela fumaça dos cigarros. Portanto, em se tratando de questão que envolve a saúde publica cabe ao Estado estabelecer as regras de convivência.

Por outro lado, por se tratar de uma decisão subjetiva, cada fumante é que deve responder pelos seus atos. O que deve fazer, por exemplo, um dono de restaurante quando um fumante, mesmo alertado, insistir em acender um cigarro? Botar o fumante para fora de seu estabelecimento à força? Caso haja desrespeito ao comando legal, quem deve ser penalizado, o infrator ou dono do estabeleimento? É errado penalizar um estabelecimento só porque este foi vítima de um fumante indisciplinado que insiste em desrespeitar uma norma jurídica que disciplina um modo de convivência coletiva.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Bancada divulga análise do Plano de Metas

Metas de Kassab: promessas genéricas e ausência de rumo

Longe de se constituir em um roteiro com ações concretas e objetivas que a administração municipal se compromete a cumprir para aperfeiçoar os serviços públicos e melhorar a qualidade de vida em São Paulo, o Plano de Metas anunciado pelo prefeito Kassab no dia 31 de março tem tudo para repetir o que foram os primeiros quatro anos da gestão demo-tucana: promessas vagas e genéricas, sem uma proposta de execução que saia do papel e se torne realidade.

Reproduzindo parte do programa de governo divulgado na campanha eleitoral, o Plano de Metas peca pela inconsistência e falta de detalhamento. O texto não esclarece exatamente o que será feito e em qual prazo, prejudicando, também, a participação popular no acompanhamento das atividades do Executivo.

O programa de governo de Kassab anunciado na campanha eleitoral contém 195 promessas, entre obras e ações genéricas de caráter meramente administrativo, divididas em 17 áreas temáticas, seguindo geralmente o mesmo recorte das secretarias municipais (Habitação, Transporte, Saúde etc). Já no Programa de Metas, a metodologia apresentada pelo Executivo é diferente, com 223 metas em seis "eixos" - Cidade de Direitos, Cidade Sustentável, Cidade Criativa, Cidade de Oportunidades, Cidade Eficiente e Cidade Inclusiva. Tal mudança de metodologia dificulta o estabelecimento de relação direta entre promessas de campanha e metas, bem como, a fiscalização do seu cumprimento.

Kassab conseguiu também "inflar" a quantidade de ações previstas até 2012, engordando a lista de medidas sem, no entanto, qualificá-las. A construção de equipamentos semelhantes consta como metas separadas. A implantação de três hospitais, por exemplo, poderia ser resumida em uma única meta e não separadamente como consta do texto.

A falta de objetividade no Plano de Metas salta aos olhos. É o caso quando propõe "Abrir, planejadamente, as UBS's aos sábados", o que pode começar a ser executado em qualquer momento dos quatros anos da gestão e englobar apenas uma parcela ou o total de unidades. Ou seja, o programa não esclarece várias ações que serão efetivadas e nem apresenta um cronograma de execução.

Dessa forma, o Programa de Metas segue a mesma linha de todos os instrumentos de planejamento que foram elaborados desde 2005 – é uma peça genérica no tocante à imprecisão no número de ações e na localização tempo/espaço, e uma peça de ficção ao apresentar metas que já figuraram entre as promessas da gestão encerrada em 2008 e que não foram cumpridas como: construção de novos corredores de ônibus (um deles a ligação Celso Garcia-São Miguel), o fim do turno da fome nas escolas; atendimento da demanda por vagas em creches, e o repasse de R$ 1 bilhão para o metrô em 2008, entre outras. Ressalte-se ainda, em relação às velhas promessas, que o orçamento vigente já aponta que dificilmente serão executadas.

Kassab completa 100 dias de mandato como prefeito reeleito sem ter o que apresentar à população, além do precipitado corte de gastos e congelamento do orçamento, tendo como justificativa a crise internacional. Por outro lado apresenta um Plano de Metas genérico, apenas para cumprir a lei, frustrando o paulistano que esperava que o Executivo assumisse compromisso efetivo com um plano de trabalho transparente e que apontasse para a melhoria da qualidade de vida em São Paulo.

Bancada de Vereadores do PT
Ver. João Antônio
Líder da Bancada
Câmara Municipal de São Paulo

Plano de Metas: Audiência Pública na Câmara

Do Boletim PT Câmara SP, da Liderança do PT:

Primeira audiência sobre o Plano de Metas acontece hoje

"Será realizada hoje na Câmara Municipal a primeira audiência pública do Plano de Metas divulgado pelo Executivo na semana passada. A reunião está marcada para começar às 15 horas, no Plenário 1º de Maio.
O Plano de Metas é um conjunto de prioridades que a atual gestão municipal promete cumprir até 2012, por força de uma emenda à Lei Orgânica do Município aprovada em 2008".

terça-feira, 7 de abril de 2009

Reviravolta no caso Dorothy Stang

Do UOL Notícias:

Justiça anula absolvição de acusado de mandar matar Dorothy Stang e determina prisão

"A 1ª Câmara Criminal Isolada da Justiça do Pará decidiu nesta terça-feira (7) anular o júri de dois acusados pela morte da missionária Dorothy Stang, assassinada a tiros em uma estrada vicinal de Anapu (PA) em 2005.O que você achou da decisão da Justiça?

De acordo com o Tribunal de Justiça do Pará, o pedido foi feito pelo Ministério Público contra a absolvição do fazendeiro Vitalmiro Moura, o Bida, acusado de ser mandante do crime, em maio de 2008. A Câmara também determinou nova prisão até que ele vá a julgamento novamente". Leia mais.

Ele voltou


MP restaura crime de sonegação

Do jornal Valor Econômico, hoje:

"Após quase dez anos praticamente desaparecido do cenário dos crimes econômicos, a sonegação fiscal ressurge com o fantasma da possibilidade de condenação penal de empresários que, no passado, tiveram suas empresas autuadas pelo fisco em função do delito. Advogados criminalistas estão às voltas com processos criminais por sonegação decorrentes de autuações do fim dos anos 90 e início da década atual - que todos já davam como casos encerrados.

O motivo é uma nova tese desenvolvida pelo Ministério Público que vem obtendo sucesso no Poder Judiciário: a de que, se a ação penal por sonegação fiscal só pode ser ajuizada após o fim do processo administrativo - como já definiu a jurisprudência do Supremo Tribunal federal (STF) -, a contagem do prazo de prescrição do crime fica suspensa ou só começa a correr a partir do julgamento definitivo da autuação na esfera administrativa". Leia mais.

Pelos Conselhos nas Subprefeituras

A Frente Parlamentar sobre a Implementação dos Conselhos das Subprefeituras, da qual eu faço parte, realiza reunião hoje às 19h na Câmara Municipal de São Paulo.

A Lei Orgânica do Município de São Paulo prevê a participação da população nas subprefeituras por meio dos Conselhos de Representantes, eleitos pela população local, para fiscalizar e planejar ações em cada região.

ADIN - Desde 2005, corre no Poder Judiário uma ação de inconstitucionalidade (ADIN), impetrada pelo Ministério Público do Estado de São paulo contra a criação dos Conselhos. O argumento é que só o Executivo tem a prerrogativa de criar órgãos na administração - no caso a lei que instituiu os Conselhos de Representantes foi de iniciativa do legislativo. Tal argumento tem o apoio do ex-prefeito e atual governador José Serra. Só que pela lei os conselheiros não receberiam vencimentos e, portanto, não onerariam os cofres públicos.

A reunião será na sala Sérgio Vieira de Melo, no 1° subsolo da Câmara.

Demitidos pela Amplus farão protesto hoje

Ex-funcionários da empresa Amplus - que era responsável pelo setor de radiologia dos postos de saúde e hospitais da Prefeitura de São Paulo até março passado - realizam protesto ao meio-dia de hoje. Eles foram demitidos depois do encerramento do contrato e não receberam salários desde janeiro último e nem direitos trabalhistas.

O Sindicato dos Técnicos e Auxilares em Radiologia do Estado de São Paulo (Sintaresp) organiza a manifestação em frente ao Tribunal Regional do Trabalho, na Capital. Além da cobrança dos salários e dos direitos, os sindicalistas querem providências contra irregularidades cometidas pela Amplus na administração da radiologia nos postos de saúde e de hospitais municipais entre 2006 e 2009.

A empresa foi substituída pela Fundação Idi depois de denunciadas fraudes trabalhistas, não cumprimento de várias cláusulas contratuais com a prefeitura, contratação de cooperativas fajutas e uso de mão-de-obra quarteirizada. A Bancada do PT na Câmara Municipal denuncia esses desmandos desde 2006 e quer uma CPI para investigar este e outros escândalos da Saúde na administração DEM/PSDB.

Até agora a Prefeitura de São Paulo já pagou R$ 84 milhões à Amplus, mesmo com uma série de denúncias de irregularidades e nenhuma apuração por parte da Secretaria Municipal da Saúde que é comandada pelo tucano Januário Montone.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Jornalista denuncia má-fé da Folha e armadilha contra Dilma


Jornalista denuncia má-fé do jornal Folha de S.Paulo em matéria que tenta envolver a ministra Dilma Rousseff em um suposto plano para sequestrar Delfim Neto durante a ditadura militar. "Chocou-me a seleção arbitrária e edição de má-fé da entrevista, pois, em alguns dias e sem recursos sequer para uma entrevista pessoal – apelando para telefonemas e e-mails, e dependendo das orientações de um jornalista mais experiente, no caso o próprio entrevistado -, a repórter chegou a conclusões mais peremptórias do que a própria polícia da ditadura, amparada em torturas e num absurdo poder discricionário", denuncia Antonio Roberto Espinosa.

Leia abaixo fragmentos da resposta enviada à Folha pelo jornalista:

"Não conheço pessoalmente a repórter Fernanda Odilla, pois fui entrevistado por ela somente por telefone. A propósito, estranho que um jornal do porte da Folha publique matérias dessa relevância com base somente em “investigações” telefônicas";

"Ela (a jornalista) indagou se eu reconhecia o desenho como parte do levantamento para o seqüestro do então ministro da Fazenda Delfim Neto. Na oportunidade disse-lhe que era a primeira vez que via o croquis e, como jornalista que também sou, lhe sugeri que mostrasse o desenho ao próprio Delfim (co-signatário do Ato Institucional número 5, principal quadro civil do governo ditatorial e cúmplice das ilegalidades, assassinatos e torturas)".

"Afirmo publicamente que os editores da Folha transformaram um não-fato de 40 anos atrás (o seqüestro que não houve de Delfim) num factóide do presente (iniciando uma forma sórdida de anticampanha contra a Ministra). A direção do jornal (ou a sua repórter, pouco importa) tomou como provas conclusivas somente o suposto croquis e a distorção grosseria de uma longa entrevista que concedi sobre a história da VAR-Palmares. Ou seja, praticou o pior tipo de jornalismo sensacionalista, algo que envergonha a profissão que também exerço há mais de 35 anos, entre os quais por dois meses na Última Hora, sob a direção de Samuel Wayner (demitido que fui pela intolerância do falecido Octávio Frias a pessoas com um passado político de lutas democráticas). A respeito da natureza tendenciosa da edição da referida matéria faço questão de esclarecer:

1)A VAR-Palmares não era o “grupo da Dilma”, mas uma organização política de resistência à infame ditadura que se alastrava sobre nosso país, que só era branda para os que se beneficiavam dela. Em virtude de sua defesa da democracia, da igualdade social e do socialismo, teve dezenas de seus militantes covardemente assassinados nos porões do regime, como Chael Charles Shreier, Yara Iavelberg, Carlos Roberto Zanirato, João Domingues da Silva, Fernando Ruivo e Carlos Alberto Soares de Freitas. O mais importante, hoje, não é saber se a estratégia e as táticas da organização estavam corretas ou não, mas que ela integrava a ampla resistência contra um regime ilegítimo, instaurado pela força bruta de um golpe militar;

2) Dilma Rousseff era militante da VAR-Palmares, sim, como é de conhecimento público, mas sempre teve uma militância somente política, ou seja, jamais participou de ações ou do planejamento de ações militares. O responsável nacional pelo setor militar da organização naquele período era eu, Antonio Roberto Espinosa. E assumo a responsabilidade moral e política por nossas iniciativas, denunciando como sórdidas as insinuações contra Dilma";

Clique aqui e leia a integra da resposta do jornalista publicada no portal Carta Maior.

Tucanos perderam também o rumo da História


Não bastasse a crise provocada pela distribuição de material didático com erros crassos de Geografia - que mostrava dois Paraguais e extinguia o Equador -, descobriu-se que o governo Serra conseguiu a proeza de entregar cartihas nas quais a História também é distorcida. O assunto está nos jornais do final de semana.

De acordo com cartilhas de História ora em mãos dos alunos, o continente americano teria sido descoberto por Cristóvão Colombo em 1942 - e não em 1492, como é o correto. Por essa "versão" que o governo do Estado leva aos alunos da sua rede ensino a chegada das caravelas de Colombo ao nosso continente teria acontecido em plena Segunda Guerra Mundial.

Se fosse levada a sério a tal versão serrista, ocorreriam situações curiosas, pois aliados e tropas nazistas em guerra - isso em 1942 - não teriam sequer notado as peripécias da esquadra do comandante genovês que cruzou o oceano Atlântico a serviço dos reis da Espanha. Claro que isso é uma ironia diante de mais um erro encontrado em material didático que está consagrado em qualquer livro de História.

E o pior: de novo o governo diz que "basta consultar a internet" para saber a data correta. Não seria mais fácil a Secretaria da Educação agora sob o comando de um ex-ministro de FHC reconhecer que perdeu o rumo da Geografia e da História?

Depois eles reclamam quando criticamos a queda dos índices de aprovação nas escolas paulistas desde que assumiram o governo, isso em 1995, e não em 1959. Para sorte dos estudantes das nossas escolas públicas estaduais!!!

Ainda sobre os abrigos de ônibus

Para confirmar a denúncia da postagem abaixo, o leitor Carlinhos Cobra enviou-me duas fotos de um ponto de ônibus na região de Sapopemba.


Veja no detalhe o esgoto residencial despejado no ponto de ônibus

Caos nos abrigos de ônibus de São Paulo

O jornal Diário de São Paulo publica hoje matéria cujo título já diz tudo: “População toma sol e chuva em pontos de ônibus sem manutenção”. A matéria assinada pela jornalista Daniele Borges faz uma radiografia da situação dos abrigos de ônibus em nosso município.

Os cidadãos ouvidos pelo pela reportagem ilustram bem a realidade dos abrigos: “está tudo péssimo. Uma sujeira. E quando chove agente tem que se amontoar nas partes em que ainda há cobertura”, diz a vendedora Muriel Rinke que toma ônibus na Brigadeiro Faria Lima, em Pinheiros na zona oeste e que fica a uma quadra do Shopping Iguatemi. No local falta algumas partes, há painéis quebrados e vidros amontoados. "Para se proteger da chuva o pessoal tem que subir nos bancos" diz o vendedor Valmir Martins que também freqüenta o local.

Os depoimentos acima registrados pela reportagem do Diário ilustram bem a situação de abrigos em uma região nobre da cidade. Imaginem, caros leitores, a quantas andam os abrigos de ônibus, quando eles existem, nas regiões periféricas?

De fato a situação é de calamidade absoluta, a prefeitura não tem conseguido fazer a manutenção mínima. Só pode ser incompetência, afinal, o PSDB/DEM vem governando a cidade há mais de quatro anos.

PT debate crise internacional hoje na Alesp

Assembleia debate o Brasil diante da crise mundial

Para discutir o tema O Brasil diante da crise mundial, o deputado estadual e líder da Bancada do PT Rui Falcão promove debate hoje à tarde na Assembléia Legislativa no qual será o mediador.

Participarão o deputado federal Antônio Palocci, o presidente da CUT, Artur Henrique da Silva, e a jornalista Maria Cristina Fernandes, editora de Política do jornal Valor Econômico.

O debate acontece a partir de 14 h desta segunda-feira, no auditório Franco Montoro da Assembléia Legislativa.