sábado, 31 de janeiro de 2009

Um pouco de Jussara Silveira


Nascida em Nanuque (MG), Jussara Silveira foi criada em Salvador, Bahia. Influenciada pelo violão de João Gilberto e por Paulinho da Viola, Chet Baker, Billie Holiday e Nana Caymmi, Jussara definiu seu estilo sem afetações e foi chamada pela imprensa de "a cantora cool de Salvador". Sua primeira gravação profissional foi em 1981, no coro do disco "Outras Palavras", de Caetano Veloso. Nessa época participou do carnaval baiano cantando no Bloco Eva, na formação pré-Ivete Sangalo.

Foram precisos seis anos para que Jussara fizesse um show próprio, no Teatro Castro Alves, em Salvador. A partir daí, a cantora passou a viajar pelo Brasil em apresentações em que cantava uma versão tecnopop de "Al di La", tema do filme "Candelabro Italiano". Sem disco, Jussara viu os fãs gravando suas apresentações em fitas que começaram a circular pelo país. A segunda gravação envolveu novamente o nome de Caetano Veloso.

Em 1995, ela interpretou "Dama do Cassino" para o CD "Elas Cantam Caetano", e viu esta música ser incluída na trilha sonora de "Irmãos Coragem", novela da Rede Globo. Graças ao Prêmio Copene de Cultura e Arte, que ganhou em 1996, Jussara lançou seu primeiro disco, "Jussara Silveira", CD independente produzido por ela em parceria com o violonista Luiz Brasil, músico de Caetano Veloso e Maria Bethânia. Luiz fez os arranjos do disco, que reúne canções de José Miguel Wisnik, Caetano Veloso, Chico Buarque, Luiz Melodia e Batatinha, entre outros. Clique aqui para saber mais sobre Jussara Silveira.

Jussara Silveira canta - A Volta de Xanduzinha

Por que os presidentes vieram ao Fórum?


O encontro de cinco presidentes marca um dos pontos mais altos de todas as edições do FSM. Todos se legitimam e legitimam o evento, que torna-se definitivamente parte da agenda política mundial. Lula, que esteve duas vezes em Davos, decidiu não subir aos alpes suíços neste ano. Clique aqui e leia o artigo de Gilberto Maringoni da agência carta maior.

Fotos: Eduardo Seidl

Cuidado! Vai sobrar para você!

Do jornal Folha de São paulo hoje (31)

A Prefeitura de São Paulo decidiu que não irá devolver o dinheiro de quem perder o prazo para fazer a inspeção veicular.
Ou seja: para ter direito a receber de volta os R$ 52,73 pagos para fazer a vistoria, os proprietários terão que submeter os veículos à inspeção nos três meses que antecedem a data-limite do licenciamento junto ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito) de São Paulo.

A medida afeta também os donos de veículos a diesel que pagaram pela inspeção referente a 2008 e perderam o prazo de agendamento. Para fazer a inspeção referente a 2009, terão que pagar mais R$ 52,73.

A inspeção é obrigatória apenas para veículos licenciados na capital paulista. A inspeção referente a este ano começa na segunda-feira para carros fabricados entre 2003 e 2008 e motos, que farão a vistoria pela primeira vez, além dos veículos a diesel, que já estão no segundo ano -somados, eles são cerca de 2,6 milhões de veículos (42% do total da cidade).

O prazo é de 90 dias antes do último dia do licenciamento, conforme o fim da placa.

Pergunta do BLOG: Você concorda com essa medida do prefeito?

Trinta e um dias após a posse...

Do jornal Folha de São Paulo hoje (31)

A partir deste ano, donos de mais de um imóvel residencial na cidade só terão direito a desconto no valor venal para o cálculo do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para uma de suas propriedades.

Até o ano passado, todos os imóveis residenciais com valor venal entre R$ 61.240,11 e R$ 122.480,22 tinham direito a um abatimento de R$ 24.496,04 na base de cálculo.

Com a mudança, donos de mais de uma propriedade podem sofrer reajustes de até 70%. A alteração, no entanto, atinge apenas 25 mil dos 1,55 milhão de imóveis residenciais da cidade, cerca de 1,61%.
Outra diferença em relação ao ano passado foi o reajuste de 6% na base de cálculo do tributo, devido à inflação. Com isso, o valor de alguns imóveis ultrapassou a linha de isenção, que é de R$ 61.240,11 para imóveis residenciais e de R$ 24.496,04 para os não residenciais.

A restrição na concessão do abatimento já estava prevista desde 2005, quando entrou em vigor a lei nº 14.089/05, promulgada pelo então prefeito José Serra (PSDB). Assinantes leia mais

Comentário: Passado um mês de governo, o prefeito Kassab tira da sua gaveta uma medida proposta pelo Serra em 2005 e, sem piedade, aumenta o IPTU para milhares de paulistanos. Ora! Ele não disse no processo eleitoral que não iria aumentar a carga tributária no município?

Além do aumento para quem tem mais de um imóvel, o reajuste de 6% no IPTU vai diminuir o número de isentos. Se continuar assim, não vai demorar muito para os paulistanos que votaram no Kassab se arrependerem amargamente da opção que fizeram.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Forum Social Mundial

O que é o Fórum Social Mundial?

O FSM é um espaço de debate democrático de idéias, aprofundamento da reflexão, formulação de propostas, troca de experiências e articulação de movimentos sociais, redes, ONGs e outras organizações da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo. Após o primeiro encontro mundial, realizado em 2001, se configurou como um processo mundial permanente de busca e construção de alternativas às políticas neoliberais. Esta definição está na Carta de Princípios, principal documento do FSM.

O Fórum Social Mundial se caracteriza também pela pluralidade e pela diversidade, tendo um caráter não confessional, não governamental e não partidário. Ele se propõe a facilitar a articulação, de forma descentralizada e em rede, de entidades e movimentos engajados em ações concretas, do nível local ao internacional, pela construção de um outro mundo, mas não pretende ser uma instância representativa da sociedade civil mundial. O Fórum Social Mundial não é uma entidade nem uma organização.

Clique aqui para saber tudo sobre o Forum Social 2009 - Cidade de Belém - Estado do Pará - Brasil

Um pouco de Almir Sater

Almir Eduardo Melke Sater (Campo Grande, 14 de novembro de 1956) é um violeiro, compositor, cantor e ator brasileiro.

Nascido em Mato Grosso do Sul, desde muito pequeno já tocava viola. Estudou direito no Rio de Janeiro. Gravou seu primeiro disco em 1980, contando com a participação de Tetê Espíndola, Alzira Espíndola e Paulo Simões.

Fez parte da geração Prata da Casa, no início dos anos 80, sendo uma das principais atrações do movimento que juntou os maiores expoentes da música sul-mato-grossense.

Almir estabeleceu duas ricas parceria com Renato Teixeira e Sérgio Reis criando verdadeiras pérolas do cancioneiro regional-popular.

Exímio violeiro, seu estilo caracteriza-se pelo experimentalismo, a utilização de diversas afinações diferentes e o resgate da música regional. Suas influências vão de Al Jarreau e Beatles às músicas mineira, andina e caipira/sertaneja tradicionais. Também toca violão e charango.

Almir Sáter canta - VARANDAS

Kassab sai pela porta dos fundos

O prefeito Gilberto Kassab saiu ontem pelas portas dos fundos da Catedral da Sé para evitar a manifestação organizada pelo movimento de moradia.

Os manifestante não estavam lá para provocar o prefeito. Queriam, de forma pacífica, demonstrar seu descontentamento com a falta de políticas publicas municipais para habitação e reivindicar maior investimento em habitação popular.

A atitude do prefeito não foi adequada, quem assume cargo publico está sujeito a enfrentar as adversidades que são inerentes ao cargo. Os manifestantes só foram à Praça da Sé demonstrar seu descontentamento, por ser esta à única forma de serem ouvidos, afinal, faz tempo que tentam e não conseguem agendar uma audiência com o prefeito.

Câmaras vão desafogar judiciário em SP

Deu no jornal Folha de São Paulo hoje (26)

O Tribunal de Justiça de São Paulo afirmou, por meio de nota, que a criação de câmaras de julgamento de segunda instância em cidades do interior pode colaborar para desafogar a corte na capital.

"A instituição de Câmaras Regionais, em estudo pelo TJ-SP, além de reduzir o número de processos distribuídos à capital, servirá de apoio logístico para agilizar a prestação jurisdicional", afirma a nota.

O TJ diz que a Emenda Constitucional 45/2004, conhecida como Lei de Reforma do Poder Judiciário, "incluiu a possibilidade de descentralização das atividades jurisdicionais dos TJs, a fim de assegurar pleno acesso do jurisdicionado à Justiça em todas as fases do processo (art. 125, parágrafo 6º)".

A instalação de Câmaras Regionais também está prevista na Constituição do Estado de São Paulo, que em emenda de 2006 "reitera a faculdade de o TJ exercer suas atividades jurisdicionais de forma descentralizada (art. 71-A)", segundo diz a nota.

Em relação à eficiência do tribunal, o TJ diz que "as estatísticas existentes demonstram que os magistrados do TJ-SP, em geral, julgam, anualmente, média superior àquela prevista na Lei Orgânica da Magistratura Nacional, de 600 processos anuais por magistrado". Leia mais.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Kassab põe verba de obras no carnaval

Deu no Jornal da Tarde de hoje (24)

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) retirou R$ 10,98 milhões previstos no Orçamento de 2009 para obras viárias - em parceria com o governo estadual - e aplicou a verba na realização do carnaval paulistano. O decreto com o remanejamento foi publicado no Diário Oficial. A Prefeitura alega que o ato “não é novidade” e que não compromete as áreas de onde o dinheiro foi tirado, pois ele pode ser reposto durante o ano. A oposição, porém, alega ter avisado o governo de que verba para o carnaval era insuficiente.

O item do Orçamento de onde veio o dinheiro - “Intervenção no Sistema Viário Metropolitano” - inclui, segundo a Prefeitura, obras como melhorias nas marginais e Av. dos Bandeirantes. A assessoria alegou que a verba não saiu de um único serviço previsto.

Segundo a assessoria do vereador João Antônio (PT), estavam previstos para as obras, antes do remanejamento, R$ 254,8 milhões. Do total, R$ 69,8 milhões viriam da Prefeitura e o resto, do Estado. Os R$ 10,9 milhões saíram da gestão municipal.
A São Paulo Turismo, que atua na organização do carnaval, informou que o orçamento da festa previa valor menor porque a Prefeitura contava com a entrada de verba da iniciativa privada para patrocinar o evento. Como isso não ocorreu, os custos - segundo a SPTuris, de R$ 19,9 milhões - tiveram de ser cobertos pelo poder público. Os pagamentos, segundo a empresa, começaram em 2008.

A assessoria da Prefeitura informou que “todos os anos, o orçamento do Carnaval é reduzido na tramitação da proposta de Orçamento na Câmara Municipal”. “Se a previsão aprovada for inferior a compromissos assumidos, a Prefeitura suplementa a verba com remanejamento”, alegou.

João Antônio contesta. “Na discussão do Orçamento, alertamos várias vezes o governo de que a verba do carnaval era insuficiente. Ouvimos que ela estava correta, porque a iniciativa privada iria arcar com parte dos custos”, disse. “Isso reforça a tese de que o Orçamento é peça de ficção”. Leia mais.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Entidades conveniadas começam a receber

Várias entidades assistenciais conveniadas com a prefeitura na cidade de São Paulo, estavam preocupadas com o andamento no atendimento dos seus usuários e de seus trabalhadores, já que as organizações não receberam o repasse mensal para sanar suas obrigações. Entre outras, o pagamento dos salários dos funcionários estava atrasado.

A pedido da presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança ao Adolescente e a Fâmília do Estado de São Paulo, Maria Gusmão Pereira, agendei uma reunião com o secretário de assuntos governamentais da prefeitura de São Paulo, Antonio Carlos Maluf para tratar da situação.

O secretário se comprometeu a iniciar os pagamentos até o final desta semana. O que já começou acontecer. Nesta quinta-feira, várias entidades já receberam e começam a regularizar o andamento de suas atividades.

PDT fora

O "bloquinho", como é chamado o bloco parlamentar formado pelo o PDT, PC do B, PRB e PMN, sofreu uma grande baixa no dia de ontem (23): o PDT decidiu retirar-se da composição. "A experiência com o bloquinho foi válida, mas ela se esgotou", disse o presidente do PDT, Vieira da Cunha (RS) a Folha.

Decisão inédita

Deu na Folha de São Paulo de hoje (22)

"A Justiça Federal do Paraná obrigou uma faculdade a conceder bolsa do ProUni (Programa Universidade para Todos) a uma aluna da rede particular.

A estudante Rosenalva da Silva Garcia, 37, conseguiu o direito ao benefício para cursar farmácia na universidade particular Unibrasil, em Curitiba (PR). Rosenalva concluiu o ensino médio em uma escola particular, pagando mensalidade, em 1996, o que já a colocaria fora dos critérios estabelecidos pelo governo federal. Só alunos da rede pública ou com bolsa integral na rede particular podem ser selecionados.

Mas o juiz Friedmann Wendpap, da 1ª Vara Federal de Curitiba, desconsiderou o critério, ao julgar que o valor da mensalidade pago à época (R$ 52,79) era "módico" e que ela conseguiu provar que não tinha como arcar com a faculdade". Assinante leia mais.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Artigo meu no Jornal da Tarde

Reproduzo abaixo um artigo de minha autoria publicado na edição desta quarta-feira (21) do Jornal da Tarde:

Por uma Câmara Municipal autônoma

João Antonio

Não é novidade que o Poder Executivo, no Brasil, costuma ir além de suas prerrogativas. Nota-se uma hegemonia deste em relação ao Judiciário e, em especial, sobre o Legislativo, tornando quase sem efeito a tripartição dos poderes proposta por Montesquieu na obra O Espírito das Leis.

A necessária imposição de limites de um poder sobre o outro tem sido ignorada, notadamente nos municípios – justamente nas unidades federativas onde a vida dos cidadãos 'acontece'. É o asfalto que precisa ser consertado, são os pedidos de pavimentação de rua, de poda de árvore, de iluminação pública etc, ou seja, o dia-a-dia da população. Predomina na sociedade a idéia de supremacia dos atos dos prefeitos sobre as ações dos legisladores.

Este 'popularesco' pragmatismo leva à despolitização da relação entre o político e o povo, e os prefeitos, habilmente, se utilizam desta situação para impor sua vontade aos legislativos locais. Isso provoca uma descaracterização funcional das Câmaras Municipais e uma confusão de papéis. Em alguns casos, o despreparo do vereador leva à falta de compreensão do seu papel. Em outros, existe oportunismo pragmático, má-fé e uma profunda falta de espírito público. A soma dessas condutas equivocadas em nada contribui para institucionalizar políticas públicas de estado que devem ir além dos partidos e de seus interesses eleitorais.

O Parlamento é o poder mais suscetível à influência da população e o que melhor expressa a real correlação de forças existente na sociedade. Por isso é tão importante discutir o verdadeiro papel de uma Câmara Municipal.

Em São Paulo, o Legislativo tem sido duramente criticado pela adoção do fisiologismo, como se a culpa de uma relação desequilibrada estivesse relacionada apenas à prática de seus membros. Se analisarmos com profundidade, concluiremos que o pragmatismo de alguns vereadores decorre, fundamentalmente, do desequilíbrio entre os poderes. Ao Executivo é conveniente sustentar uma relação baseada na política do ‘toma-lá-dá-cá’ para manter sob seu comando uma maioria parlamentar.

Nos últimos anos, a renovação pela qual passou a Câmara Municipal, somada ao acompanhamento das suas atividades pela sociedade, proporcionou um acúmulo de experiência que permite ao Legislativo trabalhar de forma efetiva no cumprimento do seu papel de legislar e fiscalizar o Executivo. Não há como se falar numa Câmara autêntica sem combater práticas típicas de cooptação por parte do prefeito e, por outro lado, o pragmatismo de alguns parlamentares.

O grande desafio da legislatura que está se iniciando é dar um salto de qualidade à Câmara Municipal, forjando um órgão autônomo e que equilibre a relação entre os poderes. Do contrário, continuará a se ler, ver e ouvir sucessivas cobranças da sociedade quanto à efetiva 'utilidade' do Legislativo paulistano.

João Antonio, 48, advogado, é vereador do PT de São Paulo e foi líder da prefeita Marta Suplicy (2002-2004). É o presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal de São Paulo e vice-presidente do PT Estadual de São Paulo.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Mentira tem pernas curtas

Passados 19 dias da posse do prefeito Gilberto Kassab, tudo que foi maquiado nos anos que antecederam as eleições já começam aparecer:

-O déficit de vagas em creches é alarmante, a projeção é que mais de 110 mil crianças estão na fila, e o pior é que a maiorias delas sem nenhuma perspectiva de serem atendidas. Enquanto isso, obras que foram objeto de propaganda eleitoral, como é o caso da creche do Jardim Planalto no bairro de Sapopemba estão em completo abandono.

-A falta de uma fiscalização eficiente em prédios que abrigam eventos públicos, tem colocados em risco a vida de milhares de pessoas. O exemplo maior dessa falta de fiscalização foi à tragédia provocada pelo o desabamento do teto da igreja Renascer na noite de ontem onde já se confirmou à morte de oito pessoas e mais de noventa estão feridas.

-Os guardas civis de São Paulo estão trabalhando sem coletes a prova de balas ou deixando de trabalhar por falta deles, e não há perspectivas de solução imediata por parte da prefeitura.

- Por falta de manutenção dos serviços de limpezas de bueiros, enchentes voltam a alarmar os moradores da cidade em pontos que antes nunca havia alagados. Por outro lado, por falta de pagamentos trabalhadores de empresa que recolhe o lixo na zona norte de São Paulo param, deixando a região estado de calamidade.

Enfim, se medirmos pelo o início do governo, não são boas as noticias divulgadas, e desta vez eles não têm em quem jogar a culpa, afinal, o PSDB/DEM estão a quatro anos governando a cidade. Fiquemos atentos.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Fundação Perseu Abramo

Fundação promove debates sobre Amazônia, integração, governo Lula, homossexualidade, e memória,

Durante o Fórum Social Mundial 2009, que acontece entre 27/1 e 01/2 em Belém/PA, a Fundação Perseu Abramo vai promover seminários e realizar oficinas sobre temas da atualidade. Em parceria com a Fundação Mauricio Grabois, realizará os seminários “Amazônia: soberania e desenvolvimento”, “Governo Lula: realizações e perspectivas”, e “A crise e a integração solidária na América Latina”; em parceria com o Instituto Rosa Luxemburg Stiftung, promoverá o seminário “Homossexualidade e homofobia no Brasil”. A oficina “Memória: coisa do passado?”, será realizada pelo Centro Sérgio Buarque de Holanda, da FPA. A Fundação também apoiará inúmeras atividades de seus parceiros no Brasil e no exterior. Algumas datas, locais e horários serão confirmados no decorrer da próxima semana.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Teoria e Debate 80
Amazônia é o foco da edição

Em artigos, entrevistas e debates, a revista trata da questão amazônica. Abrindo a edição, o presidente Lula fala, em entrevista, sobre as ações do governo federal para a Amazônia, as políticas de inclusão, as parcerias com países vizinhos e os desafios para preservar a floresta; a revista conta também com contribuições de Hamilton Pereira, Bernardo Ciro Lopes, Marina Silva, Francisco de Assis Costa, Antônio Cordeiro de Santana, João Cláudio Arroyo, Maria de Fátima da Fonseca, Jacqueline C. S. Freire e Gomercindo Rodrigues.

Os assinantes receberão a revista na última semana de janeiro. Exemplares avulsos podem ser adquiridos na loja virtual ou no estande da EFPA no FSM 2009. Clique aqui e acesse o site da FPA

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Um projeto político e cultural

A Fundação Perseu Abramo (FPA) foi criada em 1996 pelo Partido dos Trabalhadores para desenvolver projetos de caráter político-cultural. Recebeu o nome de Perseu Abramo para homenagear o jornalista e professor universitário que participou da fundação do PT e sempre trabalhou para a construção do modo petista de refletir e formular.

A FPA é um espaço para o desenvolvimento de atividades de reflexão político-ideológica, estudos e pesquisas, destacando a pluralidade de opiniões, sem dogmatismos e com autonomia. Busca articular o diálogo do pensamento progressista com a tradição do socialismo democrático e com a cultura popular, contribuindo para a constituição de uma nova cultura política brasileira.

Prefeito descumpre Lei

Do Jornal da Tarde hoje (16)

"O prefeito Gilberto Kassab adiou mais uma vez a data da divulgação da lista dos milhares de paulistanos que estão na fila por vaga em creche municipal. A nova promessa é que os números sejam publicados em fevereiro, completando quatro meses de descumprimento da Lei Municipal 14.127, que obriga a Prefeitura a divulgar balanço trimestral da demanda.

O último registro foi divulgado pela Prefeitura em junho do ano passado e apontava que 110 mil crianças estavam fora de creche por falta de vaga . De acordo com a lei, esses dados deveriam ter sido atualizados em outubro, o que não aconteceu até agora. A Secretaria Municipal de Educação, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que os dados só serão divulgados em fevereiro por causa de prazo determinado pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município de São Paulo (Prodam)". Leia mais.

Comentário: No período eleitoral atrasaram a publicação dos dados para não mostrar a incapacidade do prefeito de resolver o deficit de vagas nas creches. Passada as eleições, só resta uma explicação: uma tremenda incompetência dos gestores da área no manejamento da máquina burocrática e na resolução do problema.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Um novo modelo de desenvolvimento da Amazônia

Em entrevista à Carta Maior, Ana Júlia Carepa, governadora do Pará, sede do próximo Fórum Social Mundial, afirma que “é possível um novo modelo de desenvolvimento que nós, como governo, estamos fomentando no estado mais populoso da Amazônia". "Entendemos a importância de demonstrar nossas políticas públicas", acrescenta, "mas sabemos que é mais importante fortalecer essa discussão dos movimentos sociais, de organização, de escolha de modelos de sociedade que queremos". Clique aqui para ler a entrevista.

O clima começa esquentar

O Painel da folha de São Paulo publicou hoje (15) que o governador da Paraíba Cássio Cunha Lima em visita ao governador mineiro Aécio Neves pediu para este incluir a Paraíba no programa de suas caravanas. Cunha Lima defendeu prévias internas para definir a futura candidatura presidencial do partido com uma frase dirigida aos caciques tucanos, ele disse: "O que não pode é repetir erros do passado. Se for para decidir o candidato em um restaurante, que seja numa grande churrascaria."

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Kassab deixa Região Norte no lixo

Do jornal Folha de São Paulo hoje (14)

"A zona norte de São Paulo ficou sem varrição durante todo o dia de ontem. A prefeitura, que paga R$ 5,5 milhões por mês para a Paulitec, responsável pelo serviço na região, estuda aplicar multa na empresa por causa do problema.

Parte dos funcionários da Paulitec parou sob alegação de não ter recebido os benefícios deste mês (vale-refeição e cesta básica). Outra parte, a de terceirizados, nem sequer chegou a receber os salários de janeiro.

Representantes da empresa disseram que a questão será resolvida hoje. Se isso ocorrer, os trabalhadores dizem que vão retomar o serviço. Cerca de 1.300 garis fazem a varrição da zona norte, diz o Siemaco (sindicado dos trabalhadores de limpeza urbana). Os varredores têm vencimentos de R$ 597 mensais, além de vale-refeição e cesta básica". Assinante leia mais.


Comentário: A empresa é bem remunerada e deve cumprir com todas obrigações contratuais incluindo o pagamento em dia dos seus empregados. O prefeito tem que aplicar a devida multa, se assim não proceder é por mera liberalidade. Se verdade que a prefeitura efetuou o pagamento devido nada justifica as irregularidades cometidas pela empresa.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Após 7 meses, calçadas estão em ruínas

Renato Machado

Do Estadão de hoje (03)

"Os pedestres que passam pela Rua Teodoro Sampaio, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, enfrentaram durante meses os problemas e riscos de andar perto dos veículos e em trechos em obras. O esforço valeria a pena, pois havia a promessa de que as novas calçadas seriam niveladas, com um piso mais seguro, e rebaixadas nas esquinas para facilitar o acesso de deficientes físicos. Mas, menos de sete meses após a inauguração dos primeiros trechos, o que se veem são buracos, blocos soltos e áreas afundadas.

A recuperação teve início em setembro de 2007 no trecho entre as Avenidas Brigadeiro Faria Lima e Henrique Schaumann - uma extensão de 1,52 km. O custo total da obra foi de R$ 752,5 mil, ou seja, R$ 495 por metro de calçada. Foram colocados blocos de concreto intertravados para deixar a superfície mais aderente e as guias foram rebaixadas nas esquinas para facilitar o acesso". Leia mais.

Comentário: Os moradores da região tem procurado a Câmara Municipal para reclamar da demora na conclusão das obras e da péssima qualidade dos serviços de reforma de calçadas já executados. De fato, a população da região paga caro, literalmente, por um serviço ruim e demorado.

Os cidadãos da região perguntam: é má-fé ou incompetência dos responsáveis?

Produção da Assembleia despenca em SP

Do Estadão de hoje (03)

"O impacto negativo das eleições municipais sobre a atividade do Legislativo confirmou-se em São Paulo. Embora não estivesse diretamente envolvida no processo eleitoral, a Assembleia Legislativa paulista, a maior do País, encerrou 2008 com índices de produtividade em baixa. Entende-se por isso queda generalizada da produção, seja no número de projetos aprovados, de propostas apresentadas ou de sessões de votação realizadas.

O resultado dessa inércia, que já virou tradição em ano eleitoral, pode ser medido na Assembleia de São Paulo pelo tamanho da lista de projetos e vetos que ficaram pendentes de votação em 2008. Ela mais que triplicou entre janeiro e dezembro, passando de 650 itens para 2.010. Reduzi-la ao patamar de um ano atrás talvez seja um dos principais desafios de 2009 para os 94 deputados estaduais paulistas, que, no ano passado, receberam R$ 190.242,78 cada só de salário". Leia Mais.

Comentário: Na minha opinião, o elemento principal da baixa produtividade da Assembleia Paulista não foi a eleição, e sim a falta de autonomia daquele poder. O governador detém a maioria e manda na Assembleia Legislativa de São Paulo. É o poder executivo que define o que deve ou não ser votado pelos deputados estaduais. Infelizmente, esta casa legislativa tem se transformado em um departamento do poder executivo.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Um pouco de Mônica Salmaso


Mônica Salmaso começou sua carreira na peça "O Concílio do Amor" dirigida pelo premiado diretor Gabriel Villela em 1989.

Em 1995, gravou o CD Afro-sambas, um duo de voz e violão arranjado e produzido pelo violonista Paulo Bellinati, contendo os afro-sambas compostos por Baden Powell e Vinícius de Moraes.

Em 1996, gravou com Paulo Bellinati a faixa “Felicidade” de Tom Jobim e Vinícius de Moraes no CD Songbook Tom Jobim, pela Lumiar.

Foi indicada para o Prêmio Sharp – 1997 como Revelação na categoria MPB.

Lançou em 1998 pelo selo Pau Brasil seu segundo CD, Trampolim, com a produção de Rodolfo Stroeter e as participações de Naná Vasconcelos, Toninho Ferragutti e Paulo Bellinati, entre outros.

Foi vencedora do Segundo Prêmio Visa MPB – Edição Vocal, pelo juri e aclamação popular em 1999.

Gravou pela Eldorado em 1999 seu terceiro CD, Voadeira, também produzido por Rodolfo Stroeter. Participam do disco, entre outros, Marcos Suzano, Benjamin Taubkin, Toninho Ferragutti, Paulo Bellinati e Nailor “Proveta” Azevedo.

Foi ganhadora do prestigioso Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) de 1999, e o CD Voadeira foi considerado pela crítica como um dos dez melhores lançamentos do ano.

Foi a convidada especial de uma das noites do Heineken Concerts em 2000.

Participou da trilha "Ocorpo" composta por Arnaldo Antunes para o Grupo Corpo em 2000.

Foi finalista do Festival da Música Brasileira, realizado pela TV Globo, interpretando a canção "Estrela da Manhã", de Beto Furquim, em 2000.

Na edição do dia 4 de fevereiro de 2002 do “The New York Times”, o crítico Jon Pareles cita Mônica Salmaso como um dos principais nomes surgidos recentemente na música popular brasileira.

Os CDs Trampolim e Voadeira foram lançados em países da Europa, no Japão, nos Estados Unidos, Canadá e México.

Monica Salmaso canta - "O Velho Francisco"

Portinari: um mestre da pintura

O café - Cândido Portinari

Candido Torquato Portinari nasceu numa fazenda de café, Santa Rosa, no interior de São Paulo, filho dos imigrantes italianos Giovan Battista Portinari e Domenica Torquato, que tiveram doze filhos, sendo ele o segundo. De família humilde, cursou apenas o primário, porém desde criança manifestou sua vocação artística. Aos seis anos de idade, Portinari começa a desenhar e aos nove participou durante vários meses dos trabalhos de restauração da igreja de Brodowski, ajudando os pintores italianos. Aos nove anos, desenhou o retrato de Carlos Gomes, como via numa caixa de cigarros.

Em 1918 Portinari, também chamado carinhosamente de "Candinho" pela família, viajou para São Paulo, para ingressar no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes, na qual estudou desenho e pintura, tendo como professores Rodolfo Amoedo, Batista da Costa, Lucílio de Albuquerque e Carlos Chambelland. Em 1922, Portinari executou um retrato para o Salão de Belas Artes, e ganhou medalha de bronze pelo seu trabalho.

Homenagens, títulos e prêmios
1940 - Chicago (EUA) - A Universidade de Chicago publica o primeiro livro sobre o pintor, Portinari: His Life and Art, com introdução do artista Rockwell Kent
1946 - Paris (França) - Legião de Honra, concedida pelo governo francês
1950 - Varsóvia (Polônia) - Medalha de Ouro, pelo painel Tiradentes (1949), concedida pelo júri do Prêmio Internacional da Paz
1955 - Nova Iorque (EUA) - Medalha de Ouro, como melhor pintor do ano, concedida pelo International Fine Arts Council
1956 - Nova Iorque (EUA) - Prêmio Guggenheim de Pintura, por ocasião da inauguração dos seus painéis na sede da ONU

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Eleita nova mesa diretora da Câmara de SP

Presidente: Antonio Carlos Rodrigues (PR)
Vice presidente: Dalton Silvano (PSDB)
2º vice: Paulo Frange (PMDB)
1º secretario: Francisco Chagas (PT)
2º secretario: Milton Leite (DEM)
1º Suplente: Chico Macena (PT)
2º suplente: Antonio Gulart (PMDB)

Para Corregedor foi eleito o vereador Wadi Mutran

Posse e nova Mesa Diretora da Câmara

Acontece logo mais às 15h a posse dos vereadores reeleitos e dos eleitos para a próxima legislatura na Câmara Municipal de São Paulo. Os 55 vereadores serão empossados em solenidade no plenário 1º de maio.

Na oportunidade, o Palácio Anchieta terá a eleição do presidente do parlamento e a composição da Mesa Diretora da Casa - responsável pela condução dos trababalhos legislativos.