domingo, 30 de novembro de 2008

América Latina está deixando de ser o quintal dos Estados Unidos


Uma das principais mudanças na ordem mundial está sendo vivida agora na América Latina, diz Noam Chomsky, em entrevista a Agencia de Prensa Alternativa Humanista “Sur”. Para ele, a região está começando a superar seus problemas internos e sua subordinação ao Ocidente, principalmente em relação aos EUA. Chomsky acredita que a crise atual traz oportunidades de mudanças reais na ordem mundial. "Até onde essa mudança pode chegar, isso depende daquilo que estamos dispostos a empreender".

Clique aqui para ler a entrevista no site Carta Maior

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

A Panair e a ditadura militar


Descobri que as coisas mudam e que tudo é pequeno, nas asas da Panair." Assim são alguns dos versos da música de Milton Nascimento e Fernando Brant que, em época de censura militar, recebeu o título anódino de "Conversando no bar". Ela é, na voz de Elis Regina, a música mais importante de "Panair do Brasil", documentário de Marco Altberg sobre a companhia aérea fechada de maneira arbitrária na época da ditadura.

Contada com imagens de arquivo e depoimentos, a história não é propriamente sobre uma empresa, uma companhia aérea, mas sobre uma espécie de símbolo de época, devidamente destruído quando a realidade política mudou.

Munidos de documentos, alguns dos membros da Família Panair (antigos funcionários)dizem que a companhia era, entre as aéreas, a mais solvente. Estava no azul, voando em céu de brigadeiro. Especulam que a suspensão das linhas se deu para favorecer a Varig, que teria ligações com o governo militar depois do golpe contra João Goulart.

Conversando no bar - Elis Regina

Repercussão da derrota do governo na CMSP

Dois jornais deram destaque ao assunto principal de ontem aqui na Câmara Municipal de São Paulo: a derrota sofrida pelo governo Serra/Kassab. Veja um trecho de duas reportagens publicadas pelos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo em suas edições de hoje (28):

FOLHA - Base se une ao PT para impor derrota a Kassab na Câmara

"O 'centrão', grupo de vereadores de partidos que, na maioria, apoiaram a reeleição do prefeito Gilberto Kassab (DEM), uniu-se ontem ao PT para selar a primeira derrota do governo na Câmara Municipal desde agosto do ano passado".

A propósito, veja aqui a nota que publiquei ontem falando sobre o tema.

ESTADÃO - Kassab sofre derrota na Câmara

"O prefeito Gilberto Kassab (DEM) sofreu uma derrota na Câmara, após 15 meses de facilidades, quando emplacou seus projetos sem problemas. Por 31 votos a favor e 7 contra, o PT e o "centrão", formado por aliados do prefeito ainda sem espaço na próxima gestão, conseguiram anular os efeitos da portaria que permitia a regularização de 116 flats".

Dica de vídeo para esta sexta-feira

Por Celina Sales, com informações do portal Cineclick:

A ESPIÃ (Black Book/ Zwartboek, Holanda/ Bélgica/ Reino Unido/ Alemanha, 2006)

Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, a cantora judia Rachel Steinn (Carice van Houten) resolve unir-se a um grupo de judeus para encontrar a liberdade no sul da Holanda. No entanto, o barco onde viajam é interceptado por uma patrulha alemã e somente Rachel escapa viva. Sob o nome falso de Ellis de Vries, ela consegue ficar amiga do oficial alemão Müntze (Sebastian Koch), que arruma um emprego à jovem sem saber que ela faz parte da resistência. Quando um plano dá errado, Rachel acaba sendo perseguida não somente pelos alemães, mas também pelos membros da resistência. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Carice van Houten, Sebastian Koch, Thom Hoffman, Halina Reijn, Waldemar Kobus, Derek de Lint, Christian Berkel, Dolf de Vries, Peter Blok.

Bom fim de semana!!!!!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Governo derrotado na Câmara Municipal

O governo Serra/Kassab sofreu uma derrota política na Câmara Municipal de São Paulo na tarde desta quinta-feira (27) na votação do substitutivo da CCJLP que revogou a portaria intersecretarial 05/08 referente à regulamentação dos 116 flats irregulares existentes na Capital.

No enteder dos vereadores, a Portaria invadiu a competência legislativa da Câmara uma vez que alterou o uso do solo (Zoneamento). Esta matéria é de competência exclusiva do legislativo, que aliás, para alterá-la exige-se 3/5 dos vereadores, ou seja, 37 votos favoráveis.

O substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça foi aprovado por 31 votos. A bancada governista conseguiu reunir apenas 7 votos.

Na minha opinião - que foi compartilhada por diversos parlamentares -, o resultado de hoje foi importante para firmar a necessária independência do legislativo paulistano.

Depois de mais de 13 anos de PSDB/PFL-DEM...

Da Folha de S. Paulo, hoje (27):

Evasão e repetência crescem em toda SP

"Levando-se em conta a divisão administrativa de São Paulo, a reprovação e a evasão de alunos cresceram em todas as 31 subprefeituras, tanto no ensino fundamental como no médio. Os dados abragem escolas públicas - inclusive federais - e privadas".

Comentário: A matéria tomou como base estudo da Comissão Municipal de Direitos Humanos divulgado ontem (26). O detalhe é que isso ocorre depois da "aprovação automática" implantada pelos tucanos quando Mário Covas e Geraldo Alckmin assumiram o governo, lá pelos idos de 1995.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

CCJ realiza reunião extraordinária nesta quinta

A Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJLP) da Câmara Municipal de São Paulo realiza reunião extraordinária nesta quinta-feira (27) para discutir três itens de grande importância para a cidade.

A pauta traz assuntos como a ilegalidade da portaria do Executivo que regulariza os 116 flats da Capital, a derrubada do veto ao projeto de lei que versa sobre as Estações Rádio Base (ERBs) e a revogação da legislação que estabeleceu regras para as eleições municipais de 2008.

FLATS - No caso da portaria regulamentadora dos flats paulistanos, a discussão em curso na Casa aponta para sua ilegalidade, uma vez que altera o uso do solo (zoneamento) da cidade e concede algo que equivaleria a uma "anistia" ao dar aos flats tratamento dispensado ao setor hoteleiro.

ERBs - O PL 050/06, vetado pelo Executivo, estabelece regras para a instalação de Estações Radio Base - popularmente conhecidas como "antenas para celulares"-, além de prever a aplicação de multas às empresas que desrespeitarem as normais legais.

LEI ELEITORAL - Já o PL 060/08, que estabeleceu regras municipais para o pleito deste ano, será também analisado pelo plenário da CCJ. O plenário da CCJ analisará sua legalidade.

A reunião acontecerá a partir das 14h na Sala Tiradentes, 8º andar da Câmara Municipal.

Símbolos e Lugares de São Paulo (12)

Iniciamos hoje (26) a publicação da quarta parte da série Símbolos e Lugares de São Paulo. A pesquisa de Felipe Ramalho Rocha desta vez é sobre a Estação da Luz, por sua importância histórica e arquitetônica para a Capital. O local sedia o Museu da Língua Portuguesa, mas não perdeu o charme de estação de trens que continua a funcionar normalmente.

DA FORÇA DA COMPANHIA INGLESA À LÍNGUA PORTUGUESA

A primeira Estação da Luz, primeira estrada de ferro construída em solo paulista, idealizada pelo barão de Mauá e construída em 1867 pela The São Paulo Railway - SPR (popularmente "Inglesa"), que fazia a linha entre Jundiaí e Santos, de onde o café era exportado, era pequena e acanhada. Sem conseguir atender à crescente demanda da produção cafeeira, a SPR,em 1895, decide construir outra estação no mesmo lugar, muito mais imponente. Projetada pelo arquiteto inglês Charles Henry Driver em estilo neoclássico.

Os materiais da construção foram todos importados. "A Estação da Luz veio pelo Oceano Atlântico desmontada. Peça por peça viajou de navio: pregos, tijolos, madeira (pinho-de-riga irlandês), telhas cerâmicas de Marselha, França, e a estrutura de aço de Glasgow, Escócia. Material suficiente para cobrir uma área de 7.520 metros quadrados, ao custo de 150 mil libras esterlinas”. A estrutura metálica tinha 150 metros de comprimento. O edifício tinha 150 metros de comprimento de fachada com uma torre de 50 metros de altura sendo a principal prova da importância e do desenvolvimento que a cultura do café trouxe não só para a cidade como para o Estado.

Aberta ao público em 1º de março de 1901, o novo marco da cidade acaba se tornando a sala de visita de São Paulo. Todas as personalidades ilustres que tinham a capital como destino eram obrigadas a desembarcar lá. Empresários, intelectuais, políticos, diplomatas e reis foram recepcionados em seu saguão e por lá passavam ao se despedir. O lugar também era freqüentado pela gente importante de São Paulo, onde podia-se comer no restaurante Vagliengo, cuja comida era muito apreciada.

A importância da São Paulo Railway Station, como era oficialmente conhecida, durou até o fim da Segunda Guerra Mundial (1939–1945). Após este período, o transporte ferroviário foi sendo substituído por aviões, ônibus e carros.

Em 1946 a Estação sofre um incêndio criminoso, dois dias antes da entrega da SPR pelos ingleses ao Governo da União. O fogo ardeu por mais de sete horas, só restando a gare e a ala oeste. Em 1947, a SPR é nacionalizada com o nome de Estrada de Ferro Santos-Jundiaí - EFSJ. Até 1951, são feitas as obras de reconstrução da estação atingida pelo incêndio. O edifício ganha mais um pavimento e uma plataforma central para o uso do trem metropolitano.

A decadência no ciclo ferroviário faz com que inúmeros ramais sejam desativados. O processo de degradação do transporte ferroviário no Brasil acaba levando a Estação a igualmente degradar-se. O Vagliengo deixa de ser restaurante em 1973 para virar lanchonete e dez anos depois é fechado por conta das reclamações dos passageiros e funcionários da Rede Ferroviária. Mendigos e prostitutas agora eram os freqüentadores do local.

Em 1982 o complexo arquitetônico de 1901 é tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico (Condephaat) e em 1996, a Estação passa a ser patrimônio nacional. Para preservar um pouco este patrimônio, a prefeitura remove as prostitutas e os mendigos. Desde o final de 1996, os então ainda existentes trens de passageiros deixaram de sair dali, sendo transferidos para a estação da Barra Funda.

A Luz, então, passa a ser apenas uma estação dos trens metropolitanos da CPTM. Não muito bem cuidada, diga-se de passagem. Com Infiltrações e corrosões do metal de sua estrutura olhados com preocupação. Em 2004, coincidindo com os 450 anos da cidade de São Paulo, a estação da Luz é entregue restaurada, tanto em sua arquitetura, quanto em suas plataformas, agora readaptadas para os atuais trens metropolitanos. Em 2006, é inaugurado o Museu da Língua Portuguesa, inaugurando também uma nova fase para a estação.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Um pouco de Glau Piva


Cantora, compositora, multiinstrumentista e professora de música, Glau Piva começou sua carreira muito cedo. Aos 15 anos de idade já animava festas como guitarrista e vocalista de várias bandas.

Estudou harmonia e improvisação com vários professores, entre eles José Smith e David Damarques.

Completou 3 anos de estudo em música (teoria e violão erudito) na renomada Fundação das Artes, em São Caetano do Sul, com acompanhamento prático do professor e produtor Gilberto Assis.

Arranjou, produziu e dirigiu os trabalhos para a gravação do CD Inflamável da Banda Esmalte Frito, da qual era vocalista, guitarrista e violonista. Todas as canções eram de sua autoria.

Há 2 anos em carreira solo e com muito mais experiência. Glau gravou uma de suas canções com Oswaldo Montenegro e uma canção de Belchior acompanhada ao piano pelo virtuoso jazzista David Costa.

Com um repertório variadíssimo, desempenha um ótimo trabalho nos mais variados eventos. Sua interpretação com voz e violão tem impressionado muitos amantes da MPB.

Glau Piva canta Entrega - Lanç. do CD Glau Pontto G

Uma boa reflexão


Ex-ministro, diretor da cátedra de Estratégia Econômica Internacional da Universidade de Buenos Aires e uma referência intelectual do pensamento econômico latino-americano, Aldo Ferrer destaca, em entrevista à Carta Maior, as dificuldades que a crise atual impõe à luta pelo desenvolvimento regional. E rechaça o fatalismo econômico diante da crise. "Nossos países não têm possibilidade alguma de mudar o mundo, mas temos a responsabilidade intransferível de decidir o lugar que ocuparemos nele".

Clique aqui para ler a entrevista.

Registro de petista é mantido pela Justiça Eleitoral

Do jornal Folha de São Paulo hoje (25)

"O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Pernambuco decidiu na noite de ontem manter o registro da candidatura do prefeito eleito de Recife, João da Costa (PT), e multar o petista em R$ 58.525,50.

Os juízes consideraram a cassação e a inelegibilidade de três anos, determinadas pela Justiça Eleitoral em primeira instância, punições desproporcionais aos ilícitos eleitorais que envolveram o petista durante a campanha.
Segundo eles, a cassação não é uma punição compatível com irregularidades incapazes de desequilibrar o resultado de uma eleição. Costa venceu a disputa no primeiro turno.

A decisão de manter o registro da candidatura do petista e multá-lo foi unânime e acompanhou o voto da juíza federal de 2ª instância Margarida Cantarelli, relatora".

Governador tucano cassado por abuso do poder econômico

O governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), 45, Ele teve o mandato cassado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) da Paraíba por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2006 - a decisão foi confirmada na noite de anteontem pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Pela decisão, Cunha Lima também é considerado inelegível por três anos (a partir de 2006).

Cunha Lima é acusado pelo Ministério Público Eleitoral de distribuir -por meio da FAC (Fundação de Ação Comunitária), órgão do governo estadual- cerca de 35 mil cheques à população em ano eleitoral, sem lei que regulasse o programa de assistência social.

Prefeito tucano é cassado por abuso do poder econômico

Do jornal Folha de São Paulo hoje (25)

"A Justiça Eleitoral de Jundiaí (60 km de SP) cassou pela segunda vez em menos de dois meses o registro da candidatura do prefeito eleito da cidade, Miguel Haddad (PSDB), e do vice dele, Luiz Fernando Machado (PSDB). O juiz Marco Aurélio Stradiotto Sampaio determinou que seja realizada nova eleição no município no prazo de 20 a 40 dias.

O juiz aplicou também multa de cerca de R$ 45 mil tanto para o prefeito quanto para o seu vice.

Segundo decisão de primeira instância, Haddad teve o registro cassado por abuso de poder econômico durante as eleições.
Para a Justiça Eleitoral, os votos do tucano serão considerados nulos e ele não poderá concorrer nas próximas eleições -ainda sem data marcada".

Comentário: NOSSA! Eles gastam sem dó mesmo. Alias, a principal característica dos tucanos é não medir as conseqüências de seus atos quando se trata de disputa pelo poder. Caso alguém duvide, pergunte a família Sarney.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Palocci visita a bancada do PT na Câmara de SP

Do site do PT Câmara SP

O Brasil está mais preparado para enfrentar a crise financeira internacional, mas os efeitos da tormenta que vem sacudindo o mundo nos últimos dois meses serão sentidos no país em 2009. E a desaceleração da economia mundial terá reflexo também na cidade de São Paulo.

A avaliação é do ex-ministro da Fazenda e hoje deputado federal Antônio Palocci. A convite da Bancada do PT na Câmara Municipal, ele se reuniu com os vereadores, deputados estaduais e dirigentes do partido. Palocci fez uma exposição sobre a crise econômica e suas conseqüências para o Brasil nos próximos anos. Clique aqui e leia a entrevista completa.

domingo, 23 de novembro de 2008

Uma boa análise

Com o título "A crise da extrema esquerda", Emir Sader publicou em seu blog uma excelente análise sobre o isolamento e falta de perspectiva daqueles que saíram do PT e fundaram o PSOL com o propósito, segundo eles, de resgatar um projeto de esquerda.

Para os amantes da política, é uma boa reflexão. Para aqueles que acreditam na possibilidade de construir o socialismo no Brasil, mas conseguem enxergar a complexidade do caminho a seguir, sua leitura é indispensável.

Trata-se de um longo texto, porém bastante completo. Para aguçar sua curiosidade publico abaixo apenas um parágrafo e em seguida o link para os que desejarem fazer a leitura completa do artigo. Vale a pena.

"Uma combinação entre sectarismo e oportunismo foi responsável pelo comprometimento da orientação política do novo partido, que o levou a perder a possibilidade de formação de um partido à esquerda do PT, que se aliasse a este nos pontos comuns e lutasse contra nos temas de divergência. O sectarismo levou a que sindicatos saíssem da CUT, sem conseguir se agrupar com outros, enfraquecendo a esquerda da CUT e se dispersando no isolamento. Levou a que os parlamentares do Psol votassem contra o governo em tudo – até mesmo na CPMF – e não apoiassem as políticas corretas do governo – como a política internacional, entre outras".

Clique aqui para ler a íntegra do artigo.

sábado, 22 de novembro de 2008

Símbolos e Lugares de São Paulo (11)


Encerrando a terceira parte da nossa série Símbolos e Lugares de São Paulo, o blog publica hoje (22) um roteiro turístico pela Catedral da Sé e pela Praça da Sé - expressão religiosa e popular do marco zero da Capital paulista. A pesquisa é de Felipe Ramlho Rocha.

O MARCO ZERO DE TODO TURISTA QUE VISITA SÃO PAULO

Para encerrar a série de reportagens sobre a Praça da Sé, venho trazer-lhes um pouco do que podem encontrar em uma visita à Praça e Catedral.

Na Praça encontra-se uma série de esculturas em meio a espelhos d’água e fontes que se espalham pelo local. Pode-se chegar à praça pelo Metrô, evitando assim o trânsito, que se tornou uma constante em São Paulo, e ao mesmo tempo aproveitar para conhecer a estação, que é uma das maiores e mais arrojadas de São Paulo.

A praça é um ótimo lugar para descansar, atualmente está passando por uma reforma e limpeza de suas fontes e esculturas. A praça passou por uma profunda reforma durante o ano de 2006, tendo sido parcialmente entregue em 25 de janeiro do ano seguinte (ou seja, na data do aniversário da cidade) pelo prefeito Gilberto Kassab.

A reforma foi criticada por entidades ligadas ao direito à moradia e à população sem-teto de São Paulo, pois focalizava recursos em projeto que - segundo eles - era caracterizado por um caráter de higienismo social, expresso pela instalação de dispositivos apelidados de "antimendigos". As medidas fariam parte de uma política iniciada na gestão de José Serra, associada a uma suposta 'gentrificação' daquela região da cidade, a qual tem sido duramente criticada por defensores dos direitos civis.

A praça em si tem seu charme e beleza, mas a atração principal da praça é na realidade a catedral, que se encontra à frente do “marco zero” da cidade. Entre os cinco maiores templos góticos do mundo, a catedral é um primor da arquitetura que enche os olhos do visitante, a impressão que se tem ao entrar no templo é que não se tem olhos o suficiente para englobar o todo da obra em sua beleza.

Uma visita com calma revela detalhes que passam despercebidos pelo visitante desatento, entalhes em mármore, de diversas figuras, cuidadosamente executados. É permitido que se tire fotos e aconselho que o visitante o faça. Não bastasse a toda a exuberância da nave, o visitante ainda pode fazer uma visita monitorada a cripta que se encontra a baixo do altar-mor. Escondida a alguns palmos abaixo, por onde passa a linha imaginária do trópico de Capricórnio, bem no coração da cidade.

Podendo ser considerada uma igreja à parte, a cripta guarda esculturas e tumbas de célebres personagens da história, lá embaixo, as escadas, assim como as colunas, são de granito. O piso é de mármore de Carrara, em preto-e-branco. O teto, repleto de arcos com tijolos, segue o mesmo estilo gótico da Sé.

Uma lenda urbana paulistana diz que existe uma passagem ali embaixo que liga a catedral a outras duas igrejas paulistanas, a de São Francisco e a de São Bento, . "Tem gente que bate na parede para ter certeza de que ela não tem um fundo falso", conta a guia Vera Regina Gomes, 50.

Nas duas laterais centrais da cripta, duas esculturas em mármore: Jó, o afligido do Senhor, e São Jerônimo, ambas assinadas por Francisco Leopoldo, irmão do arcebispo dom Duarte Leopoldo e Silva, responsável pelo início das obras da Sé. Dom Duarte também está enterrado no mausoléu.

Visitas monitoradas: de quarta a segunda, das 9h às 17h (suspensas quando há missas das 12h às 13h)
Duração: 30 minutos
Ingresso: R$ 4 (crianças até sete anos não pagam)
Onde fica: catedral da Sé, praça da Sé, s/nº
Informações pelo tel.: 0/xx/11 3107-6832

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Dicas de filmes para o seu feriado prolongado

Por Celina Sales

VIAGEM A DARJEELING (The Darjeeling Limited, EUA, 2007)

Sinopse:

Três irmãos reúnem-se um ano após a morte de seu pai. Francis (Owen Wilson) é o mais velho deles; bem-sucedido, é quem promove este reencontro. Peter (Adrien Brody) é o irmão do meio e está prestes a ser pai. Jack (Jason Schwartzman), o mais novo, é escritor e está sofrendo as dores de uma rejeição amorosa ocorrida anos antes. O trio faz uma viagem à Índia, onde explora não somente o misticismo, religiosidade e a peculiar cultura do país, mas, principalmente, os laços fraternos. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Natalie Portman, Bill Murray, Owen Wilson, Adrien Brody, Jason Schwartzman, Anjelica Huston, Roman Coppola, Amara Karan, Camilla Rutherford.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O SONHO DE CASSANDRA (Cassandra's Dream, EUA/ Reino Unido, 2007)

Sinopse:

Após Match Point, Woody Allen continua filmando na Inglaterra histórias sombras, como este drama, que mistura conflitos familiares a crimes. Terry (Colin Farrell) e Ian (Ewan McGregor) são dois irmãos que passam por uma situação inusitada ao conhecer a misteriosa atriz Angela Stark (Hayley Atwell). Como estão passando por problemas financeiros, eles decidem aceitar uma proposta criminosa. Porém, a situação foge de controle quando as coisas não saem como planejado. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Ewan McGregor, Colin Farrell, Hayley Atwell, John Benfield, Jim Carter, Philip Davis, Sally Hawkins, Tom Wilkinson, Mark Umbers, Andrew Howard, Clare Higgins.

Bom fim de semana!!!!!!

Símbolos e Lugares de São Paulo (10)

A postagem desta quarta-feira (19) da série Símbolos e Lugares de São Paulo traz detalhes da arquitetura da Praça e da Catedral da Sé, conforme pesquisa elaborada por Felipe Ramalho Rocha. No sábado que vem encerramos a terceira parte da série com um roteiro turístico nesta que é uma das regiões da cidade de forte simbolismo para todos os paulistanos.

UM TESOURO ARQUITETÔNICO NO CORAÇÃO DA CIDADE

A PRAÇA DA SÉ - O local do marco zero de São Paulo é um dos mais belos projetos arquitetônicos da cidade de São Paulo. A atual praça é resultado de um projeto paisagístico da década de 70 com influências de projetos da época conduzidos na Costa Oeste dos EUA e caracterizados por um geometrismo rigoroso e pelo domínio do terreno através de um jogo de patamares, espelhos d'água ou fontes e volumes prismáticos de terra.

A praça uma obra de arte por si só, ainda abriga mais 16 esculturas de diversos estilos, entre elas uma estátua do Padre Anchieta, uma do italiano Heitor Usai, uma escultura em chapas de aço do austríaco Franz Weissmann, e, bastante visível, fixada no meio de um espelho d'água, está o Condor de concreto feito por Bruno Giorgi.

O motivo da reformulação da praça, que exigiu que se demolisse todo o quarteirão, foi a construção da estação Sé do Metrô, inaugurada em 17 de fevereiro de 1978. É uma estação subterrânea composta por mezanino de distribuição e dois níveis sobrepostos com duas plataformas laterais e uma central, com estrutura em concreto aparente e aberturas para iluminação natural. Que fazem dela uma das mais arrojadas estações de Metrô de São Paulo. Pelas paredes da Estação da Sé estão murais de artistas como Mário Gruber e Cláudio Tozzi, além de um painel de Renina Katz.

A CATEDRAL - A obra-prima da arquitetura na Praça da Sé é sua catedral. O arquiteto responsável foi o alemão Maximilian Emil Hehl, professor de Arquitetura da Escola Politécnica, que projetou uma enorme igreja em estilo neogótico, inspirada nas grandes catedrais medievais européias. Foi inaugurada em 25 de janeiro de 1954, na comemoração do 4º Centenário da cidade de São Paulo, ainda sem as duas torres principais, concluídas em 1969.

É a maior igreja de São Paulo, com 110 metros de comprimento, 46 metros de largura, torres com 92 metros de altura cada, cúpula com altura de 30 metros, Tem capacidade para abrigar 8.000 pessoas. No acabamento foram usadas 800 toneladas de mármore. Em termos arquitetônicos, a igreja tem forma de cruz latina, com cinco naves e transepto com cúpula sobre o cruzeiro. A fachada, dotada de um portal principal e uma grande rosácea, é flanqueada por duas altas torres. O estilo escolhido foi o neogótico, mas a cúpula é inspirada por estruturas renascentistas como o célebre domo da Catedral de Florença.

Em sua cripta, que se localiza debaixo do altar principal e é um vasto salão suportado por várias colunas e arcos de perfil gótico e pode ser considerada uma verdadeira igreja subterrânea, encontram-se trabalhos artísticos do escultor Francisco Leopoldo. Em volta de toda a área das naves da cripta encontram-se sepultados vários personagens importantes da história do Brasil e as câmaras mortuárias dos sacerdotes que ocuparam o bispado de São Paulo. Doze ao todo, que se diriam os Apóstolos da Diocese.

Também possui um dos maiores órgãos em funcionamento da América Latina, construído em 1954 pela industria italiana Balbiani & Rossi, tem cinco teclados manuais, 329 comandos, 120 registros e 12 mil tubos, cujas bocas, de forma gótica, apresentam relevos entalhados a mão.

Em 1999, a arquidiocese de São Paulo decidiu realizar um grande plano de restauração e conclusão do prédio da Catedral da Sé, devido aos desgastes do tempo, a estrutura do edifício apresentava sérios riscos de perda. A catedral foi completamente renovada entre 2000 e 2002.Com o fim de reparar o edifício, muitos pináculos sobre a nave e as torres foram terminados. As plantas originais, datadas de 1912, foram encontradas dentro do próprio edifício, permitindo uma restauração fiel ao projeto original.

A restauração incluiu reparos nos vitrais, revitalização dos sinos, manutenção das redes hidráulica e elétrica, resolução de problemas que ameaçavam a estrutura e lavagem e pintura do prédio. Restaurada, a catedral ganhou 14 torreões novos, previstos no projeto original de 1912 de Maximilian Emil Hehl. Em 2002, reabriu as portas após obras que consumiram R$ 19,5 milhões.

Fundação Casa dos Carneiros: você conhece?

A Fundação Casa dos Carneiros é uma sociedade civil, de direito privado, de caráter cultural, educativo, ambientalista ecológico e social, sem fins lucrativos, sem caráter político-partidário ou religioso. A entidade vai sediar o acervo elomariano, aberto para pesquisa, com histórico de suas obras: discografia, canções, poesias, árias de ópera, roteiros para cinema, romances de cavalaria e tudo mais que diz respeito às produções de Elomar. Além disso, vai incentivar a música erudita, o teatro e demais manifestações artísticas e ainda desenvolver projetos de caráter educativo, ambientalista ecológico e social.

A instituição vai oferecer um espaço reservado ao trabalho intelectual, à consulta de livros e documentos e à preservação da memória nacional. O projeto prevê atividades relacionadas à preservação e divulgação da obra de Elomar Figueira Mello e à formação, conservação e difusão de acervos bibliográficos, documentais e arquitetônicos, com o apoio de laboratórios técnicos, instituições de ensino superior, públicas e privadas.

A Fundação Casa dos Carneiros também vai permitir o acesso aos estudos e pesquisas (estudos elomarianos, de política cultural, história, letras, antropologia e sociologia) e à cultura brasileira em geral. Clique aqui e acesse o site da Fundação.

A Fazenda Casa dos Carneiros tem sua sede na Gameleira, distrito de Iguá, há 20 quilômetros de Vitória da Conquista, na Bahia.

A sede foi concebida segundo os modelos arquitetônicos coloniais do fim do século XIX, típicos desta região. Paredes de adobão armados em tição, quatro águas de fortes caídas, rodeada por grande avarandado, com um anexo de construção mais recente onde ficam cozinha, garagem e a Sala de Sôpros e Cordas, onde o artista compõe as suas obras.

Concerto Lá na Casa dos Carneiros

Como chegar na Fazenda dos Carneiros

Desemprego menor

Do UOL Economia:

Taxa de desemprego fica em 7,5% em outubro, 2ª menor desde 2002

"O nível de desemprego nacional correspondeu a 7,5% em outubro, levemente abaixo dos 7,6% registrados um mês antes e inferior aos 8,7% de outubro de 2007.

A informação consta de pesquisa distribuída nesta manhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"A taxa de desocupação de outubro é a segunda menor da série histórica da pesquisa, iniciada em março de 2002 (7,4% em dezembro de 2007)", destacou o organismo". Leia mais.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

A falácia do 'saneamento financeiro' de SP

Do site Contas Abertas, no portal UOL:

São Paulo é a capital mais endividada do país

"A capital paulista concentrou, em 2007, o maior montante de dívida em relação à sua receita, chegando ao patamar de 199% em débitos. O número posicionou o município como detentor do maior grau de endividamento do Brasil, no longo prazo, em comparação com outras capitais brasileiras. No ano passado, a Receita Corrente Líquida (RCL) do município chegou a R$ 18,8 bilhões, mas em contrapartida, a Dívida Consolidada Líquida (DCL) ultrapassou a cifra de R$ 37,4 bilhões. A DCL é constituída pelos compromissos de pagamento das operações de crédito e de outras dívidas bancárias, além dos restos a pagar processados, que são compromissos orçamentários assumidos em um exercício, mas que são rolados para anos seguintes". Leia mais.

Comentário: Este é um dado que desmonta a falácia tucano-demo, muitas vezes repetida por parte da imprensa, segundo a qual as finanças da cidade (e até do Estado, que também está muito endividado!) estariam "saneadas". Coisas do marketing, simplesmente!

Kassab prometeu o CEU...

O secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider, anunciou durante a audiência pública da Comissão de Finanças da Câmara Municipal que a Prefeitura não irá mais construir Centros de Educação Unificados, os chamados CEUs, pois “não será prioridade desta administração”. O anúncio foi durante debate sobre o Orçamento de 2009.

Comentário: O Kassab mostrou que tinha um programa para ganhar as eleições e terá outro para governar. A máscara já começou a cair.

Cuidado com o seu carro!


Do Jornal da Tarde de hoje (18)

Três meses após a retomada do serviço de guinchos, a capital atingiu em outubro a marca de um veículo tirado de circulação a cada 20 minutos. No mês passado, foram 2.226 resgates contra 1.153 em agosto - aumento de 88,51%. Os números incluem as apreensões feitas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e pela PM. A primeira é responsável por fiscalizar o estacionamento irregular e a segunda, por verificar irregularidades na documentação dos veículos.

No fim de julho, a CET contratou uma empresa terceirizada com 48 guinchos e voltou a recolher carros estacionados em local proibido. O serviço da CET estava paralisado desde o final de 2004, quando o contrato com a prestadora de serviço terminou e não foi renovado. Neste período, os veículos parados irregularmente só eram multados. Leia mais.

Menos PSF e hospitais e mais terceirização

O governo Serra/Kassab será obrigado a falar sobre problemas graves que atingem o setor de saúde do município e que foram escamoteados pelo marketing durante a recente campanha eleitoral. Os principais problemas são a diminuição da destinação de recursos orçamentários para a construção de hospitais e para o Programa de Saúde da Família (PSF), enquanto crescerão os repasses para os serviços terceirizados. É que hoje (18), às 10h, acontece na Câmara Municipal de São Paulo a audiência pública temática sobre o orçamento da saúde.

De acordo com estudo da assessoria técnica da Bancada do PT, mais da metade dos recursos previstos no orçamento municipal de 2009 (PL 605/08) para a Secretaria da Saúde são destinados ao pagamento de serviços de terceiros (principalmente as AMAs) e pouco será investido na expansão da rede física da pasta.

Para a construção de três novos hospitais prometidos pelo prefeito reeleito Gilberto Kassab (DEM), há uma dotação destinando apenas R$ 30 milhões para cada unidade. Já na dotação em que são empenhados os convênios com as entidades para funcionamento das AMAs, o crescimento foi de 118,39% (passa de R$ 368.585.849,00, para R$ 804.942.192,00).

O orçamento do Programa Saúde da Família (R$ 742 milhões, dos quais R$ 329 milhões virão de transferências federais) será praticamente igual ao de 2008 (R$ 736 milhões), o que na prática significa que o PSF não será ampliado.

Com informações do Boletim PT Câmara SP.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Gilmar Mendes, quem são os terroristas?


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, tem se notabilizado por um sentimento de urgência no que julga ser seu principal papel como magistrado: dar sustentação jurídica às teses da oposição parlamentar e seu braço midiático no combate ao governo Lula. Mas o faz de forma tão atabalhoada que constrange até mesmo os “bons companheiros”.

Mendes tem sido alvo de crítica até de contumazes articulistas da grande imprensa, uma vez que o primarismo de suas manifestações desnuda, e expõe ao ridículo, uma estratégia traçada para se manter ativa até 2010. Não foi por outro motivo que o jornalista Elio Gaspari, conhecido pelo antipetismo raivoso, escreveu em sua coluna, na Folha de São Paulo, do último domingo:

“O ministro Gilmar Mendes, presidente do STF, precisa decidir qual é seu lugar no estádio. Ele pode ficar na tribuna de honra, de toga, lendo votos capazes de servir de lição. Pode também vestir as camisas dos times de sua preferência, indo disputar a bola no gramado. Não pode fazer as duas coisas”.

O alerta de Gaspari se respalda na experiência de quem conhece o jogo e tem noção mais acurada do "timing" exigido. Sabe que um juiz que emite prejulgamentos sobre processo em que terá que se manifestar oficialmente se expõe à perda de legitimidade. A judicialização da política guarda similitudes profundas com o noticiário editorializado. E a afinidade de dois campos distintos, quando se torna muito evidente, produz estragos consideráveis para os objetivos das forças conservadoras.

Ao afirmar que “terrorismo também é crime imprescritível”, em alusão aos que participaram da luta armada contra o regime de 64, o ministro demonstrou que segue a semântica da ditadura militar que recomendou aos jornais da grande imprensa a classificação de “terroristas” a todas as ações armadas praticadas por guerrilheiros. Em questão, além da isenção do presidente do Supremo, está seu embasamento conceitual sobre terrorismo.

Diante da confusão, é preciso discutir o que se entende como terror. Afinal, a resistência armada contra a opressão é admitida até pela Carta de Direitos Humanos da ONU. Qual a diferença disso em relação a atos terroristas tal como são definidos pelo direito internacional?

Como indagou o jornalista Cid Benjamim, em artigo publicado em 2001, no Jornal do Brasil, ”teria sido Marighella um terrorista, tal como os autores dos atentados nos Estados Unidos? Teria sido Lamarca um terrorista? E os sandinistas, que derrubaram a ditadura de Somoza? Estadistas hoje respeitados, que lideraram revoluções armadas – como Fidel Castro, por exemplo – foram também terroristas? E os combatentes da Resistência Francesa, também eram eles terroristas?”

Seria interessante o presidente da mais alta corte do país ser apresentado aos protocolos das convenções de Genebra, onde não se confunde terrorismo com direito à resistência, pois neste "não se verifica a intenção de intimidação da sociedade, mesmo porque o que se pretende com o exercício de tal prerrogativa é exatamente o maior apoio possível da maioria da sociedade em favor da causa patrocinada”.

Um olhar menos indulgente sobre a ditadura de 1964 lhe permitiria ver um regime que tinha como metodologia o terrorismo de Estado. Altos comandantes militares fortaleciam e protegiam da vista da opinião pública e da precária justiça existente -com represálias e censuras - os centros de torturas e seus protagonistas mais conhecidos, como o falecido delegado Sérgio Fleury.

Com o governo Médici, o aparato repressivo chegou ao auge com a criação da Operação Bandeirantes. Ler sobre o caso Parasar, capitaneado pelo brigadeiro João Paulo Burnier, para que o serviço de salvamento da FAB entrasse na repressão política, matando ou jogando no alto-mar os corpos dos opositores políticos, talvez servisse como bom exercício de reflexão para Gilmar Mendes. Quem sabe contextualizando a tortura, o ministro não se dê conta de que anistiar quem a praticou seja defender o real terrorismo? É isso que a sociedade espera do judiciário brasileiro? Que se torne uma instituição típica de países conhecidos pela violação de direitos humanos?

Talvez seja o caso de recomendar ao ministro a leitura de “Eros e Civilização”. Nele, Herbert Marcuse afirma categoricamente:

“Esquecer é também perdoar o que não seria perdoado se a justiça e a liberdade prevalecessem. Esse perdão reproduz as condições que reproduzem injustiça e escravidão: esquecer o sofrimento passado é perdoar as forças que o causaram - sem derrotar essas forças”.

É disso que se trata. Ou acertamos nossas contas com o passado - e desse acerto reunimos condições para avançar - ou ficamos refém de um simulacro de democracia.

Gilson Caroni Filho é professor de Sociologia das Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha), no Rio de Janeiro, colunista da Carta Maior e colaborador do Observatório da Imprensa.

Sabesp coleta esgoto e joga nos rios


Do jornal O Estado de São Paulo

Parte dos habitantes da Região Metropolitana de São Paulo atendidos pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) paga a coleta e o tratamento de esgotos, mas a empresa joga tudo, in natura, nos rios e córregos, por falta de coletores, interceptores e emissários. Esses pontos de poluição são chamados pela empresa de lançamentos provisórios, mas sempre existiram. Há 6.670 pontos, que jogam em cursos d'água 1,27 bilhão de litros/dia e deverão estar totalmente ligados aos coletores só em 2018. Leia mais.

sábado, 15 de novembro de 2008

Símbolos e Lugares de São Paulo (9)


Continuando a terceira parte da série Símbolos e Lugares de São Paulo, Felipe Ramalho Rocha fala hoje sobre a Praça da Sé como um dos palcos privilegiados das manifestações políticas da capital paulista.

A SÉ COMO PALCO DA DEMOCRACIA

O monumento também teve a sua importância na vida política recente do país. Com a construção da Catedral, a praça passou a ser um ponto de encontro, comércio e trânsito intenso de pessoas, tornando-se o local preferido para a realização de comícios e manifestações políticas. Na época em que vigorava o regime militar, assumiu o arcebispado D. Agnelo Rossi, de 1964 à 1970, inaugurando então a fase da Teologia da Libertação e da opção preferencial pelos pobres.

A partir de 1970 mereceu destaque a figura do cardeal arcebispo D. Paulo Evaristo Arns, que dedicou todo o seu tempo e o seu esforço ao combate à ditadura militar, denunciando os crimes, as torturas e cedendo a Sé Catedral para as manifestações políticas e ecumênicas pelos desaparecidos políticos e pela anistia. Mobilizou-se por ocasião dos assassinatos do jornalista Vladimir Herzog e do operário Manuel Fiel Filho.

Muitas manifestações populares aconteceram ao longo dos anos na Praça da Sé, que de marco zero geográfico da cidade, passou também a ser o marco zero da democracia paulistana, de onde se pôde em diversos momentos na historia recente, mensurar a cidadania do povo paulistano.

Das manifestações populares que tiveram como palco a praça da Sé as mais importantes foram: em 1914 o Comício de 1º de maio, organizado pelos sindicatos, em 1915 foram as manifestações contra a Primeira Guerra Mundial, em 1922 a missa campal de comemoração do centenário da Independência, dez anos depois, ocorreu o Comício contra a ditadura de Getúlio Vargas, em 1945 foi a vez do ato público pela democratização do país, em 1975 o culto ecumênico em memória do jornalista Vladimir Herzog, morto pelo regime militar, em 1984 foi a vez do primeiro Comício do movimento pelas Diretas.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Nossa dica de vídeo para esta sexta-feira

Por Celina Sales, com informações do portal Cineclick:

SENHORES DO CRIME (Eastern Promises, EUA/ Reino Unido, 2007)

Sinopse: Viggo Mortensen é dirigido novamente por David Cronenberg neste violento drama envolvendo a máfia russa em Londres. Anna Khitrova (Naomi Watts), inocente dona de casa, entra acidentalmente num esquema de tráfico sexual conduzido por russo, enquanto investiga a morte de uma jovem durante o parto. Seu caminho cruza o de Nikolai (Viggo Mortensen), que tem laços estreitos com uma das famílias dos criminosos mais notórios de Londres. Previsto para estar disponível em junho, caiu para este mês.

Elenco: Viggo Mortensen, Naomi Watts, Vincent Cassel, Armin Mueller-Stahl, Sinéad Cusack, Donald Sumpter.

Bom fim de semana!!!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

PSDB: obsessão por pedágio

Li no jornal Folha de São Paulo de hoje que a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), “quer prorrogar até 2028, sem licitação, as concessões para exploração de pedágios nas estradas gaúchas”.

A proposta, que já começou a tramitar em regime de urgência na Assembléia Legislativa gaúcha, foi apresentada cinco anos antes do fim da validade dos atuais contratos.

Quem vive em São Paulo já conhece a obsessão tucana por pedágios. Ninguém trafega 20 km por estradas paulistas sem passar pelo menos por uma praça de pedágio. Aguarde! Em breve teremos o primeiro pedágio urbano instalado na cidade de São Paulo. O objetivo do governador e do prefeito de São Paulo é instalá-lo nas Marginais Tietê/Pinheiros.

Voltando ao Rio Grande do Sul, a pressa da governadora é, no mínimo, suspeita. O povo quer saber por que prorrogar por 19 anos um contrato, cinco anos antes do seu término - e sem licitação!

O Ordenamento Jurídico Brasileiro determina que os atos administrativos devam ser norteados pelos seguintes princípios: legalidade, impessoalidade, motivação e isonomia. O que a governadora gaúcha está fazendo é atropelar os parâmetros legais para fazer valer sua vontade. Acho que ela está retomando a velha máxima dos políticos autoritários e conservadores: "Para os amigos tudo, para os adversários, o rigor da Lei".

Fidelidade partidária

Do jornal Folha de São Paulo hoje (13)

"O Supremo Tribunal Federal decidiu ontem pela constitucionalidade da resolução do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que definiu as regras para a cassação dos políticos "infiéis". Por 9 votos a 2, a Corte afirmou que o texto elaborado pela Justiça Eleitoral, em outubro do ano passado, é válido até que o Congresso edite lei definindo os procedimentos sobre o troca-troca partidário". Assinante leia mais.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Símbolos e Lugares de São Paulo (8)

Iniciamos hoje a publicação da terceira parte da série Símbolos e Lugares de São Paulo, com base em pesquisa de Felipe Ramalho Rocha. Serão três postagens mostrando a construção, a arquitetura, o turismo e a importância da Praça da Sé e da Catedral - no Centro Velho da Capital.


A CONSTRUÇÃO DO MARCO ZERO PAULISTANO

A Praça da Sé começa a nascer em 1588, quando ali se instala a Câmara de São Paulo. Na sessão de 6 de junho de 1588 os vereadores se reuniram na câmara de então e lembravam da necessidade de haver na vila uma “igreja matriz e vigário”, A palavra Sé é uma abreviatura de Sedes Episcopalis, uma estrutura de poder da Igreja Católica que costuma estar associada à principal igreja de uma região ou sua catedral.

Os primeiros povoadores manifestavam o seu desejo de ter a matriz. Esta igreja, situada no local da catedral atual, foi terminada em torno de 1616. Em 1745 a “Velha Sé”, como era chamada, foi elevada à categoria de Catedral. Quando Dom Bernardo Rodrigues Nogueira, primeiro bispo, deu entrada em São Paulo no dia 8 de dezembro de 1745, a matriz estava arruinada.

Naquele mesmo ano, inicia-se a edificação da segunda matriz da Sé, no mesmo local da anterior. A antiga igreja é demolida e substituída por uma nova, construída em estilo barroco, terminada em torno de 1764. Ao lado dela, em meados do século XVIII, levanta-se a Igreja de São Pedro da Pedra.

A Catedral da Sé nasceu de uma reunião, convocada pelo então arcebispo metropolitano Dom Duarte Leopoldo e Silva, no dia 25 de janeiro de 1912. As Igrejas São Pedro e da Sé foram demolidas para que o tamanho da praça fosse quintuplicado. Em 1934, a Praça da Sé transformou-se em marco zero da cidade e, em 1952, foi reurbanizada para as celebrações do IV Centenário da cidade.

O projeto da Catedral foi feito pelo arquiteto Maximiliano Hehl. A igreja foi inaugurada em 1954 sem estar pronta, mas a tempo para a celebração do quarto centenário de São Paulo. Nos lugares em que as torres deveriam ser levantadas, existiam buracos, através dos quais entravam água de chuva, pombos e muita sujeira. As torres foram terminadas somente em 1967. As obras foram tocadas inicialmente por Alexandre Albuquerque, e, a partir de 1940, por Luís Inácio de Anhaia Melo.

Na década de 1970 a praça passa novamente por uma reurbanização - fundindo as antigas praças da Sé e Clóvis Bevilacqua, demolindo o velho Teatro Santa Helena, implodindo o edifício Mendes Caldeira e incorporando os quarteirões que as separavam. Em troca, o marco zero ganhou o realce de uma alameda de palmeiras imperiais, o espelho d'água realça o conjunto arquitetônico formado pela Catedral e o Palácio da Justiça.

A praça foi remodelada para que fosse instalada a mais importante estação metroviária da cidade, ponto de cruzamento das linhas norte-sul e leste-oeste da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô - inaugurada em 26 de setembro de 1975.

Sobra dinheiro e falta fiscalização

Do jornal Folha de São Paulo hoje (12)

"A Prefeitura de São Paulo tem parados em contas bancárias R$ 100 milhões que deveriam ser usados na fiscalização da gestão dos serviços de coleta de lixo no município.

Trata-se de um dinheiro recolhido a partir de 2004, vindo das duas concessionárias de lixo (5% de suas receitas), para a criação e a manutenção de uma agência reguladora do setor, a Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana).

Até agora, após quatro anos de vigência dos contratos, que foram assinados no último ano da gestão da petista Marta Suplicy (2001-2004), a administração Gilberto Kassab (DEM) não concluiu sequer um projeto para a criação da agência. Como o dinheiro tem destinação específica, não pode ser usado para outros fins". Assinante leia mais.

Comentário: O contrato de concessão do lixo assinado no governo da prefeita Marta, além da agência citada na matéria acima, previa também novos aterros sanitários e Centrais de Reciclagem de Lixo. Por incompetência ou falta de vontade política nada foi implementado no governo Serra/kassab. Fizeram muito barulho para pouco resultado.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Presença digital na Câmara

O sistema de registro de presença dos vereadores nas sessões da Câmara Municipal de São Paulo muda nesta quarta-feira (12). Os parlamentares deverão registrar seu comparecimento por meio das digitais, a partir do início da sessão, às 15h. Quem não registrar a presença terá o dia descontado do salário.

Essa mudança ocorre depois da informatização do processo de votação, com a instalação do novo painel eletrônico.

Tucanos contra a cultura

Projeto de lei do senador tucano Eduardo Azeredo (MG) - que será relatado pela também tucana Marisa Serrano (MS) - propõe a "restrição" ao pagamento da meia-entrada por estudantes em cinemas e teatros. O projeto já passou pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

O senador Azeredo vai se firmando como aquela figura que adora uma restrição. Além da proposta de diminuir o acesso à cultura, ele também é autor da idéia de 'fichar' os usuários da internet. E, bom não esquecer, o publicitário Marcos Valério comandou o esquema de campanha à reeleição de Eduardo Azeredo ao governo de Minas Gerais, em 1998.

Duas notas no Diário

Assunto abordado ontem (10) aqui no blog, o projeto de lei dos Conselhos de Representantes em elaboração pela CCJ da Câmara Municipal repercutiu em duas notas publicadas na coluna Diário Paulista do jornal Diário de S. Paulo desta terça-feira (11):

1 - DISCUSSÃO ABERTA - "A Câmara Municipal vai retomar o debate sobre a criação de conselhos de representantes em todas as subprefeituras. Os grupos foram criados no governo de Marta Suplicy, mas a medida foi barrada na atual gestão".

2 - AÇÃO CONJUNTA - "O novo projeto que cria os conselhos será debatido pelos vereadores e terá autoria conjunta. Defensor da proposta, João Antonio (PT) afirma que os conselhos fiscalizarão as ações e os gastos da gestão".

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Sobre o projeto do Conselho de Representantes

Semana passada dei entrevista ao portal do Movimento Nossa São Paulo sobre o projeto que propõe a recriação dos Conselhos de Representantes nas subprefeituras. O governo Serra/Kassab foi contra a idéia quando da regulamentação da lei que criou os referidos conselhos, indo à Justiça contra a participação popular na administração municipal.

Veja abaixo a matéria publicada pelo Nossa São Paulo em sua página na internet:

Projeto restabelece conselhos de representantes nas subprefeituras

"Esta semana começou a tramitar na Câmara Municipal de São Paulo o Projeto de Emenda à Lei Orgânica 04-0005/2008, que restabelece o Conselho de Representantes em cada uma das 31 subprefeituras da cidade. A proposta, de autoria da Comissão Permanente de Constituição, Justiça e Legislação Participativa, atende uma demanda de diversas entidades da sociedade civil, inclusive do Movimento Nossa São Paulo.

O texto define que os conselhos são organismos autônomos e “reconhecidos pelo Poder Público Municipal como órgãos de representação da sociedade de cada região da cidade para exercerem os direitos inerentes à cidadania de controle social, fiscalizando ações e gastos públicos, bem como manifestando demandas, necessidades e prioridades na área de sua abrangência”. Leia a íntegra do projeto

Segundo o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, vereador João Antonio (PT), a proposta agora será apreciada pelas comissões temáticas. “Basicamente, a de Finanças e a de Administração Pública.” Quanto ao tempo de tramitação previsto até a votação final do projeto, o parlamentar avalia que dependerá do interesse e da pressão da sociedade civil.

Nesse sentido, João Antonio considera importante a realização de audiências públicas sobre o assunto. “Para aperfeiçoar o texto e fazer o convencimento de vereadores que estejam indecisos.”
Porém, ele alerta que os debates só ocorrerão se houver a solicitação das entidades civis.

Para o líder do Governo na Câmara, José Police Neto, o Netinho (PSDB), a apresentação do projeto “restabelece o debate entre os vereadores e a participação da sociedade para se buscar uma fórmula que contemple os objetivos pretendidos”. Questionado sobre a posição do secretário de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, que ao participar de audiência pública sobre o orçamento disse haver conselhos demais na cidade, o parlamentar argumentou que o representante do Executivo não deve ter entendido a pergunta. “Foram citados diversos conselhos no debate e o secretário deve ter achado que era mais um, não o Conselho de Representantes.”

Sobre os instrumentos de participação já existentes, ele avalia que "falta ao poder público, de forma geral, estruturar esses conselhos, que precisam de espaço para se reunir e meios necessários à sua atuação".

Tucano torce o bico para representação popular


Do Boletim PT Câmara SP:

Secretário diz que Conselho de Representantes não é necessário

A administração PSDB/DEM não tem o menor interesse em implantar os conselhos de representantes nas 31 subprefeituras da cidade. Indagado sobre os CRs, o secretário de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, deixou claro que, para esta gestão, os conselhos de representantes não necessários. O afastamento da população em relação ao acompanhamento das ações do poder público é uma praxe de tucanos e democratas.

“Já temos conselhos demais na cidade”, afirmou o secretário sexta-feira, durante audiência pública temática na Câmara Municipal que debateu o orçamento de 2009 da secretaria. Para ele, o cidadão interessado em encaminhar de forma organizada suas reivindicações ao poder público e depois cobrar o resultado deve se limitar a acompanhar a atuação dos vereadores.

domingo, 9 de novembro de 2008

Frases e comentários

Sobre a Crise

"A crise é conseqüência da crença cega na auto-regulação dos mercados; é o momento para uma mudança substantiva na arquitetura financeira mundial".
(Lula na reunião do G-20 Financeiro, 08)

-----------------------------------------------------------------------------------------

Bolsa família

"Amparado em texto legal, votado e aprovado pelo Congresso Nacional, o Bolsa Família marca, ao lado de outras ações governamentais, a era em que as políticas sociais deixam o campo do clientelismo para ancorar no porto das políticas públicas normatizadas, com critérios, transparência e prestação de contas".
(Ministro Patrus Ananias sobre o programa Bolsa Família hoje na Folha de São Paulo)

-----------------------------------------------------------------------------------------

Sobre o funcionalismo publico no Estado de São Paulo

"Há um achatamento salarial muito grande em todo o funcionalismo público de São Paulo. Isso ocorreu nesses 12 anos de PSDB, com a Lei de Responsabilidade Fiscal. Tanto que hoje os salários do funcionalismo representam 39% das receitas, quando eram 50% há oito anos. O achatamento é deliberado".
(Sérgio Roque, presidente da Associação dos Delegados de Polícia de São Paulo em entrevista concedida hoje ao jornal Folha de São Paulo)

sábado, 8 de novembro de 2008

Símbolos e Lugares de São Paulo (7)


Hoje encerramos a segunda parte da série Símbolos e Lugares de São Paulo com a pesquisa de Felipe Ramalho Rocha mostrando o roteiro turístico pelo Pátio do Colégio. Na próxima quarta-feira a série mostrará a região da Sé, marco zero da cidade de São Paulo.

UM PASSEIO PELA HISTÓRIA DA CIDADE DE SÃO PAULO

O visitante que vai ao Pátio do Colégio encontra lá o Museu Anchieta que o leva a uma viagem pela história da cidade de São Paulo. A visita pode ser feita como um passeio ou acompanhada pelo guia do museu (grupo de cinco ou mais pessoas - a partir de dez precisa ser agendado), formado em História, que irá contar a história da fundação da cidade e do cotidiano pós-fundação usando como referência as muitas peças iconográficas do museu.

Um resumo do que é a visita ao Museu Anchieta. Na primeira sala existe uma maquete representando a Colina Histórica de Piratininga no século XVI, com painéis ilustrados traçando uma cronologia do Pátio do Colégio e seu entorno, e um painel expõe mapas da cidade ao longo dos anos.

No segundo andar encontra-se logo de inicio a pia batismal, que resistiu às idas e vindas dos jesuítas até os dias de hoje. Numa sala à direita encontra-se a Pinacoteca Andréa Pozzo, com telas de arte sacra e de acontecimentos históricos marcantes. É nesta sala que, quando a visita é monitorada, é desvendado o cotidiano durante o nascimento de São Paulo, a interação com os índios e os conflitos dos jesuítas com colonizadores.

Ocupando a maior sala do segundo andar esta a sala de arte sacra, que varia do século XVI ao século XX, tanto do colégio dos jesuítas como de outras igrejas. Merecem destaque as “paulistinhas”, estatuetas de barro cozido feitas na época e o Baldaquino, que fica em uma sala separada e representa a união do céu e da terra intermediada por cristo.

Para completar a visita, existe a cripta, que abre as 14, 15 e 16 horas com visita monitorada, a cripta conserva as paredes de pedra-pilada original da época e abriga exposições temporárias.

O visitante pode incluir no passeio uma parada pelo “Café do Pateo” que tem por vista, de um lado uma parede de taipa-de-pilão original da primeira construção do colégio e do outro lado o jardim com fonte e esculturas.
Ao lado do museu pode-se visitar a igreja e ver o manto e parte do fêmur do padre José de Anchieta, ao fim da igreja existe uma loja de souvenires e artigos religiosos.

O museu conta com toda a estrutura para fazer do passeio um passeio: agradável, educativo e interessante, sendo um ótimo passeio para fazer sozinho ou acompanhado.
Site:http://www.pateocollegio.com.br

Preços: Visitante em geral: R$ 5,00. Alunos de escola particular e universitários: R$ 2,50. Alunos de escola pública:R$ 1,00.
Horários: de terça a sexta das 9 ás 16:45 horas e nos sábados e domingos das 9 ás 16:30 horas, Para visitas de grupos: 9h15, 10h45, 11h, 13h15, 14h15 e 15h.

A polêmica decisão do STF


Com o título “Gilmar Absolvido”, a revista Carta Capital publica na edição desta semana um artigo de Wálter Fanganiello Maierovitch Juiz aposentado, tecendo críticas consistentes a decisão do STF que nesta semana apreciou o mérito do pedido de habeas corpus, objeto da controvertida decisão liminar proferida pelo o ministro Gilmar Mendes que resultou na libertação do banqueiro Daniel Dantas e sua irmã Verônica. segue abaixo a íntegra do artigo. Vale a pena ler

Gilmar Absolvido
07/11/2008 18:59:51

Tenho muitos anos de magistratura. Nela ingressei por concurso público e atuei em Varas e Tribunais. Ao longo dessa caminhada, e já estou aposentado por tempo de serviço, nunca participei e nem assisti a uma sessão de julgamento igual à ocorrida ontem no Supremo Tribunal Federal, quando foram apreciados dois unificados pedidos de habeas corpus, com Daniel Dantas e a irmã Verônica como pacientes. Fiquei estarrecido.

A propósito, nunca se falou tanto em garantias e liberdades individuais. E o julgamento terminou com a apreciação de uma proposta do ministro Cezar Peluso, que queria a punição de todos os juízes participantes de um ato de solidariedade ao juiz Fauto de Sanctis, depois da liminar e das declarações inadequadas do ministro Gilmar Mendes.

O irado ministro Peluso, --meu antigo colega de Justiça paulista---, invocou, para tanto, a Lei Orgânica da Magistratura Nacional, concebida, -- e ele bem sabe disso--, na ditadura Geisel e com a meta de calar os juízes. Uma lei que, ao cercear a livre manifestação do pensamento e o direito de se expressar, não foi, no particular e como qualquer rábula de porta de cadeia sabe, recepcionada pela Constituição de 1988.

Para dourar a pílula e com a anuência do ministro Peluso, deliberou-se por cobrar informações das corregedorias (órgãos disciplinares) a respeito de providências contra juízes. Como se percebe, mais uma inconstitucionalidade, por via oblíqua, para empregar a expressão mais usada ontem pela Corte.

O julgamento do habeas-corpus, -- que já tinha perdido o objeto pois os pacientes estavam soltos--, serviu, com a devida vênia, de pretexto para os ministros, por via oblíqua, “absolverem” Gilmar Mendes, e a expressão não é empregada no sentido técnico, mas no de consertar uma canhestra e arbitrária decisão do presidente do Pretório.

Mas, o julgamento de mérito serviu, também, como deixou claro em acurado voto o ministro Marco Aurélio de Mello, que muitos ministros não tomaram conhecimento de fatos novos, ocorridos depois de 8 de julho de 2008. Ou seja, fatos suplementares a revelar que os fundamentos da decisão de prisão temporária eram completamente diversos dos utilizados na posterior decretação da prisão preventiva. Ainda, baseada em buscas, apreensões e relatos, que não tinham sido colhidos (eram desconhecidos do juiz) ao tempo do lançamento da decisão de prisão temporária.

Como os fatos eram novos, relevantes e a indicar que Daniel Dantas havia mandado dois prepostos para corromper policiais encarregados de investigações contra ele, claro estava que não se tratava de tentativa, por via oblíqua, de se manter a prisão cautelar de Dantas, a desafiar uma “decisão” do presidente do STF.

O certo, e volto a frisar o voto do ministro Marco Aurélio, é que existiam provas a demonstrar ( tudo foi filmado, gravado e com dinheiro apreendido) que houve, por parte dos prepostos de Daniel Dantas, Hugo e Humberto, prática de ato corruptor (até o dinheiro foi apreendido, fora documentos, escritos e conversas grampeadas). Por evidente, estavam presentes os motivos a autorizar a prisão preventiva. Prisão acautelatória, necessária a evitar novas ações corruptoras, como revelaram escritos, declarações de indiciado e vultosa importância em dinheiro que se destinava a tal fim.

Ressalte-se, como ficou claro em leitura feita pelo ministro Marco Aurélio, que o juiz De Sanctis deu uma longa e cuidadosa decisão, -- como a ordenar peças de um quebra-cabeça--, sobre a necessidade da prisão cautelar de Dantas. Pelo elaborado, onde não faltou respeito ao ministro Mendes, o juiz Sanctis, dado como autoridade coatora, recebeu elogios do ministro Marco Aurélio.

A decisão que sustentava a prisão preventiva era, ao contrário do que entendeu a maioria dos ministros e bem demonstrou o ministro Marco Aurélio, diversa do que a anterior sobre a custódia temporária. Mais ainda, estava fundada em fatos novos, dados suplementares, conhecidos depois da decisão impositiva da prisão temporária e da primeira liminar, como, por exemplo, buscas e apreensões.

Com efeito, o caso, e basta atentar para o voto do ministro Marco Aurélio, não era de ilegalidade, no que toca à decretação da preventiva. Muito menos de flagrante ilegalidade, como foi considerada (e o voto do ministro Marco Aurélio, que mantinha a prisão preventiva por necessária, seria de flagrante ilegalidade?). E se não era de flagrante ilegalidade, deveria ser aplicada a súmula 691, que não permite que se salte instâncias, ou seja, sejam pulados graus de jurisdição a fim de o STF apreciar o pedido. Claro está que o STF não tinha competência para julgar ato de um juiz de primeiro grau, no caso o juiz De Sanctis.

A ginástica para a não aplicação da súmula mostrou como foi forte o corporativismo, o que é lamentável em qualquer corte de Justiça. Mais do que isso. Pelos voto de vários ministros, ficou a impressão de que todos condividiam com o par Gilmar Mendes a posição de vítimas de insolência de um juiz, que desafiava a Corte, apoiava atos arbitrários de policiais. Convém, nesta quadra, registrar que três ministros, com Gilmar Mendes a apoiar, falaram, -- e isso não era objeto do habeas-corpus em julgamento e nem existem provas concretas— em um sistema ilegal sustentado em três pilares: (1) grampear relator de processo, (2) aterrorizar (“criar constrangimento ao julgador”, segundo Mendes e (3) “monitorar” ministros: Mendes contou saber disso pela desembargadora Suzana Camargo (desmentida por De Sanctis e que, na Justiça Federal, pelos juízes, é tida como carreirista).

O paroxismo foi atingido quando Mendes, pouco antes do encerramento, mostrou um cópia de jornal com o título: “Mendes tomou um drible da vaca do juiz De Sanctis”. Quanta ousadia. Mas, de se perguntar, o que o juiz tem de responsabilidade em face de uma conclusão de jornalista ?

Não bastasse, Mendes fez juízo negativo a respeito de um blog, sem ter coragem de dizer nomes. E criticou uma revista que teria escrito que os assessores do seu gabinete teriam jantado com funcionários do banco de Dantas (CartaCapital nunca escreveu nada a respeito do tal jantar). Nota-se, mais uma vez, que o tema habeas-corpus era apenas pano-de-fundo.

Outra questão, referente à vedação de acesso aos autos de inquérito e processo pelos advogados de Dantas. Tal questão recebeu maior consideração maior do que a da necessidade da prisão. Isto, talvez, para dar força a alguns votos, pois, quanto ao impedimento de acesso, houve ilegalidade, esta sim flagrante. Negar acesso aos autos, contraria lei federal e, dessa maneira, impede o exercício profissional do advogado. Por outro lado, desatender uma requisição judicial, incluída a do Pretório Excelso, é inconcebível. Mas, essas duas ilegalidades nada têm com o juízo sobre a necessidade e a legalidade da prisão cautelar. Essa, mais do que necessária.

PANO RÁPIDO. Prevaleceu o voto do ministro e professor (inclusive do Curso de Gilmar Mendes) Eros Grau, quanto ao conhecimento do habeas-corpus (a súmula proibia, pois não admite saltos de instâncias) e, no mérito, pela manutenção da liminar, que, como era evidente, já teve conteúdo exaustivo (soltou) e o exame estava prejudicado. O fulcro da questão, necessidade da prisão de um banqueiro dado como corruptor, era, como diziam os romanos, lana caprina, ou seja, questão menor.

Wálter Fanganiello Maierovitch

(Crédito da foto: Elza Fiuza/ABr)

Um pouco de Pereira da Viola


José Rodrigues Pereira, o Pereira da Viola, nasceu na pequena comunidade de São Julião, no Vale do Mucuri em Minas Gerais. É filho dos foliões João Preto (sanfoneiro) e Mãe Augusta (cantadora de Folia de Reis). Ainda criança, em São Julião, acordava à noite ao som das folias que visitava a sua casa trazendo violas, sanfonas, caixas de folia e muita cantoria.

Pereira considera este ambiente sonoro a principal base de sua musicalidade. Esta base somada à convivência com outros artistas, como Décio Marques, Elomar, Rubinho do Vale, Titane, Paulinho Pedra Azul, Doroty Marques, Milton Edilberto entre muitos outros, o levaram a construir o seu próprio estilo de compor e interpretar, com sua viola bem tocada e uma voz de sonoridade singular. Pereira recebeu sua primeira viola em 1986, um presente do amigo Josiel dos Santos.

Pereira da viola toca o Bolero de Ravel e Carmen - Habanera. Gravado no Projeto Conversa com Verso

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Dica de vídeo para seu final de semana

Por Celina Sales

ANTES DE PARTIR (The Bucket List, EUA, 2007)

Sinopse:

Jack Nicholson e Morgan Freeman interpretam personagens que, a princípio, são completamente opostos. Nicholson é Edward Cole. Rico e extravagante, é dono de uma rede de hospitais e num deles está internado, onde divide o quarto com Carter Chambers (Freeman). Casado com uma mulher durante toda a sua vida, o mecânico dedicou-se somente à sua família nos últimos anos. A dupla resolve viajar pelo mundo a fim de experimentar o que perderam antes que seja tarde demais. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Jack Nicholson, Morgan Freeman, Sean Hayes, Rob Morrow, Hugh B. Holub, Alfonso Freeman, Serena Reeder, Ian Anthony Dale, Richard McGonagle, Christopher Stapleton.

Bom fim de semana!!!!!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Aos que torciam e torcem contra...

Trecho de matéria publicada no Portal UOL Economia:

País gerou mais de 2 milhões de empregos formais pela 1ª vez em 2007, diz levantamento

Da Redação em São Paulo

"Levantamento divulgado nesta quinta-feira pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, aponta que o Brasil gerou 2,452 milhões de vagas formais em 2007. Os dados são da Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O crescimento foi de 6,98% sobre o ano anterior, maior taxa desde que esse tipo de coleta de dados se iniciou, em 1985. Foi a primeira vez, segundo o ministério, que a geração de postos formais superou 2 milhões". Leia mais.

Reforçando a 'indústria das multas'

Licitação da Prefeitura de São Paulo prevê a instalação 175 novos radares fixos na cidade. Até o final deste mês serão 59 novos equipamentos em funcionamento, segundo informação da Secretaria Municipal de Transportes publicada no Estadão de hoje (6). Por volta de dezembro próximo, mais 52 devem entrar em ação.

Comentário: A continuar o atual passo, a cidade apenas receberá um "reforço" à famosa "indústria das multas", uma vez que o intuito claro da administração Serra/Kassab tem sido aumentar a arrecadação com esse tipo de ação.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

População de rua: as agressões continuam

Na condição de presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJLP) da Câmara Municipal de São Paulo, recebi em meu gabinete representantes do Movimento Nacional de População de Rua (MNPR) que me trouxeram relatos de agressões sofridas por moradores de rua da Capital - a última delas ocorreu no dia 3 passado.

De acordo com esses relatos, os moradores acusam diretamente o Departamento de Limpeza Urbana (Limpurb), membros da Guarda Civil Metropoltana (GCM) e da Polícia Militar de cometer atos violentos, tais como "jogar água" em moradores quando estes dormem e agredir física e moralmente essas pessoas.

Vale ressaltar que o Ministério Público Estadual (MPE) apura agressões a moradores de rua. Diversos jornais publicaram matérias nas quais a população de rua denucia a "política higienista" da atual administração municipal.

Encaminhei o problema à Comissão Extraordinária de Direitos Humanos, Cidadania, Segurança Pública e Relações Internacionais para que adote medidas no sentido de notificar as autoridades e de encontrar soluções para essa questão.

A 'hora da cobrança'

A jornalista Catia Seabra informa na Folha de S. Paulo de hoje (5) que Aliados de Kassab cobram fatura de Serra. A matéria cita PMDB e PV como siglas que estariam batendo à porta do Palácio dos Bandeirantes em busca de "espaço".

A propósito disso, o ex-governador peemedebista Orestes Quércia disse em entrevista à Folha que espera uma participação, "ainda que simbólica", no governo. E completou lembrando que não precisa ser "tão simbólica assim", citando o desejo do partido de ocupar uma secretaria no governo do tucano José Serra.

Sinais de novos tempos nos EUA

Publico aqui no blog um e-mail enviado pela leitora Denise Eugênio tecendo seus comentários acerca dos resultados das últimas eleições americanas. Faça também o seu. O debate enriquece a democracia e agrega valor cultural.

A MUDANÇA NA AMÉRICA

Por Denise Eugênio

Entendo que é preciso comentar a “extraordinária vitória” (classificada por Lula) de Obama. Os eleitores mostraram nas urnas que é necessário mudar o perfil do comandante daquela nação. Para as relações com o Brasil, penso que a vitória de Barack Obama foi um feito. Ele tem demonstrado ser muito competente politicamente e o resultado confirma minha tese.

Estrategista, astuto e diplomático, venceu o preconceito, (até menos de 50 anos atrás, os afro-americanos eram segregados por lei nos Estados Unidos), é a favor da retirada das tropas americanas do Iraque, a favor da legalização do aborto, a favor da união de pessoas do mesmo sexo e a favor da legalização de estrangeiros no país. Nossa!!! Se for isso mesmo, será uma "baita" transformação!!

Obama concorreu fazendo um apelo por “mudança”, palavra chave da sua campanha, e conseguiu empolgar o eleitorado, especialmente os mais jovens, com propostas de rompimento com o atual governo. Sua frase histórica, hoje é confirmada: “Não há uma América liberal ou conservadora, uma América branca ou negra, há os Estados Unidos da América”.

A eleição de Barack Obama é um avanço cultural e, na minha opinião, se compara a vitória de Lula no Brasil. Hoje, somos menos dependentes dos norte-americanos - acredito que as relações serão mantidas, Obama é um cosmopolita e tem uma abertura ao diálogo que os EUA precisam recuperar.

Símbolos e Lugares de São Paulo (6)


Continuando a série Símbolos e Lugares de São Paulo, Felipe Ramalho Rocha nos conta hoje como foi a concepção e construção de um portentoso monumento no Pátio do Colégio - assunto tratado na segunda parte desta série. No sábado passado, problemas técnicos inviabilizaram a publicação da parte II sobre o Pátio do Colégio, uma vez que o blog aborda o tema sempre às quartas-feiras e aos sábados.

GLÓRIA IMORTAL AOS FUNDADORES DE SÃO PAULO

No Pátio do Colégio, em frente ao edifício principal, encontra-se o monumento Glória Imortal aos Fundadores de São Paulo: um grande pedestal em granito cinza Mauá, base para uma coluna em granito rosa polido. No alto, uma mulher em bronze representa a Cidade de São Paulo coroando seus fundadores. Na mão direita traz uma tocha, símbolo do amor eterno, e na esquerda um ramo de louros e uma foice, simbolizando a glória e o trabalho. A altura do monumento é de 25,75m.

A escolha do monumento se deu em 1909, quando o jornal O Estado de São Paulo publicou o edital do concurso para a seleção do melhor projeto para um Monumento Comemorativo da Fundação de São Paulo. Ao vencedor do concurso o edital previa o pagamento de um prêmio de trinta contos de réis. Sete escultores inscreveram seus projetos: Correa Lima, Eduardo de Sá, E. Bertozzi, Nicolina Vaz de Assis, Amadeu Zani e a dupla Lorenzo Petrucci - Benedito Calixto.

Em abril de 1911, o prefeito Raymundo Duprat autorizou a entrega de oitenta contos de réis à comissão encarregada da escolha do melhor projeto e execução do monumento para o pagamento das despesas necessárias. O projeto vencedor foi o do escultor italiano Amadeu Zani.

Zani foi a Roma executá-lo, lá permanecendo entre 1911 e 1913. As peças em bronze, fundidas na Itália, foram em seguida remetidas ao Brasil, permanecendo em enormes engradados nos armazéns do Sr. C. P. Vianna, no Brás. Nesse armazém, as partes em bronze permaneceram durante muitos anos, para tristeza de Zani

Em 1922, por decisão da Câmara Municipal, providenciou-se a implantação do monumento no centro do então Largo do Palácio, pondo fim à situação que se arrastava havia anos. A cerimônia de inauguração ocorreu no dia 11 de junho de 1925.

Sob a justificativa de protegê-lo da ação de vândalos, o monumento foi cercado por grades em 1988, situação criticada pelo próprio escultor já no seu projeto de 1909. A remoção das grades, em 2002, deu início a um processo de recuperação do monumento. O minucioso restauro em 2004, associado a outras ações de revitalização do Pátio do Colégio e às comemorações pelos 450 anos da cidade, reintegrou o monumento ao logradouro e à cidade.

Lula comenta vitória de Obama nos EUA

Falando em entrevista sobre a eleição de Barack Obama para a Presidência dos Estados Unidos, o presidente Lula disse que se tratava de "um feito extraordinário". Ele completou afirmando que isso é fruto de uma sociedade democrática.

O presidente também falou sobre os desafios que o novo presidente enfrentará para retribuir a confiança do eleitorado no seu nome e na sua plataforma política.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

PSDB exporta congestionamentos para o interior


Matéria do jornal O Estado de S. Paulo desta terça-feira (4) mostra que a "competência" tucana na administração do sistema rodoviário há muito extrapolou as fronteiras da Capital. Foi nas quase duas décadas de governo do PSDB que o trânsito chegou ao nível caótico em que se encontra e, para completar, agora os "planejadores" exportaram os congestionamentos para pelo menos 40 rodovias do interior paulista.

Segundo o Estadão, os congestionamentos made in PSDB se concentram nas proximidades de Campinas, São José dos Campos, Santos, Sorocaba e São Bernardo do Campo. E completa: "Todos os dias, notam-se filas de veículos em Dutra, Anchieta, Anhangüera, Bandeirantes, Raposo Tavares, Régis Bittencourt e Dom Pedro I, entre outras estradas".

Comentário: O detalhe é que o PSDB "vendeu" a idéia da privatização das rodovias como a salvação da lavoura. Os paulistas e paulistanos perceberam que foram ludibriados, pois pagam o pedágio mais caro do Brasil e são obrigados a ficar horas e horas em congestionamentos monstruosos, que encarecem os serviços, os produtos, causam mais poluição e problemas de saúde, dentre outros. Agora é esperar que a dupla Serra/Kassab está preparando "mudanças" na Marginal do Tietê, cuja tradução antecipada é "pedágio e mais congestionamentos".

Projeto abandonado

Edifício São Vito - SP

O edifício São Vito, no centro de São Paulo ao lado do parque Dom Pedro, projetado no fim dos anos 50 por Aron Kogan, tem causado polêmica desde o fim dos anos 70 por sua decadência. Já nessa época se falava de implosão, uma solução que foi contemplada novamente pela prefeitura neste ano. O prédio de 27 andares com 624 apartamentos foi desapropriado em 2004 pela então prefeita Marta Suplicy para ser reformado seguindo o projeto de Roberto Loeb, prevendo a volta da população expulsa, após as reformas. Depois a gestão Gilberto Kassab concluiu que não havia enquadrar o projeto no sistema PAR (até 40 mil reais por unidade). Em geral tem sido dificil viabilizar condomínios verticalizados com altos custos comuns para esse grupo social no centro. Por outro lado sempre se fala da capacidade desses moradores para se organizarem e tocarem de maneira alternativa a reforma do próprio edifício.

Contudo o futuro do São Vito continua incerto, porque a implosão danificaria os vitrais o vizinho Mercado Municipal, patrimônio histórico. Além disso seria impossível sem implodir também o prédio vizinho, Edifício Mercúrio, que por enquanto continua ocupado.

É preciso retomar o projeto desenvolvido no governo Marta Suplicy. O São Vito é o símbolo da degradação do centro de São Paulo. Sua revitalização, além de trazer mais vida para a região central, dará uma nova e bela visibilidade urbanística para o velho Parque Dom Pedro.

Contraste: São Vito e Mercado Municipal


Este edifício do lado esquerdo, com detalhes na primeira foto do lado direito, abaixo (clique para ampliar), é um dos mais conhecidos de São Paulo. Tão conhecido quanto o Edifício Copan, o Edifício Itália, o Martinelli e o Conjunto Nacional. É uma referência. Ou, talvez, uma "anti-referência". Chama-se Edifício São Vito e é o mais perfeito emblema da deterioração da cidade. Ou, pelo menos do centro.
Construído em 1959, ao lado do Parque D. Pedro II, tem 25 andares, com 624 apartamentos e chegou a abrigar três mil moradores. Seguiu o inexorável caminho da ruína da metrópole, até se transformar numa favela vertical, ocupado inclusive por traficantes. É o equivalente dos morros do Rio; nem a polícia entrava.

Em 2004, um projeto de revitalização do centro cogitou recuperá-lo e foi, então, desapropriado e interditado. Permaneceu assim, até que o projeto foi abandonado, conforme se sucediam as novas administrações. Esta lá, desse jeito, até hoje.
Fala-se em sua demolição, para dar lugar a uma praça. Enquanto isso, fica assim, expondo a alma de uma cidade cheia de cicatrizes. Ao seu lado, fica outro edifício marcado pelas pichações. Parece um corpo cheio de tatuagens.
Ironicamente, estes dois cadáveres, decompondo-se a céu aberto, ficam bem em frente (mais uma vez o clichê da cidade dos contrastes) a um dos prédios mais bonitos daqui. Este é um velho senhor. Em 25 de janeiro último, aniversário da cidade, completou 73 anos. Mas goza de boa saúde e recentemente fez uma "plástica" que lhe devolveu a jovialidade. É o Mercado Municipal.
Foi projetado pelo famoso arquiteto Ramos de Azevedo, em 1924, que tem presença marcante nos edifícios importantes da cidade: são dele o Teatro Municipal, a Pinacoteca do Estado (já restaurada e linda) e o Prédio Central dos Correios e Telégrafos (em recuperação), entre outros.

O Mercadão, como é conhecido, reconquistou sua nobreza e caiu no carinho dos paulistanos. Além das bancas que vendem os melhores artigos, onde até chefes de cozinha vão buscar seus temperos e segredos, foi construído um mezanino para onde "subiram" os bares que existiam no piso térreo. Tem até um restaurante japonês. Mas os quitutes mais famosos são o bolinho de bacalhau e o sanduíche de mortadela. É um passeio bem legal.

O texto acima e as duas primeira fotos estão no Blog Crônicas Agudas. Aliás, recomendo aos leitores acessa-lo. Vai valer a pena.

PS: A revitalização do Mercado Municipal foi uma obra projetada e executada no governo da Prefeita Marta Suplicy.

É preciso tomar providência

Na madrugada de hoje, três pessoas foram assassinadas em mais uma chacina na cidade de Mogi das Cruzes. Esta é a 19ª chacina ocorrida na região metropolitana de São Paulo, somando 64 mortos somente neste ano.

Todos sabem que estas ações criminosas partem de grupos organizados que possuem ramificações em órgãos do próprio estado. As ocorrências de chacinas são constantes e raramente estes criminosos são presos. Onde está a propagada eficiência administrativa tucana?

A cada dia fica mais evidente a falência da política de segurança pública dos sucessivos governos do PSDB no Estado de São Paulo.

PS: A Polícia Civil de São Paulo esta em greve há mais de 40 dias reivindicando aumento de salários e melhores condições de trabalho.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Das 'cascatas eleitorais' de Kassab

Estudo da assessoria da Liderança do PT na Câmara Municipal de São Paulo publicado na edição de hoje do Boletim PT Câmara SP mostra uma das tantas "cascatas eleitorais" do prefeito Gilberto Kassab que começam a cair por terra. A começar pela análise do Orçamento 2009. Veja um trecho da matéria abaixo:

Orçamento: verba para saúde prioriza pagamento de terceirizados

"Mais da metade do dos recursos previstos no orçamento municipal de 2009 para a Secretaria da Saúde são destinados ao pagamento de serviços de terceiros (principalmente as AMAs) e pouco será investido na expansão da rede física da pasta.

Para a construção de três novos hospitais prometidos pelo prefeito reeleito Gilberto Kassab (DEM), há uma dotação destinando apenas R$ 30 milhões para cada unidade. Já na dotação em que são empenhados os convênios com as entidades para funcionamento das AMAs, o crescimento foi de 118,39% (passa de R$ 368.585.849,00 , para R$ 804.942.192,00)".

A pergunta que cabe é: precisa dizer mais sobre o que foi mostrado pelo marketing ao eleitorado paulistano?

Inversão de prioridades

O governo do PSDB/DEM se caracterizou por inverter as prioridades, notadamente no campo social. Matéria do jornal O Estado de S. Paulo desta segunda-feira (3) ilustra bem o modo como a administração atual trata a população que mais precisa dos serviços públicos: o governo Serra/Kassab "concentra serviços sociais para crianças em bairros ricos e centrais", diz o Estadão.

Segundo o ranking dos serviços no município - publicado pelo jornal -, São Paulo oferece 285 vagas para cada mil crianças e jovens de até anos que vivem nos 10 distritos com melhores condições socioeconômicas da cidade, enquanto em toda a Capital são oferecidas apenas 89 vagas, em média, nesses serviços.

A concentração de serviços para ricos é uma tendência da administração municipal desde que Serra assumiu a prefeitura, em 2005. Kassab apenas aprofundou essa política.

sábado, 1 de novembro de 2008

Tiroteio

Na madrugada da última quinta-feira um caminhão tombou na Marginal do Tietê, por volta de 1h. Os técnicos da CET - companhia que cuida do trânsito na cidade - demoraram 14 horas para desobstruir a via pública. A conseqüência desta incompetência foi a paralisação da cidade. Enquanto tudo isso acontecia, o prefeito Kassab autorizava o seu secretário de comunicação a viajar para Barcelona para participar de um evento de auto-ajuda.

Como vereador de oposição, não podia perder a oportunidade e, com certa "ironia", publiquei a frase abaixo na seção Tiroteio da coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo de hoje (1º):

"Na falta de bons projetos, o prefeito resolveu recorrer ao esoterismo para tentar solucionar o problema do trânsito na cidade."

Do vereador JOÃO ANTÔNIO (PT), sobre o aval de Kassab à viagem do secretário-executivo de Comunicação, Marcus Vinicius Sinval, às expensas da prefeitura, para evento de auto-ajuda em Barcelona.