sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 31

IZZY GORDON A cantora faz um show com arranjos modernos e inusitados no qual homenageia Dolores Duran, conhecida por suas composições "de fossa", da década de 50. Sesc Santo André - lanchonete - r. Tamarutaca, 302, Vila Guiomar, Santo André, tel. 4469-1200. 300 lugares. 17h. 90 min. Livre. Estac. (R$ 2 a 1ª h mais R$ 1 p/ h adicional).

Izzy Gordon - "O que é que eu faço?"

BANDA SINFÔNICA E ZIZI POSSI Acompanhada da Banda Sinfônica, a cantora dá uma roupagem popular a clássicos da música erudita, de nomes como Villa-Lobos, Jules Massenet, Carlos Gomes e Joseph Canteloube. Auditório Ibirapuera - pq. Ibirapuera - av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº, portão 2, Parque Ibirapuera, região sul, tel. 3629-1075. 800 lugares. 21h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 30 (estudantes: R$ 15). Estac. (portão 3 - sistema Zona Azul).

LENINE O músico apresenta pela primeira vez em São Paulo seu CD recém-lançado, "Labiata". Acompanhado de um trio, ele toca sucessos como "Lavadeira do Rio" e "Paciência", além de novas composições. Os ingressos estão esgotados. Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran - r. Paes Leme, 195, Pinheiros, região oeste, tel. 3095-9400. 1.010 lugares. 21h. 90 min. Não recomendado para menores de 10 anos. Ingr.: R$ 7,50 a R$ 30. Ingressos esgotados. Estac. c/ manob. (R$ 5 e R$ 7 p/ 3 h mais R$ 1 p/ h adicional).

LUIZ MELODIA E TUNGUE-LÉ O músico carioca e o quarteto uruguaio, que une bandoneón, violão, flauta transversal e fagote, realizam mais um show do projeto Conexão Latina, que une artistas de países latino-americanos. Memorial da América Latina - av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, região oeste, tel. 3823-4600. 870lugares. 21h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 10 (estudantes: R$ 5). Valet (R$ 10).

AMANHÃ, DIA 1º

LENINE Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran. 21h. Não recomendado para menores de 10 anos. Ingr.: R$ 7,50 a R$ 30. Ingressos esgotados.

LUIZ PINHEIRO O cantor e compositor mostra sua MPB influenciada pelo rock. Unindo poesia e música, o espetáculo traz cenário inspirado em Arthur Bispo do Rosário. Villaggio Café - r. Teodoro Sampaio, 1.229, Pinheiros, região oeste, tel. 3571-3730. 150 lugares. 22h. 90 min. Não recomendado para menores de 18 anos. Couv. art.: R$ 15. CC: D, M e V

ZECA BALEIRO O músico maranhense, acompanhado da banda Os Bombásticos, apresenta o recém-lançado CD "O Coração do Homem-Bomba". Ska, samba-funk, reggaeton, rock e bolero marcam as novas composições. O show encerra o dia de atividades do Circuito Sesc de Artes, em Osasco. Concha Acústica da Fito - av. das Flores, 711, Jardim das Flores, Osasco, tel. 4223-8800. 6 mil lugares. 20h. 90 min. Livre.

DOMINGO, DIA 2

BANDA SINFÔNICA E ZIZI POSSI Auditório Ibirapuera. 19h. Livre. Ingr.: R$ 30 (estudantes: R$ 15).

LENINE Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran. 18h. Não recomendado para menores de 10 anos. Ingr.: R$ 7,50 a R$ 30. Ingressos esgotados.

Fonte - Guia da Folha

Dica de vídeo para seu final de semana

Por Celina Sales

APENAS UMA VEZ (Once, Irlanda, 2006)

Sinopse:

O ganhador do último Oscar de Melhor Canção é uma produção independente que mistura com charme a amizade que surge entre dois músicos e sua paixão pela música. Ele (Glen Hansard) é um escocês que conserta aspiradores de pó à noite e, de dia, toca suas composições nas ruas de Dublin. Ela (Marketa Irglova) é uma imigrante tcheca que tenta sobreviver na Escócia, mas sente falta da música. Uma amizade baseada na paixão pela música surge entre os dois, que começam a compor e vivenciar experiências juntos. (www.cineclick.com.br)

Elenco:

Alaistair Foley, Catherine Hansard, Glen Hansard, Kate Haugh, Senan Haugh, Darren Healy, Gerard Hendrick, Bill Hodnett, Markéta Irglová, Danuse Ktrestova, Pat McGrath, Sean Miller, Geoff Minogue, Leslie Murphy, Mal Whyte.

Bom fim de semana!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Incompetência e marketing

A cidade de São Paulo viveu mais um dia de caos no trânsito depois que mais um caminhão tombou na pista expressa da Marginal do Tietê, na Vila Leopoldina, zona oeste.

O tombamento aconteceu por volta de 1h da madrugada desta quinta-feira (30) e a CET (empresa municipal que cuida do trânsito) levou mais de 10 horas para desobstruir aquela que é uma das mais importantes vias de acesso à cidade. Quem tentou passar pela Marginal às 10h da manhã ainda era vítima do caos instalado com o tombamento de apenas um caminhão.

Para um prefeito que se reelegeu recentemente prometendo "planejamento e eficiência", nota-se que a população pode ter sido ludibriada ao votar em um produto de marketing.

O DEM é do bem?

Da Folha de S. Paulo, hoje (30)

Soninha afirma que 'adoraria' participar da equipe de Kassab

Leia abaixo um trecho da reportagem assinada por Catia Seabra e Evandro Spinelli:

"Embora não tenha sido convidada, a vereadora e candidata Soninha Francine (PPS) disse ontem que "adoraria" participar do governo de Gilberto Kassab (DEM)".

Comentário: Depois de fazer acusações graves a vereadores que compõem a base aliada do prefeito Gilbeto Kassab (DEM), depois de deixar de votar em Antônio Carlos Rodrigues para presidente da Casa e depois de sair do PT com críticas aparentemente à esquerda, a vereadora Soninha Francine (PPS) "pede" para entrar no governo do DEM.

Quem diria! O DEM agora é do bem?

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Símbolos e Lugares de São Paulo (5)


A segunda parte da série Símbolos e Lugares de São Paulo começa nesta quarta-feira (29) com a publicação de uma nova pesquisa realizada por Felipe Ramalho Rocha. O assunto agora é o Pátio do Colégio, construção histórica localizada no Centro Velho da Capital que é uma das partes vivas da memória colonial paulistana.

O NASCIMENTO DA CIDADE DE SÃO PAULO

O Pátio do Colégio é o marco inicial do nascimento da cidade de São Paulo, onde foi levantada, pelo cacique Tibiriçá, no planalto de Inhapuambuçu, a primeira construção da atual cidade de São Paulo, quando o padre Manuel de Nóbrega e o então noviço José de Anchieta, jesuítas a mando de Portugal, resolveram estabelecer um núcleo de catequização de indígenas no Planalto.

Em 25 de janeiro de 1554, data correspondente ao dia da conversão do apóstolo Paulo, celebraram a missa, que marca o nascimento da cidade de São Paulo, no colégio dos Jesuítas, ao redor do qual iniciou-se a construção das primeiras casas que dariam origem ao povoado de São Paulo de Piratininga. A humilde cabana de pau-a-pique abrigava um seminário e uma escola. Nela, Jose de Anchieta iniciou seu trabalho de catequese.

O processo de colonização tinha nas ordens religiosas, principalmente na Companhia de Jesus (Jesuítas), um de seus principais instrumentos. O edifício da escola materializava a nova doutrina difundida entre as crianças índias e os filhos dos colonizadores. Houve resistência da cultura indígena e dos bandeirantes paulistas, que interessados em aprisionar os índios entravam em conflito com os catequizadores. Do ponto de vista da segurança a localização topográfica de São Paulo era perfeita: situava-se em uma colina alta e plana entre dois rios - o Tamanduateí e o Anhangabaú. O colégio, erguido em uma encosta, funcionava como uma fortificação: os jesuítas pensavam em se proteger tanto dos bandeirantes quanto dos próprios índios.

Em 1556, o padre Afonso Brás foi o responsável pela ampliação da construção original. Em 1640 uma disputa entre colonos e religiosos culminou na expulsão dos jesuítas. Treze anos depois, em 1653, com a volta dos jesuítas, foi construído um novo conjunto de colégio, onde foram instalados os primeiros cursos de filosofia, teologia e artes, uma biblioteca e uma capela. Para esta construção foi utilizada uma técnica mais aprimorada - a taipa de pilão.

No ano de 1745, mais uma ampliação incorporou o colégio ao edifício principal. Os jesuítas foram expulsos novamente em 1759, por decreto do Marquês de Pombal, responsável pela Secretaria de Negócios Estrangeiros durante o reinado de D. José em Portugal, acusados de estarem envolvidos na tentativa de regicídio (assassínio de rei ou de rainha) do ano anterior, com repercussão mundial que resultaria na extinção da Companhia de Jesus, que no ano de 1814 é restaurada no mundo inteiro pelo Decreto do Papa Pio VII.

O governo se apropria dos bens da Companhia de Jesus e o antigo casarão colonial é completamente descaracterizado por profundas reformas até se transformar no Palácio dos Governadores no período entre 1765 e 1908. Durante esse período a igreja sofre um desmoronamento. Entre 1932 e 1953, o então Palácio do Governo é transformado na Secretaria da Educação, o que de certa forma dá ao edifício uma função mais próxima da original.

O ano de 1954 marca a retomada do projeto original. A Companhia de Jesus recebe de volta as instalações e dá-se inicio a reconstrução do Colégio, nos moldes da terceira construção, permanecendo remanescente a cripta, parte de uma parede de taipa de pilão e o antigo torreão. O que conhecemos hoje como o Pátio do Colégio é uma reconstituição do edifício original. Seu complexo abriga diversas atividades culturais e religiosas. Abriga um museu, a Igreja e uma biblioteca temática.

CONTINUAÇÃO - No próximo sábado o blog publica a seqüência deste assunto.

Brasil afinado com o governo Lula

Matéria do jornal O Estado de S. Paulo desta quarta-feira (29) aponta que a votação nas eleições municipais no país mostram uma afinidade ainda maior entre o eleitorado nacional e o governo do presidente Lula. Dados apurados pelo jornal indicam que a oposição ao governo do PT em Brasília perdeu 910 prefeituras em comparação ao ano 2000, quando Fernando Henrique Cardoso ainda governava o Brasil.

Em 2000, o PSDB tinha 990 prefeituras, saindo destas eleições com 786, enquanto o antigo PFL (hoje DEM) tinha 1028 governos municipais e a partir de 2009 controlará apenas 496. Já outra sigla oposicionista passou por altos e baixos: o PPS saiu de 166 prefeituras em 2000, pulou para 306 em 2004 e para o ano que vem caiu de novo, ficando com 132 municípios brasileiros.

Lula fala sobre a crise

Na abertura da 9ª cúpula Brasil-Portugal em Salvador, o presidente Lula fez duras críticas ao neoliberalismo e defendeu a intervenção do Estado para regular o sistema financeiro. "Chegou a hora da política", disse Lula. E continuou:

"O sistema financeiro tem obrigação de ganhar o seu dinheiro em coisas que gerarão empregos, produtos, riqueza. Não podemos permitir que o sistema financeiro mundial brinque com a sociedade. Não podemos admitir que alguém fique rico apenas trocando papéis e poucas vezes se gerou um paletó, uma bota e um alfinete".

Teve uma época, por muito tempo, em que os políticos andaram de cabeça baixa diante do neoliberalismo. O que estou defendendo não é o Estado se intrometer na economia, mas é o Estado que tenha força política para regular o sistema financeiro”.

Fomos eleitos, assumimos compromissos com o povo, e o Estado, diante da crise mundial, volta a ter papel extraordinário, porque todas essas instituições que negaram o papel do Estado na hora da crise procuram o Estado para socorrê-las da crise que elas mesmo criaram”.

As empresas brasileiras têm grandes investimentos, rodovias, ferrovias, siderurgia, portos, agricultura. Trabalhamos honestamente por seis anos para por a economia num padrão respeitável no Brasil inteiro. É por isso que juntamos US$ 207 bilhões em reservas. É por isso que fizemos ajustes fiscais. Entretanto, por que estamos vivendo sinais da crise? É porque alguns setores resolveram investir em derivativos, fazer um cassino. Portanto quem foi para a jogatina perdeu. Portanto, ninguém tinha o direito de tentar, diria de forma ilícita, mais que aquilo que o próprio sistema produtivo oferecia ao país”.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Nota da Bancada do PT na Câmara Municipal SP

NOTA À IMPRENSA

A Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara Municipal de São Paulo, em reunião realizada nesta terça-feira (28), reafirma seu compromisso histórico com a democracia. É o voto popular que define quem exercerá o papel de situação e de oposição no cenário político da cidade.

O PT, na oposição, continuará cumprindo seu papel de defender as conquistas da população paulistana nos últimos anos como a criação dos CEUs, do Bilhete Único e das políticas sociais inovadoras, implantadas na gestão de Marta Suplicy. O PT trabalhará, também, para resgatar a descentralização administrativa com o fortalecimento das subprefeituras, o estímulo à participação popular através do Orçamento Participativo e os Conselhos de Representantes.

A Bancada do PT fiscalizará, ainda, o cumprimento de todos os compromissos de campanha assumidos pelo atual Prefeito, bem como, atuará como oposição sempre alinhada à defesa dos interesses da cidade.

Na Câmara, defenderemos a composição de uma Mesa Diretora e de diretrizes políticas afinadas com a autonomia do poder legislativo, com a eficiência na fiscalização dos atos do Executivo e com a transformação da Câmara Municipal em espaço de debate dos assuntos de interesse da população paulistana.

Nesse sentido, o PT reafirma sua disposição de compor alianças políticas no legislativo que garantam uma Câmara autônoma, fiscalizadora do Executivo e voltada para a busca de soluções para os graves problemas da nossa cidade.

A difícil divisão do bolo


Do jornal Folha de S. Paulo hoje (28)

"Disposto a conter o assédio do PMDB e do PR sobre a Secretaria dos Transportes, uma das mais importantes da administração, o prefeito reeleito Gilberto Kassab (DEM) confirmou a permanência de Alexandre de Moraes à frente da pasta. "O Alexandre de Moraes vai permanecer. Já conversei e ele disse que vai ficar", diz Kassab.

Em compensação, segundo interlocutores, a tendência é que Kassab ofereça cinco secretarias para acomodar a base aliada: Assistência Social, Negócios Jurídicos, Trabalho, Cultura e Esporte". Assinante, leia mais.

Comentário: A matéria acima indica que o futuro governo municipal vai tratar alguns aliados de um modo especial. Já outros serão tratados como uma espécie de “segunda classe”.

O PSDB e o DEM continuarão mandando nas secretarias de cunho estratégico para o governo Kassab. São elas: Secretaria de Governo, Transporte, Educação, Secretaria de Infra-estrutura Urbana, Habitação, Saúde e Subprefeituras. Juntas, estas secretarias consomem mais de 80% do Orçamento Municipal.

Resta saber se o prefeito terá argumentos capazes de persuadir os descontentes a ficarem calados. Quem viver, verá!

Reunião dos vereadores do PT paulistano

A bancada do Partido dos trabalhadores estará reunida hoje (28) na Câmara Municipal de São Paulo a partir do meio-dia. Na pauta, o quadro político paulistano pós-eleição, a organização da oposição na cidade e a composição da futura Mesa Diretora da Casa.

Participarão da reunião todos os vereadores da atual e da futura legislatura.

PT administrará 12% a mais de prefeituras em SP

Do Boletim PT Câmara SP com informações do portal do PT Estadual:

PT aumenta o número de cidades que irá administrar em SP

O Partido dos Trabalhadores teve um desempenho excepcional nas eleições municipais 2008 no estado de São Paulo. Na região da grande São Paulo, por exemplo, o PT repetiu o êxito obtido nas médias e grandes cidades em todo o Brasil.

Foram oito prefeitos eleitos já no primeiro turno – Carapicuíba, Diadema, Suzano, Embu, Francisco Morato, Itapevi, Osasco e Pirapora do Bom Jesus – e outros três eleitos no domingo: Guarulhos, Mauá e São Bernardo, totalizando 10 cidades que serão governadas pelo partido nesta região a partir de 2009.

Em todo o estado, o PT elegeu seus candidatos em 64 cidades. Em 2004 foram 57 os prefeitos eleitos pelo partido. Um aumento de 12% no número de prefeituras a serem administradas por petistas. Do ponto de vista populacional, houve um salto de 5,3 mi para 7,3 mi de pessoas. Portanto, a partir de 2009, o PT irá governar uma população maior em cerca de dois milhões de pessoas em relação aos resultados obtidos na última eleição. Isto, sem contar os 41 vice-prefeitos eleitos em coligação com outros partidos, em cidades como Campinas e Bauru, por exemplo.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Eleição aponta reaglutinação do conservadorismo sob Serra

"A disputa presidencial de 2010, que estava latente, agora invade o tabuleiro da política brasileira com uma clivagem de forças cada vez mais definida e agressiva. A velocidade dessa reaglutinação que antecipa a luta pelo poder será vitaminada pelo desenrolar da crise mundial nos próximos meses. O processo eleitoral de 2008 terminou com uma clara reaglutinação do conservadorismo sob as asas do tucano José Serra".

O texto acima é parte de uma análise publicada pela redação de Carta Maior. Nela é feita uma abordagem da crise internacional, suas repercussões no Brasil e as movimentações políticas com vistas a 2010. Clique aqui e leia a íntegra da matéria.

Frases e poemas

"Não viva para que a sua presença seja notada,
mas para que a sua falta seja sentida..."
(Bob Marley)

"Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade". (Confúcio)

De que serve a bondade
Se os bons são imediatamente liquidados, ou são liquidados
Aqueles para os quais eles são bons?
De que serve a liberdade
Se os livres têm que viver entre os não-livres?
De que serve a razão
Se somente a desrazão consegue o alimento de que todos necessitam?

Em vez de serem apenas bons, esforcem-se
Para criar um estado de coisas que torne possível a bondade
Ou melhor: que a torne supérflua!
Em vez de serem apenas livres, esforcem-se
Para criar um estado de coisas que liberte a todos
E também o amor à liberdade
Torne supérfluo!
Em vez de serem apenas razoáveis, esforcem-se
Para criar um estado de coisas que torne a desrazão de um indivíduo
Um mau negócio. (Bertold Brecht)

Resultados das eleições de ontem em São Paulo

Bauru / SP
- Rodrigo Agostinho - PMDB 97.288 54%
- Caio Coube - PSDB 81.896 45%

Guarulhos / SP
- Almeida - PT 320.472 56%
- Carlos Roberto - PSDB 244.922 43%

Mauá / SP
- Oswaldo dias - PT 117.337 55%
- Chiquinho do Zaira - PSB 93.382 44%

Santo André / SP
- Dr. Aidan - PTB 214.810 55%
- Vanderlei Siraque - PT 175.513 44%

São Bernardo do Campo / SP
- Luiz Marinho - PT 237.617 58%
- Orlando Morando - PSDB 170.728 41%

São José do Rio Preto / SP
- Valdomiro Lopes - PSB 109.145 51%
- Joao Paulo Rillo - PT 103.967 48%

São Paulo / SP
- Gilberto Kassab - DEM 3.790.558 60%
- Marta - PT 2.452.527 39%

sábado, 25 de outubro de 2008

Símbolos e Lugares de São Paulo (4)


Encerrando a primeira parte da série Símbolos e Lugares de São Paulo - que contou em quatro partes a história do Museu do Ipiranga -, Felipe Ramalho Rocha leva o leitor do blog a um passeio turístico por este importante monumento da nossa cidade.

Na próxima quarta-feira a série vai começar a contar a história do Pátio do Colégio, local onde repousam os primórdios da colonização da Capital.

Turismo Histórico no Ipiranga

Às margens do riacho Ipiranga o paulistano encontra um marco da história do Brasil. Em meio a jardins franceses, o Museu Paulista, mais conhecido pelos paulistanos como Museu do Ipiranga, é - segundo a própria população em enquete do JT- a mais bela das sete maravilhas de São Paulo. O palácio- monumento encontra-se situado no Parque da Independência. Juntamente com seus jardins franceses, a Casa do Grito e o Monumento à Independência.

O Monumento à Independência do Brasil é um projeto de autoria do italiano Ettore Ximenez que teve sua construção iniciada em 1884 e concluída em 1926. Em sua cripta está instalada a Capela Imperial, onde repousam os restos mortais de D. Pedro I, de sua primeira esposa D. Leopoldina e também de sua segunda esposa Amélia de Leuchtenberg.

Os "jardins franceses", projeto de Reinaldo Dierberger, localizados logo à frente do Museu, são caracterizados por topárias de buxos e azaléias, que delimitam canteiros de rosas, palmeiras e ciprestes. Atrás do Museu encontra-se um denso bosque onde funcionava o antigo Horto do Ipiranga, parte integrante das pesquisas em botânica do museu, que posteriormente originaram o Instituto de Botânica, na Água Funda. Muitas pessoas vão ao bosque para caminhar e correr.

A Casa do Grito foi vinculada à cena do "grito" de D. Pedro I em 1822, retratada no quadro "O Brado do Ipiranga", de Pedro Américo, mas seu registro mais antigo data de 1884. Já chegou a ficar abandonada e passou por restaurações e atualmente apresenta exposições diversas com temas relacionados à cidade de São Paulo, permanecendo aberta à visitação pública de terça a domingo, das 9h às 17h.

O Parque da Independência é uma ótima escolha para quem quer aproveitar um passeio com a família, pois propicia um roteiro que pode ir do cultural ao esportivo. Fica aberto ao público diariamente das 5h às 20h, conta com pistas para caminhar, patinar, andar de skate e bicicleta e é permitido passear com cães. Está localizado na Avenida Nazaret, s/nº, bairro do Ipiranga e é uma ótima opção para quem quer um descanso da vida estressante de uma metrópole agitada como a cidade de São Paulo. O parque tem uma boa estrutura para atender aos visitantes, mas não dispõe de nenhum local para alimentação.

SERVIÇO:

Parque da Independência

Endereço: Av. Nazareth, s/n Ipiranga, entrada gratuita.

Exposições Museu do Ipiranga: Terça a domingo, das 9h às 17h.

Telefone:2065-8026

Ingresso: R$ 4,00 – Adulto; R$ 2,00 - Estudante (mediante apresentação de carteira escolar).

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Contradição à paulistana

São Paulo vive um paradoxo: se por um lado parcelas de seu povo estiveram na vanguarda de todas as mudanças culturais que revolucionaram comportamentos no Brasil, por outro lado temos de conviver com parcelas que carregam consigo uma dose exagerada de conservadorismo. Este contraditório esteve presente em todos os momentos da história recente do povo paulistano.

Esta cidade foi palco de importantes manifestações operárias e estudantis que de forma destemida e sem titubeios resistiam ao autoritarismo e combatiam por liberdades. Mas também foi aqui que setores da sociedade organizaram a “Marcha da Família com Deus”, numa espécie de desejo de “boas-vindas” aos ditadores.

É verdade que nesta cidade e em outras vizinhas se concentraram e se concentram os maiores e mais organizados sindicatos operários, símbolos da resistência à ditadura militar. Porém, aqui também se concentravam as principais entidades patronais e operárias, na época, o principal esteio de sustentação do regime autoritário.

Aqui, todos os anos, milhões de cidadãos vão às ruas e expressam sua indignação contra os preconceitos em relação às suas opções sexuais. Todavia, é nesta cidade que setores cristãos conservadores organizam a chamada “Marcha com Jesus”. Esta, surgida como contraponto àquela dos setores intitulados GLBTs.

O povo desta cidade é capaz de eleger uma prefeita mulher, nordestina e petista em 1988, símbolo da ascensão do movimento de esquerda, mas na eleição seguinte elegeu Maluf, símbolo do conservadorismo, homem claramente identificado com o regime militar. São Paulo é uma cidade com características bastante peculiares, de comportamento complexo, às vezes, contraditórios.

É neste contexto que ocorrem as eleições no próximo domingo. Independente do resultado, os elementos que temos indicam uma necessária reflexão da esquerda para responder a seguinte indagação: como construir uma hegemonia duradoura em uma cidade marcada, historicamente, por movimentos pendulares e até contraditórios que têm sido a marca da nossa gente?

Dica de vídeo para seu final de semana

Por Celina Sales, com informações do portal Cineclick:

P.S. EU TE AMO (P.S. I Love You, EUA, 2007)

Sinopse: Bela e melancólica história de amor entre Holly (Hilary Swank) e Gerry (Gerard Butler). Jovens e bonitos, tentam sobreviver como podem num mundo competitivo, até que a súbita morte dele abala completamente a vida de Holly. O filme acompanha como ela tenta superar a dor enquanto recebe cartas do marido, enviadas antes dele morrer. Ao saber da doença, Gerry resolveu escrever dicas para a amada superar a perda. E assim se desenvolve a trama, num estado de tristeza e humor constantes. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Elenco: Hilary Swank, Gerard Butler, Lisa Kudrow, Harry Connick Jr., Gina Gershon, Kathy Bates, Jeffrey Dean Morgan, James Marsters, Dean Winters

Bom fim de semana!!!

O Brazil dos tucano-pefelistas

"O Brasil teria agüentado oito anos mais de governo FHC? O candidato que dizia que “o Estado brasileiro gasta muito e gasta mal”, fez a mágica de transformar a inflação em dívida pública, multiplicando-a por mais de 10 vezes, levando o Estado brasileiro à falência".

O texto acima é parte da análise postada por Emir Sader em seu blog sobre os oito anos de FHC à frente do governo brasileiro. Clique aqui e acesse. Vale a pena ler.

Um pouco de Ithamara Koorax

Nascida no Rio de Janeiro em 1965, Ithamara Koorax se tornou um dos nomes principais do pop-jazz brasileiro nos anos noventa. A cantora vem de uma família de judeus poloneses que fugiram da Europa durante Segunda Grande Guerra.

Koorax era só uma criança quando começou a estudar música clássica. Mas ao chegar na maioridade, Koorax percebeu que a fusão da MPB com o jazz seria o seu foco. Entre as vocalistas que ela admirava estão Flora Purim e Elis Regina na música brasileira e Shirley Horn, Ella Fitzgerald e Carmen McRae no jazz.

Ithamara Koorax e José Roberto Bertrami - Korea

Dicas de shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 24

À DERIVA O quarteto instrumental faz um jogo de improvisações que passa por ritmos como o jazz e a bossa nova. Centro Cultural São Paulo - sala Adoniran Barbosa - r. Vergueiro, 1.000, Liberdade, região central, tel. 3383-3402. 631 lugares. 12h30. 60 min. Livre.

ITHAMARA KOORAX Dona de uma voz potente a afinada, a cantora faz show do disco "Tributo a Stellinha Egg", dedicado à intérprete paranaense de música folclórica. Sesc Vila Mariana - auditório - r. Pelotas, 141, Vila Mariana, região sul, tel. 5080-3000. 131 lugares. 20h30. 75 min. Não recomendado para menores de 12 anos. Ingr.: R$ 3 a R$ 12. Estac. (R$ 2 a R$ 5 a 1ª h mais h adicional).

NÁ OZZETTI, DANTE OZZETI E IVAN VILELLA Ná Ozzetti (voz), seu irmão Dante (violão) e Ivan Vilella (viola caipira) fazem este show especial, no qual interpretam canções de Villa-Lobos, Milton Nascimento e José Miguel Wisnik, entre outros. Sesc Vila Mariana - teatro - r. Pelotas, 141, Vila Mariana, região sul, tel. 5080-3000. 608 lugares. 21h. 90 min. Não recomendado para menores de 12 anos. Ingr.: R$ 7,50 a R$ 30. Estac. (R$ 2 a R$ 5 a 1ª h mais h adicional).

AMANHÃ, DIA 25

ALZIRA E Acompanhada por três músicos, a cantora e compositora executa canções de Itamar Assumpção e também mostra faixas de seu álbum mais recente, parcerias com o poeta arrudA. Biblioteca Pública Alceu Amoroso Lima -auditório - r. Henrique Schaumann, 777, Pinheiros, região oeste, tel. 3082-5023. 133 lugares. 18h. 60 min. Livre.

NÁ OZZETTI, DANTE OZZETI E IVAN VILELLA Sesc Vila Mariana - teatro. 21h. Não recomendado para menores de 12 anos. Ingr.: R$ 7,50 a R$ 30.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Suporte midiático

Do Boletim PT Câmara SP:

No segundo turno, jornais mantém tratamento favorável a Kassab

"O observatório Brasileiro de Mídia lançou ontem o primeiro relatório de acompanhamento da cobertura dos cinco jornais paulistanos sobre as eleições municipais. De acordo com a instituição, filiada ao Media Watch Global, os jornais Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Agora São Paulo e Diário de S. Paulo continuaram a dar tratamento favorável à candidatura de Gilberto Kassab.

O candidato do DEM, Gilberto Kassab, teve sua candidatura noticiada com viés favorável. A quantidade de textos favoráveis e equilibrados para o candidato tiveram o mesmo percentual, 41,4%.

A divulgação da pesquisa IBOPE que confirmou a vantagem de 12% nas intenções de votos de Kassab sobre Marta Suplicy e a repercussão do programa eleitoral da sua adversária que dirigiu perguntas a aspectos da vida privada do candidato, contribuíram para que o candidato tivesse noticiário favorável à sua candidatura.

A campanha da petista foi noticiada de maneira desfavorável em 52 textos ou 49,1% do total de reportagens da candidata, que teve 15,1% de reportagens favoráveis.

O noticiário sobre Marta Suplicy na segunda semana de campanha do segundo turno foi contaminado pela discussão a respeito da propaganda veiculada em seu programa de TV. A peça publicitária questionava se Kassab era casado e se tinha filhos.

Do total de textos referentes à candidata do PT, 35% tratou dessa questão e de maneira desfavorável à candidata que além de ser acusada de trazer para a campanha temas de fórum privado ao candidato, também foi questionada devido a sua militância em favor das minorias sexuais.

A divulgação da pesquisa IBOPE que apontou frente de 12% para o candidato do DEM nas intenções de voto do segundo turno, repercutiu de maneira desfavorável no noticiário da campanha petista.

O noticiário sobre a agenda institucional do prefeito Gilberto Kassab teve 10 reportagens, em quatro delas o enfoque dos textos foi a utilização da máquina da prefeitura com fins eleitorais. Houve duas reportagens que tratou da insuficiência da política na área de saúde das administrações Kassab e Marta. O jornal Agora dedicou cinco reportagens ao prefeito, Diário e Folha de S. Paulo duas cada um e o Jornal da Tarde dedicou uma".

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Uma referência cultural da metrópole


Esta terceira parte da série sobre a história do Museu do Ipiranga aborda o papel importante daquela instituição como referência cultural da Capital paulista. A pesquisa publicada pelo blog é de Felipe Ramalho Rocha.

O MUSEU COMO PÓLO GERADOR DE CONHECIMENTO E DE DIFUSÃO CULTURAL

O Museu Paulista (Museu do Ipiranga) é uma instituição cientifica, cultural e educacional com foco em seu acervo com o objetivo de amplir, conservar, documentar, estudar e, por fim, de divulgar o conhecimento que ele permite gerar, através de exposições, cursos e publicações.

O Governo do Estado determinou, em 1893, que o Monumento do Ipiranga fosse utilizado para abrigar o Museu do Estado. Este foi transferido para o monumento no ano seguinte, já sob a denominação de Museu Paulista e oficialmente inaugurado em 7 de setembro de 1895.

O acervo do Museu Paulista tem sua origem em uma coleção reunida pelo Coronel Joaquim Sertório, adquirida em 1890 pelo Conselheiro Francisco de Paula Mayrink, que a doou juntamente com objetos da coleção Pessanha, ao Governo do Estado.

Enquanto museu exclusivamente histórico, o Museu Paulista é especializado no estudo dos aspectos materiais da organização da sociedade brasileira segundo três linhas básicas de pesquisa: Cotidiano e Sociedade; Universo do Trabalho; História do Imaginário. Para o estudo destes temas o museu conta com um acervo de mais de 125.000 unidades, entre objetos, iconografia e documentação arquivística, do seiscentismo até meados do século XX.

Como o acervo de imagens que registram as diversidades e mudanças na forma de representar a figura humana, da natureza e da cidade. O acervo conta com pinturas, gravuras e desenhos e diversas coleções fotográficas, produzidas, sobretudo, entre 1860 e meados deste século. O acervo de esculturas conta com estatuas bustos maquetes e baixos-relevos.

Algumas coleções pessoais de porte foram doadas ao Museu Paulista ao longo de sua história. Entre elas, as do engenheiro-arquiteto Tommaso Gaudenzio Bezzi, do inventor Santos Dumont, do diplomata José Carlos de Macedo Soares e das senhoras Olga de Souza Queiroz, CarmencitaBettenfeld Julien e Prado Guimarães

Instalada no dia 07 de setembro de1895, a Biblioteca do Museu Paulista conta com um acervo de 26.466 livros, 2.300 títulos de periódicos, 2.892 separatas, tendo ainda como extensão a Biblioteca do Museu Republicano "Convenção de Itu", especializada no estudo da República Brasileira, entre 1889 e 1930.

Desde 1922 o Museu publica os Anais do Museu Paulista, que a partir de 1993 passaram a circular em nova série, com o subtítulo História e Cultura Material. Trata-se de uma revista acadêmica que traz à discussão temas polêmicos e balanços historiográficos, de acordo com novas tendências da pesquisa em História, especialmente da História em museus, que se insere no campo da cultura material.

NO PRÓXIMO SÁBADO - A série sobre a história do Museu do Ipiranga termina no próximo sábado com a publicação de um roteiro turístico para os interessados em conhecer este que é um importante patrimônio cultural paulistano.

A política do descaso

Lideranças comunitárias do Jardim Eliane e do Jardim Santa Maria sentem na pele a política do descaso do atual governo tucano-demo. Desde 2007, presidentes de pelo menos três associações de moradores da região denunciam o crescimento dos casos de roubos e furtos em residências naqueles locais, enquanto a resposta dada pela prefeitura é sempre repetida: "este é um problema do Estado".

O pedido das lideranças de instalação de uma base comunitária da Guarda Civil Metropolitana (GCM) na Praça Lídio Francisco Alves, por exemplo, foi respondido da seguinte forma pelo coordenador do Gabinete de Segurança Municipal, Edsom Ortega, em ofício datado de 10 de junho deste ano:

"Encaminho o presente a V. Sa. informando que a solicitação recebida nesta Coordenadoria foi enviada à Polícia Militar por se tratar de problemas relacionados a roubos e furtos".

O coordenador desconsiderou um abaixo-assinado com milhares de assinaturas colhidas pelas lideranças na comunidade. É o caso típico da "política do descaso" que caracteriza o atual governo. A prefeitura, tem sim, sua parcela a dar pela melhoria das condições de segurança no município. Não é verdade que é apenas "um problema do Estado".

Sobre a Audiência Púbica de hoje na CCJLP

A segunda Audiência Pública realizada pela Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJLP) para tratar das obras do Complexo Viário Padre Adelino contou com a participação de representantes de entidades da Mooca e do Tatuapé, além de integrantes do governo municipal. Nos debates ocorridos na manhã de hoje na Câmara Municipal foram discutidos temas como a aplicação do projeto - que já está em execução-, os seus custos e os efeitos do futuro complexo no trânsito das avenidas Salim Farah Maluf e Radial Leste.

O PROJETO E AS DÚVIDAS - O projeto ora tocado prevê a construção de uma ponte estaiada sobre a avenida Salim Farah Maluf, com o intuito de desafogar o trânsito na região. O projeto original da Salim Maluf previa a construção de diversos viadutos ao longo do seu traçado, o que eliminaria diversos semáforos em seus cruzamentos. Esta via faz a ligação da Marginal do Tietê, da Dutra e do acesso ao ABC e à Baixa Santista.

No final do governo anterior foi projetado e licitado o Complexo Viário Padre Adelino, conforme previa o projeto inicial da Salim Farh Maluf - originalmente pensada para ser uma via semi-expressa.

Na Audiência Pública realizada pela CCJLP foram levantados diversos questionamentos relacionados à execução da obra. O representante do governo municipal, o secretário-adjunto da Secretaria de Infra-Estrutura Urbana (Siurb), Marcos Penido, ouviu as seguintes ponderações feitas pelos participantes da Audiência:

1 - Por que uma ponte estaiada, se naquele espaço o "vão" não é pronlongado?
2 - A construção da ponte estaiada elevará em quanto o custo total da obra?
3 - A previsão do custo total da obra é de R$ 69 milhões sofrerá algum aditamento?
4 - A execução da obra vai solucionar os problemas de tráfego e os congestionamentos da região?
5 - Quantas residências serão desapropriadas?
6 - Qual o valor a ser pago por estas desapropriações?

Diversos representantes da comunidade presentes à Audiência Pública levaram suas preocupações quanto aos efeitos da obra. Os professores José Guilherme Saturno e Sônia Maria, da Escola Estadual Professor Loureiro Júnior, informaram que a unidade escolar onde trabalham precisa de reformas. Na oportunidade, os dois pediram que a empreiteira responsável pela obra realize contrapartidas em benefício da escola, tais como a reforma e a melhoria do acesso dos alunos ao colégio quando a obra for concluída.

NÃO RESOLVERÁ - Mesmo diante das tentativas do governo de explicar alguns dos questionamentos acima, a opinião predominante entre os participantes da reunião é que a obra não produzirá os efeitos prometidos.

Ou seja, a obra não resolverá os problemas de trânsito na região, uma vez que levará um número ainda maior de veículos à Radial Leste - outra via que sofre com a saturação em praticamente toda a sua extensão.

A CCJLP se coloca à disposição da comunidade para levar estas e outras questões relevantes ao poder Executivo. Também continuaremos cumprindo a nossa missão de fiscalizar a execução da obra.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Complexo Padre Adelino em discussão amanhã

A Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJLP) realiza Audiência Pública nesta quarta-feira (22) para discutir as obras do Complexo Viário Padre Adelino. O complexo fica no bairro do Tatuapé, na Zona Leste da Capital. Na condição de presidente da CCJLP conduzirei os trabalhos.

A reunião acontecerá às 9h no 8º andar (Salão Nobre) da Câmara Municipal de São Paulo. Qualquer cidadão pode participar do evento.

O desafio da moradia no país

Estudo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgado pelo portal UOL aponta a diminuição de 15% da população brasileira vivendo em habitações inadequadas. Os dados apurados têm como parâmetro o ano de 1992.

Leia um trecho da reportagem sobre o estudo do Ipea:

"O Ipea considera inadequadas as moradias urbanas que não dispõem de rede coletora de esgoto ou fossa séptica, que não possuem acesso a água canalizada, as que se situam em favelas ou em locais que apresentam irregularidades fundiárias e aquelas em que há adensamento excessivo, ou seja, em que residem mais de três pessoas por dormitório. Também são classificadas inadequadas as residências com tetos e paredes não-duráveis e as que só possuem banheiro coletivo". Leia mais.

Este é um dos grandes desafios que o país tem para enfrentar. O governo do presidente Lula tem feito a sua parte, mas cabe aos próximos administradores uma parcela considerável do trabalho.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Os cinco anos do Bolsa Família

Trecho de matéria do site Contas Abertas:

Bolsa Família completa cinco anos com R$ 41 bilhões desembolsados

"O principal programa social do governo Lula completa hoje cinco anos de existência e mostra a sua força em termos orçamentários. Mais de R$ 41 bilhões já foram desembolsados com o Bolsa Família, que hoje beneficia aproximadamente 11 milhões de famílias. O montante é superior, por exemplo, ao orçamento global autorizado para o Ministério da Educação este ano, R$ 40,6 bilhões. Desde o seu lançamento em outubro de 2003, metade do recurso gasto com o programa foi destinada à região Nordeste. De acordo com o governo, essa verba tem contribuído para que o país alcance patamares inéditos no enfrentamento da pobreza e da fome.

O Bolsa Família, desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), é um instrumento governamental de transferência direta de renda para famílias em situação de pobreza ou miséria. O programa beneficia quase 11 milhões de famílias, com o repasse de aproximadamente R$ 700 milhões mensais. Considerando uma média de quatro membros por família, isso equivale a 45,8 milhões de pessoas, ou seja, 25% da população brasileira".

domingo, 19 de outubro de 2008

Qual seria a manchete se o governador fosse outro?

Do blog de Rodrigo Vianna:

Tenho 20 anos de Jornalismo. Quase todos na rua, como repórter. E nunca vi algo parecido com o que se passou a poucos metros do Palácio dos Bandeirantes.

Estava na redação da TV Record quando as primeiras imagens apareceram na TV. Chefes de Reportagem (alguns com ainda mais experiência que eu no Jornalismo) pareciam catatônicos: o que é isso? no Estado mais rico (?) do país, a barbárie fardada!

Que nome você, leitor, daria para um confronto armado entre Polícia Civil e Polícia Militar?
"Caos na segurança" seria o mínimo, não?
Ou, ao menos, "crise na polícia".

Os jornalistas dão o nome de "chapéu" àqueles títulos colocados no alto da página, e que em coberturas especiais se repetem, pra marcar o noticiário. Você já deve ter visto nos jornais... Dois anos atrás, durante meses, fomos bombardeados com páginas e mais páginas na imprensa sobre o "caos aéreo". O "chapéu" estava ali, a marcar e editorializar a cobertura sobre as falhas no sistema aéreo basileiro
Pergunto: o que é mais grave, atraso em vôos ou polícia em greve?
Mas, abro a "Folha" hoje e não encontro o "chapéu" para o noticiário sobre o "caos na segurança".

As informações estão ali - com mapas, fotos, declarações.
Mas, é evidente o tratamento vip dado ao governo tucanos por nossa imprensa.

Imagine se algo parecido tivesse acontecido num governo do PT, PCdoB, ou nos bons tempos de Brizola/PDT no Rio?
Qual seria a manchete? Qual seriam os "chapéus" estampados no alto das páginas?
"Estado sem lei", "Barbárie armada"...
(eu poderia inventar vários, porque durante um ano esse foi meu serviço , como redator do caderno "Cotidano" da "Folha", o início dos anos 90)!

Essa falta de "combatividade" (!) da imprensa escrita com o governo tucano talvez explique porque o tom político na cobertura tenha partido de onde menos se esperava: ontem, era Datena, na "Band", quem cobrava uma palavra do governador!
Cobrava daquele jeito dele, mas cobrava. É o que se espera dos jornalistas numa hora dessas.

Por que Datena pode cobrar e a "Folha" não pode?

O maior jornal do país trata José Serra como se ele ainda fosse o editorialista levado para trabalhar na Barão de Limeira pelo seu Frias, nos anos 80.

Serra é da casa, né?

Serra não pode ser cobrado.

Ninguém bota "chapéu" no Serra!

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Símbolos e Lugares de São Paulo (2)


A série Símbolos e Lugares de São Paulo - que começou com a história do Museu do Ipiranga - prossegue com a publicação da segunda parte. Neste sábado (18), vamos mostrar a concepção arquitetônica aplicada à construção do museu. A beleza da arquitetura torna o local um dos mais atraentes monumentos da Capital. O texto é parte de uma pesquisa elaborada por Felipe Ramalho Rocha:

O NASCIMENTO DE UM MARCO MONUMENTAL

Idealizado por Tommaso Gaudenzio Bezzi, o edifício do Museu do Ipiranga figura como um marco da arquitetura paulistana, um vetor de modernização para seu entorno e um exemplo do uso competente das tecnologias existentes à época. As técnicas de concreto armado estavam sendo desenvolvidas na Alemanha e na Áustria, as estruturas metálicas estavam ganhando na Europa a confiança de seus usuários, enquanto que em São Paulo predominavam as edificações de alvenaria de pequeno porte.

Bezzi utilizou, de forma simplificada, o modelo de palácio renascentista - o projeto inicial previa dois braços laterais partindo da fachada, voltada para a cidade, formando um E. Por motivo de economia, os prolongamentos foram abandonados, restando um retângulo pontuado por três corpos salientes.

A concepção básica da estrutura é simples: uma planta retangular cujos elementos principais são constituídos por grossas paredes com aproximadamente dois metros de espessura. Valendo-se de uma das principais características do ecletismo - a recuperação de estilos arquitetônicos - Bezzi reuniu várias características que faziam do edifício referância àquela São Paulo com 70.000 habitantes, o modelo de palácio, a decoração neo-renascentista, o grande porte, a presença abundante de elementos arquitetônicos decorativos como ornatos sobrepostos, brasões e colunas segundo as ordens coríntia e jônica.

A grandiosidade do edifício demandou soluções originais no encaminhamento do trabalho, a mão-de-obra contratada era muito provavelmente italiana, visto que não havia em São Paulo nesta época trabalhadores familiarizados com a execução de ornatos. A técnica de tijolo também era uma novidade na São Paulo dominada por construções de taipa. A distância também era uma complicação, por dificultar o transporte dos materiais construtivos. Para minimizar este problema foi criada a estação de trens do Ipiranga.

O museu como espaço contemplativo, de celebração e lazer foi responsável por volumoso fluxo de visitantes o que, certamente, fez com que acelerasse a instalação dos bondes da Light, em 1902, conferindo nobreza ao seu entorno. O conjunto arquitetônico atraiu a elite dos imigrantes sírios e libaneses, proprietária de indústrias e casas de comércio no bairro, que à sua volta construíram residências luxuosas.

Fórum de Católicos declara apoio a Marta

Em documento distribuído à população paulistana, o Fórum de Católicos Pela Justiça, em Favor dos Mais Pobres declarou apoio à candidatura da ex-prefeita Marta Suplicy.

No documento, os integrantes do Fórum - que é composto por padres, religiosos, religiosas, leigas e leigas da Igreja Católica - dizem que a opção pelo nome de Marta advém da necessidade de "respeito às pessoas, aos moradores de rua, à classe média, às crianças, aos idosos, às mulheres, aos adolescentes e à imensa massa de moradores de regiões da cidade deixadas ao esquecimento".

No mesmo texto, os apoiadores católicos da candidata do PT ressaltam que uma nova administração de Marta Suplicy "terá melhores oportunidades para aprofundar projetos que ela, como prefeita, já havia iniciado (CEUs, Bilhete Único, reorganização do transporte público e projetos habitacionais etc)". Por fim, o documento lembra que essas realizações "tornaram a cidade mais feliz".

A conclusão: "Queremos Marta de novo!".

Dica de vídeo para seu fim de semana

Por Celina Sales

VERMELHO COMO O CÉU (Rosso come il Cielo, Itália, 2006)

Sinopse:Durante os anos 70, garoto cego luta contra tudo e todos para alcançar seus sonhos e sua liberdade. Mirco (Luca Capriotti) é um jovem toscano de dez anos apaixonado por cinema, que perde a visão após um acidente. Uma vez que a escola pública não o aceitou como uma criança normal, é enviado para um instituto de deficientes visuais em Gênova. Lá, descobre um velho gravador e passa a criar histórias sonoras. Baseado na história real de Mirco Mencacci, um renomado editor de som da indústria cinematográfica italiana. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Luca Capriotti, Patrizia La Fonte, Paolo Sassanelli

Um belíssimo filme para o seu fim de semana!!!

Dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 17

CIDA MOREIRA E ANDRÉ FRATESCHI A dupla protagoniza o espetáculo "Canções para Cortar os Pulsos - A Música de Tom Waits", com músicas do cantor, compositor e ator norte-americano. Um clima de cabaré, enfumaçado e retrô, dá o tom à apresentação. Teatro do Centro da Terra - r. Piracuama, 19, Vila Pompéia, região oeste, tel. 3675-1595. 100 lugares. 21h. 90 min. Não recomendado para menores de 14 anos. Ingr.: R$ 30 (estudantes: R$ 15).

CANÇÕES PARA CORTAR OS PULSOS - A Música de Tom Waits

FERNANDA PORTO Famosa por sua mistura de MPB com drum'n'bass, a cantora e compositora mostra seus maiores sucessos neste show, como "Sambassim". Centro Cultural Fiesp - Teatro Sesi Paulista -av. Paulista, 1.313, Bela Vista, região central, tel. 3146-7405. 456 lugares. 20h. 70 min. Não recomendado para menores de 14 anos. Ingr.: R$ 10 (estudantes: R$ 5).

AMANHÃ, DIA 18

JOÃO ORMOND O violeiro apresenta canções de forte acento regional (do Pantanal), presentes em seu quinto álbum, "Muito Longe Rio Acima" (2008). Sesc Vila Mariana - pça. de eventos - r. Pelotas, 141, Vila Mariana, região sul, tel. 5080-3000. 300 pessoas. 13h30. 60 min. Livre. Estac. (R$ 2 e R$ 5 a 1ª h mais h adicional).

DOMINGO, DIA 19

CIDA MOREIRA E ANDRÉ FRATESCHI Teatro do Centro da Terra. 19h. Não recomendado para menores de 14 anos. Ingr.: R$ 30 (estudantes: R$ 15).

KURT BRUNUS PROJECT & CYNTHIA BLAND O multiinstrumentista Kurt Brunus realiza um show ao ar livre, acompanhado da cantora Cynthia Bland. O set list terá sucessos do r&b, reggae, hip hop e soul. Parque da Aclimação - concha acústica - r. Muniz de Souza, 1.119, Aclimação, região central, tel. 3208-4042. 5.000 pessoas. 12h. Livre.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Serra coloca PM contra policiais civis em SP


A greve da Polícia Civil de São Paulo completa 30 dias hoje (16). O dia está sendo marcado pelo confronto entre lideranças do movimento grevista e policiais militares. O processo é desencadeado pela intransigência do governo José Serra (PSDB), acostumado a tratar com desdém todos os movimentos sociais e sindicais.

Os delegados da Polícia Civil e demais carreiras policiais paulistas recebem um dos menores salários se comparados os vencimentos da categoria nos demais estados da federação. A resposta do governador é enviar a tropa de choque da PM para tentar acuar o movimento justo dos policiais civis por melhorias salariais e melhores condições de trabalho. É uma demonstração clara de truculência e de autoritarismo do governador Serra.

Não é possível pensar em política de segurança pública eficaz com os salários dos policiais civis achatados - e isso tem sido parte de uma política de governo desde que os tucanos assumiram o comando do Estado, em 1995. Meu mandato é solidário ao movimento da categoria e espera que o governo do Estado reabra as negociações, atendendo as reivindicações da categoria.

Diversos órgãos de imprensa estão cobrindo os acontecimentos desta tarde que resultaram no confronto entre as forças policiais na Capital. Um epsisódio lamentável que poderia ter sido evitado se a negociação tivesse prosseguido, como defendem as lideranças dos policiais. Leia mais aqui.

Por um novo capitalismo

Do jornal O GLOBO

"França, Alemanha e Reino Unido pediram ontem uma revisão do sistema financeiro internacional, cujas bases foram lançadas na Conferência de Bretton Woods, em julho de 1944, pouco antes do fim da Segunda Guerra Mundial. E propuseram que os líderes do G-8 — os sete países mais ricos do mundo e a Rússia — e as principais economias emergentes se encontrem no próximo mês para debater o tema.

Paralelamente, os 27 países da União Européia (UE) aprovaram um pacote de medidas que havia sido discutido no fim de semana, incluindo mudanças nas regras contábeis de bancos, novos mecanismos de supervisão de instituições financeiras, bem como um plano de socorro de 2,2 trilhões (cerca de US$ 3 trilhões) para capitalizar o setor bancário e garantir depósitos e empréstimos.

"É necessária uma refundação global do capitalismo, baseada em valores que ponham as finanças a serviço dos negócios e dos cidadãos, e não vice-versa", disse o presidente da França, Nicolas Sarkozy, no discurso de abertura de um encontro de dois dias entre líderes dos países da zona do euro, em Bruxelas. "O sistema deve ser completamente reformado", disse, segundo o texto distribuído a jornalistas". Leia mais.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Símbolos e lugares de São Paulo (1)

A partir de hoje, o blog publica uma série de textos mostrando alguns dos símbolos e lugares representativos da cidade de São Paulo. As publicações serão feitas às quartas-feiras e sábados.

Começamos pelo Museu do Ipiranga, monumento de rara beleza arquitetônica que terá sua história contada através de pesquisa realizada por Felipe Ramalho Rocha.

A COMPLICADA ESCOLHA DO MONUMENTO À INDEPENDÊNCIA


A idéia de construir um monumento à Independência no local de sua proclamação surgiu poucos meses após a data de 7 de setembro de 1822. Vários projetos de monumentos foram apresentados e logo pensaram num concurso de âmbito nacional, com envolvimento da corte e dinheiro de loterias, para a construção do monumento.

Por volta de 1876, formaram-se duas comissões - uma no Rio de Janeiro e outra em São Paulo. Os trabalhos de cinco participantes não emocionaram e o júri carioca nem chegou a se reunir. O poder central, algum tempo depois, agiu por conta própria. Visconde do Rio Branco, presidente da corte, entregou o projeto do monumento a Tommaso Gaudenzio Bezzi, um arquiteto altamente apadrinhado, casado com uma fidalga muito próxima às suas majestades imperiais.

Não se pensou em um monumento onde o homenageado fosse perpetuado em bronze para a lembrança das gerações, e sim num edifício de interesse social, uma escola, escola abrigo de menores, um grande prédio que viria a ser o Instituto Ipiranga. A obra não se iniciou, a comissão do monumento planejava às escondidas outro concurso, alegando que no lugar histórico seria feito um monumento tradicional e no Campo da Luz surgiria uma escola. Treze projetos foram apresentados, nove para o edifício escola e quatro para o monumento. Ficaram expostos por dois meses no salão do Banco Crédito Real aguardando julgamento.

Esta exposição foi visitada pelo povo e levantou-se, através dos jornais da época, várias discussões sobre o tema "arquitetura", debates e críticas levaram as pessoas a discutir e analisar em São Paulo projetos arquitetônicos relacionados tanto aos programas de necessidades ou aspectos técnicos, quanto à harmonização de proporções e estilos.

O resultado do concurso que teve a participação de Ramos de Azevedo (influente arquiteto de São Paulo responsável pelo projeto do Teatro Municipal), saiu em 26 de novembro de 1885. Foi uma prova meramente acadêmica, sem conseqüências práticas, uma vez que este resultado saiu vinte e cinco dias após o dia em que Pucci e Pinto Gonçalves assinaram o contrato da construção do projeto de Bezzi.

NO SÁBADO - A publicação prossegue com mais um capitulo da história da criação do Museu do Ipiranga. Será a segunda parte da série Símbolos e Lugares de São Paulo.

O coadjuvante do 'duas caras'


A seção Tiroteiro da coluna Painel, da Folha de S. Paulo desta quarta-feira (15), publica frase minha sobre o apoio do ex-governador Geraldo Alckmin à candidatura de Gilberto Kassab:

"Depois de chamá-lo de 'dissimulado', Geraldo Alckmin agora vira coadjuvante da campanha do prefeito de duas caras".

Do vereador paulistano João Antonio (PT), sobre a declaração de apoio do tucano a Gilberto Kassab na reta final do segundo turno.

A crise do capitalismo e a importância atual de Marx

Em entrevista a Marcello Musto da agência Carta Maior, o historiador Eric Hobsbawm analisa a atualidade da obra de Marx e o renovado interesse que vem despertando nos últimos anos, mais ainda agora após a nova crise de Wall Street. E fala sobre a necessidade de voltar a ler o pensador alemão: “Marx não regressará como uma inspiração política para a esquerda até que se compreenda que seus escritos não devem ser tratados como programas políticos, mas sim como um caminho para entender a natureza do desenvolvimento capitalista”. Clique aqui, leia a entrevista e tire suas conclusões.

Onde está a esquerda?

Texto publicado pelo escritor português em seu site, O Caderno de Saramago, no dia 1° de outubro de 2008.

"Ausento-me deste espaço por vinte e quatro horas, não por necessidade de descanso ou falta de assunto, somente para que a última crónica se mantenha um dia mais no lugar em que está. Não tenho a certeza de que o mereça pela forma como disse o que pretendia, mas para lhe dar um pouco mais de tempo enquanto espero que alguém me informe onde está a esquerda…

Vai para três ou quatro anos, numa entrevista a um jornal sul-americano, creio que argentino, saiu-me na sucessão das perguntas e respostas uma declaração que depois imaginei iria causar agitação, debate, escândalo (a este ponto chegava a minha ingenuidade), começando pelas hostes locais da esquerda e logo, quem sabe, como uma onda que em círculos se expandisse, nos meios internacionais, fossem eles políticos, sindicais ou culturais que da dita esquerda são tributários. Em toda a sua crueza, não recuando perante a própria obscenidade, a frase, pontualmente reproduzida pelo jornal, foi a seguinte: “A esquerda não tem nem uma puta ideia do mundo em que vive”.

À minha intenção, deliberadamente provocadora, a esquerda, assim interpelada, respondeu com o mais gélido dos silêncios. Nenhum partido comunista, por exemplo, a principiar por aquele de que sou membro, saiu à estacada para rebater ou simplesmente argumentar sobre a propriedade ou a falta de propriedade das palavras que proferi. Por maioria de razão, também nenhum dos partidos socialistas que se encontram no governo dos seus respectivos países, penso, sobretudo, nos de Portugal e Espanha, considerou necessário exigir uma aclaração ao atrevido escritor que tinha ousado lançar uma pedra ao putrefacto charco da indiferença.

Nada de nada, silêncio total, como se nos túmulos ideológicos onde se refugiaram nada mais houvesse que pó e aranhas, quando muito um osso arcaico que já nem para relíquia servia. Durante alguns dias senti-me excluído da sociedade humana como se fosse um pestífero, vítima de uma espécie de cirrose mental que já não dissesse coisa com coisa. Cheguei até a pensar que a frase compassiva que andaria circulando entre os que assim calavam seria mais ou menos esta: “Coitado, que se poderia esperar com aquela idade?” Estava claro que não me achavam opinante à altura.

O tempo foi passando, passando, a situação do mundo complicando-se cada vez mais, e a esquerda, impávida, continuava a desempenhar os papéis que, no poder ou na oposição, lhes haviam sido distribuídos. Eu, que entretanto tinha feito outra descoberta, a de que Marx nunca havia tido tanta razão como hoje, imaginei, quando há um ano rebentou a burla cancerosa das hipotecas nos Estados Unidos, que a esquerda, onde quer que estivesse, se ainda era viva, iria abrir enfim a boca para dizer o que pensava do caso.

Já tenho a explicação: a esquerda não pensa, não age, não arrisca um passo. Passou-se o que se passou depois, até hoje, e a esquerda, cobardemente, continua a não pensar, a não agir, a não arriscar um passo. Por isso não se estranhe a insolente pergunta do título: “Onde está a esquerda?” Não dou alvíssaras, já paguei demasiado caras as minhas ilusões.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Sem disfarce

Que os principais jornais paulistanos tomaram partido nestas eleições todos já sabiam. O que não era perceptível era o formato panfletário adotado por eles. No primeiro turno havia uma espécie de disfarce. Agora, não: todos atuam às claras, defendendo abertamente a candidatura de Gilberto Kassab.

Não é preciso ler todos os editoriais para saber o conteúdo das matérias - basta ler os títulos. Vejamos: Golpe baixo na Campanha (editorial do Estadão de hoje). O Jornal da Tarde publica o seguinte título em seu editorial: A eleição é para prefeito e não para chefe de família.

Ninguém nesta cidade foi tão atacada em sua vida pessoal quanto a ex-prefeita Marta Suplicy. Isto é fato! Então por que esses mesmos jornais não reagiram e não reagem com a mesma indignação quando se trata de insinuações discriminatórias em relação a ela?

A polêmica dos últimos dias é um comercial que foi ao ar no horário político fazendo as seguintes perguntas: "Você sabe mesmo quem é Kassab? Sabe de onde ele veio? Qual é a história de seu partido? De quem foi secretário e braço direito? De quem esteve ao lado desde que começou na política? Se já teve problemas com a Justiça? Se melhorou de vida depois da política? Você sabe se ele é casado? Tem filhos?"

Para dizer sinceramente o que penso, acho que nenhuma das perguntas fere a dignidade de ninguém. Todas são necessárias para formar a convicção do eleitor e valem para qualquer um que dispute cargo público. Digo mais: o eleitor deve pesquisar, sim, sobre o histórico de cada candidato. Quem já disputou algum cargo público sabe que o cidadão quer saber tudo sobre a vida do candidato em quem pretende votar. Eu pergunto: se estas mesmas perguntas estivessem sendo feitas à ex-prefeita, a imprensa estaria fazendo todo este barulho?

Tentar atribuir a Marta Suplicy qualquer atitude discrminatória seria negar a trajetória política dela, que é marcada pela defesa intransigente dos direitos humanos e das minorias.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Defensoria Pública entra em greve hoje

A Associação Paulista de Defensores Públicos programou para hoje uma greve de cinco dias em todo o Estado pelo aumento do número de cargos e dos salários da categoria.

Segundo os organizadores da greve, um sistema de plantão será mantido durante a paralisação para fornecer atendimento emergencial à população. A entidade só designará defensores para os casos "que envolvam risco à vida e à segurança de usuários", segundo nota dos defensores.

A defensora pública-geral Cristina Guelfi Gonçalves deve se reunir amanhã com o secretário da Gestão Pública, Sidney Beraldo, para discutir dois anteprojetos sobre cargos e salários. Se os dois chegarem a um acordo, a categoria promete interromper a greve.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Kassab: R$ 1 bi para o metrô? Só no papel

Do Jornal da Tarde hoje (10)

"A 82 dias do fim do ano, a liberação dos R$ 1 bilhão da Prefeitura para o Metrô continua “empacada” nos R$ 275 milhões que foram enviados entre abril e agosto. Embora o prefeito e candidato Gilberto Kassab (DEM) diga que “investiu R$ 1 bilhão no Metrô”, o repasse dos outros R$ 725 milhões ainda em 2008 é incerto e depende de definições da Prefeitura (que deve decidir de onde vai tirar o dinheiro) e do Metrô (para saber onde vai usar).

Segundo o Sistema de Execução Orçamentária municipal (SEO), não haveria verba suficiente, nos cofres municipais, para cumprir a promessa. A Prefeitura tinha, ontem, superávit (sobra em caixa) de R$ 671 milhões, o que obrigaria cortes de R$ 54 milhões em outras áreas - isso caso nada mais fosse investido até 31 de dezembro - para que se chegasse nos R$ 725 milhões". Leia mais.

Dica de vídeo para seu fim de semana

Por Celina Sales

APENAS UMA VEZ (Once, Irlanda, 2006)

Sinopse:
O ganhador do último Oscar de Melhor Canção é uma produção independente que mistura com charme a amizade que surge entre dois músicos e sua paixão pela música. Ele (Glen Hansard) é um escocês que conserta aspiradores de pó à noite e, de dia, toca suas composições nas ruas de Dublin. Ela (Marketa Irglova) é uma imigrante tcheca que tenta sobreviver na Escócia, mas sente falta da música. Uma amizade baseada na paixão pela música surge entre os dois, que começam a compor e vivenciar experiências juntos. (www.cineclick.com.br)

Elenco:
Alaistair Foley, Catherine Hansard, Glen Hansard, Kate Haugh, Senan Haugh, Darren Healy, Gerard Hendrick, Bill Hodnett, Markéta Irglová, Danuse Ktrestova, Pat McGrath, Sean Miller, Geoff Minogue, Leslie Murphy, Mal Whyte.

Bom fim de semana!!!!

Clique aqui e ouça - ONCE: Falling Slowly - Música tema do filme, premiada com Oscar de melhor canção original 2008.

Um pouco de Elomar Figueira de Mello

Elomar nasceu em Vitória da Conquista, cidade que também deu vez a Glauber Rocha e Zu Campos, e depois de formar-se em arquitetura pela Universidade Federal da Bahia. Ocupa atualmente o cargo de Diretor de Urbanismo em sua cidade. Mas do que gosta realmente é de sua caatingueira, uma das mais ásperas do sertão brasileiro, onde cria bodes e carneiros.

Elomar canta Casa Dos Carneiros

ELOMAR Acompanhado no violão por seu filho, João Omar, o músico baiano apresenta o espetáculo "Elomar em Sertanílias", que precede o lançamento de seu livro, "Sertanílias". Espaço Cultural É Realizações - r. França Pinto, 498, Vila Mariana, região sul, tel. 5572-5363. 80 lugares. 20h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 70 (estudantes: R$ 50). Hoje dia 10, amanhâ dia 11 e domingo dia 12. Sempre as 20h.

Dicas de shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 10

CARTOLA 100 ANOS O espetáculo inédito celebra a obra do compositor Cartola, que faria cem anos em 2008. Elton Medeiros, seu célebre parceiro, entoa clássicos ao lado das pastoras As Damas do Samba e do Quinteto Afonso Machado. Paulinho da Viola é o convidado de hoje (dia 10). Teatro Fecap - av. Liberdade, 532, Liberdade, região central, tel. 3188-4149. 400 lugares.21h. 75 min. Não recomendado para menores de 12 anos. Ingr.: R$ 60 (estudantes: R$ 30). Valet (R$ 12).

ELOMAR Acompanhado no violão por seu filho, João Omar, o músico baiano apresenta o espetáculo "Elomar em Sertanílias", que precede o lançamento de seu livro, "Sertanílias". Espaço Cultural É Realizações - r. França Pinto, 498, Vila Mariana, região sul, tel. 5572-5363. 80 lugares. 20h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 70 (estudantes: R$ 50).

ZECA BALEIRO O recém-lançado CD "O Coração do Homem-Bomba" traz à cidade o músico maranhense, acompanhado da banda Os Bombásticos. Ska, samba-funk, reggaeton, rock e bolero marcam as novas composições. Citibank Hall - av. dos Jamaris, 213, Moema, região sul, tel. 2846-6000. 3.150 lugares. 22h. 90 min. Não recomendado para menores de 14 anos. Ingr.: R$ 50 e R$ 120 (estudantes: R$ 25 e R$ 60). CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 25). Ingr. p/ tel. 2846-6166.

AMANHÃ, DIA 11

BRUNA CARAM A jovem cantora de MPB apresenta faixas de seu primeiro álbum, "Essa Menina", lançado em 2007. Destaque para as canções "Signo de Câncer" e "Cavaleiro Andaluz". Tom Jazz - av. Angélica, 2.331, Higienópolis, região central, tel. 3255-3635. 200 lugares. 22h. 90 min. Não recomendado para menores de 18 anos. Couv. art.: R$ 30. CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 15).

CARTOLA 100 ANOS O cantor Zé Renato é o convidado deste sábado (dia 11). Teatro Fecap. 21h. Não recomendado para menores de 12 anos. Ingr.: R$ 60 (estudantes: R$ 30).
ELOMAR Espaço Cultural É Realizações. 20h. Livre. Ingr.: R$ 70 (estudantes: R$ 50).

DOMINGO, DIA 12

MAWACA Acompanhadas por mais de dez instrumentos, as sete cantoras mostram as diferentes tradições da cultura judaica, além de músicas modernas de Israel. Auditório Ibirapuera - pq. Ibirapuera - av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº, portão 2, Parque Ibirapuera, região sul, tel. 3629-1075. 800 lugares. 17h30. 60 min. Livre.

ELOMAR Espaço Cultural É Realizações. 20h. Livre. Ingr.: R$ 70 (estudantes: R$ 50). Ingr.: R$ 30 (estudantes: R$ 15). Estac. (portão 3 - sistema Zona Azul).

Fonte: Guia da Folha

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Marta e o segundo turno

Durante visita ao bairro de Parada de Taipas - Pirituba, região Noroeste de São Paulo Marta falou sobre o processo eleitoral para o segundo turno. Leia abaixo o que disse a candidata petista na tarde de hoje:

Sobre a cidade
"A cidade, principalmente a mais excluída, está desprotegida. A classe média também está desprotegida, não tem condições de transporte. E o rico está penando no seu automóvel, porque nunca passou tanto tempo parado no trânsito. Quero dizer que tenho competência para dizer que posso fazer a cidade funcionar como um todo".

Sobre o termo pejorativo "Dona Marta" utilizado pelo adversário
"Sou a dona Marta dos CEUs, do bilhete único, acho um orgulho tudo isso. Sou a dona Marta que fez tanta coisa por essa cidade. A maioria da população fala a Marta dos CEUs".

Sobre a recuperação dos votos
"O momento é agora e eu estou animada pra ir à luta", disse a petista se referindo à recuperação de votos. "Agora a gente tem que começar a recuperação desses votos. No segundo turno, as pessoas ficam mais focadas, porque não tem que decidir o voto de vereador".

Interesse eleitoreiro atropela Lei

Do Jornal da Tarde

"A Prefeitura descumpre há nove dias a Lei Municipal 14.127, que a obriga a tornar público o balanço trimestral de falta de vagas em creches. O secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider, afirmou ao JT que os números só serão divulgados em um mês, depois do 2º turno das eleições, por problema no sistema de cadastramento. O déficit de vagas em creches e a falta de divulgação da “fila de espera” foram usados pelo candidato do PSDB à Prefeitura, Geraldo Alckmin, para criticar o prefeito Gilberto Kassab (DEM) na campanha. O último registro aponta déficit de 110 mil vagas em creche.

Segundo Alexandre Schneider secretario da educação municipal, o atraso ocorreu por problemas no sistema de cadastro. “Os dados são inconsistentes. A gente não consegue fechar o volume de dados, já que, a princípio, a demanda deu número muito abaixo de junho. Depois, em nova rodada, o número deu muito acima do último balanço”. Leia mais.

Meu comentário: O fato acima nos leva a duas coclusões: Kassab e seu secretário de educação estão agindo de má fé com fins eleitoreiros ou então, estamos diante de agentes públicos incompetentes.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

O swing da voz de ouro da Paraíba

O paraibano Jackson do Pandeiro foi o maior ritmista da história da música popular brasileira e, ao lado de Luiz Gonzaga, o responsável pela nacionalização de canções nascidas entre o povo nordestino. Pelas cinco gravadoras que passou em 54 anos de carreira artística estão registrados sucessos como Meu enxoval, 17 na corrente, Coco do Norte, O velho gagá, Vou ter um troço, Sebastiana, O canto da Ema e Chiclete com Banana.

A história da sua carreira artística reforça a herança da influência negra na música nordestina - via cocos originários de Alagoas - que lhe permitiram sempre com o auxílio luxuoso de um pandeiro na mão se adaptar aos sincopados sambas cariocas e à música de carnaval em geral.

Dono de um recurso vocal único, ele conseguia dividir seus vocais como nenhum outro cantor na música popular brasileira. Seu maior mérito foi de ter levado toda riqueza dos cantadores de feira livre do Nordeste para o rádio e televisão, enfim para a indústria cultural. Grandes nomes da MPB lhe devotam admiração e já gravaram seus sucessos depois que o Tropicalismo decretou não ser pecado gostar do passado da música brasileira, principalmente, a de raiz nordestina.

O intérprete de uma música brasileira feita para dançar criou um estilo único de cantar. Nascido em Alagoa Grande, Paraíba, 31/08/19, numa família de artistas populares. Sua mãe, Flora Mourão, era cantora e folclorista de Pastoril e o batizou como José Gomes Filho o apelidou de Jack pelo sua semelhança física com um ator norte-americano de filmes de western dos anos 30, Jack Perry.

Jackson do Pandeiro canta "Sebastiana" TVE 1979

São Paulo ontem e hoje

RUA DA SANTA CASA (atual Rua da Glória), em 1862

RUA DA SANTA CASA (atual Rua da Glória), em 2006

Educação atropelada!

Hoje, li no jornal folha de São Paulo a seguinte notícia: "O governo José Serra (PSDB-SP) decidiu contabilizar como horário para preparação de aulas e correção de provas os intervalos de dez minutos entre as aulas na rede estadual.
A medida foi tomada para ajustar a rede à lei federal sancionada em julho que determinou que docentes do ensino básico devem ficar 33,3% da jornada em atividades extra-aula.

Como em São Paulo o percentual era de apenas 17,5%, o Estado, num primeiro momento, protestou contra a lei pois a mudança significaria gasto adicional alegado de R$ 1,4 bilhão (10% do Orçamento da área)".

Na verdade o que o governador está fazendo com esta medida é driblar a Lei federal sem nenhuma desfaçatez. Que absurdo!

Alguns especialistas consultados pelo jornal criticam a medida: "O professor não consegue fazer nada em dez minutos", afirmou o membro do Conselho Estadual da Educação de São Paulo, Joaquim Pedro Villaça de Souza Campos. Afirmou ainda: "Mas a principal mudança deveria ser fixar o professor em uma única escola. Hoje, ele fica mais tempo se deslocando para várias escolas do que estudando."
É bom lembrar que manter um professor em uma única escola é um projeto defendido pela ex-prefeita Marta que está disputando o segundo turno na cidade de São Paulo.

A proposta do governo do estado é tão repudiada pelos profissionais da educação que a presidente da Apeoesp (sindicato dos professores estaduais), Maria Izabel Noronha, disse que "a interpretação só convence a própria secretaria".
"Se ela [a secretária] não recuar, vamos fazer greve. São Paulo não pode atropelar uma lei federal",
afirmou Noronha.

Os especialistas estão certos, digo mais, não é possível imaginar uma educação de qualidade sem investir na qualificação profissional desta categoria. A previsão de atividades extra-aulas é uma medida que ajuda no preparo dos profissionais da educação. Este é o objetivo da lei sancionada pelo o presidente Lula que o Serra insiste em desrespeitá-la.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Um pouco de Ceumar

Mineira de Itanhandu, a cantora Ceumar cresceu com a música impregnada no dia-a-dia de sua casa, graças ao pai cantor na juventude, à mãe sempre ao pé do ouvido do rádio, às aulas de piano e teoria musical na infância. Acabou criando uma carreira consolidada, influenciada por música brasileira.

Aos 16 anos, Ceumar começou a dedilhar o violão. Aos 18, foi para Belo Horizonte estudar na Fundação de Educação Artística, onde estudou violão clássico e canto. Em 1995, resolveu mudar-se para São Paulo. Ganhou uma música de Zeca Baleiro, chamada Dindinha, que, mais tarde, deu nome a seu CD de estréia, em 2000, com produção do próprio Zeca.

Ceumar canta "Avesso"

Todo apoio à greve da Polícia Civil

A greve dos policiais civis de São Paulo, liderada pelo Adpesp (Associação dos Delegados do Estado de São Paulo) e sindicatos dos delegados, dos escrivães e dos investigadores, completa 22 dias hoje (7). Meu mandato apóia integralmente o movimento por achar justas as reivindicações da categoria. Afinal, o salário que o governo paulista paga a seus policiais civis e militares está entre as menores remunerações pagas a agentes públicos do mesmo gênero em outros estados da federação.

As principais reivindicações da categoria são: aumento linear de 15%, aposentadoria especial e a eliminação da quinta e da quarta classe de delegados (os menores salários pagos à categoria). Além disso, toda vez que um policial for promovido de classe, ganhará um aumento de 20%. Com essas melhorias, um delegado em início de carreira que hoje ganha R$ 3.708,18 passaria a receber um salário de aproximadamente R$ 6.300,00 - segundo a Adpesp.

Não é possível viabilizar um projeto de segurança pública eficiente sem valorizar os policiais e todos os agente públicos que atuam nessa área.

Desejamos sucesso ao movimento!

Oposição perde espaço

Os três principais partidos de oposição ao governo Lula foram os que mais perderam prefeituras no primeiro turno da eleição de domingo. O DEM deixará o poder em 176 cidades; o PSDB, em 109; e o PPS, em 70.

O presidente Lula resume: "Existem três partidos que estão muito nervosos: o DEM, porque perdeu muitas prefeituras, e o PSDB e o PPS, que perderam boas prefeituras".

Vereadores eleitos para a próxima legislatura em SP


Veja a lista dos vereadores eleitos em São Paulo e sua respectiva votação:

PT
Senival (PT)- 66.083
Arcelino Tatto (PT)- 59.250
Donato (PT) - 50.361
Francisco Chagas (PT) - 37.823
João Antonio (PT) - 33.899
Alfredinho (PT) - 33.395
Juliana Cardoso (PT) - 30.585
Ítalo Cardoso (PT) - 30.514
José Américo (PT) - 30.002
Zelão (PT) - 28.078
Chico Macena (PT) - 26.499

PMDB
Goulart (PMDB) - 90.022
Jooji Hato (PMDB) - 40.838

DEM
Milton Leite (DEM) - 80.023
Marta Costa (DEM) - 39.159
Marco Aurélio Cunha (DEM) - 38.394
Domingos Dissiei (DEM) - 37.734
Kamia (DEM) - 29.906
Carlos Apolinário (DEM) - 25.581
Sandra Tadeu (DEM) - 25.153

PR
Aurélio Miguel (PR) - 50.779
Antonio Carlos Rodrigues (PR) - 43.590
Toninho Paiva (PR) - 35.534
Agnaldo Timóteo (PR) - 26.163
Marco Cintra (PR) - 22.863

PSDB
Gabriel Chalita (PSDB) - 101.990
Mara Gabrilli (PSDB) - 79.874
Netinho (PSDB) - 54.683
Carlos Alberto Bezerra Jr. (PSDB) - 50.513
Adolfo Quintas (PSDB) - 34.197
Claudinho de Souza (PSDB) - 33.570
Juscelino (PSDB) - 32.480
Gilson Barreto (PSDB) - 32.050
Floriano Pesaro (PSDB) - 31.719
Souza Santos (PSDB) - 31.318
Ricardo Teixeira (PSDB) - 27.242
Dalton Silvano (PSDB) - 24.074
Gilberto Natalini (PSDB) - 23.858

PC do B
Jamil Murad (PC do B) - 28.129
Netinho de Paula (PC do B) - 84.307

PSB
Eliseu Gabriel (PSB) - 31.587
Noemi Nonato (PSB) - 30.713

PRB
Atílio Francisco (PRB) - 25.669

PDT
Claudio Prado (PDT) - 30.998

PV
Tripoli (PV) - 45.717
Penna (PV) - 25.799
Abou Anni (PV) - 22.604

PP
Wadih Mutran (PP) - 26.037
Missionário José Olímpio (PP) - 28.902

PSC
Marcelo Aguiar (PSC) - 41.474

PTB
Celso Jatene (PTB) - 49.774
Adilson Amadeu (PTB) - 41.668
Paulo Frange (PTB) - 36.870

PPS
Claudio Fonseca (PPS) - 21.026
Dr. Milton Ferreira (PPS) - 14.873

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Um pouco de Lenine

Paciência - Lenine

Meus sinceros agradecimentos

Ao retomar as atividades do blog, deixo meus sinceros agradecimentos aos 33 mil 899 eleitores que votaram em mim ontem (5). Estendo minha satisfação pelo trabalho de todos aqueles que me apoiram na condução de mais uma campanha eleitoral vitoriosa

Ao me reconduzir à Câmara Municipal de São Paulo para o meu terceiro mandato de vereador, o eleitorado de diversas regiões da Capital reforçou sua confiança no meu trabalho - que tem uma participação coletiva marcante.

Os novos desafios já estão postos e espero continuar correspondendo a mais esta demonstração de confiança e de atitude dos que acreditam numa São Paulo melhor.