segunda-feira, 30 de junho de 2008

Tropa de choque tucana arquiva mais uma CPI

Da Folha Online:

CPI da Eletropaulo é arquivada sem pedidos de indiciamento; Alstom não entrou no relatório

"A CPI da Eletropaulo na Alesp (Assembléia Legislativa de São Paulo), que investiga supostas irregularidades no processo de privatização da estatal paulista de energia, foi arquivada nesta segunda-feira sem pedidos de indiciamento. A Alstom, multinacional francesa acusada de pagar propina a tucanos para obter vantagens em contratos --inclusive com a Eletropaulo-- e que chegou a ser investigada pela CPI, também não foi citada no relatório final.

O relatório do deputado João Caramez (PSDB) foi aprovado por cinco votos dos deputados do PSDB, DEM, PSB, PV e PV contra um, do PT". Leia mais.

Comentário: Com esta, são dezenas de CPIs barradas pelo tucanato. Não se investiga nada em São Paulo por conta da ação da tropa de choque tucana! Este é o PSDB - 20 anos escondendo a sujeira debaixo do tapete!!!

Alckmin faz 'descoberta' em São Paulo

O jornal O Estado de S. Paulo de hoje (30) revelou uma 'descoberta' feita pelo ex-governador Geraldo Alckmin em suas andanças de campanha pela cidade: a escuridão toma conta da Capital. Curioso como ele, que diz ter o apoio do governador e ex-prefeito Serra, não saiba que o seu partido e o partido do prefeito Kassab - que continuam governando a cidade - são os responsáveis pelo abandono do programa de iluminação pública criado pela ex-prefeita Marta.

Não custa lembrar que um dos motes maliciosos da campanha de Serra à Prefeitura em 2004 foi a existência da taxa de iluminação pública - que seus maqueteiros atribuíam a Marta e ao PT. Ele prometia acabar com isso e com aquilo, pois considerava que "a arrecadação não justificava a cobrança".

Para ajudar a refrescar a memória de Serra, de Alckmin e de Kassab sobre o tema - afinal o trio forma a famosa "farinha do mesmo saco" -, publico abaixo um trecho de uma matéria publicada no dia 8 de março deste ano pelo mesmo Estadão que diz o seguinte:

Só 6% da taxa de luz é aplicada em expansão da rede

Em 5 anos, Prefeitura arrecadou R$ 800 milhões; há um déficit de 20 mil pontos de iluminação nas ruas

"A taxa de luz criada em 2003 rendeu aos cofres públicos de São Paulo R$ 791,6 milhões em cinco anos, quantia maior que todo o orçamento previsto em 2008 para uma cidade como Santos. Mas, no mesmo período, o investimento feito pelo governo municipal na ampliação da rede para o fornecimento de energia elétrica da capital não ultrapassou R$ 41 milhões, menos de 6% do que foi arrecadado. O valor cobrado pela Prefeitura varia de acordo com o tipo do imóvel, sendo R$ 3,50 para residências e R$ 11 para comércio".

Em português claro isso quer dizer o seguinte: Alckmin vai usar da mesma artimanha do Serra e do Kassab e fazer de conta que não é com eles (tucanos e demos), enquanto a cidade permanece às escuras por dois motivos - a inoperância e a incompetência do tucanato e aliados. No Estado e na Capital.

Leia mais sobre a matéria do Estadão acima.

Caminhões vão tentar parar SP

Do Jornal da Tarde hoje (30)

A partir de hoje, a Prefeitura de São Paulo pretende tirar de circulação 85 mil caminhões do Centro Expandido. Mas, se depender dos caminhoneiros, isso não representará menos trânsito. Eles ameaçam atrapalhar o tráfego (veja ao lado) ocupando os acostamentos da Marginal do Tietê e fazendo comboios em protesto à restrição de circulação de caminhões.

Os impactos positivos e negativos da medida podem ser maquiados por um detalhe: hoje começam as férias escolares. 'Naturalmente o trânsito fluirá melhor', disse o consultor em transporte Horácio Figueira.

E, para evitar constrangimentos, desta vez o rodízio não será suspenso. No ano passado, a Prefeitura liberou os veículos da restrição nesta época do ano, mas os congestionamentos recordes fizeram o prefeito Gilberto Kassab retomar o rodízio antes do previsto".

domingo, 29 de junho de 2008

Ato político na convenção do PT


A convenção do Partido dos Trabalhadores, realizada neste domingo no Expo Barra Funda, terá ato político às 15h. Grande número de lideranças nacionais, municipais e estaduais petistas deve prestigiar a ex-prefeita Marta Suplicy e o deputado federal Aldo Rebelo (PC do B), vice na chapa do PT.

Na última sexta-feira, o PT apresentou a composição de apoio a Marta na disputa de outubro próximo. A coligação encabeçada pela ex-prefeita será composta pelo PT, PC do B, PSB, PDT, PRB e PTN.

sábado, 28 de junho de 2008

Os reis do sumiço

Ainda na Folha de hoje, uma matéria do caderno Brasil informa que o governador José Serra (PSDB) teria 'sumido' com o ex-governador tucano Geraldo Alckmin ao não mencionar a 'participação' deste na obra de extensão da Jacu-Pêssego (ligação com a rodovia Ayrton Senna), na região de São Miguel Paulista e Guarulhos.

Se é verdade que Serra deu sumiço no nome de Alckmin ao esconder que a parte recente do convênio entre Estado e Prefeitura foi assinado quando o ex-governador estava ainda no cargo, vale lembrar que Kassab, Serra e a própria Folha esqueceram de mencionar quem deixou boa parte da obra pronta: a ex-prefeita Marta Suplicy.

Por sorte, a trinca de Mister M não sumiu com o nome do governo federal da obra, pois mais da metade do dinheiro foi liberado pelo governo do presidente Lula.

Campanha 'turbinada' com verba pública

A seção Tiroteio, do Painel da Folha de S. Paulo deste sábado (28), trouxe uma frase minha acerca do 'turbinaço' na campanha do prefeito Kassab com o incremento das verbas de publicidade da Prefeitura em pleno ano eleitoral:

"Mesmo fazendo campanha com dinheiro público, não há publicidade que esconda os quatro anos de má administração" - Do vereador João Antonio (PT), sobre o aumento nos gastos de publicidade anunciado pela gestão Gilberto Kassab (DEM).

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Bloco de Esquerda sela apoio a Marta em SP


A tarde desta sexta-feira marcou a apresentação da coligação de partidos de esquerda liderados pela ex-prefeita Marta Suplicy (PT) e pelo deputado Aldo Rebelo (Pc do B) que disputarão a Prefeitura de São Paulo em outubro próximo. O Bloco de Esquerda marchará unido para "recolocar São Paulo nos trilhos", afirmou o presidente do PT Municipal, vereador José Américo. Representantes nacionais, municipais e estaduais do PT, do PC do B, do PSB, do PDT, do PRB e do PTN mostraram disposição para uma das disputas que devem marcar a cidade nos próximos meses.

MARTA - Em seu discurso, Marta Suplicy destacou as bandeiras histórias do PT e dos partidos de esquerda durante seu governo que se tornaram referência nacional e internacional, e que também foram implementadas em nível nacional pelo governo Lula, dentre as quais os programas sociais e todo o leque de ações na educação e na inclusão social.

"Este bloco de partidos de esquerda tem lado: o lado da inclusão social. A disputa vai ser entre o nosso projeto de inclusão e o deles, da enrolação social", frisou Marta para uma platéia de militantes que lotou um hotel na região dos Jardins.

ALDO - O companheiro de chapa de Marta Suplicy, o deputado federal Aldo Rebelo, disse que seu partido se sentia "feliz com a aliança" e que o objetivo é retomar as ações sociais, a justiça e a melhoria da qualidade de vida dos paulistanos.

Também falaram no evento representantes dos demais integrantes do Bloco de Esquerda.

Sexo seguro

O Estado de S. Paulo - Fernanda Aranda

"Ministério da Saúde quer estimular comportamento seguro entre jovens. Para encurtar a distância entre os adolescentes e a camisinha, o Ministério da Saúde, até o final do ano, vai implantar 400 dispensários de preservativos em escolas públicas do País. O funcionamento é parecido com o das máquinas de refrigerante. Basta inserir a ficha para sair a peça-chave do sexo seguro. A distribuição será gratuita.

“A proposta é estimular o comportamento seguro entre os jovens. Os dispensários evitam o possível constrangimento de solicitar a camisinha ao agente de saúde ou educador”, diz Eduardo Barbosa, diretor adjunto do programa nacional de aids. “Mas a escola só recebe a máquina se já participar de programa de educação sexual do ministério.”

O governo federal ainda não definiu quais escolas vão receber os dispensários. O custo unitário de produção da máquina é de R$ 400. Se chegarem à capital paulista, serão bem vindas, afirma Sandra Maria Monetti, assessora técnica do projeto da Prefeitura Aprendendo com Saúde. “Estamos em um processo de aproximação entre a educação e a saúde. Uma demanda dos professores é justamente o debate sobre a educação sexual dos estudantes”, diz .

A educação sexual é apontada como forma mais eficaz de reduzir o índice atual de 14,1% de gravidez na adolescência na Capital e a presença cada vez mais freqüente de meninos e meninas nas estatísticas de aids. Para diminuir o número, este ano, a Secretaria Municipal de Saúde realizou 22 oficinas nas escolas para estimular a prevenção. “A idéia das máquinas é sensacional. A camisinha fica ao alcance do jovem, rompe a barreira da vergonha. Hoje, os adolescentes não usam o preservativo por falta de intimidade”, acredita o psiquiatra Içami Tiba".

Dica de filme para seu fim de semana

Por Celina Sales

O GÂNGSTER (American Gangster, EUA, 2007)

Sinopse:

Ambientado na Nova York da década de 1970, o longa mostra a trajetória de Frank Lucas (Denzel Washington), o maior gângster que já existiu na cidade. À frente dos negócios de seu ex-chefe, conhecido como "Bumpy" (Clarence Williams III), ele vai até o Vietnã, em plena guerra contra os EUA, atrás de matéria-prima para vender heroína mais pura e barata encontrada no mercado norte-americano, concorrendo diretamente com a máfia italiana. Paralelamente, o policial Richie Roberts (Russell Crowe) começa a se dar conta de que algo está mudando no dia-a-dia das ruas da cidade.

Elenco:

Denzel Washington, Russell Crowe, Carla Gugino, Chiwetel Ejiofor, Josh Brolin, Lymari Nadal, Ted Levine, Roger Guenveur Smith, John Hawkes.

Bom fim de semana!!!!

Um pouco de Renato Braz

Renato Braz

Nascido em São Paulo, Renato Braz cresceu com a música. Aos quinze anos começou a se familiarizar com a percussão e logo assumiu o posto de baterista tocando nas noites.

Como vocalista e baterista, Renato Braz cresceu cantando em festivais. O artista teve a chance de se apresentar ao lado de grandes nomes da música brasileira como Luiz Melodia, Antônio Nóbrega e Ney Matogrosso, ganhando reconhecimento e público.

Em sua carreira de sucesso, lançou, entre outros, o disco Outro Quilombo, com interpretações de músicas de Caetano Veloso e Gilberto Gil. Esta obra foi ganhadora do Prêmio Visa "Edição Vocal de 2002" e elogiada pela crítica do país inteiro. Em 2003 foi mais uma vez premiado com o seu disco, Quixote, na categoria "Melhor Cantor" no Prêmio Visa de MPB.

Renato Braz canta a música Desenredo

Dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 27

DONA IVONE LARA E BANDA HAVANA A inusitada união da sambista com o grupo latino faz parte do projeto Conexão Latina, que pretende promover encontros de artistas da música sul-americana e brasileira.www.memo rial.sp.gov.br. Memorial da América Latina - auditório Simón Bolívar - av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, região oeste, tel. 3823-4600. 876 lugares. 21h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 10 (p/ estudantes: R$ 5). Estac. (R$ 10).

GRUPO NHAMBUZIM COM RENATO BRAZ E PAULO FREIRE Criado por Edson Pena e Wagner Dias, o grupo se inspira na obra de Guimarães Rosa para compor suas músicas. Neste show, Renato Braz e Paulo Freire fazem participações especiais.www.centrocultural.sp. gov.br. Centro Cultural São Paulo - sala Adoniran Barbosa - r. Vergueiro, 1.000, Liberdade, região central, tel. 3383-3402. 631 lugares. 19h. 90 min. Livre. Retirar ingr. c/ uma hora de antecedência.

NEW YORK SKA - JAZZ ENSEMBLE Formado em 1994, o sexteto norte-americano mescla jazz e ska e vem pela primeira vez ao Brasil. Na apresentação estarão presentes canções próprias e versões de standards, como "Take Five" e "Mood Indigo".www.infernoclub.com.br. Inferno Club - r. Augusta, 501, Consolação, região central, tel. 3120-4140. 600 lugares. 1h30. 60 min. 18 anos. Ingr.: R$ 40 (antecipado) e R$ 50. CC: AE, D, M e V.

VÂNIA BASTOS "Tocar na Banda", o mais recente trabalho da cantora, é apresentado neste pocket show, que conta com a participação do músico Ronaldo Rayol.www.sescsp.org.br. Fnac - fórum eventos - av. Paulista, 901, Bela Vista, região oeste, tel. 2123-2000. 60 lugares. 19h. 45 min. Livre. Estac. (R$ 9 a 1ª h mais h adicional, na al. Santos, 960 - convênio).

AMANHÃ, DIA 28

BERNARDETE FRANÇA .A cantora divulga a música popular nordestina, com sucessos de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Marinez.www.sescsp.org.br. Sesc Santana - jardim - av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana, região norte, tel. 2971-8700. 18h. 60 min. Livre. Estac. (R$ 3,50 a R$ 7 a 1ª h mais h adicional).

CHICO CÉSAR Sesc Pompéia. 21h. 18 anos. Ingr.: R$ 5 a R$ 20.

ORQUESTRA TOM JOBIM Regida pelo Maestro Roberto Sion, a orquestra conta com a participação especial de Roberto Menescal e Luis Roberto Oliveira para o concerto "Bossa Nova, Rio-Sampa".www.memorial.sp.gov.br. Memorial da América Latina - auditório Simón Bolívar - av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, região oeste, tel. 3823-4600. 876 lugares. 21h. 90 min.
Livre. Retirar ingr. c/ 30 min. de antecedência. Estac. (R$ 10).

DOMINGO, DIA 29

DEREPENTE! Formado em 2005 por Andrei Fossari (piano e violões), Denis Shima (saxofones e clarinete), Bruno Ladislau (contrabaixo) e Bruno Iasi (bateria e percussões), o quarteto de música instrumental Fossari Group encabeça o projeto Derepente! e recebe o violonista Chrystian Dozza. O grupo aproveita para lançar seu primeiro álbum. Pq. Ibirapuera - av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº, Parque Ibirapuera, região sul, tel. 5574-5177. 11h. 90 min. Livre. Estac. (sistema Zona Azul - portão 3).

TITA LIMA Filha do produtor Liminha, a cantora e compositora apresenta sua mistura de MPB, samba-jazz, bossa nova, frevo e dub. O show tem participação de Romulo Fróes, Tatá Aeroplano, Claudia Dorei, Leo Cavalcanti e Carlos Pontual. Auditório Ibirapuera - av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº, portão 2, Parque Ibirapuera, região sul, tel. 3629-1077. 800 lugares. 19h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 30 (p/ estudantes: R$ 15). Estac. (sistema Zona Azul).

Fonte Guia da Folha

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Câmara aprova Lei das Diretrizes Orçamentárias

A Câmara Municipal de São Paulo encerrou hoje o primeiro semestre legislativo de 2008 com a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2009 - cuja previsão de receitas é da ordem de R$ 26 bilhões.

EMENDAS DO PT - * Na primeira votação da LDO, semana passada, o relator Milton Leite já havia incorporado ao texto várias sugestões do PT, como ampliação das audiências públicas (o PT queria 31, mas serão 7), disponibilização ao público do acesso ao SEO nas subprefeituras, prioridade de investimentos nas subprefeituras de maior vulnerabilidade social e obrigação de que as dotações orçamentárias indiquem claramente o destino dos recursos.

Pelo texto final aprovado, o relator do projeto incorporou mais o seguinte proposto pelo PT: ampla divulgação do local e data das audiências, com 10 dias de antecedência; obrigação de discriminar os recursos transferidos às entidades sociais em rubricas próprias, entre outras.

* Com informações da Assessoria de Imprensa da Liderança do PT na Câmara Municipal.

Campanha Limpa: PT ganha apoio das bancadas

Dia 11 passado postei aqui uma nota falando sobre a iniciativa da bancada do PT na Câmara Municipal de propor o que chamei de Campanha Limpa. A proposta petista era que os candidatos nestas eleições não pintassem os muros com propaganda eleitoral. Veja aqui a nota do blog.

O PT acabou convencendo todas as bancadas com assento no parlamento e o plenário da Casa aprovou no final da tarde de hoje (26) o Substitutivo ao PL 533/08, que "dispõe sobre vistorias periódicas em marquises e sacadas e sobre propaganda nos lugares que especifica e dá outras providências". O projeto foi aprovado em segunda votação e vai a sanção do Executivo.

Com isso, a cidade deve ter uma campanha eleitoral visualmente limpa e mais próxima do espírito que o eleitorado espera e gostaria de ver.

LDO de Serra reduz programas sociais

Bancada do PT na Assembléia

"Nesta semana, a Assembléia Legislativa de São Paulo deverá votar a LDO/2009- enviada pelo governador José Serra. Dados analisados pela Bancada do PT apontam que, embora o Estado já tem arrecadado R$ 2,3 bilhões além do previsto para o ano, fará um corte de 360 mil famílias nos programas sociais estaduais.

No período de janeiro a abril de 2008, o governo realizou 39,13% das receitas do Estado, ou seja, nos primeiros quatro meses foram arrecadados mais de R$ 29 bilhões. Estes números apontam que o excesso de arrecadação tributária neste período, já atingiu o valor de R$ 2,3 bilhões, segundo previsão da própria Secretaria da Fazenda.

No entanto, na projeção da LDO/2009 – Lei de Diretrizes Orçamentária enviada para a Assembléia, que poderá deliberada nesta semana, o governador excluirá dos programas sociais Ação Jovem, Renda Cidadã e Viva Leite, uma média de 360 mil famílias, que significa cerca de 1 milhão e 200 mil pessoas". Leia mais.

Petistas gaúchos pedem indiciamento de Yeda

Do Valor Econômico hoje (26)

"A bancada do PT na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul propôs ontem o indiciamento da governadora Yeda Crusius (PSDB) no relatório da CPI sobre desvios de R$ 44 milhões no Departamento de Trânsito do Estado (Detran), que deverá ser apresentado no dia 2 de julho e votado dois dias depois. A sugestão foi entregue pelos deputados Elvino Bohn Gass e Stela Farias, que participam da comissão, ao relator Adilson Troca, do PSDB, mas ele já descartou acatar a proposta.

O PT quer ainda o indiciamento dos ex-secretários Cezar Busatto (Casa Civil), Delson Martini (Secretaria Geral de Governo), Ariosto Culau (Planejamento) e Marcelo Cavalcante (escritório de representação do Estado em Brasília), que caíram depois de ter seus nomes ligados ao caso. A lista inclui também o deputado federal José Otávio Germano (PP) e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, João Luiz Vargas. Nenhum está entre os 40 réus do processo aceito pela Justiça Federal, mas quanto a eles Troca não se manifestou.

"A Polícia Federal e o Ministério Público fizeram a sua parte e agora estamos fazendo a nossa denunciando quem teve responsabilidade política na criação e manutenção do esquema", disse Bohn Gass. De acordo com ele, diante da recusa do relator em indiciar a governadora (o que daria argumentos para um pedido de impedimento), o partido estuda alternativas como um relatório paralelo ou uma representação direta ao Ministério Público Estadual".

Sylvinha Araújo morre aos 56 anos

A cantora Sylvinha Araújo, 56, morreu na quarta-feira (25), em São Paulo, no hospital 9 de Julho, em decorrência de um câncer de mama.

Símbolo da jovem guarda, movimento que se tornou popular no Brasil na década de 60, Sylvinha estava internada desde o último dia 4, em função do agravamento da doença que enfrentava há 12 anos.

Segundo informações da assessoria de imprensa do hospital, a cantora morreu às 20h35 do dia 25 de junho.

Sylvinha nasceu em Mariana (MG) e completaria 57 anos em 16 de setembro. Ela era mulher do cantor Eduardo Araújo, com quem tinha dois filhos.

Um pouco de Silvinha Araújo

Sylvinha Araujo e Domiguinhos (Prêmo Carmen Prudente)

Sylvinha Araújo canta Quem Vai Cuidar de Mim

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Cancelamento de débitos da Taxa do Lixo

Protocolei hoje (25) na Câmara Municipal o Projeto de Lei 441/08 que propõe o cancelamento dos créditos que a Prefeitura de São Paulo tem a receber da Taxa de Resíduos Sólidos Domiciliares - TRSD (a Taxa do Lixo) - extinta pela Lei 14124/05. Conforme o Diário de S. Paulo noticiou na edição desta quarta-feira, 116 mil contribuintes ainda têm débitos relativos a essa taxa.

A proposta prevê que a Prefeitura ficará desobrigada de cobrar dos contribuintes aquilo que já foi extinto em lei, tendo inclusive respaldo em projeto de lei do próprio executivo (PL 133/08) aprovado ontem na Câmara que abre à Procuradoria Geral do Município a possibilidade de não ajuizar ações de cobrança de créditos até o valor de R$ 610,00. Na prática, esse tipo de cobrança acabava custando mais aos cofres municipais do que os valores que seriam arrecadados.

Com uma previsão orçamentária da ordem de R$ 26 bilhões (vinte e seis bilhões de reais) para o ano de 2009 - conforme a proposta enviada pelo prefeito -, a Prefeitura tem plenas condições de abrir mão das receitas remanescentes da antiga taxa.

Ibope aponta Marta na liderança em São Paulo

A ex-prefeita Marta Suplicy (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) estão na frente na disputa pela prefeitura de São Paulo em pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira. Marta, cuja candidatura será oficializada no próximo domingo, tem 31% das intenções de voto. Alckmin aparece com 25%. O prefeito Gilberto Kassab (DEM) aparece em terceiro com 13% das intenções de voto.

Marta e Alckmin variaram dentro da margem de erro em relação à pesquisa divulgada no dia 3 de junho. Kassab se manteve estável. No início do mês, a petista tinha 30% e o tucano 28%.

Acordo com o "Bloquinho" vai ser anunciado na sexta

O PT de São Paulo fechou acordo com o PCdoB, PRB e PDT que define a participação do deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), ex-presidente da Câmara, como candidato a vice-prefeito na chapa da ex-prefeita Marta Suplicy (PT).

O anúncio oficial deverá ocorrer em um ato político marcado para sexta-feira às 14h, em local ainda não definido. Um dos integrantes do chamado Bloco de Esquerda, o PSB deverá definir sua posição dentro do bloco até sexta-feira (27).

"Acho natural ter discussão, mas as coisas caminham para um desfecho muito positivo para a coligação", disse o presidente do diretório municipal do PT, vereador José Américo.

Aldo e Marta devem participar das convenções de todos os partidos no próximo fim de semana.

Presidentes dos diretórios municipais de todos os partidos do chamado Bloquinho se reuniram na Câmara Municipal de São Paulo com o coordenador da campanha de Marta, o deputado estadual Rui Falcão (PT)
A presidente do PCdoB, Julia Roland afirmou que o acordo está fechado, mas acrescentou que o PSB ainda tem ressalvas que precisam ser discutidas. "São detalhes que eles querem discutir, mas que não inviabilizam o acordo", afirmou.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Após jogar para Alckmin, Serra dá força a Kassab

Do blog do noblat - Charge do neo
Do jornal O Estado de São Paulo

Um dia depois de atuação decisiva para a escolha do ex-governador Geraldo Alckmin como candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, o governador José Serra (PSDB) dividiu ontem com o prefeito Gilberto Kassab (DEM) os holofotes do anúncio de um financiamento bilionário para a rede de trens do Estado e para o metrô. O evento foi na sede do governo estadual e inicialmente não constava da agenda do prefeito.

Candidato à reeleição e agora adversário de Alckmin, Kassab posou para fotos ao lado de Serra, discursou durante a cerimônia e ressaltou a importância do empréstimo para a melhoria do transporte público. A prefeitura, no entanto, não teve nenhuma participação na parceria nem nos investimentos divulgados. Leia mais.

Melhor para a cidade

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou na tarde de hoje (24) um projeto de lei que altera o modo como a Prefeitura de São Paulo procederá na instauração de processos de cobrança de débitos tributários e não tributários devidos ao município.

Pelo PL 133/08, que foi aprovado em segundo turno e vai a sanção do prefeito, a Procuradoria Geral do Município será autorizada a não entrar com ações ou execuções fiscais de débitos de pequeno valor. Além disso, o PL dispõe sobre o cancelamento de débitos, quando alcançados por prescrição, e altera a lei 14.107, de 2005.

A Bancada do PT votou favorável ao projeto por entender que se trata de uma iniciativa boa para a cidade e para o Tesouro Municipal.

Alstom/PSDB: propinas de US$ 31 milhões


O caso Alstom/PSDB mostra "números robustos" à medida em que as investigações no exterior avançam - a despeito do governo tucano de José Serra barrar toda e qualquer tentativa de investigação em São Paulo. O jornal O Estado de S. Paulo desta terça-feira (24) traz novos dados sobre mais este escândalo envolvendo o tucanato. Veja um trecho da matéria assinada por Eduardo Reina:

Alstom girou US$ 31 mi em propina, diz auditoria

Parte desse dinheiro teria ido para integrantes do PSDB de São Paulo entre 1995 e 2003

"Auditores da KPMG Fides Peat, na Suíça, que trabalharam para a comissão bancária federal, descobriram documentos que detalham o envio ilegal de cerca de 20 milhões - algo em torno de US$ 31 milhões - para a Alstom. O dinheiro teria sido enviado para empresas fantasmas e contas em bancos na Suíça e em Liechtenstein. O destino final seria servidores públicos que negociaram com funcionários da empresa francesa no Brasil, Venezuela, Cingapura e Indonésia.

Acredita-se que o montante dos contratos obtidos mediante o suborno somava pelo menos US$ 200 milhões e que as comissões eram de, no mínimo, 15%. Entre os contratos conquistados estaria o de uma usina hidrelétrica no Brasil, que foi concluída em 2001, além de outros na Venezuela, Cingapura e Indonésia. Nesse valor total está incluído pelo menos um com o Metrô de São Paulo. Alguns dos projetos, incluindo o metrô, tiveram parte do financiamento bancado pelo Banco Mundial. Esse esquema teria funcionado entre 1995 e 2003. Até 1997, o pagamento de remuneração a servidores era legal na França.

As Justiças suíça e francesa tentam descobrir a identidade de um intermediário no Brasil identificado como Cláudio Mendes. Ele teria sido o principal canal para os supostos pagamentos de propina no País. De acordo com o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) da Suíça, para ganhar contratos com o governo paulista, o suborno teria como destino o “partido no poder” em São Paulo em 1997 - o PSDB -, o Tribunal de Contas e a Secretaria de Estado de Energia".

LEMBRETE - Não custa lembrar que esse período em que as propinas de milhões de dólares eram pagos por essa multinacional corresponde aos governos Mário Covas e Geraldo Alckmin - este último como vice e depois como governador do Estado.

A pauta da semana na Câmara Municipal

Do Boletim PT Câmara SP:

Câmara convoca sessões extras para votar projetos antes do recesso

"Com a iminência do recesso de julho (que começa no dia 1º, próxima terça-feira), a Câmara Municipal inicia esta semana com a previsão de realização de várias sessões deliberativas. O objetivo é limpar a pauta de votações. Para hoje, foram convocadas cinco sessões extraordinárias.

Até quinta-feira, vários projetos de autoria de vereadores devem ser colocados em votação, bem como propostas do Executivo. Entre elas, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (PL 229/08), que já foi aprovada em primeira fase de deliberação na semana passada".

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Um dos resultados dos programas sociais

Da BBC Brasil, no UOL Economia:

Desigualdade entre salários de ricos e pobres cai 7% desde 2002, diz Ipea

"A desigualdade entre os rendimentos dos trabalhadores brasileiros caiu quase 7% entre o quarto trimestre de 2002 e o primeiro de 2008, indica um estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgado nesta segunda-feira.

PROGRAMAS SOCIAIS - Para Márcio Pochmann (presidente do Ipea), a redução da desigualdade é conseqüência do crescimento econômico com estabilidade monetária e articulado com políticas sociais". Leia mais.

Os Aliados


Se fosse uma novela, o capítulo da "disputa que não houve" na convenção do PSDB poderia ser chamado de Os Aliados. Pelo menos é o que indicam as declarações dos tucanos Geraldo Alckmin e José Serra e do prefeito Gilberto Kassab. Um resumo dessas declarações daria para compor o capítulo. Senão vejamos:

GILBERTO KASSAB - "Minha candidatura está posta, com propostas e aliados. É uma candidatura que tem no PSDB um grande aliado e continuará a ter no PSDB um grande aliado" (O Estado de S. Paulo).

GERALDO ALCKMIN "Estive com ele (Serra) em todas as campanhas e estarei nas futuras" (idem).

JOSÉ SERRA - "Nós vamos apresentar como nosso candidato para a cidade alguém (...) que foi um grande candidato a presidente da República e tem todas as condições de ser um grande prefeito" (Folha de S. Paulo).

Torturadores na mira do Ministério Público


Do site Carta Capital

"O delegado Dirceu Gravina sentiu tremores e falta de ar quando indagado, na terça-feira 17, em frente à delegacia de polícia onde trabalha, em Presidente Prudente (SP), sobre suas atividades nos porões do DOI-Codi (Departamento de Operações de Informações e Centro de Operações de Defesa Interna) de São Paulo, no início dos anos 70. Gravina, conhecido na época pelo codinome JC, quase perdeu a fala. Ele é citado por ex-presos políticos como um dos mais ferozes torturadores brasileiros no período da ditadura militar no País. Gravina nega. Mas tem motivos para se preocupar.

Passados mais de 30 anos, os generais brasileiros responsáveis por torturas, mortes e desaparecimentos inexplicáveis não foram levados aos tribunais. Mas os agentes envolvidos na repressão política no País ainda temem cobranças pelos crimes que praticaram. Familiares dos mortos e desaparecidos também insistem na aplicação de punições, a exemplo do que ocorreu em países como Argentina e Chile.

Duas famílias, a Silva Telles (com cinco de seus representantes) e a de Luiz Eduardo Merlino, movem processos na Justiça contra acusados de assassinatos e tortura. Agora, o Ministério Público Federal (MPF) também encaminhou ação à Justiça Federal para responsabilizar civilmente torturadores e autoridades da época da ditadura militar no Brasil por crimes cometidos no DOI-Codi paulista, entre 1970 e 1976. A Procuradoria-Geral da República de São Paulo avalia que agentes públicos, “notadamente da União Federal”, praticaram abusos e atos criminosos contra opositores ao regime, “em violação ao princípio da segurança pessoal”.

Ilegalidades ocorridas naquela instituição militar, como as prisões ilegais, torturas, homicídios e desaparecimentos forçados, são consideradas pelo Ministério Público como crimes de “lesa-humanidade”. A ação lembra que o Comitê de Direitos Humanos da ONU recomendou ao governo brasileiro que torne públicos os documentos sobre violações aos direitos humanos no País e responsabilize os autores de todos esses crimes.

A ação tem alvos específicos: os então comandantes do DOI-Codi naquele período, o hoje coronel do Exército Carlos Alberto Brilhante Ustra, que vive em Brasília, e o tenente-coronel Audir Santos Maciel, do Rio de Janeiro. Ustra já responde a processos de responsabilização das famílias Telles e Merlino. Caso o pedido do MPF seja aceito, ele e Maciel não poderão mais exercer cargos públicos". Leia mais.

domingo, 22 de junho de 2008

Não baterão chapa

Da Folha de S. Paulo, hoje (22):

Kassabistas desistem, e PSDB deve referendar hoje Alckmin

"Por conta de um acordo costurado ontem na última hora e patrocinado pelo governador José Serra, o PSDB paulistano deve referendar hoje, sem disputa, o nome do médico Geraldo Alckmin, 55, para disputar a Prefeitura de São Paulo.

Serra retornou ontem de uma viagem ao exterior e pôs fim a uma disputa que ameaçava a pré-candidatura natural de seu antecessor no Palácio dos Bandeirantes (2001-2006), já que havia uma chapa inscrita na convenção com o propósito de apoiar a reeleição de Gilberto Kassab (DEM).

Temendo ser responsabilizado pela derrota de Alckmin e até mesmo por um quebra-quebra na convenção de hoje, já que os ânimos estavam muito exaltados, Serra deu ordem a seu grupo para que as armas fossem temporariamente depostas. Ele teria dito, segundo a Folha apurou, que o embate se dará nas urnas e será referendado pela população". Leia mais na Folha Online.

sábado, 21 de junho de 2008

Jackson do Pandeiro em vídeo 29 anos atrás

Jackson do Pandeiro sempre dispensou apresentações por sua genialidade e por seu espírito inovador. Um vídeo dele na TVE, datado de 1979, mostra seu jeito ímpar na interpretação do clássico Sebastiana. Clique abaixo e sinta o prazer de rever, graças ao Youtube, um dos maiores nomes da música brasileira de todos os tempos:

Entidade financiou senadora do DEM

Veja trechos de reportagem de Veja desta semana reproduzidos no Blog do Noblat:

Quem financiou a campanha da senadora Kátia Abreu

"A pecuarista Kátia Abreu, eleita senadora pelo estado do Tocantins nas últimas eleições, ganhou recentemente o apelido de Ivete Sangalo do Congresso, graças ao seu jeito barulhento de fazer política – e se projetou como estrela do Democratas.Kátia Abreu emplacou seu primeiro hit no fim do ano passado, quando ajudou a articular a derrubada da CPMF no Senado. Ela já partiu atrás do segundo: conquistar a presidência da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), entidade que representa os ruralistas, financiada compulsoriamente por 1,7 milhão de produtores agrícolas. A eleição para o cargo será em outubro. A senadora, que é diretora da entidade há três anos, aparece como favorita para comandar um orçamento de 180 milhões de reais.

Na semana passada, VEJA teve acesso a documentos internos da CNA que apontam fortes evidências de que a entidade bancou ilegalmente despesas da campanha dela ao Senado, nas eleições de 2006. A papelada revela que a CNA pagou 650.000 reais à agência Talento, em agosto de 2006 – na mesma ocasião em que essa empresa prestava serviços de publicidade à campanha de Kátia Abreu ao Senado.

Para justificar os pagamentos, a Talento emitiu duas notas fiscais em nome da CNA: uma de 300.000 reais e outra de 350.000. Nas notas, a agência descreve os serviços como "produção de peças para a campanha de estímulo do voto consciente do produtor rural nas eleições 2006". O problema é que, dentro ou fora da CNA, não há vestígio da tal campanha de "voto consciente".

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Marta e Fernando Haddad debatem Educação


A ex-ministra Marta Suplicy e o ministro da Educação, Fernando Haddad, participam hoje (20) do seminário São Paulo Novos Caminhos promovido pelo Diretório Municipal do PT de São Paulo. Os dois debatem sobre os rumos do sistema educacional brasileiro.

O encontro - aberto ao público em geral - acontece a partir de 17 h desta sexta-feira no auditório do Sindicato dos Engenheiros (Rua Genebra, 25, ao lado da Câmara Municipal).

O DEBATE

Marta critica abandono dos CEUs e discute propostas para melhorar a qualidade do ensino

Haddad diz que governo federal combate 'indústrias da repetência e da aprovação automática'

MARTA - Na abertura do seminário de hoje, a ex-ministra e ex-prefeita fez uma análise do sistema educacional da Capital, frisando a necessidade de uma política que preserve as conquistas das comunidades. Nesse rol, citou os 21 Centros Educacionais Unificados (CEUs) construídos por sua administração e criticou o "estado de abandono desses equipamentos". Ela ainda defendeu a "volta ao projeto original dos CEUs", que tinham intensa participação da comunidade, além de apontar dados que indicam a necessidade de construção de pelo menos mais 20 novos CEUs na cidade. A ex-prefeita lembrou que a mudança educacional passa, necessariamente, pela reestruturação da carreira do magistério municipal. Também foram citados por ela a retomada de programas importantes para o ensino, tais como o Vai e Volta, a distribuição de uniformes e de material escolar e melhoria da merenda escolar.

HADDAD - O ministro da Educação destacou a política do governo federal voltada para a melhoria da qualidade do ensino. Dentre as ações federais, Haddad citou a consolidação do processo de avaliação do ensino, com a criação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), cuja função principal, segundo ele, foi "combater as indústrias da repetência e da aprovação automática". Na sua fala, Haddad reconheceu os avanços introduzidos em São Paulo na gestão Marta.

O seminário também contou com a participação do secretário municipal de Educação de Taboão da Serra, César Callegari, e de Daniel Cara, representante da Campanha Nacional Pelo Direito à Educação.

Nota atualizada às 19h 15.

A briga tucana e a história do suposto suborno

Do UOL Política:

Duarte Nogueira teme "vale-tudo" no PSDB

"O deputado federal Duarte Nogueira (PSDB-SP) classificou como "fato lamentável" o suposto pagamento de suborno para que delegados do PSDB apoiassem a criação de uma chapa pró-Kassab na convenção do partido. Nogueira, um dos mais conhecidos "alckmistas", disse ao UOL que a atitude "diminui a grandeza do processo político e não contribui em nada para a tão propalada unidade do partido". Leia mais.

A propósito dessa história toda, postei ontem aqui um link para um vídeo hospedado no Youtube versando sobre vale-tudo. Veja aqui.

Leitora questiona mudanças em Bilhete Único

Recebi e-mail da leitora Renata Ferreira, de São Paulo, questionando a mudança introduzida neste ano pela SPTrans no Bilhete Único. Veja as observações pertinentes que ela fez sobre um benefício no qual a administração PSDB/DEM resolveu "mexer" e tirar "direitos" dos usuários do transporte coletivo:

"Desde 29 de março deste ano os usuários do bilhete único não podem mais pagar a passagem e validar seu cartão diretamente com o cobrador. Agora para ter direito a integração nos ônibus de São Paulo os usuários devem pagar no mínimo quatro tarifas, R$ 9,20, adiantado. Por que pagar R$ 9,20 para fazer uma viagem que custa R$ 2,30?

A SPTrans diz que a mudança foi feita para combater casos de fraude com o bilhete. Ao invés de orientar os usuários e contratar funcionários para coibir o uso irregular do bilhete único a empresa simplesmente criou uma medida que prejudica a todas as pessoas que utilizam o serviço. Todos nós fomos considerados culpados, não merecedores da “confiança” da SPTrans. A empresa pode incentivar o pagamento prévio da tarifa, mas não obrigar.

A SPTrans possui poucos postos de recarga e milhões de passageiros. Com a atual estrutura é impossível atender bem aos usuários. Em vez criar maneiras para facilitar e melhorar o atendimento, eles criam mecanismos para prejudicar a população. Obrigam o passageiro a pagar duas vezes para ter acesso a um direito que ele já possui.

Uso transporte coletivo, e todos os dias tenho que pegar dois ônibus para chegar ao meu trabalho. Moro no Alto da Lapa e trabalho na Barra Funda. Bairros praticamente vizinhos. Existe apenas uma linha de ônibus que faz o trajeto inteiro. Essa linha não é confiável. O tempo de espera varia de 20 minutos à uma hora. Então todos os dias, pego um ônibus até a Lapa e de lá pego outro para a Barra Funda. O crédito do meu bilhete acabou ontem à noite, na volta pra casa. Hoje pela manhã eu só contava com cinco reais em dinheiro. A lotérica não autorizou o crédito de cinco reais. Alegaram que o sistema informatizado só permite o crédito de no mínimo oito reais. Por que o “mínimo” da lotérica é diferente do “mínimo” dos postos oficiais da SPTrans?

Liguei para o 0800 da SPTrans para reivindicar a possibilidade de crédito de qualquer valor e principalmente para voltar ao antigo sistema de validação do bilhete diretamente com o cobrador. Em vinte três minutos de conversa tive que ouvir do atendente coisas do tipo: “Dois ônibus... por que você não pega um trem até a Barra Funda?!, “Se você não tem dinheiro eu não posso fazer nada.”, “A passagem custa 2,30 e a integração é um privilégio pra quem tem crédito”, “Temos milhares de postos conveniados mas eu não sei dizer qual é o mais próximo da sua residência.” Como assim? Se ele não sabe, quem vai saber?

Eu tinha cinco e queria pagar uma passagem de R$ 2,30. Exigem que eu pague no mínimo R$ 9,20 adiantado para ter direito aos R$ 2,30. Qual é a lógica? Isso não está certo!

O rapaz que me atendeu no 0800 77 10 118 pediu para eu retornar a ligação dentro de 20 dias para receber a resposta. Peço a ajuda de vocês para que essa resposta seja positiva e que a SPTrans finalmente preste um bom serviço a população da cidade de São Paulo e não prejudique a vida das pessoas".

Atenciosamente

Renata C. S. Ferreira - Capital

PS - Texto publicado com autorização da leitora.

Alstom: ainda as pontas do iceberg

Da Folha de S. Paulo, hoje (20):

Documento da Alstom cita propina de R$ 8 mi a tucanos

"Documentos de promotores da Suíça obtidos pela Folha apontam que a Alstom francesa acertou o pagamento em outubro de 1997 de um suborno de 7,5% a alguém ligado ao governo de São Paulo para obter um contrato de R$ 110 milhões da Eletropaulo. O percentual da propina corresponde a R$ 8,25 milhões.
O documento que cita o percentual do suborno é um memorando manuscrito em francês atribuído a dois executivos da Alstom, Bernard Metz e André Botto. O papel traz o timbre da Cegelec, empresa do grupo Alstom, e é datado de 21 de outubro de 1997.

Personagem misterioso - Ontem, o jornal americano "The Wall Street Journal" revelou que os franceses da Alstom negociavam com um personagem misterioso chamado Claudio Mendes, apresentado em outro documento como "um intermediário com o G. [de governo, segundo os suíços] de SP". Os suíços dizem não saber quem é Claudio Mendes -pode ser um pseudônimo.

A propina seria usada para três finalidades, segundo o memorando francês do qual a Folha obteve uma cópia: "As finanças do partido"; "O tribunal de contas"; "A secretaria de energia."

O partido que governava o Estado à época era o PSDB. O secretário de Energia em outubro de 1997 era David Zylbersztajn, ex-genro do então presidente Fernando Henrique Cardoso. Eduardo José Bernini presidia a Eletropaulo.

Os documentos obtidos pela Folha mostram que a Alstom criou um círculo para proteger Mendes -só André Botto, da Alstom francesa, e o lobista franco-brasileiro Jean-Pierre Courtadon tinham autorização para falar com ele. Courtadon, que mora em São Paulo, apresenta-se como um consultor especializado em negociações com o governo. Numa fase posterior da negociação, a Alstom criou uma equipe para lidar com Carlos Mendes, com quatro empresários paulistas, um contador de Paris e um banqueiro em Zurique".

Comentário: Quanto mais se mexe nesse assunto, mais vai se descobrindo - e isso parece ser apenas "a ponta do iceberg". Pena que parte da imprensa brasileira tenha demorado tanto a entrar no caso. Agora é que se tem uma noção de como o tucanato se utiliza do Estado...

TCM aponta irregularidades em contrato

Do jornal Folha de São Paulo hoje (20)

"A Prefeitura de São Paulo assinou em março de 2006 contrato para a instalação de um aparelho de ressonância magnética, o primeiro da rede municipal, no hospital de Campo Limpo, na zona sul. Pelo acordo, isso deveria ocorrer até o início de 2007. O aparelho, porém, ainda está num depósito: a gestão do prefeito Gilberto Kassab (DEM) não fez as obras necessárias para instalá-lo.

O caso serviu de base para que o TCM (Tribunal de Contas do Município) considerasse irregular o contrato da prefeitura com a empresa, a Amplus.

O contrato prevê o pagamento de cerca de R$ 108 milhões por serviços de diagnóstico por imagem (ressonância, tomografia, raio-X, ultra-som, entre outros) em hospitais e postos de saúde da rede municipal, por 36 meses. Além dos equipamentos, a contratada precisa fornecer funcionários.

Dois anos e três meses após o início do contrato, assinado na época em que José Serra (PSDB) era prefeito, a Secretaria Municipal da Saúde trabalha com um novo prazo para que o aparelho funcione em Campo Limpo: 30 de setembro. As obras para adequar o hospital, que devem custar cerca de R$ 500 mil, não começaram". Assinante da Folha/UOL leia mais.

Dica de filme para seu fim de semana

Por Celina Sales

A VIDA DOS OUTROS (The Lives Of Others/ Das Leben der Anderen, Alemanha, 2006)

Sinopse:

A estréia de Florian Henckel von Donnersmarck na direção foi vencedora do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2007. Nos anos 80, quando a Alemanha ainda era dividida pelo Muro de Berlim, o bem-sucedido dramaturgo Georg Dreyman (Sebastian Koch) e sua companheira, a famosa atriz Christa-Maria Sieland (Martina Gedeck), têm suas vidas observadas pelo agente do serviço secreto Wiesler (Ulrich Mühe). Solitário, sem a badalação da vida do casal, ele começa a se tornar obcecado pelos dois.

Elenco: Martina Gedeck, Ulrich Mühe, Sebastian Koch, Ulrich Tukur, Thomas Thieme.

Excelente!!!

Bom fim de semana!

Para alegrar o seu dia

Fernanda Takai e Rodrigo Amarante - O Ritmo da Chuva

Dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 20

BEATRIZ AZEVEDO Apresentando canções do disco "Alegria", a cantora e compositora faz show no projeto Cedo & Sentado.www.stu diosp.org.br. Studio SP - r. Augusta, 591, Consolação, região central, tel. 3129-7040. 450 lugares. 21h. 60 min. 18 anos. CC: M e V. Estac. (R$ 10 - convênio).

CHICAS Formado apenas por mulheres, o quarteto carioca exibe uma variedade de vertentes da música popular brasileira. No repertório, músicas próprias e releituras.www.sesc sp.org.br. Sesc Pompéia - choperia - r. Clélia, 93, Água Branca, região oeste, tel. 3871-7700. 800 lugares. 21h. 90 min. 18 anos. Ingr.: R$ 4 a R$ 16.

FERNANDA TAKAI A cantora do grupo Pato Fu mostra músicas de seu primeiro disco solo, "Onde Brilhem os Olhos Seus". Nele, Takai realiza releituras de clássicas canções interpretadas por Nara Leão. Tom Jazz - av. Angélica, 2.331, Higienópolis, região central, tel. 3255-3635. 200 lugares. 22h. 90 min. 18 anos. Couv. art.: R$ 50. CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 15).

RUMOS MÚSICA O projeto musical do Itaú Cultural, que visa apresentar shows com diferencial sonoro e poético, acontece de hoje (dia 20) a domingo. O paranaense Rogério Gulin e o grupo brasiliense Satanique Samba Trio são as atrações que sobem ao palco nesta sexta. Itaú Cultural - av. Paulista, 149, Bela Vista, região central, tel. 2168-1776. 255 lugares. 19h30. 90 min. Livre. Retirar ingr. c/ 30 min. de antecedência. Estac. c/ manob. (R$ 8 a 1ª h, R$ 4 a 2ª h mais R$ 2 p/ h adicional -convênio).

AMANHÃ, DIA 21

ANTONIO NÓBREGA O multiinstumentista, cantor e dançarino, que se destaca por sua profunda pesquisa e interpretação de ritmos pernambucanos, é atração da festa junina do Sesc Itaquera.www.sescsp. org.br. Sesc Itaquera - pça. de eventos - av. Fernando do Espírito Santo Alves de Mattos, 1.000, Parque do Carmo, região leste, tel. 2523-9200. 500 pessoas. 19h30. 60 min. Livre. Ingr.: R$ 3 a R$ 6. CC: AE, D, M e V. Estac. (R$ 3 a R$ 5).

EPIFÂNIA O grupo é composto por flautin, pife, zabumba, caixa e pratos. Seu repertório é formado por canções tradicionais do nordeste e pitadas de elementos contemporâneos.www.sescsp. org.br. Sesc Santana - jardim - av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana, região norte, tel. 2971-8700. 100 lugares. 18h. 60 min. Livre. Estac. (R$ 3,50 a R$ 7 a 1ª h mais h adicional).

DOMINGO, DIA 22

TETÊ & ALZIRA ESPÍNDOLA A festa junina do Sesc Itaquera recebe a apresentação das irmãs, que mostram repertório de clássicas canções.www.sescsp.org.br. Sesc Itaquera - pça. de eventos - av. Fernando do Espírito Santo Alves de Mattos, 1.000, Parque do Carmo, região leste, tel. 2523-9200. 500 pessoas. 19h30. 60 min. Livre. Ingr.: R$ 3 a R$ 6. CC: AE, D, M e V. Estac. (R$ 3 a R$ 5).

TUDO DE NOVO. Auditório Ibirapuera - 19h. Ingr.: R$ 30 (p/ estudantes: R$ 15).

Fonte Guia da Folha

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Zé Aníbal falou!


Comentei da tribuna da Câmara Municipal nesta tarde um trecho de uma entrevista concedida hoje (19) ao jornal O Estado de S. Paulo pelo atual líder dos tucanos na Câmara dos Deputados, José Aníbal (SP) acerca da disputa interna travada no PSDB. Zé Aníbal disse, com todas as letras, que os "tucanos kassabistas" apóiam a reeleição do prefeito "sob pressão".

Reproduzo duas perguntas respondidas por ele na matéria assinada pela jornalista Sílvia Amorim:

Estado - O número de assinaturas obtidas pelos tucanos pró-Kassab não coloca em dúvida o discurso de que Alckmin tem maioria no partido?

Aníbal - Não. Muitos dos que assinaram, eu diria mais da metade, o fez sob pressão. Não tem a ver com política. Tem a ver com práticas que não são republicanas. O que é lamentável. São pessoas que todo tempo dizem que no momento de votar saberão votar pela vontade majoritária do partido.

Estado - Que tipo de pressão?

Aníbal - De gente que trabalha na Prefeitura, vereadores que têm espaço de influência na máquina pública municipal. Procedimentos próprios de uma situação com a qual o PSDB rompeu quando surgiu como partido e não vai prevalecer no PSDB.

Comentários adicionais - Este comportamento de uma liderança nacional tucana exemplifica o modo de atuação política do PSDB: dizer uma coisa e fazer outra. Em Brasília, Aníbal, seu partido e aliados bradam contra o governo Lula, a quem acusam injustamente de "partidarizar" a administração. Aqui em São Paulo - e ele próprio admite que isso acontece -, os tucanos se agarram aos cargos da Prefeitura para decidir os destinos da candidatura do partido à sucessão municipal.

Não se trata de uma acusação feita pela oposição, e sim por um líder dos tucanos que já ocupou até mesmo a Liderança do Governo do ex-prefeito José Serra na Câmara paulistana. Uma verdadeira confissão política! Outra coisa: ele diz que "o PSDB rompeu com essa prática" (clientelismo), mas a verdade é que o partido dele ocupa a maioria das secretarias do governo Kassab.

Falando o português claro: bota incoerência nisso!!!

Rumo a uma aliança consistente

Recebi com satisfação os informes do presidente municipal do PT, José Américo, sobre a reunião de ontem com os presidentes dos partidos que compõem o chamado Bloquinho (PDT, PSB, PC do B e PRB). Foi uma reunião para abrir o processo de negociação com vistas a uma provável aliança para as eleições deste ano aqui na cidade de São Paulo.

Na reunião ficou claro que o elemento principal para amalgamar uma provável aliança com estes partidos, formando um bloco de esquerda para governar São Paulo, é o programa de governo. Neste aspecto, há uma disposição de todos de trabalhar na elaboração coletiva de um projeto consistente, capaz de dar a São Paulo uma nova dinâmica desenvolvimentista e de inclusão social - assegurando a todos os cidadãos paulistanos uma cidade com melhor qualidade para se viver. É claro que para implantar este programa está implícito que todos os partidos estarão juntos para ganhar e depois governar, e num esforço compartilhado garantir a governabilidade necessária no legislativo e na sociedade.

Quanto à chapa majoritária, os partidos apresentaram o nome do deputado federal Aldo Rebelo, ex-presidente da Câmara dos Deputados, para ser o vice na chapa encabeçada por Marta Suplicy. Em relação à chapa proporcional, PC do B e PRB demonstraram interesse na coligação. O PDT e o PSB ainda estão analisando a sua chapa e voltarão ao tema nas próximas reuniões.

Quanto ao PT, o presidente do Diretório Municipal ficou de consultar a ex-prefeita Marta e a direção do partido para, progressivamente, estabelecer consensos e eliminar obstáculos - se é que eles ainda existem - para formalizar a aliança nos próximos dias.

Quero deixar claro que sou favorável à aliança, dando a vice para o Bloquinho e coligando também na chapa proporcional, respeitando as especificidades de cada agremiação partidária. Aliás, as afinidades históricas destes partidos com a luta por liberdades democráticas, por uma nação livre e soberana, pela inclusão social, ou seja, por um verdadeiro Estado Social de Direito, que começa a ser realidade com o governo Lula, são elementos facilitadores desta união.

R$ 2 bi desperdiçados

O Jornal da Tarde de hoje publica uma matéria onde a secretária de Educação do Estado de São Paulo, Maria Helena Guimarães de Castro, anuncia mudanças no programa "Teia do Saber". O Teia do Saber é um programa de formação continuada pelo qual a Secretaria Estadual da Educação contrata instituições de ensino superior para ministrar cursos a professores das escolas de ensino fundamental e médio da rede.

Nos últimos cinco anos o programa teve a participação de 100 mil professores. Em 2007, dos 230 mil professores da rede, 40 mil participaram.

Abaixo as afirmações da atual secretária da educação:

"Os R$ 2 bilhões investidos em formação continuada de professores pelo governo do Estado nos últimos 5 anos não resultaram em nenhuma melhoria no desempenho dos alunos da rede estadual".

Não havia relação interativa entre esses programas e as necessidades da escola”.

O que chama a atenção é que foi um recurso elevado, houve grande esforço da secretaria para capacitar. No entanto, como havia desarticulação entre os programas que as universidades ofereciam e os resultados das avaliações das nossas escolas, essa capacitação não resultou em melhoria de desempenho. Não culpo as universidades, elas ofereciam aquilo que era pedido pela secretaria.”

Só Para lembrar: o projeto de formação dos docentes foi implantado na gestão do ex-secretário Gabriel Chalita, em 2003. O ex-secretário é filiado ao PSDB que governa o estado há mais de 13 anos. O Descaso, a incompetência e a inoperância são elementos de culpabilidade que integram a política educacional desenvolvida pelos sucessivos governos tucanos, é o nexo causal com o resultado desastroso da política educacional do estado de São Paulo.

A revelação da atual secretária, aqui publicada, é mais uma "prova material" do "crime" que o PSDB vem cometendo contra aqueles que dependem da escola pública.

O povo, responsável por julgar a incompetência dos políticos, com certeza formará a sua convicção e através de um julgamento justo, fará do seu voto um instrumento para impedir a continuidade desta prática que vem causando tantos danos à já combalida educação pública de São Paulo.

Clique aqui para acessar a matéria publicada no Jornal da Tarde de hoje (19). Vale a pena ler.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Comissão aprova parecer sobre secretaria ilegal

A Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJLP) aprovou na reunião ordinária desta quarta-feira (18) parecer favorável ao Projeto de Decreto Legislativo (PDL 013/08) de minha autoria que "revoga em todos os seus termos o Decreto nº 49.154, de 28 de janeiro de 2008, de autoria do Executivo, que cria a Secretaria Municipal de Desburocratização".

A convenção tucana, segundo Feldman

Do secretário municipal de Esportes, Walter Feldman, sobre o que pode acontecer na convenção tucana no dia 22, segundo matéria do Jornal do Brasil desta quarta-feira (18):

"Tudo é possível". A ilustração abaixo, em vídeo, está disponível no Youtube.

Fosfosol nele!

O tucano David Zylbersztajn operou em larga escala no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, inclusive tendo ocupado o Ministério das Minas e Energia. Ele está no centro do escândalo da Alstom, uma vez que também ocupou a pasta da Energia do governo do Estado de São Paulo sob o comando tucano na época em que foram celebrados os contratos suspeitos entre a multinacional francesa e a Eletropaulo, dentre outras empresas que estão sob investigação.

Não é que esse engenheiro carioca, ex-genro do presidente FHC, saiu-se com uma "pérola" tipicamente tucana quando indagado sobre os contratos da Alstom feitos com a bênção do grão-tucanato paulista:

"“Não me recordo de nenhum contrato que tivesse chegado à secretaria com alguma irregularidade", disse ele ao jornal O Estado de S. Paulo de hoje (18). Falta de memória? Falta de interesse?

Se for problema de memória, talvez seja o caso de recorrer ao conhecido remédio "Fosfosol", cuja propaganda apregoava ser o melhor para esses casos. Mas, como se sabe, em se tratando de tucano, ele fará de conta que não é com ele mesmo, podendo até negar que tenha sido secretário, que tenha conhecido a Eletropaulo, o Metrô, a Sabesp...

Lobista ligado a tucanos é alvo de promotor no caso Alstom

Do jornal O Estado de São Paulo hoje (18)

"O Ministério Público abriu nova frente na investigação sobre a suposta propina paga pela Alstom, multinacional francesa do ramo de energia e transporte, a integrantes do governo paulista e do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Trata-se do empresário José Amaro Pinto Ramos, por causa de sua grande proximidade com políticos do PSDB e seu trabalho de lobby a favor de empresas do setor energético e de transporte sobre trilhos, principalmente para estatais em todo o País. São os contratos da Alstom nessas áreas que estão sob análise de autoridades brasileiros e suíças.

Ramos é dono da EPCint Estudos Projetos e Consultoria Internacional, com filiais em São Paulo, Nova York e Paris. É conhecido pelos maiores empreiteiros brasileiros e tem grande trânsito entre políticos tucanos. Era ligado a Sérgio Motta, o ministro das Comunicações de Fernando Henrique Cardoso. Ele chamava Motta de “amigo fraterno”.

Em 1993, na posse de Bill Clinton na Presidência dos Estados Unidos, Ramos apresentou Motta ao então assessor James Carville, responsável pela campanha vitoriosa do Partido Democrata. Houve tanta sintonia entre eles que depois Carville acabou participando de reuniões da campanha presidencial de Fernando Henrique.

Após a posse, o empresário ofereceu jantar para Fernando Henrique e integrantes do PSDB - na época, o ex-presidente era chanceler. O evento reuniu a cúpula tucana e também Jack Cizain, então diretor-geral da Gec Alsthom, renomeada Alstom. No jantar, o hoje deputado Paulo Renato Souza entoou tangos em dueto com a mulher. A atriz Ruth Escobar chegou a cantar fados.

Três anos depois, em 4 de junho de 1996, Cizain participou da compra da Light, no Rio de Janeiro. No contrato, ele aparece como representante da francesa Electricité de France (EDF), uma das empresas que formam o consórcio comprador da distribuidora fluminense. O atual presidente da Light é José Luiz Alquéres, ex-presidente da Alstom no Brasil.

O próprio Ramos contou que conheceu Motta, presidente da Eletropaulo na gestão de Franco Montoro, quando trabalharam juntos, de 1969 a 1971, na elaboração de planos de desenvolvimento para municípios.

O lobista já foi réu em ação com o ex-presidente do Metrô na gestão de Orestes Quércia, Antonio Sérgio Fernandes. Foram acusados de formação de quadrilha e falsidade ideológica e tiveram pedido de prisão decretado. Acabaram absolvidos.

O nome de Ramos também consta de investigação do FBI - a polícia federal dos EUA -sobre propina recebida por Ron Brown, então secretário de Comércio de Bill Clinton, em 1995. De acordo com a revista U.S. News & World Report, Ramos intermediou empréstimo de US$ 108 mil para Brown".

terça-feira, 17 de junho de 2008

Sobre a LDO 2009

O projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2009 passou pela primeira votação no plenário da Câmara Municipal de São Paulo nesta terça-feira (17). A bancada do PT apresentou emendas à LDO versando sobre participação popular, transparência, prioridades sociais (saúde, educação, transportes, habitação, programas sociais, criança e adolescente, cultura, esportes e lazer e segurança pública), além de reserva de contigência e política tributária.

Das emendas apresentadas pela bancada, foram incorporadas ao projeto as seguintes:

Participação Popular

1 - Cria a obrigatoriedade ao executivo para que realize audiências públicas, em cada uma das 31 subprefeituras, com ampla divulgação nos meios de comunicação (na elaboração do orçamento de 2008, foi pífia a participação social, pois a Prefeitura disse que ouviu apenas 236 pessoas, em 4 audiências públicas);

2 - Disponibilização de acesso aos dados do SEO para ampla consulta da população, nas 31 subprefeituras;

3 - Obrigatoriedade de clara identificação na proposta orçamentária, das atividades e locais que receberão recursos, não permitindo a utilização de dotações genéricas;

Reserva de Contingência

4 - Em não havendo necessidade de utilização da reserva para cobertura dos chamados passivos contingentes (finalidade das reserva), a dotação poderá ser transferida prioritariamente para os investimentos sociais, como os programas de geração de trabalho e renda, apoio emergencial a desabrigados e programa de apoio a moradores em situação de risco.

Política Tributária

5 - Os recursos também deverão ser alocados, tendo como prioridade as subprefeituras com maior índice de vulnerabilidade social.

As emendas da bancada petista não-incorporadas à LDO incluem propostas de transparência, política tributária e todo o conjunto das prioridades sociais.

CCJLP apreciará projeto que revoga secretaria

O plenário da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJLP) apreciará na reunião ordinária desta quarta-feira (18) um Projeto de Decreto Legislativo (PDL 013/08) de minha autoria que "revoga em todos os seus termos o Decreto nº 49.154, de 28 de janeiro de 2008, de autoria do Executivo, que cria a Secretaria Municipal de Desburocratização".

A propósito do tema, publiquei diversas notas no blog falando sobre a ilegalidade do decreto do prefeito que criou essa secretaria. O que a comissão agora analisará é um PDL que extingue o referido órgão. Numa das notas, lembrei que Kassab não pode invadir competência do legislativo, e que a Secretaria de Desburocratização só deveria existir se fosse criada por meio de projeto de lei.

Leia aqui uma nota sobre o assunto publicada no dia 15 de abril passado.

Nota no Diário sobre a Campanha Limpa

Dia 11 passado publiquei aqui uma nota falando da iniciativa da bancada de vereadores do PT na Câmara Municipal de São Paulo de propor o que chamei de Campanha Limpa. A idéia é que os muros da Capital não sejam pintados com nomes de candidatos majoritários ou proporcionais, nestas eleições. O PT fez essa proposta à Justiça Eleitoral e a todos os partidos que disputarão o pleito. Veja aqui a nota completa do blog.

Hoje (17), a coluna Diário Paulista, do jornal Diário de S. Paulo, comenta o assunto com a seguinte nota:

Ação preventiva

"Atenta à repercussão positiva que a Lei Cidade Limpa poderá ter na campanha de Kassab, a bancada de vereadores do PT também mira no tema. Vereadores petistas encaminharam à Justiça Eleitoral uma proposta para que todos os partidos se comprometam a não pintar muros com nomes de candidatos".

Tucanos divididos


Do Jornal da Tarde hoje (17)

"O PSDB atravessa hoje as horas decisivas antes da convenção marcada para este domingo que definirá o rumo do partido em São Paulo. Tucanos favoráveis ao apoio ao prefeito Gilberto Kassab (DEM) - em vez de uma candidatura própria com o ex-governador Geraldo Alckmin - prometem entregar hoje ao partido a proposta de uma chapa encabeçada por Kassab. A atitude obriga o PSDB a decidir no voto se terá ou não postulante à Prefeitura de São Paulo.

Só morto não entrego a proposta de manutenção da aliança com o DEM ao partido”, disse o líder da bancada do PSDB na Câmara Municipal, vereador Gilberto Natalini. Os parlamentares compõem a ala de defensores do apoio a Kassab.

O presidente municipal do PSDB, José Henrique Reis Lobo, dava ontem como certa a disputa na convenção. “Eu tive com eles (os vereadores) dezenas de conversas. Não deu certo. Tudo bem. O partido decide”, afirmou Lobo.

Hoje também deve ser entregue à Executiva Nacional do PSDB a chapa que formaliza Alckmin como candidato.

Os dois grupos alegam estar com suas estratégias definidas para a disputa no domingo. Alckmistas não acreditam que adversários tenham votos suficientes para aprovar a chapa liderada pelo prefeito - é preciso ter maioria simples dos 1.208 delegados convencionais. “Dizem que teve gente que assinou a lista obrigado, para não perder o cargo na prefeitura”, denunciou o deputado Edson Aparecido, que defende a candidatura de Alckmin".

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Soluções para tirar SP do marasmo

Foi com agradável surpresa que li na coluna Ponto de Vista da revista Veja desta semana um artigo do professor e administrador Stephen Kanitz que propõe uma reflexão e um conjunto de soluções para o caótico trânsito na cidade de São Paulo.

Nas saídas apontadas por ele, identifiquei uma que se encaixa numa proposta de minha autoria, apresentada à Câmara Municipal em 2006, e aprovada em dezembro do ano passado. Trata-se da lei do Vaga Livre, programa que propõe que "o montante de 15% (quinze por cento) das vagas de todo e qualquer ponto de táxi do Município de São Paulo poderá ser utilizado tanto por condutores vinculados a ele, quanto por aqueles que não sejam". Leia aqui a íntegra do Vaga Livre.

À idéia de democratizar o acesso de um grande número de motoristas a possibilidades de auferir um rendimento maior - dado o preço absurdo dos pontos de táxi na Capital - se somava a intenção de diminuir o número de táxis rodando "sem rumo" pelas ruas da cidade - o popular "batendo lata" em busca de passageiro.

Para o leitor entender melhor, reproduzo a idéia a que me referi do professor Kanitz em seu artigo desta semana na Veja:

"4 - Pemitido aos táxis esperar em qualquer ponto, em vez de voltar vazios ao ponto original".

O meu mandato costuma apostar em soluções duradouras para a cidade!

EM TEMPO - Por força de lobby do setor, o prefeito Kassab vetou o meu projeto.

Ainda mais lama no PSDB gaúcho


Da Folha Online:

Vice diz guardar dados da campanha de Yeda

"O vice-governador do Rio Grande do Sul, Paulo Feijó (DEM), 50, disse ontem em entrevista que tem cópias de e-mails e de planilhas da época da campanha que o elegeu vice da governadora Yeda Crusius (PSDB), sua inimiga política.

Ele não quis comentar o conteúdo, mas a Folha apurou que os registros trazem mais dados sobre a captação de recursos para a campanha eleitoral.

Feijó defendeu a instalação de outra CPI, para investigar supostos desvios de recursos de empresas públicas (Banrisul e Daer). Se disse disposto a encaminhar informações em seu poder aos "órgãos competentes". Leia mais.

Câmara Federal investiga caso Alstom

Do Blog do Josias de Sousa

A Câmara dos Deputados discute nesta terça-feira (16) um tema que o PSDB conseguiu interditar na Assembléia Legislativa de São Paulo: o caso Alstom.

A encrenca será debatida em audiência pública marcada para as 14h30, na Comissão de Desenvolvimento Econômico.

Tenta-se atrair para o ambiente legislativo uma apuração que vem sendo conduzida pelo Ministério Público –o Federal e o do Estado de São Paulo.

A Alstom é uma das maiores empresas do mundo nos setores de transporte e energia. Encontra-se sob investigação na Suíça e na França.

Acusam-na de pagar propinas a funcionários públicos e a políticos da Ásia e da América Latina para beliscar contratos milionários na esfera pública.

No Brasil, fez negócios com os sucessivos governos tucanos de São Paulo –de Mário Covas a José Serra, passando por Geraldo Alckmin. As maiores suspeitas recaem, por ora, sobre os períodos de Covas e Alckmin. Uma delas envolve um suborno de R$ 3,4 milhões.

Dinheiro que, segundo investigadores suíços, molhou a mão de servidores públicos e políticos. E assegurou contratos com a Eletropaulo e com o metrô de São Paulo. Leia mais.

Comentário: Os deputados federais estão fazendo aquilo que a Assembléia Legislativa paulista, impedida pela tropa de choque do Serra, deixou de fazer. Aqui em São Paulo o legislativo se transformou em um mero departamento do poder executivo. Submisso, o legislativo paulista deixa de exercer o controle externo dos atos do poder executivo. Infelizmente, ressalvada a resistência dos bravos deputados petistas, a Assembléia Legislativa de São Paulo não está à altura dos paulistas.

sábado, 14 de junho de 2008

Professores estaduais entram em greve geral


Reunidos em assembléia na Praça da República na sexta-feira, 13, cerca de 30 mil professores(as) aprovaram greve com início imediato. A principal reivindicação da categoria – além do atendimento de toda a pauta de reivindicações entregue em janeiro à Secretaria da Educação – é a imediata revogação do Decreto 53037/08, que impõe prejuízos à categoria, entre eles, estabelece avaliação de desempenho aos Admitidos em Caráter Temporário; impede a utilização do artigo 22; dificulta participação nos concursos de remoção; e propõe atribuição de aulas compulsoriamente.

A assembléia aprovou também reuniões em todas as subsedes da APEOESP para a organização da greve. Na segunda-feira, 16, reunião com os professores; na terça e quarta-feiras, reunião com pais e alunos para explicar os motivos da greve. Na quinta-feira, 19, assembléias regionais. Uma nova assembléia estadual foi marcada para sexta-feira, 20, no vão livre do MASP (avenida Paulista), a partir das 14 horas.

Principais reivindicações:
*Revogação do Decreto 53037/08, que impõe vários prejuízos à categoria;
*Reajuste salarial;
*Um novo Plano de Carreira;
*Fim da aprovação automática;
*Liberdade de cátedra;
*Extensão do ALE para todas as unidades;
*Gestão democrática e autonomia da escola;
*No máximo 35 alunos por sala;
*Melhores condições de trabalho;
*Incorporação das gratificações com extensão aos aposentados;
*Concurso público estadual;
*Garantia de emprego e estabilidade a todos os professores.

ASSEMBLÉIA GERAL ESTADUAL DIA 20 DE JUNHO, ÀS 14 HORAS, NO VÃO LIVRE DO MASP

Últimos lances da peleja Kassab x Alckmim


Do jorna O estado de São Paulo hoje (14)

"Uma chapa com Gilberto Kassab (DEM) como candidato e um vice do PSDB a ser definido será apresentada na convenção tucana que escolherá o representante do partido à prefeitura da capital. O movimento é liderado pelo vereador Gilberto Natalini (PSDB), líder da bancada na Câmara Municipal, e secretários municipais ligados ao PSDB. A chapa será registrada na próxima semana.

A convenção, que já tem o ex-governador Geraldo Alckmin como indicado da legenda, será realizada no dia 22. A vitória de Kassab, do DEM, na convenção do PSDB poderá provocar uma intervenção do Diretório Nacional na cidade de São Paulo.

A apresentação oficial da chapa liderada por Kassab será feita até terça-feira. Pelo estatuto do PSDB, são necessárias pelo menos 403 dos 1.228 delegados convencionais a favor da tese. "Há assinaturas de sobra, temos mais do que o necessário", disse Natalini. São necessárias pelo menos 403 assinaturas dos convencionais.

O presidente do Diretório Municipal, José Henrique Reis Lobo, disse que fará de tudo para que a chapa com Kassab não seja apresentada. "Farei um último esforço para tentar a desistência deles de concorrer na convenção do PSDB", afirmou Lobo. "Só não apresentamos a chapa se não quisermos. Estamos ouvindo o partido a nível estadual e nacional. A posição hoje é de lutar pela chapa com Kassab", disse Natalini.

"Não tem sentido essa chapa. Isso enfraquece muito o partido, levar um nome que não pertence ao PSDB para disputar a convenção", rebateu Lobo".

Haverá intervenção?


Do jornal O estado de São Paulo hoje (14)

"O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), marcou para quarta-feira uma conversa definitiva com representantes do partido em São Paulo. Ele aguarda a resposta ao apelo que fez esta semana ao líder Gilberto Natalini e ao secretário municipal de Esportes, Walter Feldman, para que desistam da idéia e apóiem a candidatura Alckmin.

"Eu disse claramente que era um risco enorme para o PSDB, podendo causar danos generalizados", contou o senador, que está trabalhando pelo entendimento em São Paulo. Se houver o racha, o grupo ligado a Alckmin poderá pedir a intervenção da Executiva Nacional, com base em resolução já aprovada, causando mais desgastes e dificuldades para a eleição paulista.

Na avaliação de Guerra, um problema restrito à prefeitura terá dimensão nacional, interferindo na candidatura de Serra à Presidência da República pelo PSDB em 2010. Para facilitar o entendimento com o grupo pró-Kassab, um dos pontos em discussão é excluir a coligação do PSDB com o PTB na chapa de vereadores, deixando a aliança apenas para a prefeitura".

Almir Sater canta Um Violeiro Toca

sexta-feira, 13 de junho de 2008

O rei da confusão é José!


O governador tucano José Serra principiou um bate-boca com Adalberto Piotto, âncora do programa CBN Total, da rádio CBN, na tarde desta sexta-feira (13). O jornalista entrevistava Serra e, ao questioná-lo sobre novas investigações do Caso Alstom que envolveriam denúncias de corrupção na Sabesp, o governador saiu-se com essa: "Desconheço que existam essas investigações". Recordando: a Alstom é a multinacional francesa que está sendo investigada no exterior (e agora no Brasil) por suspeitas de pagar propinas a políticos tucanos para conseguir contratos do Metrô, da CPTM e também da Sabesp - conforme novas denúncias.

Ao ouvir de Piotto que as investigações estão sendo conduzidas pelo Ministério Público Estadual - e que a própria Sabesp já havia sido notificada -, Serra insistiu que a informação não tinha fundamento. Pouco tempo depois da entrevista, Piotto confirmou junto ao MPE e à Sabesp a existência das investigações.

Comentário: É sempre assim - toda vez que Serra é questionado publicamente, ou repete que "isso é coisa do PT" ou tenta desqualificar o jornalista que faz esse tipo de "pergunta incômoda". No caso da Sabesp, Serra nunca explicou nem mesmo o caso do envolvimento da empresa com o escândalo da Gautama. Agora, finge desconhecer o que a estatal confirma. Faz de conta que não é com o governo dele. Um comportamento tipicamente tucano da arrogância!

O bode expiatório


O jornal O Estado de São Paulo publica hoje a seguinte matéria: "Sem participar das decisões sobre mudanças no trânsito de São Paulo desde o fracasso das faixas para motos na Avenida 23 de Maio, em Janeiro passado, o presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Roberto Scaringella, de 66 anos, deixou ontem, após três anos e meio, o cargo. O secretário municipal dos Transportes, Alexandre de Moraes, acumulará a função a partir de hoje.

A saída de Scaringella reflete o isolamento do engenheiro fundador da CET junto à cúpula dos Transportes e do próprio prefeito Gilberto Kassab (DEM). Nos últimos meses, Scaringella, autor da idéia das faixas para motos, abandonada em menos de uma semana após o trânsito ficar caótico no eixo norte-sul da capital, também ficou de fora do projeto que resultou no pacote para o trânsito, divulgado há dois meses"...

Depois da notória incapacidade de planejar e fazer a gestão do trânsito na cidade de São Paulo, o governo PSDB/DEM demitiu o presidente da CET, ou melhor, forçou a sua saída como se fosse ele o único responsável pelo caos que vive a cidade em matéria de trânsito. O prefeito fez de Roberto Scaringella o verdadeiro bode expiatório.

O que é um bode expiatório?

Origem do termo bode expiatório: o bode expiatório era um animal que era apartado do rebanho e deixado só na natureza selvagem como parte das cerimônias hebraicas do Yom Kippur, o Dia da Expiação, à época do Templo de Jerusalém. Este rito é descrito na Bíblia em Levítico, capítulo 16.

Dois bodes eram levados, juntamente a um touro, ao lugar de sacrifício, como parte dos Korbanot do Templo de Jerusalém. No templo os sacerdotes sorteavam ao azar um dos dois bodes. Um era queimado em holocausto no altar de sacrifício com o touro. O segundo tornava-se o bode expiatório, pois o sacerdote punha suas mãos sobre a cabeça do animal e confessava os pecados do povo de Israel. Posteriormente, o bode era deixado ao relento na natureza selvagem, levando consigo os pecados de toda a gente, para ser reclamado pelo anjo caído Azazel.

Nos dias de hoje, em sentido figurado, um "bode expiatório" é alguém que é escolhido arbitrariamente para levar a culpa de uma calamidade ou qualquer evento negativo. A busca do bode expiatório é um ato irracional de determinar que uma pessoa ou um grupo de pessoas, ou até mesmo algo, seja responsável de um ou mais problemas.

Na incapacidade de solucionar o problema, o prefeito achou um jeito de "tirar o corpo fora", arranjou um culpado e o transformou no verdadeiro bode expiatório.

Dois desenhos superbacanas para o seu fim de semana!!!

Por Celina Sales

BEE MOVIE - A HISTÓRIA DE UMA ABELHA (Bee Movie, EUA, 2007) (www.cineclick.com.br)

Sinopse:

Esta animação produzida e dublada por Jerry Seinfeld chega ao mercado de DVD repleta de extras divertidos, com videoclipes musicais e vídeos divertidos que contam mais sobre a animação, além de jogos e um recurso especial para computador. O filme é sobre Barry B. Benson (voz de Seinfeld), uma abelha que toma contato com seres humanos e resolvem processá-los por comercializar o mel que seus semelhantes produzem com tanto esforço.

Elenco: Vozes na versão original de: Jerry Seinfeld, Renée Zellweger, Matthew Broderick, John Goodman, Chris Rock, Alan Arkin, Kathy Bates, Eddie Izzard, Larry King, Barry Levinson, Larry Miller, Megan Mullally, Rip Torn, Oprah Winfrey.

-----------------------------------------------------------------------------

TÁ DANDO ONDA (Surf's Up, EUA, 2007) (www.cineclick.com.br)

Sinopse:

Indicado ao Oscar de Melhor Animação. Neste longa, uma equipe fictícia de documentaristas mostra os bastidores de uma das mais perigosas competições do esporte, o Campeonato Mundial de Surfe dos Pingüins. O surfista e promissor novato Cadú ingressa em sua primeira competição profissional. Ele acredita, que vencendo, ganhará a admiração e o respeito que tanto deseja, mas também que a vitória nem sempre é do verdadeiro campeão.

Elenco: Vozes na versão original de: Dana Belben, Brian Benben, Jeff Bridges, Zooey Deschanel, Shia LaBeouf, James Woods.

Um pouco de Anaí Rosa


Instrumentista. Cantora. Formada em viola de arco pela Unicamp. Ganhou vários prêmios como "Melhor Intérprete" em diversos festivais nas cidades do interior de São Paulo.

Integrou a Orquestra Sinfônica de Campinas, sob regência do maestro Benito Juarez. Participou do grupo Soma, que se apresentava em várias cidades do interior de São Paulo e Minas Gerais. Atuou também no grupo Farinha Seca. Integrando essa banda apresentou-se durante vários anos com o show "Noite.

ANAÍ ROSA E BANDA LUA NOVA O quarteto liderado pela cantora e violeira Anaí Rosa executa ritmos brasileiros como xote, forró pé-de-serra, rastapé, baião, coco e maracatu. Hoje no Sesc Santana - jardim - av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana, região norte, tel. 2971-8700. 100 lugares. 18h. 90 min. Livre. Estac. (R$ 3,50 a R$ 7 a 1ª h mais h adicional).

Dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 13

E CLEILA PINHEIRO ARLOS FERNANDO Acompanhados somente por piano, Leila Pinheiro e Carlos Fernando (ex-Nouvelle Cuisine) interpretam canções românticas e intimistas, dentro do projeto Do Coração ao Cotovelo. Sesc Pompéia - teatro - r. Clélia, 93, Água Branca, região oeste, tel. 3871-7700. 760 lugares. 21h. 120 min. 12 anos. Ingr.: R$ 6 a R$ 24.

LEILA PINHEIRO E CARLOS FERNANDO Acompanhados somente por piano, Leila Pinheiro e Carlos Fernando (ex-Nouvelle Cuisine) interpretam canções românticas e intimistas, dentro do projeto Do Coração ao Cotovelo. Sesc Pompéia - teatro - r. Clélia, 93, Água Branca, região oeste, tel. 3871-7700. 760 lugares. 21h. 120 min. 12 anos. Ingr.: R$ 6 a R$ 24.

ROUPA NOVA O sexteto, bastante popular nos anos 1980, apresenta o espetáculo "Roupa Nova", repleto de hits como "Dona", "A Viagem" e "Chuva de Prata", além das novas canções "A Metade da Maçã", "Retratos Rasgados" e "É Cedo". Credicard Hall - av. das Nações Unidas, 17.955, Vila Almeida, região sul, tel. 6846-6000. 3.800 lugares. 22h. 90 min. 14 anos. Ingr.: R$ 40 a R$ 140 (p/ estudantes: R$ 20 a R$ 70). CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 20).

TETÊ ESPÍNDOLA Canções presentes no álbum mais recente da cantora, "Evaporar", e sucessos de sua carreira estarão neste show, repleto de músicas com temas ecológicos.www.sescsp.org.br. Sesc Ipiranga - teatro - r. Bom Pastor, 822, Ipiranga, região sul, tel. 3340-2000. 200 lugares. 21h. 75 min. 10 anos. Ingr.:

AMANHÃ, DIA 14

ALMIR SATER O cantor, compositor e ator matogrossence apresenta músicas inspiradas no trabalho e na vida do homem do campo, entre elas, "Tocando em Frente", "Um Violeiro" e "Chalana". Sesc Itaquera - pça. de eventos - av. Fernando do Espírito Santo Alves de Mattos, 1.000, Parque do Carmo, região leste, tel. 6523-9200. 500 pessoas. 19h30. 60 min. Livre. Ingr.: R$ 2 a R$ 6. CC: AE, D, M e V. Estac.

ANAÍ ROSA E BANDA LUA NOVA O quarteto liderado pela cantora e violeira Anaí Rosa executa ritmos brasileiros como xote, forró pé-de-serra, rastapé, baião, coco e maracatu. Sesc Santana - jardim - av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana, região norte, tel. 2971-8700. 100 lugares. 18h. 90 min. Livre. Estac. (R$ 3,50 a R$ 7 a 1ª h mais h adicional).

PROJETO MÓ! MOVIMENTAÇÃO MUSICAL Neste sábado, as atrações do projeto musical são as bandas paulistas Manu Maltez & Grupo Cardume e Armazém Abaporu. Centro Cultural B-arco - r. Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 426, Pinheiros, região oeste, tel. 3081-6986. 70 lugares. 19h. 120 min. Livre. Ingr.: R$ 5.

DOMINGO, DIA 15

NANÁ VASCONCELOS E YAMANDU COSTA. Teatro Fecap. 19h. 12 anos. Ingr.: R$ 20 (p/ estudantes: R$ 10).

PROJETO MÓ! MOVIMENTAÇÃO MUSICAL No último dia do projeto musical, tocam as bandas Madeirame (MG) e os paulistas Marcelino Freire e Fabiana Cozza, com o espetáculo "Cantos Negreiros". Centro Cultural B-arco - r. Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 426, Pinheiros, região oeste, tel. 3081-6986. 70 lugares. 19h. 120 min. Livre. Ingr.: R$ 5.

ROGÉRIO SKYLAB Leia nesta página. Centro Cultural São Paulo -sala Adoniran Barbosa. 18h. 12 anos. Ingr.: R$ 15 (p/ estudantes: R$ 7,50).

Fonte Guia da Folha

No governo de SP, ex-diretor da Alstom dispensa licitação

Do jornal Folha de São Paulo hoje (13)

"Um ex-diretor da Alstom tornou-se presidente em 1999 de uma companhia do governo de São Paulo, a EPTE (Empresa Paulista de Transmissão de Energia), e dois anos depois fechou um negócio adicional com a Alstom de R$ 4,82 milhões sem concorrência, segundo documentos obtidos pela Folha.

O protagonista dessa história é o engenheiro eletricista José Sidnei Colombo Martini. Foi ele quem autorizou a EPTE a pagar R$ 4,82 milhões a mais à Alstom para que ela acondicionasse e armazenasse seis transformadores de 120 toneladas cada um. Os transformadores haviam sido comprados pela EPTE por R$ 110 milhões.

O armazenamento era necessário porque as obras civis de uma subestação no Cambuci, na região central de São Paulo, haviam atrasado. Subestação é o local onde a energia enviada por estações maiores sofre uma redução para ser distribuída aos consumidores.

Dois especialistas em licitações ouvidos pela Folha, sob a condição de que seus nomes não fossem citados, disseram estranhar que um contrato de R$ 110 milhões não contemplasse o possível atraso". Assinante da Folha/UOL leia mais

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Escândalos na cúpula da Segurança Pública


O jornal O Estado de S. Paulo traz hoje (12) um resumo dos escândalos registrados na Segurança Pública paulista no último ano. Segundo o Estadão, "cinco grandes escândalos abalaram a cúpula da Segurança Pública de São Paulo". Acompanhe abaixo os principais casos citados pelo jornal:

SUSPEITAS NO DENARC - Diretor do Denarc, o delegado Everardo Tanganelli está sendo investigado pelo Ministério Público sob suspeita de ter um patrimônio da ordem de R$ 4,5 milhões, quando recebe salário de cerca de R$ 8 mil mensais;

MÁFIA NO DETRAN - A Operação Carta Branca, da Polícia Rodoviária Federal e do Ministério Público, desarticulou uma quadrilha que emitia carteiras de motorista fraudadas na Ciretran de Ferraz de Vasconcelos, na região do Alto Tietê;

ACHAQUES AO PCC - Em abril, a ex-mulher de um investigador mostra provas de que o ex-marido achacava membros do crime organizado em São Paulo, relatando casos de seqüestro de parentes de líderes do PCC;

ACHAQUES A ABADÍA - Um delegado da Polícia Civil de SP foi preso em novembro do ano passado acusado de extorquir o megratraficante Juan Carlos Abadía:

MÁFIA DOS CAÇA-NÍQUEIS - Escutas telefônicas realizadas pela Polícia Federal apontaram que um advogado levava dinheiro para pagar propinas a policiais civis paulistas com o objetivo de manter a chamada "máfia dos caça-níqueis".

PERGUNTA-SE - Onde estavam o governador tucano José Serra e o ex-governador Geraldo Alckmin esse tempo todo?