sábado, 31 de maio de 2008

DN recomenda a BH que volte a discutir aliança, sem incluir PSDB e PPS

O Diretório Nacional do PT aprovou por ampla maioria nesta sexta-feira (30), em Brasília, resolução recomendando ao Diretório Municipal de Belo Horizonte (MG) que volte a discutir e deliberar sobre a política de alianças no município, de maneira que seja afastada a possibilidade de coligação com PSDB e PPS – nos marcos do que já havia sido decidido pelo próprio DN e pela Executiva Nacional do partido.

A resolução delega “poderes legais e estatutários” à Executiva Nacional para que também volte a discutir e deliberar, caso necessário. Clique aqui e leia a íntegra da Resolução:

No Ceará não tem disso não?

aviãozinho cid e sogra

Suíça liga consultoria a propinas para tucanos


Do Jornal da Tarde (Sônia Filgueiras e Eduardo Reina)

"Um único contrato de consultoria teria sido usado para dar cobertura a mais da metade das propinas supostamente pagas, entre outubro de 1998 e abril de 2001, a pessoas ligadas ao governo de São Paulo, sob comando do PSDB (veja quadro). Segundo investigações do Ministério Público da Suíça, o contrato foi fechado entre a Alstom e a offshore MCA Uruguay Ltda. Outras offshores (que são empresas com sede em paraísos fiscais) fecharam contratos da mesma natureza.

Com sede nas Ilhas Virgens Britânicas, a MCA era administrada pelo brasileiro Romeu Pinto Júnior, que não quis falar com a reportagem.

Os supostos serviços de consultoria foram formalizados em contratos para dar cobertura à promessa de comissões. O valor foi prometido em troca da assinatura de um contrato entre Alstom e Eletropaulo: o Gisel II, orçado, segundo os investigadores suíços, em 251,7 milhões de francos franceses (o equivalente a R$ 98,1 milhões, em valores de hoje).

Ex-secretário do governador’

O contrato previa que a MCA receberia o equivalente a 7,5% do valor do Gisel II. A quantia (18,9 milhões de francos franceses ou R$ 7,3 milhões) foi depositada diretamente pelo grupo Alstom em contas bancárias da MCA na Suíça e em Luxemburgo. O mesmo porcentual (7,5%) é descrito em anotação interna apreendida por autoridades suíças como o objeto de um “acordo” destinado a remunerar “o poder político” da época, que estaria sendo supostamente negociado “via um ex-secretário do governador”, identificado pelas iniciais “RM”". Leia mais.

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Conheça um pouco de Renata Rosa

Renata Rosa Live in Paris

O jeito de falar faz imaginar que Renata Rosa nasceu em Pernambuco, onde vive há oito anos e aprendeu a tocar rabeca. Paulistana, nascida no Brás, ela justifica: "A idéia que as pessoas têm do Brás é a de um bairro espanhol, italiano, mas foi um grande destino de nordestinos que chegaram a São Paulo nos anos 50. Cresci em meio à cantoria de viola, ao repente".

Tal contato incentivou Rosa a mergulhar na cultura da região. Antes de se embrenhar na zona da mata pernambucana -onde conheceu o maracatu e o cavalo-marinho que alimentaram seu primeiro CD, "Zunido da Mata", bastante divulgado na Europa-, ela passou temporadas no baixo São Francisco, local em que aprendeu polifonias vocais indígenas e foi apresentada ao samba-de-coco.

Mais luzes sobre o caso Alstom-PSDB


Do Jornal da Tarde, hoje (30):

MP apura propina a tucanos via offshore

"Seis empresas offshore, duas das quais controladas por brasileiros, teriam sido utilizadas pela multinacional francesa Alstom para, supostamente, repassar propinas a autoridades e políticos paulistas entre 1998 e 2001, durante governo do PSDB no Estado. Os pagamentos seriam feitos com base em trabalhos de consultoria de fachada.

Documentos enviados ao Brasil pelo Ministério Público da Suíça, que chegaram ontem ao Ministério da Justiça, revelam que, nesse período, o dinheiro com origem e contabilidade suspeitas chegou a pelo menos 34 milhões de francos franceses. O valor atualizado das “comissões” supostamente pagas pela Alstom em troca da assinatura de contratos em São Paulo chegaria a aproximadamente R$ 13,5 milhões. Offshores são empresas constituídas em paraísos fiscais, onde gozam de privilégios tributários e proteção por regras de sigilo que dificultam as investigações.

Investigadores suíços tratam os recursos de “gratificações ilícitas” por estarem atrelados a contratos de consultoria. As “comissões” teriam sido negociadas via contratos de consultoria de abril a outubro de 1998 - no governo Mário Covas -, quando a Alstom T&D (Transmission and Distribution) e a Eletropaulo discutiam contrato aditivo à obra de reforma e expansão do Metrô paulista. Parte dos repasses era realizada pela empresa Cegelec, também é do grupo Alstom.

Ex-funcionário admite esquema

Um ex-funcionário do setor de finanças da Alstom brasileira disse, com a condição de anonimato, que alguns fornecedores emitiam notas fiscais com valores alterados e/ou produtos e serviços nunca entregues ou executados. Segundo ele, o valor da propina entrava no custo total do projeto, deixando a verba diluída com o custo de fornecimento de materiais e serviços".

Nossa dica de vídeo para hoje

Por Celina Sales, com informações do portal Cineclick:

LEÕES E CORDEIROS (Lions for Lambs, EUA, 2007)

Sinopse: Arian (Derek Luke) e Ernest (Michael Peña) são dois alunos universitários inspirados por seu professor cheio de ideais, Dr. Malley (Robert Redford, também diretor do longa). Desejando fazer algo de importante em suas vidas, resolvem se alistar no Exército e entrar na linha de fogo no Afeganistão. Em Washington D.C., o senador Jasper Irving (Tom Cruise) está prestes a contar uma história bombástica à jornalista Janine Roth (Meryl Streep).

Elenco: Robert Redford, Meryl Streep, Tom Cruise, Michael Peña, Peter Berg, Derek Luke. Provavelmente, a maioria das pessoas ainda não parou para pensar que o conflito entre EUA e Iraque já dura mais que a Segunda Guerra Mundial. E certamente não vai terminar tão cedo. É justamente este o maior mérito do filme Leões e Cordeiros: fazer com que as pessoas parem e pensem: no absurdo desta guerra fabricada, na função de cada indivíduo dentro da sociedade e no papel da mídia. Dirigido e protagonizado por Robert Redford, Leões e Cordeiros propõe exatamente o contrário da maioria dos filmes norte-americanos: pensar. O que é coerente com a longa carreira de Redford, sempre associada a trabalhos ligados a causas políticas e humanitárias.

O belíssimo roteiro do quase estreante Matthew Michael Carnahan (anteriormente, só havia roteirizado O Reino, com Jamie Foxx) propõe três situações distintas, desenvolvidas em três locais diferentes, mas ao mesmo tempo. Na primeira, passada em Washington, a conceituada jornalista Janine (Meryl Streep) consegue uma entrevista exclusiva de uma hora de duração com o jovem senador Irving (Tom Cruise). Na segunda, ambientada na Universidade da Califórnia, o experiente professor Malley (Redford) também concede uma hora de conversa, a portas fechadas, com o jovem Todd (Andrew Garfield), aluno brilhante, mas totalmente desmotivado. Na terceira, ocorrida em algum lugar do Afeganistão, os soldados Ernest (Michael Peña) e Arian (Derek Luke) lutam desesperadamente pela sobrevivência.

Bom fim de semana!!!

Morre filósofo francês Pierre Fougeyrollas

O filósofo e sociólogo francês Pierre Fougeyrollas morreu nesta quinta-feira em um hospital de Paris aos 85 anos de idade.
Catedrático de sociologia da Universidade de Paris, Fougeyrollas escreveu, entre outros livros, os ensaios A Atração do Futuro: Ensaio Sobre a Significação do Presente, Marx e A Filosofia em Questão.

Originário de Périgord (sudoeste da França), Pierre Fougeyrollas abandonou seus estudos para combater na Resistência à ocupação alemã em 1942. No fim dos anos 1950, colaborou com a célebre revista Arguments, criada em 1956 com a participação de figuras como Edgar Morin, Roland Barthes, Kostas Axelos e François Fejt.

Foi militante do Partido Comunista Francês (PCF) até 1956 e, depois de ter apoiado o general Charles de Gaulle nas presidenciais de 1965, aderiu à Organização Comunista Internacional (OCI, trotskista), com a qual rompeu em 1991. Portal Terra.

Conheça um pouco do grupo UAKTI


Banda Sinfônica do Estado e Uakti

UAKTI O talentoso grupo instrumental mineiro abre a programação do multifestival Redes da Criação, que discutirá processos criativos. Itaú Cultural - sala Itaú Cultural - av. Paulista, 149, Bela Vista, região central, tel. 2168-1777. 247 lugares. 19h30. 60 min. Livre. Retirar ingr. c/ 30 min. de antecedência. Estac. c/ manob. (R$ 8 a 1ª h, R$ 4 a 2ª h mais R$ 2 p/ h adicional - convênio).

Dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 30

FABIANA COZZA E CONVIDADOS A jovem e talentosa sambista recebe nestes shows especiais os convidados Maria Rita e Rappin' Hood (hoje, dia 30), Chico César e Yaniel Matos (amanhã, dia 31) e Quinteto em Branco e Preto e Yaniel Matos (domingo, 1º/6). Auditório Ibirapuera - pq. Ibirapuera - av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº, portão 2, Parque Ibirapuera, região sul, tel. 3629-1075. 800 lugares. 21h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 30 (p/ estudantes: R$ 15).

SAMBA DE RAINHA Oito mulheres comandam o show de samba com músicas próprias e clássicos de Ary Barroso, Ivone Lara, Cartola, Paulo Vanzolini e Paulo César Pinheiro. O grupo de samba de São Paulo acaba de lançar seu segundo CD, "Vivendo Samba". Sesc Pompéia - choperia - r. Clélia, 93, Água Branca, região oeste, tel. 3871-7700. 800 lugares. 21h. 90 min. 18 anos. Ingr.: R$ 4 a R$ 16.

UAKTI O talentoso grupo instrumental mineiro abre a programação do multifestival Redes da Criação, que discutirá processos criativos. Itaú Cultural - sala Itaú Cultural - av. Paulista, 149, Bela Vista, região central, tel. 2168-1777. 247 lugares. 19h30. 60 min. Livre. Retirar ingr. c/ 30 min. de antecedência. Estac. c/ manob. (R$ 8 a 1ª h, R$ 4 a 2ª h mais R$ 2 p/ h adicional - convênio).

AMANHÃ, DIA 31

EXPRESSO BRASIL O quarteto divulga músicas de autores que, apesar de conhecidos, não são identificados como compositores de choro, como Hermeto Pascoal, Guinga, Moacir Santos e Chico Buarque, além de novos autores. Sesc Santana - jardim - av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana, região norte, tel. 2971-8700. 100 lugares. 19h. 90 min. Livre. Estac. (R$ 3,50 a R$ 7 a 1ª h mais h adicional).

FABIANA COZZA E CONVIDADOS Leia a pág. 63. Auditório Ibirapuera. 21h. Livre. Ingr.: R$ 30 (p/ estudantes: R$ 15).

UAKTI Itaú Cultural - sala Itaú Cultural. 19h30. Livre. Retirar ingr. c/ 30 min. de antecedência.

DOMINGO, DIA 1º

O SERTÃO NA CANÇÃO Os músicos Jean e Joana Garfunkel, com participação de Natan Marques na viola, apresentam canções inéditas e de autoria própria, inspiradas no livro "Grande Sertão: Veredas", de Guimarães Rosa. Galeria Olido - sala Paissandu - av. São João, 473, República, região central, tel. 3331-8399. 139 lugares. 20h. 60 min. Livre. Retirar ingr. c/ 15 min. de antecedência.

UAKTI Leia a pág. 64. Itaú Cultural - sala Itaú Cultural. 19h30. Livre. Retirar ingr. c/ 30 min. de antecedência.

Fonte Guia da Folha

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Outra agência eleva Brasil a grau de investimento

Do portal UOL

"A agência de classificação de risco Fitch anunciou nesta quinta-feira que elevou o Brasil à condição de grau de investimento. A dívida em moeda estrangeira de longo prazo passou da nota BB+ para BBB-.

Isso significa que o Brasil passa a ser considerado bom pagador de suas dívidas e confiável para receber investimentos externos. É a segunda grande agência a conceder esse título para o Brasil em menos de um mês. No dia 30 de abril, a Standard & Poor´s também classificou o Brasil como bom para investir".

Gestão tucana: Prefeitura superfatura merenda

Um vídeo disponível no Youtube ilustra bem a "gestão tucana". Um dos exemplos do descalabro foi mostrado pelo programa humorístico CQC, da TV Bandeirantes, mas não tem nada de humor: a Prefeitura de Mairiporã, controlada pelo PSDB, superfaturou em mais de 100% os produtos da merenda escolar do município.

Reportagem da Folha de S. Paulo disse o seguinte sobre o assunto: "Segundo a reportagem (do CQC), um quilo de feijão, que custa em média R$ 4, é comprado pela Prefeitura de Mairiporã por R$ 9,50. O prefeito da cidade, Antonio Shigueyuki Aiacyda (PSDB), não quis comentar o assunto e "capangas" ameaçaram a reportagem, segundo a emissora. A polícia precisou ser acionada, informou a Band". Clique abaixo e veja o vídeo.

Abandono de Emprego - Verbas rescisórias

Está semana o artigo da Dra. Joselane Pedrosa versa sobre abandono de emprego e suas conseqüências. Leia abaixo:

"Algumas pessoas possuem dúvidas acerca do abandono de emprego, abaixo tento esclarecer algumas características sobre este assunto e quais as verbas rescisórias devidas no caso de sua configuração.

O abandono de emprego caracteriza-se pela ausência injustificada do empregado por um determinado período, podendo, inclusive, ser caracterizado após a cessação do benefício previdenciário, conforme prevê o Enunciado de Súmula do Tribunal Superior do Trabalho nº 32:

“Presume-se o abandono de emprego se o trabalhador não retornar ao serviço no prazo de 30 dias após a cessação do benefício previdenciário, nem justificar o motivo de não o fazer”.

Ocorre o abandono de emprego pela quebra da habitualidade, requisito este fundamental para caracterização da relação de emprego.

No caso da configuração do abandono de emprego, cabe ao empregador o pagamento das seguintes verbas rescisórias:
• férias vencidas (apenas para empregados com um ano ou mais de serviço);
• 1/3 sobre as férias vencidas (apenas para empregados com um ano ou mais de serviço);
• saldo de salário;
• salário-família;
• FGTS;
• 8% - mês da rescisão e mês imediatamente anterior (se não houver sido depositado).

Deverá ser grafado no campo 26 do TRCT – Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho a expressão “Não”, uma vez que o trabalhador não tem direito ao saque do FGTS.

Cabe ao empregador tentar localizar o empregado por todos os meios legais disponíveis e possíveis.

O ônus da prova do abandono é do empregado se ultrapassado o prazo de 30 dias, entretanto, antes deste prazo o ônus da prova é do empregador".

Dra.: Joselane Pedrosa dos Santos é especialista em Diretio do Trabalho e Previdenciário. Tel. 31068758.

Cresce o nível de emprego na região metropolitana de SP

A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo registrada em abril representou o melhor desempenho para o mês em 13 anos, segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego divulgada nesta quarta-feira (28) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), em conjunto com a Fundação Seade.

No mês, o desempregro atingiu 14,2% da população economicamente ativa (PEA) da região. Embora represente um desempenho estável em comparação a março, quando foi de 14,3%, é o melhor abril desde 1995, quando o indicador apontou 13,5% de desemprego. Leia mais.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Bolero de Ravel - uma bela canção

Bolero de Ravel Filarmônica de Berlim

Bolero (Boléro, no título original francês) é uma obra musical de um único movimento escrita para orquestra por Maurice Ravel. Originalmente composta para um Ballet, a obra, que teve sua première em 1928, é considerada a obra mais famosa de Ravel. Leia mais.

Crescimento econômico impulsiona inclusão

Acesso por banda larga residencial cresce 53% no Brasil

da Folha Online

"O número de pessoas com acesso à internet em banda larga no Brasil cresceu 53% em um ano, chegando no mês de abril a 18,3 milhões de usuários residenciais ativos -que acessaram a rede em casa pelo menos uma vez no mês. O dado, divulgado nesta quarta-feira (28) pelo Ibope/NetRatings, mostra que 82% dos internautas brasileiros utilizaram internet rápida naquele mês". Leia mais aqui.

Comentário: Isso, sem dúvida, é parte da política econômica do governo Lula que privilegia o crescimento econômico, a distribuição de renda e a inclusão social. A inclusão "digital" é reflexo desse conjunto de políticas. Basta acrescentar que em 2007 o número de computadores vendidos no Brasil ultrapassou a marca dos 10 milhões de unidades, superando até mesmo a venda de televisores.

Lá vai barão...


A jornalista Mônica Bérgamo revelou em sua coluna de hoje no caderno Ilustrada da Folha de S. Paulo mais um ato da Prefeitura que visa gastar mais dinheiro público com publicidade. Leia a nota:

Recordação

"E o prefeito Gilberto Kassab, pré-candidato à reeleição, está contratando uma empresa para 'registrar os eventos promovidos pela prefeitura municipal'. A administração não divulga quanto vai gastar. O pacote prevê 600 horas de trabalho".

A PERGUNTA: Alguém sabe como e quando serão usadas as imagens do "álbum de recordações?". A propósito dos gastos com a contratação, lembrei-me do tempo em que as notas de "mil cruzeiros" traziam a efígie do Barão do Rio Branco. Na época, todo gasto superior a "mil" era acompanhado da expressão "barão"...

A precariedade da saúde

Nota do boletim PT Câmara SP desta quarta-feira (28):

Comunidade da Leste II protesta contra situação da saúde na região

"Moradores e membros de conselhos gestores de São Miguel Paulista vão realizar um ato público na sexta-feira (30) para protestar contra a precariedade dos equipamentos de saúde (UBSs, pronto-socorros, ambulatórios de especialidades e as próprias AMAs, recém-inauguradas) da Zona Leste II.

A manifestação está sendo organizada pelo Movimento de Saúde de São Miguel. Às 9h30 de sexta os manifestantes se concentrarão na Praça Padre Aleixo Mafra (conhecida como Praça do Forró), em São Miguel, e seguirão depois em passeata até a Coordenadoria de Saúde da prefeitura, na Avenida Pires do Rio, 199".

Das nomeações e das coincidências

Ontem postei aqui uma nota falando do "festival de nomeações" promovido pela administração Gilberto Kassab em pleno processo de preparação eleitoral. O assunto repercutiu hoje (28) na coluna Diário Paulista, assinada pelo jornalista João Carlos Moreira no Diário de São Paulo. Veja o que ele disse:

Só coincidências

"O vereador João Antonio (PT) chamou a atenção para nomeações recentes em cargos de confiança na Prefeitura. "Elas coincidem com a adesão maciça de partidos à pré-candidatura de Kassab", cutucou o petista".

Cidade suja

Frase de um entrevistado pela Folha de S. Paulo de hoje (28) acerca do aumento da sujeira nas ruas da Capital:

"O prefeito [Gilberto Kassab] limpou em cima, tirou as propagandas, mas esqueceu da parte de baixo. As ruas estão imundas", afirma o consultor de negócios Carlos Toledo, 54".

Comentário: O jornal trouxe uma extensa matéria falando do aumento das reclamações dos munícipes acerca da qualidade dos serviços de varrição e limpeza da cidade. Enquanto isso, a Prefeitura bate sucessivos recordes de 'aplicações financeiras', com mais de R$ 5 bilhões 'guardados' em bancos privados.

Justiça Federal denuncia 40 por formação de quadrilha no RS

Do site Carta Maior

PORTO ALEGRE - "A juíza da 3ª Vara da Justiça Federal de Santa Maria (RS), Simone Barbisan Fortes, aceitou, nesta terça-feira (27), a denúncia contra 40 das 44 pessoas indiciadas pelo Ministério Público Federal, acusadas de envolvimento no desvio de cerca de R$ 44 milhões do Detran/RS. A juíza também informou que está suspenso o sigilo sobre o processo, excluindo-se o sigilo bancário e fiscal dos denunciados, além de parte dos conteúdos de escutas telefônicas. Assim, a peça de denúncia elaborada pelo Ministério Público Federal torna-se pública a partir de hoje. Os bens de todos os indiciados pela Polícia Federal seguirão bloqueados. Os réus começarão a ser ouvidos no dia 19 de agosto.

Os quatro nomes excluídos da denúncia foram: Ronaldo Etchechury Morales (ex-presidente da Fatec), Luis Felipe Tonelli de Oliveira, Sérgio de Moraes Trindade e Jorge Alberto Viana Hossler. Simone Barbisan Fortes considerou que não havia indícios suficientes contras essas pessoas.

Em novembro de 2007, durante a investigação, com a atuação conjunta da Polícia Federal e do Ministério Público, 13 pessoas foram presas, suspeitas de superfaturar os preços dos contratos firmados entre o Detran/RS e as fundações, para a realização de exames de direção (necessários à habilitação dos condutores de automóveis). Entre elas, políticos do PP, PSDB, PMDB e PTB e um dos coordenadores da campanha eleitoral de Yeda Crusius (PSDB), em 2006 (Lair Ferst)". Leia mais.

terça-feira, 27 de maio de 2008

Vice do PT

Na condição de vice-presidente estadual do PT de São Paulo acompanho atentamente o debate partidário interno acerca das eleições municipais deste ano. Torço para que a ministra do Turismo e ex-prefeita Marta Suplicy anuncie rapidamente a sua candidatura à Prefeitura de São Paulo.

Observo que não presenciei, até o momento, nenhum debate interno sobre quais seriam as opções de vice que o PT teria para a legenda.

A única certeza é que 100% apóiam a Marta.

Matéria complexa exige cautela

O Projeto de Lei 397/07, de autoria do vereador tucano Adolfo Quintas, que concede alvará de funcionamento ao comércio de pequeno porte, independente da regularização ou não do imóvel, está sendo questionado pelo Ministério Público Estadual (MPE). O MPE enviou à Câmara Municipal um questionamento sobre a urgência e apontou supostas falhas formais de constitucionalidade no proceso de aprovação - feito por meio de um instituto legislativo chamado "Congresso de Comissões". A apreciação de projetos de lei por congresso de comissões é uma forma de tornar mais célere a tramitação de um projeto na Casa. O MP sugere a devolução do referido PL à Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJLP).

COMENTÁRIO - Trata-se de matéria de extrema complexidade. Se por um lado atende interesses de milhares de estabelecimentos comerciais, por outro pode significar um benefício indireto aos proprietários desses imóveis, já que a maioria é alugada aos comerciantes. Por sua complexidade, meu prognóstico é que a sua votação deverá não ocorrer nos próximos meses.

Mudar o nome, piorar e abandonar


A revista ARede, especializada em inclusão digital, trouxe uma matéria esclarecedora em sua edição deste mês sobre o abandono de um projeto inovador da administração Marta Suplicy na área da pedagogia. Trata-se do Educom.Rádio - que criou 455 rádios nas escolas municipais. A idéia era reforçar o ensino com o uso dos recursos da comunicação na sala de aula, a chamada "educomunicação".

Com seu discurso "eleitoreiro-modernizante", o então prefeito tucano José Serra dizia que iria "manter e ampliar" o que era bom na administração do PT. Claro que todo mundo sabe que ele fez exatamento o contrário. Mais uma prova disso foi o que ocorreu com o Educom, que virou "Nas Ondas do Rádio" e foi progressivamente abandonado.

Na matéria de ARede, por exemplo, nem a prefeitura e nem mesmo a coordenação do projeto sequer sabem quantas escolas ainda usam os recursos da educomunicação. A tradução é simples: mudaram o nome, pioraram e abandonaram, uma vez que a informação da mesma revista diz que o que restou do Educom "enfrenta falta de recursos".

Esta é mais uma das marcas do governo Serra/Kassab.

O festival de nomeações continua

Recentemente recomedei aos interessados no tema "cargos na prefeitura" a leitura do Diário Oficial da Cidade de São Paulo. Pois bem! O festival de nomeações para cargos de confiança na prefeitura continua: hoje o DO publica duas páginas recheadas com 53 títulos de nomeações para cargos diversos.

A título de curiosidade tais nomeações coincidem com a adesão maciça de diversos partidos à pré-candidatura do prefeito Kassab. Outra coincidência é que a mesma edição do DO traz um bom número de exonerações.

Estou na dúvida: os que saem e aqueles que entram apoiarão qual candidatura a prefeito? Estão ligados a algum parlamentar?

Engolir o que?


O pré-candidato do PV a prefeitura do Rio de Janeiro Fernando Gabeira, disse ontem no Instituto Universitário de Pesquisas do Rio, ao se referir a relação com outras esferas de governos a seguinte frase: "Não tenho a mesma posição do presidente e do governador, mas tenho 50 anos de vida pública, e os prazos emocionais não são os mesmos dos políticos. Vou precisar engolir algumas coisas".

Onde já se viu?

Do Painel da Folha hoje (27)

"Em recente visita a Guarulhos para inaugurar obras, Lula passou um sabão no prefeito Elói Pietá (PT) por seu comportamento na sucessão municipal. Descontente com a vitória do deputado estadual Sebastião Almeida sobre a atual vice, Eneide Lima, na prévia petista, Pietá começou a "liberar" os partidos aliados para tomarem outro rumo na eleição".

Executiva do PT rejeita aliança com tucanos em BH

A Comissão Executiva Nacional do PT, reunida nesta segunda-feira (26) em Brasília, deliberou sobre pedidos e recursos relativos a alianças municipais, nas eleições deste ano, com partidos de fora da base do governo federal.

Para as capitais, cidades com mais de 200 mil eleitores e aquelas que transmitem propaganda eleitoral na TV foram aprovados 12 pedidos e rejeitados cinco. Entre os rejeitados está o caso de Belo Horizonte, cuja possibilidade de coligação com o PSDB foi negada por 13 votos a 2. Leia mais.

Boa!!

Tiroteio (Folha de São Paulo)

Escolas de lata são especialidade demo-tucana. Kassab as idealizou, quando secretário de Celso Pitta, e Alckmin as copiou no governo do Estado.

-----------------------------------------------------------------------------

Do vereador paulistano ANTONIO DONATO (PT) em resposta à atual administração, que critica Marta Suplicy por não ter conseguido acabar com as escolas de lata da rede municipal.

De bico fechado

"Do painel do jornal Folha de São Paulo hoje (27)

Decorrido um mês desde que o prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão, foi apontado pela Polícia Federal como um dos personagens centrais do esquema de desvio de recursos do BNDES, seu partido, o PSDB, não se mexeu. A cúpula nacional, sempre pronta a comentar os escândalos com digitais petistas, jamais tratou do assunto formalmente.
Provocado pelo presidente do Conselho de Ética tucano, deputado Affonso Camargo (PR), o presidente do PSDB paulista, deputado Mendes Thame, alegou que para tomar qualquer atitude é preciso aguardar o indiciamento de Mourão, também suspeito de ter passagens aéreas e estadia num hotel no Rio bancadas por uma casa de prostituição".

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Sobre a liberação de bebidas nas estradas

Charge - Amarildo

Do blog do Noblat

Tucanos, os envagetadores-gerais


Matéria do Jornal da Tarde desta segunda-feira (26) mostra a paternidade do "tapete" onde são jogados os escândalos da era tucana no Estado de São Paulo. Veja um trecho da matéria assinada por Paulo Darcie:

Assembléia engaveta contratos irregulares

TCE aponta ilegalidades, mas os pareceres não são votados pela Casa. O mais antigo é de 1998

"O Tribunal de Contas do Estado (TCE) constatou irregularidades em seis contratos da empresa francesa Alstom com o governo de São Paulo, sob o comando do PSDB desde 1995. O mais antigo deles, que se refere à compra de disjuntores pela Cesp, foi julgado ilegal por falta de licitação, em 1998, e enviado à Assembléia Legislativa. Passados 10 anos, o parecer ainda não foi votado pelos deputados estaduais. São eles os responsáveis por encaminhar - ou não - o caso para ser investigado pelo Ministério Público.

A soma dos valores dos seis contratos da Alstom, sob suspeita, supera R$ 1,3 bilhão (veja quadro). São dois com a Cesp (Companhia Energética de São Paulo), três com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e um com o Metrô de São Paulo.

Acusada de ter pago suborno de US$ 6,8 milhões para vencer licitações de US$ 45 milhões do Metrô, entre 1995 e 2006, período dos governos tucanos de Mário Covas e Geraldo Alckmin, a Alstom já é alvo de processos na França e Suíça.

Na Assembléia, a oposição ao governador José Serra (PSDB) tenta abrir uma CPI do Metrô. Mas conseguiu apoio de apenas 23 deputados do total de 94 na Casa. São necessárias pelo menos 32 assinaturas para instaurar comissão de inquérito.

O líder do governo, deputado Barros Munhoz (PSDB), diz que a intenção é tanto esclarecer o caso Alstom como limpar a pauta de votação. Mas a fila é imensa: a Assembléia tem hoje 1.378 itens na pauta, sendo 992 auditorias feitas pelo TCE que não foram levadas ao plenário".

Comentário: Para entender o que levou a esse "engavetamento" sucessivo dos pareceres do TCE basta fazer uma continha básica: os tucanos estão no poder há mais de 13 anos e, portanto, são os pais da matéria. São os mestres no assunto, enquanto bradam por investigações, CPIs e tudo o mais em Brasília...

Walter Pinheiro vence prévias e disputa a Prefeitura de Salvador

O deputado federal Walter Pinheiro será o candidato do PT à Prefeitura de Salvador. Ele venceu as prévias realizadas neste domingo (25), contra o também deputado Nelson Pellegrino, por 1.337 votos a 1.209.

Pinheiro teve o apoio do governador Jaques Wagner (PT) e disse, após a vitória, que vai trabalhar para que o partido dispute unido as próximas eleições municipais.

Também devem participar do pleito João Henrique Carneiro (PMDB), Antonio Imbassahy (PSDB), Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM), Lídice da Mata (PSB), Raimundo Varela (PRB) e Olívia Santana (PC do B). As convenções, que vão ratificar os nomes dos candidatos, acontecem em junho.

Para alegrar sua segunda-feira

Xangai canta "Pequenina"

Sucessão: Maluf garante que disputará

Do jornal Gazeta Mercantil, hoje (26):

"Vou para a convenção"

Gazeta Mercantil- O senhor cogita a possibilidade de abrir mão da candidatura em favor do prefeito Gilberto Kassab? Há negociações com o democratas para uma aliança?

Maluf - Não vou abrir mão da candidatura própria. Falo isso para sem reservas e gravado. A convenção já está marcada para o dia 22 de junho. Tenho apreço pelo Gilberto Kassab e não é porque eu sou candidato que vou falar mal dele. Ele foi vereador comigo, deputado estadual e federal eleito na minha coligação. Tenho por ele, portanto, um sentimento de amizade política bastante antiga. Mas conversa política já faz anos que não temos.

Gazeta Mercantil - Integrantes do PP garantem que o senhor teve um encontro secreto com Kassab.

Maluf - Eu me encontrei com o Kassab com cinco mil testemunhas, inclusive estava toda a mídia do País no palanque montado para a inauguração da Ponte Otávio Frias de Oliveira. Da outra vez, escute uma fonte um pouquinho mais idônea.

Será ineficiência ou falta de estrutura?

Do Jornal da Tarde, hoje (26)

"O índice de resolução dos homicídios investigados pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) caiu pelo segundo ano consecutivo, depois de atingir uma marca histórica em 2005. Em 2007, o índice de resolução do setor da Polícia Civil responsável por identificar e prender autores de assassinatos na Capital foi de 46,9%dos casos investigados. O índice já havia caído de 65,5%, em 2005, para 56%, em 2006.

O índice de esclarecimento do DHPP leva em conta os casos em que o departamento mandou à Justiça os acusados pelos homicídios. Mas nem todos os casos de homicídio são encaminhados ao DHPP. Os DPs costumam ficar com as investigações quando a vítima é socorrida. Foi o que aconteceu no caso da menina Isabella Nardoni, que ficou sob responsabilidade do 9º DP. Ao DHPP são delegados os casos em que a vítima morre no local ou em situações excepcionais.

Entram na conta casos ocorridos em anos anteriores que continuam a ser investigados. Assim, em 2001, ano em que o DHPP começou a medir o índice de esclarecimento, de um total de 5.664 inquéritos policiais em andamento, apenas 1.158 foram esclarecidos, resultando em um índice de 20,4% de resolução. Em 2005, ano em que o DHPP conseguiu a sua melhor performance (veja quadro ao lado), foram esclarecidos 1.388 casos de um total de 2.119, um índice de 65,5%.

Nos dois últimos anos, porém, houve uma queda no índice. Em 2006, foram esclarecidos 56% dos 1.844 casos investigados. Em 2007, 46,9% dos 1.499. Para o delegado Carlos José Paschoal de Toledo, diretor do DHPP, a queda na taxa está relacionada com a diminuição simultânea do número de homicídios na Capital. Desde 2000, esse tipo de crime caiu 71% , passando de 5.327 na virada do século para 1.534 no ano passado".

Comentário: Infelizmente convivemos com uma realidade muito cruel. Nos bairros periféricos a violência campeia solta. Chacinas e mortes de inocentes deixam marcas em centenas de famílias, são cicatrizes expostas que nem o tempo consegue apagar. Como o sensacionalismo da mídia não está presente, na maioria dos casos as vítimas ficam jogadas à própria sorte, à mercê da ineficiência ou da falta da estrutura da polícia para desvendar crimes que são tão cruéis quanto o caso Isabella.

domingo, 25 de maio de 2008

Será que o Serra acreditaria nisso?

Mais uma pérola do tucano Geraldo Alckmin no embate de espaço político com o governador Serra na sucessão municipal de São Paulo, conforme matéria da Folha de S. Paulo de hoje (25):

Vitória tucana em SP dará força a Serra, diz Alckmin

"Dizendo-se disposto a enfrentar os opositores de sua candidatura na convenção partidária -o que chamou de "pequena lasca"-, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou ontem que uma vitória do PSDB em São Paulo fortalece a candidatura do governador José Serra ao Planalto em 2010.

Questionado, Alckmin disse que é um "grande equívoco" acreditar que, se eleito, servirá de tentáculo à candidatura do governador de Minas, Aécio Neves (PSDB): "Grande equívoco. É óbvio que, se isso fortalece o PSDB em São Paulo, fortalece o Serra. É evidente". Clique aqui para ler a matéria completa (para assinantes da Folha/UOL).

Finalmente descobriram...

Meses depois que o assunto foi denunciado pelo site da Agência Carta Maior e pela revista CartaCapital, a Folha de S. Paulo finalmente "descobriu" um dos grandes escândalos de administrações tucanas fora de São Paulo - neste caso no Detran do Rio Grande do Sul, da tucana Yeda Crusius. Veja abaixo um trecho da reportagem da Folha deste domingo (25):

Governadora do RS enfrenta escândalos e crise fiscal

"Primeira mulher a governar o Rio Grande do Sul, a tucana Yeda Crusius tem conduzido seu mandato por um campo repleto de embates fiscais e políticos e denúncias de desvios.

O episódio mais recente teve início em novembro do ano passado, quando a PF deflagrou a Operação Rodin, desmantelando um suposto esquema de fraude que teria desviado R$ 44 milhões do Detran. Aliados de Yeda foram presos, entre eles o então presidente do órgão, Flávio Vaz Netto, e o tucano Lair Ferst, apontado como figura-chave do suposto esquema.

Ferst já integrou a Executiva Estadual do PSDB. O escândalo se desdobrou em uma CPI na Assembléia Legislativa. Ao depor, o deputado federal Enio Bacci (PDT), ex-secretário da Segurança, afirmou que avisara a governadora sobre irregularidades no Detran -o que foi negado pelo Palácio do Piratini.

O caso do Detran também atingiu em cheio um dos auxiliares mais próximos de Yeda, o secretário de Planejamento e Gestão, Ariosto Culau, que pediu demissão após ser filmado em um encontro com Ferst".

sábado, 24 de maio de 2008

Catedral da Sé - São Paulo ontem e hoje

Igreja de São Pedro dos Clérigos, na praça da Sé, no início do século XX.

Na passagem do século XIX para o século XX a cidade via desaparecerem as marcas da arquitetura colonial em seu casario. A antiga catedral e a igreja de São Pedro dos Clérigos logo deram lugar a edificações de estilo eclético, que dariam um ar “europeizado” à cidade. A atual catedral (foto abaixo) teve sua construção iniciada em 1913, a partir de projeto do alemão Maximilian Emil Hehl, professor de Arquitetura da Escola Politécnica. A inauguração da nave ocorreu em 25 de janeiro de 1954, na comemoração do 4º Centenário da cidade, mas as obras externas foram concluídas apenas em 2003.

Reforma trabalhista e as deformações da Justiça do Trabalho.

Depois de 68 anos de vida, e de 32 administrações, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) abriu espaço para eleger à presidência um advogado da área trabalhista. O mérito é de Cezar Britto, que tira do limbo não o pequeno estado de Sergipe, mas, também, a própria advocacia trabalhista. E tudo ocorre em um momento especial, quando a relação capital e trabalho atinge um novo patamar de confronto.

Nesta entrevista à CartaCapital, o presidente da OAB fala de outros temas, como a escuta telefônica, para a qual pede “regras”, e da fragilidade da advocacia pública num país onde a população pobre tem acesso limitado à Justiça. Mas o foco da conversa são as mudanças na legislação trabalhista. Há, segundo ele, um ataque aos direitos trabalhistas. E ao espírito da Justiça do Trabalho, que se modernizou, mas se deformou.

“Ela foi criada por Getúlio Vargas para proteger o trabalho do poder avassalador do capital. Nesse conflito, o juiz não pode tratar como iguais o empregado e o empregador”, alerta Britto.

CartaCapital: A reforma trabalhista é um dos itens da pauta de reformas. Qual é o alvo das mudanças?
Cezar Britto: O que se quer, na verdade, é aumentar a competitividade das empresas globalizadas. Os direitos dos trabalhadores estariam impedindo os lucros, lucros maiores. Isso entrou em jogo desde o governo Fernando Henrique Cardoso.

CC: Os direitos trabalhistas entram no leilão da competição.
CB: Essa é exatamente a lógica. Por ela, o custo do trabalho atrapalha a competitividade. Onde se paga menos, mais atrativo se torna para o investimento do capital. Isso entrou em discussão com o neoliberalismo e ainda não foi abandonado.

CC: Não foi abandonado no governo Lula?
CB: Não foi. Tanto é que, já no governo Lula, foi aprovada a lei de recuperação das empresas. Uma lei que segue essa lógica. Ela revogou alguns princípios que eram fundamentais para o trabalhador.

CC: No governo de um ex-operário metalúrgico, a contradição fica maior?
CB: Fica maior. O espírito da lei de recuperação das empresas é o mesmo que se espalha por vários países. Fui convidado para fazer uma palestra em Moçambique, cujo tema foi exatamente essa lei. Ela já vigora na Argentina, no Panamá.

CC: O que ela muda concretamente na relação trabalho e capital?
CB: Havia um entendimento que o trabalhador não era responsável pela gestão da empresa da qual não aufere lucros. Por isso, se convencionou que ele também não poderia ser responsabilizado pela má gestão ou pelo desvio de verbas nas empresas. Quem tem responsabilidade é quem tem o lucro, o empresário. Nessa lógica, o patrimônio da empresa servia para garantir o salário do trabalhador.

CC: Não é mais?
CB: Depois dessa lei, apenas uma pequena parte se destina aos direitos do trabalhador. O segundo credor passaram a ser as instituições bancárias. Outra mudança fundamental, que simboliza bem este momento do conflito capital–trabalho, é o fim da “despersonalização” do patrimônio da empresa, que, antes, garantia também a indenização do trabalhador. Hoje, em caso de processo de recuperação da empresa, o patrimônio é distribuído a um conselho de credores. Um bom exemplo disso é o da Varig. A parte boa do patrimônio foi passada à Gol, a parte ruim ficou para garantir os créditos trabalhistas.

CC: Como foi a trajetória dessa mudança no Brasil? CB: Ela nasceu no governo Fernando Henrique e foi aprovada no governo Lula. O governo Lula, no início, acertou ao fortalecer os sindicatos. Fortes, eles têm um bom sistema de negociação com a classe patronal. Mas a reforma apresentada, discutida em um fórum com empregados e patrões, dorme no Congresso. Não avançou.

CC: O que é bom na proposta de reforma trabalhista?
CB: Ela permite que os sindicatos se unam, como dizemos, “do poço ao posto” no ramo da produção. Hoje, os sindicatos são constituídos por categorias profissionais. Às vezes, uma empresa tem cinco, seis ou sete sindicatos. Isso dilui a negociação e fragiliza os empregados. Essa proposta permite a união dos sindicatos. Acaba a unicidade sindical.

CC: E a questão da contribuição sindical?
CB: A contribuição sindical nasceu para premiar os sindicatos mais atrelados ao Estado. Os sindicatos precisam ser mantidos pelo reconhecimento da categoria e não pela distribuição do dinheiro feito pela contribuição. Talvez fosse o caso de se fazer uma redução paulatina.

CC: A Justiça do Trabalho funciona?
CB: A Justiça do Trabalho cresceu muito nos últimos anos e foi modernizada. É uma das mais ágeis do Brasil, e que responde mais rapidamente às demandas. A competência da Justiça trabalhista foi ampliada e absorveu um mundo de questões novas, como as referentes às greves e às indenizações decorrentes de acidente de trabalho, entre outras.

CC: Isso tem favorecido os empregados, já que se trata de uma justiça feita para equilibrar as relações entre o capital e o trabalho?
CB: Esse é o grande diferencial da Justiça do Trabalho. A grande força dela, ao ser criada, foi a compreensão de que esses dois mundos são desiguais. Ela trata diferenciadamente pessoas que não são iguais: o empregado e o patrão. É diferente do princípio que norteia a Justiça comum, que é o da igualdade contratual. Isso significa que todas as pessoas diante dela são iguais e, sendo iguais na relação contratual, têm de ser tratadas da mesma forma.

CC: Nesse sentido, os trabalhadores devem vivas a Getúlio Vargas?
CB: Vargas tinha a visão da época. Isso significou uma intervenção muito forte para suavizar muitos pontos, com a intervenção do Estado, a exploração do capital. A estrutura sindical é uma estrutura esmagadora. É preciso ser reformada e modernizar pontos que permitam uma negociação mais livre entre empregados e empregadores.

CC: De que maneira as decisões da Justiça do Trabalho, quanto a essas novas atribuições, têm sido melhores ou piores para os empregados?
CB: Alguns dizem que passaram a ser mais conservadoras. Uma contradição: a Justiça trabalhista ser mais conservadora nas questões sociais do que a Justiça comum, que privilegia a igualdade contratual.

CC: E vai ficar assim mesmo?
CB: Se a Justiça do Trabalho perder a sua razão de ser, a visão diferenciada, ela vai implodir. Enquanto esse mundo for desigual, ela não poderá ser jamais uma justiça que compreenda que há igualdade na relação contratual entre capital e trabalho.

CC: Afora essas reformas, a OAB também tem uma pauta de mudanças, como, por exemplo, o da escuta telefônica, o grampo. Qual é o problema se ela for feita com autorização judicial?
CB: A questão é reconhecer o direito de defesa para todo mundo. Os grampos telefônicos banalizados como estão facilitam a nulidade do processo no futuro. A conversa do cliente com o advogado não pode ser grampeada. É um atentado ao direito de defesa. Se isso for desrespeitado, o dano à sociedade é maior. A OAB interfere para evitar esse tipo de falha processual.

CC: Isso seria resultado do autoritarismo de uma polícia criada para reprimir a população pobre?
CB: Pois é. O sistema carcerário demonstra isso. Lá estão os suspeitos de sempre: os pobres, os pretos e as prostitutas. E há mais presos pobres porque o Estado não cumpre outro dever constitucional, que é o de garantir a defesa dos pobres. Esse seria o papel dos defensores públicos.

CC: Às vezes, parece que isso nem existe.
CB: É um sinal do abandono em que vive a Defensoria Pública, conseqüência de um país que não acredita que cuidar dos pobres seja prioridade do Estado. Mas a Constituição determina que todos tenham acesso à Justiça.

CC: E quanto às escutas telefônicas?
CB: Bisbilhotar pessoas virou uma cultura no Brasil. Há uma competição para saber quem bisbilhota. Há 426 mil grampos telefônicos autorizados judicialmente. É um número muito elevado. E qual será o risco dos grampos telefônicos num futuro autoritário? Isso também pode servir como instrumento de chantagem. A escuta é um instrumento de controle muito forte que precisa ser regulamentado.

CC: Qual é a alternativa?
CB: A escuta precisa ter prazo de validade. Acho que o limite deveria ser a partir do momento em que a investigação é tornada pública. Eles estão grampeando conversa de advogados com clientes. Isso é um absurdo. Uma regulamentação do grampo deve estipular que todos os interessados, o acusado principalmente, tenham acesso à integralidade das gravações feitas. As conversas tiradas do contexto muitas vezes ganham outro sentido.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Bibba Chuqui


BIBBA CHUQUI A cantora, compositora e arranjadora paulistana mostra clássicos do blues em roupagens próprias, acompanhada de cinco músicos. Sesc Vila Mariana - r. Pelotas, 141, Vila Mariana, região sul, tel. 5080-3000. 300 lugares. 13h30. 60 min. Livre. Estac. (R$ 2 a R$ 5 a 1ª h mais h adicional).

Dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 23

RENATO BORGHETTI O músico gaúcho está lançando o álbum "Fandango", o 23º de sua carreira, de forma totalmente independente. O som é fiel às raízes folclóricas do Rio Grande do Sul. Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran - r. Paes Leme, 195, Pinheiros, região oeste, tel. 3095-9400. 1.010 lugares. 21h. 80 min. 7 anos. Ingr.: R$ 3,50 a R$ 15. Estac. c/ manob. (R$ 5 e R$ 7 p/ 3 h mais R$ 1 p/ h adicional).

RUMOS MÚSICA Os músicos do Reisado das Caraíbas (PE) e do Duo GisBranco (RJ) são as atrações desta sexta-feira do projeto musical promovido pelo Itaú Cultural. Itaú Cultural - av. Paulista, 149, Bela Vista, região central, tel. 2168-1777. 255 lugares. 19h30. 90 min. 12 anos. Retirar ingr. c/ 30 min. de antecedência. Estac. c/ manob. (R$ 8 a 1ª h, R$ 4 a 2ª h mais R$ 2 p/ h adicional -convênio).

AMANHÃ, DIA 24

BIBBA CHUQUI A cantora, compositora e arranjadora paulistana mostra clássicos do blues em roupagens próprias, acompanhada de cinco músicos. Sesc Vila Mariana - r. Pelotas, 141, Vila Mariana, região sul, tel. 5080-3000. 300 lugares. 13h30. 60 min. Livre. Estac. (R$ 2 a R$ 5 a 1ª h mais h adicional).

TITA LIMA A cantora, baixista e pianista mistura jazz, bossa nova e dub, e essa mescla é apresentada nas canções de seu disco "11:11". Ao Vivo Music - r. Inhambu, 229, Vila Uberabinha, região sul, tel. 5052-0072. 100 lugares. 22h. 60 min. 18 anos. Couv. art.: R$ 20. CC: AE, M e V. Valet (R$ 10).

DOMINGO, DIA 25

SIMONE SOU E CONVIDADOS A baterista e percussionista, que já acompanhou Itamar Assumpção e Cássia Eller e que atualmente integra Os Mutantes, faz show com os convidados Badi Assad, Fanta Konatê, Projeto Cru, Rita Ribeiro e Robertinho Silva. Auditório Ibirapuera - pq. Ibirapuera - av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº, portão 2, Parque Ibirapuera, região sul, tel. 3629-1075. 800 lugares. 18h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 30 (p/ estudantes: R$ 15). Estac. (sistema Zona Azul). Ingr. p/ tel. 6486-6000.

SUNNY SIDE DOWN E STAN MOLINA Formada pela escritora Clarah Averbuck e por integrantes do Vanguart, o Sunny Side Down integra, ao lado do guitarrista e vocalista Molina, do grupo Telepatas, a escalação desta edição do projeto Folk This Town. Santa Augusta Bar - r. Augusta, 976, Consolação, região central, tel. 3255-9905. 150 pessoas. 20h. 120 min. 18 anos. Ingr.: R$ 5. Acesso a deficientes (exceto no mezanino).

A morte do líder do PDT no Senado

A principal notícia de política postada nos portais da internet na manhã de hoje é a morte do senador amazonense Jefferson Peres, líder do PDT no Senado. Ele morreu aos 76 anos, em Manaus.

Suiça quer o que tucano odeia

Veja abaixo um trecho de uma matéria da Folha de S. Paulo desta sexta-feira (23) sobre mais um dos grandes escândalos envolvendo o tucanato - o caso das propinas pagas pelo Metrô paulista para a cessão de contratos a uma multinacional. Investigação é tudo o que tucano mais odeia, como se sabe. Leia a matéria:

Ministério Público suíço pede cooperação no caso Alstom

CÍNTIA CARDOSO

colaboração para a Folha, em Paris

"O Ministério Público suíço vai enviar ao governo brasileiro pedido de cooperação para receber informações relativas ao caso Alstom.

A empresa francesa é investigada na França e na Suíça sob suspeita de ter pago propina de US$ 6,8 milhões a políticos brasileiros para obter negócios de US$ 45 milhões do Metrô de São Paulo, segundo revelou o "Wall Street Journal".

Duas dicas de filmes para você

Por Celina Sales, com informações do portal Cineclick:

Dois filmes lindos para o seu fim de semana prolongado!!!!

1 - ORGULHO E PRECONCEITO (Pride & Prejudice (2004), Reino Unido, 2005)

Sinopse: As cinco irmãs Bennet - incluindo Elizabeth (Keira Knightley), de fortes convicções, e a jovem Lydia (Jena Malone) - foram criadas pela mãe (Brenda Blethyn) tendo somente um propósito na vida: casar-se com um bom marido. Quando um rico solteiro compra uma mansão na vizinhança, as irmãs Bennet entram em polvorosa. Quando Elizabeth conhece o belo, porém esnobe, sr. Darcy (Matthew Macfadyen), começa uma engraçada batalha entre os dois.

Elenco: Keira Knightley, Matthew MacFadyen, Brenda Blethyn, Donald Sutherland, Tom Hollander, Rosamund Pike, Jena Malone, Judi Dench.

2 - MINHA VIDA SEM MINHAS MÃES

Sinopse: Em 1943 o pai de Eeros morre no front da 2ª Guerra e sua mãe toma a difícil decisão de mandar seu único filho, com nove anos, embora da Finlândia para a segurança da Suécia. Lá, Signe recebe Eeros em sua casa, mas não em seu coração. Sem falar a mesma língua ele se sente desconfortável nessa casa estrangeira ao mesmo tempo em que sente muita falta de sua mãe verdadeira. A partir das cartas de sua mãe, Eeros e Signe vão mudando suas maneiras de ver as coisas e, mais importante, seus sentimentos. (www.travessa.com.br)

Elenco: Maria Lundqvist | Esko Salminen | Nyqvist. Michael | Marjaana Maijala | Kari-Pekka Toivonen | Topi Majaniemi

quinta-feira, 22 de maio de 2008

O especialista

Do Painel, da Folha de S. Paulo desta quinta-feira (22):

"Carimbado. André Fernandes, pivô da divulgação do dossiê de despesas de FHC, foi vetado por Delcídio Amaral (PT-MS), quando presidente da CPI dos Correios, para ser um dos assessores com acesso aos documentos. Já na época, era considerado um "notório vazador".

Itaim Paulista comemora emancipação política

O distrito do Itaim Paulista, na zona leste da Capital, comemora neste domingo (25) o seu aniversário de emancipação política. O Itaim foi subdistrito de São Miguel Paulista até o ano de 1980. A festa - que acontece das 6h às 14h do domingo - inclui o tradicional Desfile Cívico, com presença de escolas, entidades e representantes da comunidade local.

Clique aqui e veja a programação e mais informações sobre o Itaim Paulista no portal ITAIM PAULISTA.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Para quem faz promessa de primeiro mundo...

A cara de pau dos tucanos é tanta que esses dias o governo Serra andou prometendo até mesmo a elevação do nível de qualidade das escolas estaduais a níveis do chamado primeiro mundo. O fato é que o sistema regride mais a cada ano, empurrado pela ineficiência e pelo descaso de uma sucessão de administrações que simplesmente afundaram a educação no estado de São Paulo. O quadro lamentável é ilustrado, mais uma vez, pelo trecho da matéria abaixo que reproduzo do Diário de S. Paulo desta quarta-feira (21):

Pais limpam escola na Zona Sul

FABIANO NUNES

"A Escola Estadual Governador Miguel Arraes, em Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, foi inaugurada há um ano. Mas já sofre com a falta de funcionários para limpeza e merenda. No lugar deles, pais, professores e até alunos ajudam na tarefa de manter tudo limpo. Algumas mães fazem a merenda, enquanto os professores servem os alunos.

Segundo Gilson Rodrigues, presidente da Associação de Moradores de Paraisópolis, a escola foi inaugurada sem um quadro de funcionários adequado para seu funcionamento. "A escola funciona só com secretaria, direção e professores. Não tem faxineira, inspetor ou merendeira", disse. Segundo os pais dos alunos, na semana passada a diretora deixou os assuntos pedagógicos de lado para lavar o banheiro".

Comentário - Se a imprensa cobrisse diariamente o estado em que se encontra a rede estadual de ensino não haveria espaço para tantos problemas. Essa é, infelizmente, a realidade nua e crua da educação - que chega a níveis de calamidade nos governos tucanos. Promessas que cansam a população são feitas todos os dias por este e por governos do PSDB que o antecederam!

Aposentadoria não extingue o contrato de Trabalho.

Hoje a Dra. Joselane Pedrosa explica a todos os interessados à aposentadoria na vigência do Contrato de Trabalho. Leia o artigo abaixo:

O artigo 453 da CLT em seu parágrafo segundo determina que a concessão de aposentadoria para aqueles que não tiverem completado o tempo mínimo de serviço (35 anos se homem e 30 anos se mulher), gera a extinção do vínculo empregatício. Entretanto, este entendimento foi suspenso no julgamento da ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade), nº 1.721-3, que esclarece:

"(...)

"6. A mera concessão da aposentadoria voluntária ao trabalhador não tem por efeito extinguir, instantânea e automaticamente, o seu vínculo de emprego.

(...)"

A relação de continuidade do Contrato de Trabalho depende da vontade das partes.

O Supremo Tribunal Federal (STF), ao julgar a referida Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), firmou entendimento de que a aposentadoria requerida espontaneamente pelo empregado não extingue, por si só, a relação de emprego. Havendo a vontade do trabalhador em continuar na empresa, em caso da não corcordância do empregador, este deverá pagar as devidas verbas rescisórias ao empregado, caso haja a rescisão sem justa causa.

As verbas rescisórias a serem percebidas pelo trabalhador, em regra são: FGTS mais 40% sobre o total depositado durante o vínculo; aviso prévio; saldo de salário; férias vencidas e proporcionais, acrescidas de 1/3; 13º salário proporcional.

Postado por Dra.: Joselane Pedrosa dos Santos advogada especilista em Direito do Trabalho e previdenciário. Tel 31068758.

Viaduto do Chá

O Viaduto por volta de 1937.

Viaduto do Chá 2008

Viaduto do Chá - Essa denominação lembra o cultivo do chá em São Paulo e principalmente, o morro do Chá, situado em terrenos onde se encontram o Teatro Municipal e prédios adjacentes. Foi planejado por Jules Martin em 1879, mas em vista das dificuldades financeiras e administrativas somente foi inaugurado em 6 de novembro de 1892, com a presença do Presidente do Estado, Dr. Bernardino de Campos. A demora do início das obras decorreu da temosia do barão de Tatui que se negava em permitir a demolição do seu sobrado senhorial, que era situado na esquina da rua Líbero Badaró com a atual praça do Patriarca. Vencida a resistência do barão, foram os trabalhos iniciados em 1888. A armação metálica foi encomendada na Alemanha, em Duisburg. Tinha 240 metros de comprimento, por 14 de largura. Inaugurado esse primitivo viaduto do Chá, cobrava-se três vintens de pedágio para quem desejasse atravessá-lo. Havia no centro um grande portão que se fechava a noite. A cidade era pacata, pois ninguém queria trafegar depois das dez horas por ali. O nome de viaduto do chá provém da existência, no vale do Anhangabaú, de uma plantação de chá, na vasta chácara do barão de Itapetininga. Esse primeiro viaduto durou até 1936. Com o crecimento da cidade, o intenso tráfego de bondes e automóveis, a velha estrutura já não atendia ao que dela se solicitava. Por outro lado, não era o que se podia esperar ou chamar de uma estrutura monumental. Daí a sua demolição no citado ano. A atual construção do viaduto do chá, em concreto armado, possui um arco central de 66 metros de vão e 110 metros de comprimento por 25 de largura. O vale foi definitivamente urbanizado entre 1938 e 1945, na primeira administração do grande prefeito Prestes Maia, com ajardinamento, canalização, etc. Sobre o rio Anhangabaú canalizado iniciou-se a avenida 9 de julho, para os lados do espigão central e no sentido da avenida Tiradentes, a Avenida da Luz, estabelecendo assim a ligação com a zona norte da cidade.

Aprovada a guarda compartilhada de filhos

Do jornal Folha de São Paulo hoje (21)

"A Câmara dos Deputados aprovou ontem, por unanimidade, projeto que inclui no Código Civil a opção de guarda compartilhada de filhos de pais separados. Atualmente, apesar de o sistema já existir na prática, o código estabelece apenas a guarda unilateral, na qual o filho fica com a mãe ou com o pai.

Pelo projeto, que segue para sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando não houver acordo entre os pais quanto à guarda do filho, será aplicada, sempre que possível, a guarda compartilhada.

A proposta diz que a guarda compartilhada poderá ser requerida, por consenso, pelo pai ou pela mãe ou conjuntamente pelo casal ou ser decretada pelo juiz. Nesse último caso, o magistrado terá o poder de definir os períodos de convivência com cada um deles.

O texto diz ainda que o juiz poderá se basear em orientação técnico-profissional ou de equipe interdisciplinar.

As regras valem também para pais que nunca tenham se casado no papel. A guarda compartilhada é definida no projeto como "o sistema de co-responsabilização do dever familiar em que os pais, em caso de ruptura conjugal ou da convivência, participam igualmente da guarda material dos filhos, bem como dos direitos e deveres emergentes do poder familiar".

"Lei é utópica", diz representante da OAB

Do Jornal Folha de São Paulo hoje (21)

"A mudança que inclui a guarda compartilhada dos filhos de pais separados tem tudo para se tornar uma lei utópica. Essa é a opinião do presidente da Comissão de Direito Civil da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em São Paulo, Wladimir Nóbrega de Almeida, especialista em direito de família.

Para ele, a mudança será mais para dividir deveres, mas tem tudo para ser uma das leis "que não pegam". "Utópica. Porque sempre vai depender da vontade dos envolvidos."

Almeida disse ainda que, se os casais utilizarem o bom senso na separação, sempre a criança sairá ganhando.
O Judiciário, na visão dele, não vai mudar o critério da escolha entre pai e mãe.

Vai manter quem tem melhores condições de cuidar do filho.
Outros especialistas ouvidos pela Folha também disseram que a mudança terá mais reflexos na divisão dos deveres do que dos direitos".

terça-feira, 20 de maio de 2008

Veja o que o Serra disse na última eleição para prefeito de SP


Leia o compromisso que o Kassab assumiu para as próximas eleições

Dá para acreditar?

O Ceret vai virar parque público


Do jornal Folha de S. Paulo hoje (20):

"A cidade de São Paulo vai ganhar um novo parque público de 286 mil m2 no centro do Jardim Anália Franco, no Tatuapé. Será a sexta maior extensão arborizada municipal, com área equivalente a mais que o dobro da do parque da Aclimação (118 mil m2), no centro.

O novo parque já está pronto, mas seu uso atualmente é restrito a cerca de 20 mil sindicalistas e pessoas dispostas a pagar para usar as dependências do Ceret (Fundação Centro Educativo, Recreativo e Esportivo do Trabalhador).

O Ceret tem uma das maiores piscinas da América Latina, ginásio, quadras e uma extensa área verde. A responsabilidade pela área do parque, hoje a cargo do Estado de São Paulo, será transferida para a Prefeitura de São Paulo na semana que vem.

A transformação da área em parque municipal foi possível a partir de uma representação do Estado ao Ministério Público estadual denunciando uma série de supostas irregularidades.

Segundo a representação, os desvios teriam sido cometidos nos últimos anos pelos membros do conselho de administração do Ceret. O Estado pediu o afastamento deles. Inaugurado em 1975, o Ceret contava com um conselho onde a maioria (8 de 14 conselheiros curadores) era composta por sindicalistas. O Estado, dono da área, era minoritário nas decisões".

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Acordo com proprietários garante parque no Itaim


O Departamento de Parques e Áreas Verdes (Depave) da Prefeitura de São Paulo me informa que o processo de implementação do futuro Parque Ecológico Central do Itaim Paulista avançou com um acordo celebrado entre o município e os proprietários da área onde será construído esse equipamento público, na zona leste da Capital.

Segundo Vagner Alcalar, diretor do Depave com quem conversei, "o processo de negociação está avançado". Ele garantiu que agora será possível dar início ao processo de desapropriação propriamente dito, pois o acordo já foi fechado. O Parque Central será construído numa área de 22 mil metros quadrados, na antiga Chácar do Seu Antônio, no centro do distrito do Itaim Paulista.

PRÓXIMOS PASSOS - O passo seguinte - após concluída a fase da desapropriação - será a aprovação do projeto do futuro parque. Este já está em elaboração. Tudo o que for construído no local deverá ser detalhado no projeto arquitetônico e urbanístico da área. Após aprovado o projeto, a Prefeitura abre licitação para a construção do parque, que deverá ter pista de caminhada, quadras e áreas de convivência, dentre outras. É importante que a comunidade do entorno seja consultada e opine sobre como gostaria de ver o mais novo parque que o Itaim Paulista ganhará.

O Parque Ecológico Central do Itaim Paulista é resultado de uma lei de minha autoria, sancionada em 2006 pelo prefeito.

O 'Simankol' das nomeações eleitoreiras

Este sim é um belo trem da alegria

O Diário Oficial do Município (DOM) do último sábado (17) trouxe um pequeno 'pacote de nomeações' assinado pelo prefeito Gilberto Kassab que sugere uma movimentação dentro do compasso eleitoral. Ao todo, Kassab assinou 13 'títulos de nomeação' para diversos cargos, em sua maioria para subprefeituras da Capital.

Essas nomeações sugerem que o prefeito sinaliza ao seu oponente tucano - ou força por meio da 'dança das cadeiras' - um processo de reacomodação partidária na máquina administrativa. Traduzindo: pessoas podem estar 'cedendo' lugar a outras para que a parte do tucanato alckmista tome a velha e boa dose de 'simankol' - famoso remédio para quem precisa se mancar...

PS: Desconfio que o processo desenfreado de nomeações "emergentes" não vai parar por aí. Dica aos interessados: leiam com frequência as próximas edições do DOM.

Resultado das prévias em Piracicaba e Suzano

Os diretórios do PT de Piracicaba e Suzano, no estado de São Paulo, realizaram prévias neste domingo (18) para eleição dos seus candidatos a prefeito.

Em Piracicaba o vencedor foi Antônio José Boldrin, com 55% dos votos dos filiados. Em Suzano o atual prefeito Marcelo Cândido venceu as prévias com 84,4% dos votos e será candidato à reeleição.

Seminário sobre o socialismo na China

A Fundação Perseu Abramo e o Partido dos Trabalhadores realizam nesta segunda-feira (19) e na terça (20) o seminário China: qual socialismo? na sede do PT em São Paulo. Três temas principais serão tratados nessas sessões: estrutura política e o funcionamento do Estado; a economia socialista na China; e a configuração das camadas sociais e o enfrentamento das desigualdades sociais.

As inscrições já estão abertas. O seminário terá três sessões reservadas (50 pessoas) e um debate aberto ao público (100 pessoas). A prioridade será dada aos dirigentes do PT e da FPA, colaboradores da SRI do PT, dirigentes de movimentos sociais e intelectuais socialistas.

Compra de máquinas cresce e se diversifica

Raquel Landim - Valor Econômico

"Para elevar a produção, os fabricantes de tecidos e roupas aumentaram em 32% as encomendas de máquinas e equipamentos para os fornecedores locais no ano passado em relação a 2006. Apesar da perda de competitividade na exportação, o setor têxtil está investindo, apostando no mercado interno. E não é o único. Autopeças, brinquedos, embalagens, calçados e móveis, entre outros, expandiram a compra de bens de capital nacionais ou importados, confiando na pujança das vendas no país.

"O investimento está mais desconcentrado, robusto e saudável", afirma Sérgio Vale, economista-chefe da MB Associados. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), compilados pela MB, demonstram crescimento generalizado das vendas, da produção e das encomendas do setor de bens de capital.

Em 2007 em relação a 2006, a produção de bens de capital para a indústria automobilística aumentou 13%, segundo o IBGE. A produção de equipamentos para a construção civil subiu 19%, para energia elétrica, 26%, e para fins industriais em geral, 17%. O destaque ficou para o crescimento da produção de equipamentos para o setor agrícola com 48%.

Conforme levantamento da Abimaq, os pedidos em carteira de seus associados também estão fortes. Para artigos plásticos, as encomendas de máquinas cresceram 14,5% no ano passado em relação a 2006. Em equipamentos para hidráulica e pneumática, a alta chegou a 45% na mesma comparação. Os pedidos de máquinas para bombas e motobombas subiram 25%.

"Em 2007, 15% das vendas foram para o setor automotivo, que está crescendo forte. Em 2008, a bola da vez é máquinas agrícolas e máquinas para energia, desde álcool até hidrelétricas", disse ao Valor Hermes Lago Filho, diretor de comercialização de máquinas-ferramentas da Romi, que estava no estande da empresa durante a feira Mecânica, em São Paulo, na semana passada. A Romi elevou as vendas em 23% em 2007 - um número de "respeito", diz o executivo. No primeiro trimestre comparado com janeiro a março de 2007, o faturamento aumentou 30%".

domingo, 18 de maio de 2008

São Paulo ontem e hoje

RUA BARÃO DE ITAPETININGA, em 1905

RUA BARÃO DE ITAPETININGA, em 2007

ROBERTO CARLOS PERDE AÇÃO CONTRA ESCRITOR

Do jornal Folha de São Paulo hoje (18)

O pedido de indenização por danos morais feito pelo cantor Roberto Carlos contra o escritor Paulo César de Araújo, autor da biografia "Roberto Carlos em Detalhes", foi negado pela 20ª Vara Cível do Rio de Janeiro. O cantor terá ainda de pagar as custas do processo judicial.

Viva Zélia Gattai

A Lua em mim
São como reflexos
No oceano da minha existência
Nas ondas dos meus ciclos naturais
Nas areias que banha meu leito ao chegar

A Lua em mim
São como matizes
Navegando no mar cristalino
Dos meus sonhos de menina moça
Sem tempo certo para chegar no seu destino

A Lua em mim
São como luzes
Buscando as profundezas do oceano
Nos raios que mergulham na imensidão das águas
Misturando-se com a escuridão do mar

A Lua em mim
São como as sombras
De toda minha vida esquecida
Sem motivo para realmente ser algo
Depois da minha partida na mente de ninguém

A Lua em mim
Habita meu ser
Até o Sol regressar

Marta na liderança

A menos de cinco meses das eleições, o quadro em São Paulo mantém-se estável, diz o Datafolha. Tecnicamente empatados, a ministra Marta Suplicy (PT), com 30%, e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), com 29%, continuam a liderar a disputa pela prefeitura. Segundo a pesquisa o prefeito Gilberto Kassab (DEM) permanece isolado na terceira colocação, com 15%.

Com 15%, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) permanece isolado na terceira colocação. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.
Assinante leia mais.

sábado, 17 de maio de 2008

As relações perigosas de Yeda


Revista Carta Capital

"O escândalo de corrupção no Detran do Rio Grande do Sul, mostrado em reportagem da edição 495 de CartaCapital e uma das principais fontes de preocupação para o governo no Estado, acaba de causar mais um revés para a gestão da tucana Yeda Crusius.

O Ministério Público Federal apresentou denúncia contra 44 pessoas envolvidas em licitações fraudulentas feitas pela Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência (Fatec) e a Fundação Educacional e Cultural para o Desenvolvimento e o Aperfeiçoamento da Educação e da Cultura (Fundae), ambas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), para a realização de exames práticos e teóricos de direção.

A ação criminosa no Detran, que segundo investigações da Operação Rodin da Polícia Federal remonta à administração anterior, do peemdebista Germano Rigotto, teria desviado cerca de R$ 44 milhões dos cofres gaúchos.

Entre os 44 indiciados por crimes de formação de quadrilha, dispensa indevida de licitação, locupletamento e indevida de dispensa de licitação, peculato, concussão, corrupção ativa, distorção, corrupção passiva, falsidade ideológica e supressão de documentos, está Lair Ferst, empresário e lobista muito próximo da governadora tucana – ele foi dos coordenadores da campanha de Yeda na eleição que a levou ao Palácio Piratini.

Na lista também consta o nome do ex-reitor da UFSM Jorge Paulo Sarkis e também de dois ex-presidentes do Detran gaúcho, ambos ligados ao PP: Carlos Ubiratan dos Santos e Flávio Vaz Netto.

A denúncia contra as 44 pessoas envolvidas na operação foi apresentada pelo procurador do MPF Ivan Cláudio Marques na quinta-feira 15 à juíza Simone Barbisan Fortes, da 3ª Vara Federal de Santa Maria, onde correrá o processo".

A ditadura do judiciário e o espanto de Montesquieu

A revista Carta Capital publica em seu site um excelente artigo de autoria do professor Wálter Fanganiello Maierovitch. Vale a pena ler. Segue abaixo a íntegra do artigo:

"O barão de Montesquieu, morto em 1755, foi um dos pensadores que ajudaram a moldar o ideal de separação, independência e harmonia entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Inspirou também a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, elaborada pela Revolução Francesa de 1789, a Constituição dos Estados Unidos de 1787 e inúmeras e vigentes constituições republicanas, inclusive a nossa.

Com o passar do tempo e os aperfeiçoamentos democráticos, foi identificada pela doutrina como patologia nos mecanismos montesquieunianos de freios e contrapesos a invasão de competência de um poder sobre o outro. Em outras palavras, a ditadura por um dos poderes do Estado. Como aquela que se assistiu, por exemplo, no Estado Novo de Vargas ou nos anos de chumbo dos governos militares, com o impedimento para o Judiciário examinar certos pedidos de habeas corpus em razão da matéria: crimes políticos.

Para muitos constitucionalistas europeus, a pior das ditaduras é a do Judiciário, um poder que não tem exércitos nem generais ou armas de fogo.

Fiel à doutrina e ao princípio da separação dos poderes e ao texto constitucional, o Supremo Tribunal Federal (STF), durante anos, entendeu que as medidas provisórias editadas pelo Executivo eram atos de natureza administrativa que só cabiam ao Legislativo chancelar ou recusar. Portanto, as questões de urgência, de relevância e de imprevisibilidade, bases constitucionais para edição de MPs, ficariam a juízo do Executivo e sujeitas ao referendo ou à recusa do Legislativo.

No governo FHC, pródigo como o de Lula na edição de MPs, em especial as de créditos extraordinários, prevaleceu essa lógica. Como garantia fixou-se o prazo de 60 dias para, com possibilidade de prorrogação, a caducidade de uma medida provisória e o bloqueio da pauta do Legislativo, a partir do 45º dia, para forçar o seu exame e evitar prejuízos.

Na quarta-feira 14, por 6 votos a 5, a jurisprudência do STF se alterou e a Justiça passará a examinar, numa subversão de atribuições, se uma MP é ou não emergencial. Em resumo, a atribuição típica do Executivo, com controle do Parlamento, passa a ser, em instância de cassação, examinada pelo Judiciário, na condição de fiscal de tudo.

O STF abriu uma senda perigosa. Do desequilíbrio entre os poderes e da invasão de competências. Aquilo que conduz à chamada Ditadura do Judiciário".

Wálter Fanganiello Maierovitch, 60 anos, é comentarista da CBN, colunista da revista Carta Capital e colaborador da revista italiana Narco-Mafie.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Gestão PSDB/DEM tenta descaracterizar CEUs

A edição do Diário Oficial do Município (DOM) desta sexta-feira (16) foi usada pela gestão PSDB/DEM para tentar descaracterizar uma das marcas do governo Marta Suplicy - os Centros Educacionais Unificados (CEUs). A manchete de capa do diário municipal diz que "Prefeitura entrega CEU Lajeado, o sexto escolão completo desde 2005".

Ao usar o termo "escolão" - em vez de CEU (ou sua denominação por extenso) -, a administração Serra/Kassab toma emprestado um apelido que parte da imprensa deu ao projeto que revolucionou a educação paulistana no governo do PT. À época, setores da imprensa fizeram de conta de que se tratava apenas de "uma escola gigante", e não um projeto integrado de educação, esportes, cultura e lazer para toda a comunidade do entorno. E com um detalhe: construído nas regiões de maior exclusão social da cidade.

É lamentável se use um órgão oficial para fazer proselitismo político, no caso tentar "desconstruir" marcas da administração anterior.

O "Gueto de Varsóvia"

Recebi um e-mail de João Paulo Ricardo, morador Praça Roosevelt, na região central da cidade, denunciando o estado de calamidade em que se enconta aquela praça. É de impressionar o descaso com que os responsáveis vêm tratando os moradores do entorno. Naquilo que me cabe, vou tomar todas as providência para que a reforma da praça seja feita com rapidez, e por se tratar de um bem de uso comum, esta deve ser aberta para toda a população. Veja o teor do e-mail:

"A cidade de São Paulo e sua população, cansada do caos que a administração de Serra/Kassab e o PSDB do Alckmim transformaram a nossa cidade nos últimos 3 anos, 4 meses e 16 dias, recebeu de presente a mais nova criação do trio que quer destruir esta cidade: foi inaugurado na Praça Roosevelt: O "Gueto de Varsóvia" -

Como eles são incapazes de administrar e trabalhar com a verba do BID, conquistada na gestão de Marta Suplicy, a reforma da praça está dia a após dia sendo postergada, apesar de o Sr. Andrea Mattarazzo ter prometido, muitas vezes pelos jornais o início da reforma e nada acontecer.

Agora, para evitar a freqüência da população local e de visitantes, eles resolveram fechar a praça com grades, numa atitude de desrespeito aos cidadãos de São Paulo e com o dinheiro público, foi batizada por moradores locais de "Gueto de Varsóvia". Seria cômico se não fosse trágico, mas nós, cansados da política de higienização desta administração, temos à nossa frente a infeliz lembrança do que foi a prática radical da limpeza étnica.

Para saber apenas as conseqüências da não utilização da verba do BID, isso custa aos cofres públicos: "São Paulo, porém, compromete-se a pagar uma taxa de 0,25% sobre o valor do dinheiro que não é usado. A lentidão nos investimentos, por enquanto, já custou R$ 420 mil aos cofres públicos."

João Paulo Ricardo - Morador da Praça e da cidade de São Paulo

Daniela Procopio


DANIELA PROCÓPIO A cantora e compositora paulistana está lançando seu primeiro álbum (homônimo), com arranjos de cordas e madeiras assinados por Eumir Deodato. Livraria Saraiva - Shopping Morumbi - av. Roque Petroni Júnior, 1.089, térreo, lj. 63, Vila Andrade, região oeste, tel. 5181-7574. 60 lugares. 17h. 60 min. Livre. Estac. (R$ 5 p/ 4 h mais h adicional).

Dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 16

LECI BRANDÃO A experiente sambista entoa sucessos como "Cidadã Brasileira", "O Morro Não Tem Vez" e "Canteiros", entre outros clássicos do gênero. Santana Hall - av. Cruzeiro do Sul, 2.737, Canindé, região norte, tel. 2221-0855. 1.000 pessoas. 1h30. 90 min. 18 anos. Ingr.: R$ 10 (mulher) e R$ 15 (homem). CC: M e V. Valet (R$ 10).

LUIZA POSSI A filha de Zizi Possi apresenta o espetáculo "A Vida É Mesmo Assim", com composições de vários artistas da MPB em levada mais pop. Tom Jazz - av. Angélica, 2.331, Higienópolis, região central, tel. 3255-3635. 200 lugares. 22h. 90 min. 18 anos. Couv. art.: R$ 30. CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 15).

TRIO QUINTESSÊNCIA Com uma formação não-usual de violoncelo, bandolim e violão de sete cordas, o trio interpreta gêneros brasileiros como o choro e o samba. Centro Cultural São Paulo - sala Adoniran Barbosa - r. Vergueiro, 1.000, Liberdade, região central, tel. 3383-3402. 631 lugares. 12h30. 60 min. Livre.

AMANHÃ, DIA 17

DANIELA PROCÓPIO A cantora e compositora paulistana está lançando seu primeiro álbum (homônimo), com arranjos de cordas e madeiras assinados por Eumir Deodato. Livraria Saraiva - Shopping Morumbi - av. Roque Petroni Júnior, 1.089, térreo, lj. 63, Vila Andrade, região oeste, tel. 5181-7574. 60 lugares. 17h. 60 min. Livre. Estac. (R$ 5 p/ 4 h mais h adicional).

Ó DO BOROGODÓ O quarteto instrumental investe no choro de autores tradicionais, como Bonfiglio de Oliveira e Pixinguinha, e contemporâneos, como Altamiro Carrilho e Zé Barbeiro. Sesc Santana - jardim - av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana, região norte, tel. 2971-8700. 100 lugares. 19h. 60 min. Livre. Estac. (R$ 3,50 a R$ 7 a 1ª h mais h adicional).

LUIZA POSSI Tom Jazz. 22h. Couv. art.: R$ 30.

DOMINGO, DIA 18

BOSSA NOVA NA GAROA Apresentado por Jair Rodrigues e Patty Ascher, o show comemora o jubileu de ouro da bossa nova e contará com convidados como Claudete Soares, Fernanda Porto e Toquinho. Parque Villa-Lobos - av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2.001, Alto de Pinheiros, região oeste, tel. 3023-0316. 15h. 120 min. Livre.

ORQUESTRA VILLA-LOBOS, ELBA RAMALHO E TONY GARRIDO Principal apresentação do evento "Viva Consul", o show reúne os músicos Elba Ramalho e Tony Garrido com a orquestra Villa-Lobos. Pq. Ibirapuera - av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº, Parque Ibirapuera, região sul, s/ tel. 10h30. 150 min. Livre. Estac. (sistema Zona Azul - portão 3).

Metrô fechou R$ 556 mi em contratos irregulares, diz TCE

Do jornal Folha de São Paulo hoje (16)

"O Metrô de São Paulo tem contratos de R$ 556 milhões com a Alstom que são considerados irregulares pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado). Em um desses negócios suspeitos, o Metrô restaurou no ano passado um contrato de 1992 para comprar 11 trens ao custo de R$ 500 milhões.

Noutro negócio, houve cinco aditivos ilegais a um contrato de 1994, que, assim, continuou em vigor por 13 anos, para equipar um centro de controle operacional. O Metrô vai abrir sindicância para apurar se houve prejuízos à companhia.

No caso da compra dos trens, o TCE aponta que o Metrô teve um prejuízo, estimado em R$ 70 milhões, ao ressuscitar um contrato de 1992. A razão do prejuízo é simples. No contrato de 1992, quem se encarregava do pagamento de impostos era a fornecedora.
Quando o governo importa diretamente os trens, como ocorreu numa licitação do ano passado, ele paga 14% a menos de impostos. Em tese, o governo poderia ter incluído os trens de R$ 500 milhões nessa licitação. Mas o Metrô preferiu estender o contrato antigo.

O conselheiro do TCE Eduardo Bittencourt Carvalho escreveu em seu parecer que não entendeu por que o Metrô havia optado pelo negócio que considera lesivo: "(...) ainda não está claramente elucidada a razão de interesse público que levou a companhia [o Metrô] a optar por esse vultuoso aditamento a um contrato celebrado há mais de 15 anos". O Metrô já apresentou defesa e aguarda a decisão do TCE".

PT quer CPI

Da Folha Online

"A bancada do PT na Assembléia Legislativa de São Paulo quer pedir a criação de uma CPI para investigar os contratos da Alstom com o governo do Estado. A empresa francesa Alstom é suspeita de pagar propina para fechar contratos na América do Sul e Ásia, inclusive o Metrô de São Paulo.

Segundo o líder do partido na bancada, Roberto Felício, os petistas estão encontrando dificuldade para conseguir instalar a CPI. "Estamos enfrentando dificuldades para aprovar a CPI", afirmou Felício. "Há uma orientação do Palácio dos Bandeirantes para que não assinem requerimentos de CPI."

Os petistas divulgaram hoje dados sobre contratos da Alstom com o governo de São Paulo. A bancada promete encaminhar os dados da investigação ao Ministério Publico Estadual e Federal, além de pedir auditoria especial no TCE (Tribunal de Contas do Estado) nos contratos.

Felício disse que o corregedor da Polícia Federal, Antonio Prieto, também está cuidado do caso e que vai acionar a Interpol.

O líder afirma ainda que vai convocar o presidente do Metrô, José Jorge Fagali, e o secretário de Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, para dar explicações na Comissão de Finanças e Orçamento da Assembléia".

Dica de filme para seu fim de semana

Por Celina Sales

O PEQUENO ITALIANO (The Italian/ Italianetz, Rússia, 2005)

Sinopse:

Este filme emociona os corações mais moles ao explorar os dramas do pequeno Vanya (Kolya Spiridonov). Aos seis anos, vive em orfanato na Rússia. Em breve, será adotado por um casal de italianos (daí o apelido dado por seus colegas, o mesmo que nomeia o filme). Até que uma jovem aparece na instituição, desejando reaver seu filho. Vanya acredita que ela pode ser sua mãe e parte para sua longa jornada em sua busca. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Yuri Itskov, Mariya Kuznetsova, Dariya Lesnikova, Denis Moiseenko, Nikolai Reutov, Olga Shuvalova, Kolya Spiridonov, Polina Vorobieva, Andrei Yelizarov, Dima Zemlyanko.

Excelente!!

Bom fim de semana!

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Plano tucano é piorar ainda mais a Educação?

Matéria de destaque em três jornais de hoje (15), o fracasso do sistema educacional paulista pode ser "aprofundado". É o que promete o governo do tucano José Serra, que estabeleceu uma meta esdrúxula de "22 anos" para melhorar a educação estadual. Acontece que o mesmo partido e o mesmo grupo tucano governam São Paulo há pelo menos 13 anos e o resultado foi exatamente este: piora de todos os índices educacionais. Ao que parece, o tucanato tem um plano para "piorar ainda mais" o sistema educacional, visto que em mais de década conseguiu levar a situação a níveis vergonhosos - isso no estado mais rico da federação.

Veja abaixo trecho de matéria do jornal O Estado de S. Paulo de hoje que tem, além dos dados da vergonha educacional, uma afirmação curiosa da atual secretária da Educação do governo Serra:

De 0 a 10, ensino médio de SP tira 1,4

Só 2 colégios públicos do Estado têm índice 5 no Idesp, indicador que considera nota e adequação do aluno à série

"O primeiro Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo (Idesp) mostra que as escolas estaduais paulistas estão longe de chegar ao nível de ensino de países desenvolvidos. O indicador foi feito a partir de uma fórmula que leva em conta as notas dos alunos no Saresp, uma avaliação feita pela Secretaria da Educação, e a taxa de crianças na série adequada para a idade.

A situação pior está no ensino médio, em que o índice é de 1,41 atualmente, numa escala de 0 a 10. O objetivo traçado pelo governo é chegar a 5 em 2030. No ensino fundamental, as metas são mais altas. Hoje, as escolas de 1ª a 4ª série têm Idesp de 3,23 e a meta é 7. Nas de 5ª a 8ª, o índice é 2,54 e a meta, 6, perto do que teriam países como Reino Unido, Finlândia e Coréia. A comparação com outras nações é possível porque o Ministério da Educação (MEC) já havia feito essa simulação quando lançou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em 2007.

Esse índice nacional leva em conta a Prova Brasil e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Assim como o Ideb, o Idesp traça metas a serem atingidas a cada ano por todas as escolas. Elas devem melhorar o desempenho até 2030, 'quando São Paulo poderá ter escolas como as finlandesas', diz a secretária estadual de Educação, Maria Helena Guimarães de Castro.

Atualmente, apenas duas escolas de ensino médio do Estado já têm índice 5. E cinco escolas de 5ª a 8ª série já chegaram a 6. Nenhuma de 1ª a 4ª chegou ainda à meta 7. Os indicadores de cada uma das cerca de 5 mil escolas do Estado serão divulgados hoje pelo governo estadual".

COMENTÁRIOS: A afirmação da secretária Maria Helena Guimarães de que "São Paulo terá escolas como as finlandesas" (daqui a 22 anos) não deve ser levada a sério, principalmente se essa política danosa prosseguir. Soa como piada se comparada situação paulista à finlandesa.

A Finlândia é considerado o país "nota dez" em educação porque tem uma política educacional séria, uniforme e construída ao longo de décadas. Veja abaixo um trecho de matéria do jornal espanho El País, publicada em dezembro de 2006, sobre o sistema educacional da Finlândia:

Finlândia é nota dez em educação

" Os professores, e a própria ministra da Educação, Tuula Haatainen, o atribuem em grande medida à sólida formação dos docentes e a um quadro educacional muito claro. "Temos um sistema uniforme, obrigatório e gratuito que garante a eqüidade e o acesso para todos; o corpo docente é altamente qualificado e as mães, incorporadas ao sistema de trabalho, são as primeiras a motivar seus filhos a estudar", resume a ministra. O sistema educacional finlandês é público e gratuito desde a infância
até o doutorado na universidade. Além disso, é obrigatório dos 7 aos 16 anos. Nessa etapa todos estudam a mesma coisa e o governo pretende que o façam no mesmo edifício, ou o mais perto possível, para garantir um acompanhamento continuado do aluno.

O Estado define 75% de disciplinas comuns e o resto é organizado pelo colégio, com a participação ativa de estudantes e famílias. Há ampla liberdade para projetar o dia-a-dia escolar, portanto não é fácil falar do sistema de maneira geral. Mas há alguns aspectos comuns. A formação dos professores é um deles. Todos têm de ter cinco anos de formação, um terço da qual será de conteúdo pedagógico.

"Não basta saber matemática", dizem. E a maioria, como lembra a ministra, tem um ano a mais de estudos, um mestrado. Os professores acreditam que o salário poderia ser um pouco maior que os cerca de 2.300 euros (R$ 8.300) brutos por mês; mas estão contentes com as 13 longas semanas de férias por ano (os espanhóis têm mais de 16). A jornada semanal é de 37 horas, mas nem todas são de ensino em classe".

MAIS UM DETALHE: as salas nas escolas finlandesas não têm mais do que 20 alunos, enquanto em São Paulo o ensino médio chega a comportar mais de 50 anos por sala. Infelizmente esta é a realidade que se agravou com essa política desastrosa do tucanato nos últimos anos. Por essa promessa de melhorar a educacação não pode ser levada a sério. Infelizmente!