segunda-feira, 31 de março de 2008

Creche noturna - é preciso regulamentar a Lei 13.328

O prefeito, para não se indispor com vereadores, tem sancionado algumas Leis e, provavelmente, por discordar do texto aprovado e impedir a aplicabilidade destas normas, não as regulamenta.

A falta de regulamentação de algumas leis prejudicam diretamente os munícipes. Na semana passada, um grupo de mães que trabalha e/ou estuda no período noturno e não tem onde deixar os seus filhos procurou o meu gabinete. Elas queriam saber por que o prefeito não regulamenta a Lei 13.328 (veja aqui o texto integral), que aprovei ainda na legislatura passada, sancionada pelo Executivo. A referida lei estabelece que, havendo demanda, as creches municipais abririam à noite atendendo a população da região onde se localiza o equipamento. Hoje, todas as creches municipais fecham às 18h. Eu expliquei às mães que a lei não estava em vigor por falta de regulamentação.

Em seguida veio a seguinte pergunta: o que fazer diante de uma previsão legal não aplicada por ausência de norma regulamentadora?

Encontrei a resposta na Constituição Federal que prescreve: “Art. 5º - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes”:...

LXXI – conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania;
..."

Numa análise literal desse disposto, é possível concluir que o Poder Judiciário concederá ordem de injunção, toda vez que, em razão da falta de norma jurídica, direito ou liberdade constitucional não possa ser fruído, exercido ou aproveitado pelo impetrante. O pressuposto do mandado de injunção é, pois, a falta de regulamentação. Portanto, o Mandado de Injunção é cabível sempre que a falta da referida norma regulamentadora torne inviável ou impeça o exercício do direito.

A ausência de tal norma regulamentadora pode partir de qualquer pessoa política, quer seja a União, os Estados ou os Municípios.

Qualquer pessoa tem legitimidade para apresentar o mandado de injunção quer seja ela física ou jurídica, pública ou privada. Neste caso, o grupo de mães citado acima tem neste instrumento o remédio jurídico adequado para exigir o cumprimento da Lei 13.328. Medida que será proposta nos próximos dias.

Sobre "revisão" do Plano Diretor da cidade de SP

A controvertida “revisão” do Plano Diretor da cidade de São Paulo está parada na Câmara Municipal de São Paulo desde novembro de 2007. Para nós da oposição o projeto enviado pelo prefeito não é uma revisão e sim um novo Plano Diretor, uma vez que altera conceitos, estabelece novos padrões de ocupação do espaço urbano e flexibiliza as normas vigentes - favorecendo o setor imobiliário.

Por outro lado, o prefeito parece não estar interessado em votar esta matéria em ano eleitoral. Talvez seja o medo de um provável desgaste de imagem, que poderia prejudicar seu projeto político.

Meu prognóstico é que esta matéria não será votada pelos vereadores antes do dia 5de outubro do corrente ano.

Aprovação recorde

Do Jornal Folha de São Paulo hoje (31):

"O presidente Luiz Inácio Lula da Silva alcançou a maior popularidade em seus cinco anos e três meses de governo, atingindo índice que supera com folga o obtido por todos os seus antecessores desde Fernando Collor (1990-1992), pelo menos, mostra pesquisa nacional realizada pelo Datafolha. A aprovação de Lula é de 55%, apesar de a saúde ter sido eleita a área em que o governo apresenta seu pior desempenho.
Nordeste, onde alcançou 68% de avaliação positiva.

Os números da pesquisa -feita entre os dias 25 e 27 com 4.044 entrevistados em 24 Estados, mais o Distrito Federal- indicam que a popularidade recorde do petista foi alavancada por uma recuperação da aprovação no Sul, tradicionalmente uma das regiões mais críticas a ele (aprovação subiu 11 pontos percentuais, para 52%), e pela ampliação do seu prestígio no Nordeste, onde alcançou 68% de avaliação positiva.

É o Nordeste a região mais atendida proporcionalmente pelo Bolsa Família -31,3% das famílias da região recebiam o benefício em 2006, contra média nacional de 14,9%. No Sul, um fator que pode explicar o desempenho de Lula é a recuperação do setor agrícola.

Em relação à última pesquisa Datafolha, de novembro, Lula obteve crescimento de cinco pontos percentuais em sua avaliação positiva (50% à época), o que mostra que a crise dos cartões corporativos não representou abalo na imagem do presidente ou do governo.

A desaprovação também é uma das menores em todo o governo: só 11% consideram seu desempenho ruim ou péssimo".

PT escolhe Molon para disputar Prefeitura do Rio

Folha Online

O deputado estadual Alessandro Molon foi o escolhido pelos petistas do Rio para a corrida às eleições municipais deste ano. Faltando duas urnas para o resultado final, Molon detinha 5.471 de um total de 7.902 votos apurados (69,2% do total) contra 2.431 votos do ex-deputado federal Vladimir Palmeira (31%).

O deputado estadual conta com o apoio do governador Sérgio Cabral (PMDB).

domingo, 30 de março de 2008

Para não cair no esquecimento - 2

O jornal Folha de São Paulo publicou em sua edição de 06/09/2005 - Caderno Cotidiano - uma matéria com o título: "Alckmin amplia aeroporto "fantasma". Veja abaixo a "fantástica" obra do picolé de chuchu:

"Itanhaém, no litoral sul de São Paulo, tem 85 mil habitantes, praias de areia dura e agora um aeroporto totalmente reformado e ampliado, com uma pista capaz de receber até um Boeing 737, com cem passageiros a bordo.

Inaugurado na década de 50 com apenas uma pista de terra, o aeroporto estadual Antônio Ribeiro Nogueira Júnior passou nos últimos cinco anos por grandes modificações. Ganhou um terminal de passageiros, sede para os bombeiros, estacionamento, pátio de aeronaves e uma pista de 1.350 metros de extensão --maior até do que a do aeroporto Santos Dumont (RJ), por onde é feita a ponte aérea Rio-São Paulo.

Ao lado do gasto de R$ 5,5 milhões da administração Geraldo Alckmin (PSDB) para concluir a reforma em dezembro do ano passado, o que chama a atenção é o pequeno movimento: apenas cinco pessoas, em média, utilizaram o aeroporto a cada dia, entre janeiro e julho deste ano.

Há dias em que não há nenhum pouso ou decolagem em Itanhaém. Entediados, funcionários fazem palavras cruzadas e alguns até cochilam nas dependências do aeroporto no horário de serviço". Leia mais.

Pergunta que não quer calar: a quantas anda o tal aeroporto?

sábado, 29 de março de 2008

Marta sobe

da Folha Online

A ministra do Turismo, Marta Suplicy (PT), subiu quatro pontos percentuais e divide a liderança com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida à Prefeitura de São Paulo. É o que revela a nova pesquisa Datafolha, publicada na Folha de domingo (30) --que já chegou às bancas.

Segundo o Datafolha, Marta aparece com 29%, em empate técnico com o tucano, que tem 28%, um ponto percentual abaixo do registrado no levantamento anterior (fevereiro). Até então, o tucano tinha "leve vantagem", diz o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino. "Hoje, não existe mais", diz. Mas a simulação de segundo turno continua dando vitória de Alckmin sobre Marta (53% a 41%).

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) está com 13% da preferência --na pesquisa de fevereiro, aparecia com 12%. Na próxima segunda-feira (31), ele completa dois anos no cargo e registra a maior taxa de aprovação de sua administração (38%).

A pesquisa mostra ainda Paulo Maluf (PP) com 8% (dois pontos a menos) e Luiza Erundina (PSB) com 7% (um ponto a menos).

O instituto ouviu 1.089 pessoas nos dias 25 e 26 de março. A margem de erro do levantamento é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Serra adere a programa de metas da União

Do jornal Folha de São Paulo hoje (29)

"O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), assinou ontem um compromisso que inclui 28 diretrizes e metas de qualidade na educação, estipuladas pelo governo federal.

Um dos objetivos é o de alfabetizar todas as crianças até os oito anos. De acordo com os dados do Saresp 2007 (exame do governo estadual), 12,6% dos estudantes da rede ainda não atingiram esse patamar. Também são metas do plano o combate à evasão e à repetência.

São Paulo foi o último Estado a aderir ao programa -chamado de Compromisso Todos pela Educação-, que está inserido no Plano de Desenvolvimento da Educação, lançado pelo Ministério da Educação no ano passado. Ele abrange tanto as esferas estaduais como municipais.

Na mesma cerimônia, realizada no Palácio dos Bandeirantes, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), assinou a adesão ao plano.
Com a assinatura do programa, as secretarias participantes podem escolher quais das 30 ações oferecidas pelo MEC elas vão utilizar.

O governo estadual já definiu que usará a Provinha Brasil (exame de alunos da 2ª série) e um projeto de EJA (antigo supletivo) profissionalizante".

Mau exemplo

Do jornal Folha de São Paulo hoje (29)

"O carro oficial do secretário Especial para Participação e Parceria da Prefeitura de São Paulo, Ricardo Montoro (PSDB), foi flagrado ontem pela Folha circulando irregularmente em um corredor exclusivo para ônibus.

Às 13h10, o Astra com placa de representação (de bronze e de número 013) usou o corredor da avenida Nove de Julho, na região do Jardim Paulista, por pelo menos cinco minutos.

Esse foi o tempo que a reportagem da Folha acompanhou o veículo, entre a avenida Brasil e o viaduto Nove de Julho".

Frases do Lula sobre a oposição

"É preciso lembrar que o PT só tem 14 senadores, e o Senado tem 81. Para aprovar qualquer coisa eu preciso ter, no mínimo, 41 senadores. E estão lá os nossos amigos do PSDB, que em um primeiro momento trabalharam de forma civilizada. Estão lá os nossos amigos do DEM, que tiveram tanta vergonha que mudaram o nome do partido de PFL para DEM. Estão lá destilando ódio".

"Eles governaram este país desde que Cabral aqui aportou. Fizeram e desfizeram. Agora ontem, eu digo sempre que Deus escreve certo por linhas tortas, a pesquisa de ontem deve ter deixado eles incomodados".

"[Quando chegamos ao governo] Precisamos construir alianças, parcerias, para diminuir os ímpetos daqueles que não se conformam com a ascensão dos pobres".

Comentário: A ultima pesquisa CNT/IBOPE mostra que 68% dos brasileiros dizem confiar no Lula, 73% aprovam o seu governo e 58% o consideram seu governo ótimo ou bom. A aprovação do Governo atual deixa a oposição ao governo Lula atordoada e sem rumo. Os números da pesquisa indicam também que os brasileiros não concebem mais oposição do tipo "quanto pior melhor". Não fosse o enorme preconceito de setores da mídia contra Lula e a postura oposicionista das empresas de comunicação brasileira, a oposição a seu governo estaria ainda mais esfacelada.

sexta-feira, 28 de março de 2008

A 'pastelaria Kassab' em destaque no UOL

A acelerada reforma de prédios para abrigar novas unidades da Assistência Médica Ambulatorial (AMA) da Prefeitura de São Paulo foi um tema que chamou a atenção de diversos vereadores na Câmara Municipal durante esta semana.

Fiz denúncia no meio da semana mostrando problemas na implantação dessas unidades de saúde em bairros da zona leste, levando o assunto ao plenário. A imprensa entrou com tudo depois que eu e outros vereadores do PT passamos a criticar o caráter eleitoreiro das sucessivas inaugurações das AMAs - processo que apelidei de 'pastelaria Kassab'. Isso porque o prefeito chegou a inaugurar até três unidades por semana, nos últimos dias.

Veja abaixo uma longa matéria publicada hoje (28) no UOL que mostra obras feitas a toque de caixa para mais e mais AMAs na Capital - um retrato das denúncias que fiz e dos interesses políticos que atrapalham a saúde pública no governo atual:

'Bandeira' de Kassab, AMAs se multiplicam reduzindo espaço de postos já existentes

Pode contar que o tema será abordado com mais profundidade por outros jornais entre este sábado e a semana que vem.

Dica de filme para seu fim de semana

Por Celina Sales

OS DONOS DA NOITE (2007) (We Own the Night, EUA, 2007)

Sinopse:

Em 1988, a polícia foi superada em número de homens e em armas pelos novos gângsteres. Bobby Green (Joaquin Phoenix) está num fogo cruzado. Ele é o gerente de uma discoteca freqüentada por gângsteres como Vadim Nezhinski (Alex Veadov) e, por essa razão, prefere manter-se afastado e não se envolver. Ele apenas quer se casar com sua noiva Amanda (Eva Mendes) e abrir a própria discoteca no Brooklyn. Mas Bobby tem um segredo muito bem guardado. Seu irmão é o tenente de polícia Joseph Grusinsky (Mark Wahlberg), que segue os passos de seu pai, o lendário chefe de polícia Burt Grusinsky (Robert Duvall). Bobby não se dá bem com eles e a relação piora quando seu pai o adverte que é uma guerra e ele deverá decidir de que lado está. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Joaquin Phoenix, Mark Wahlberg, Robert Duvall, Eva Mendes, Tony Musante, Edward Conlon, Antoni Corone, Alex Veadov, Katie Condidorio, Burton Perez.

Nossa dica de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 28

MARIA BETHÂNIA E OMARA PORTUONDO A cantora cubana se juntou a Bethânia para um projeto em dupla, cujo show chega agora a São Paulo. Canções presentes no disco, como "Tal Vez" e "Só Vendo que Beleza (Marambaia)", serão acompanhadas por títulos como "Gente Humilde", "Dos Gardenias" e "Veinte Años". Via Funchal - r. Funchal, 65, Vila Olímpia, região oeste, tel. 3897-4456. 3.071 lugares. 21h30. 120 min. 12 anos. Ingr.: R$ 60 a R$ 200 (p/ estudantes: R$ 30 a R$ 100). CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 20). Ingr. p/ tel. 3188-4148

ORQUESTRA JAZZ SINFÔNICA E JOÃO BOSCO O show abre a série Jazz Sinfônica +, que a cada mês colocará lado a lado a orquestra e um músico influente da MPB. Os ingressos para o show de sábado (dia 29) estão esgotados. Auditório Ibirapuera - pq. Ibirapuera - av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº, portão 2, tel. 5908-4299. 800 lugares. 21h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 30 (p/ estudantes: R$ 15).

TRIO CARAPIÁ Além de canções autorais, o repertório do trio de violeiros contará com obras de autores como Patativa do Assaré, Rolando Boldrin, Zé do Norte e Messias da Viola. Sesi Osasco - Teatro Popular do Sesi - av. Getúlio Vargas, 401, Jardim Piratininga, Osasco, tel. 3686-4656. 233 lugares. 20h. 60 min. Livre. Retirar ingr. c/ uma hora de antecedência.

SÁBADO, DIA 29

BERÇO DO SAMBA DE SÃO MATEUS O grupo apresenta canções de seu álbum homônimo, lançado no ano passado. No repertório, o som típico das rodas de samba do bairro de São Mateus, na região leste de São Paulo. Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran - r. Paes Leme, 195, Pinheiros, tel. 3095-9400. 1.010 lugares. 21h. 90 min. 7 anos. Ingr.: R$ 3,50 a R$ 15. Estac. c/ manob. (R$ 5 e R$ 7 p/ 3 h mais R$ 1 p/ h adicional).

ORQUESTRA JAZZ SINFÔNICA E JOÃO BOSCO Auditório Ibirapuera. 21h. Ingr.: R$ 30 (p/ estudantes: R$ 15). Ingressos esgotados.

ORQUESTRA JOVEM TOM JOBIM Regida pelo maestro Roberto Sion, a orquestra abre sua temporada 2008 apresentando composições de Tom Jobim, João Donato, Ary Barroso e Nelson Ayres. Memorial da América Latina - auditório Simón Bolívar - av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, região oeste, tel. 3823-4600. 876 lugares. 21h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 10. Estac. (R$ 10).

TETÊ ESPÍNDOLA E TRIO A cantora, compositora e instrumentista mostra seu novo projeto, "Evaporar", em única apresentação, acompanhada de guitarra (tocada por seu filho, Dani Black), baixo e bateria/percussão. Centro Cultural São Paulo - sala Adoniran Barbosa - r. Vergueiro, 1.000, Liberdade, região central, tel. 3383-3402. 631 lugares. 19h. 90 min. Livre. Ingr.: R$ 15 (p/ estudantes: R$ 7,50).

DOMINGO, DIA 30

BERÇO DO SAMBA DE SÃO MATEUS Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran. 18h. Ingr.: R$ 3,50 a R$ 15.

LENINE O cantor e compositor mostra o show "Acústico MTV", que reúne as músicas mais conhecidas de sua carreira, entre elas, "Jacksoul Brasileiro", "Dois Olhos Negros" e "Hoje Eu Quero Sair Só". Concha Acústica da Fito - av. das Flores, 711, Jardim das Flores, Osasco, tel. 3095-9722. 6 mil lugares. 17h. 90 min. Livre.

K-SIS Formado pelas irmãs Keyla e Kenia Boaventura (ex-VJs da MTV), o grupo deve privilegiar o pop rock de seu disco mais recente, "Amores Cruzados". Na Mata Café - r. da Mata, 70, Itaim Bibi, região oeste, tel. 3079-0300. 250 pessoas. 22h. 90 min. 18 anos. Ingr.: R$ 20. CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 12).

Fonte Guia da Folha

Uma bela poesia

CERTEZA

De tudo, ficaram três coisas:

A certeza de que ele estava sempre começando...

A certeza de que era preciso continuar...

A certeza de que seria interrompido antes de terminar....

Fazer da interrupção um caminho novo ...

Fazer da queda um passo de dança...

Do medo, uma escada...

Do sonho, uma ponte...

Da procura, um encontro...

Fernando Sabino

quinta-feira, 27 de março de 2008

Mandado de Injunção para abrir creches à noite

Estou preparando uma ação judicial que impetrarei semana que vem contra o governo Gilberto Kassab visando obrigar a administração municipal a regulamentar uma lei de minha autoria que prevê a abertura noturna das creches municipais. A regulamentação da referida lei atende a um pedido de um grupo de mães que necessita trabalhar no período da noite e não tem com quem deixar os filhos.

O instrumento legal que é escolhi para forçar a regulamentação é o Mandado de Injunção (veja mais detalhes abaixo). A ação será ajuizada no Tribunal de Justiça de São Paulo.

A Lei 13.328 (veja aqui o texto integral), de 13 de fevereiro de 2002, foi sancionada pela ex-prefeita Marta Suplicy e aguarda regulamentação. Pela lei aprovada, a abertura das creches à noite seria facultativa e atendendo a demanda da região onde se localiza o equipamento. Hoje, todas as creches municipais fecham às 18h.

SOBRE O MANDADO DE INJUNÇÃO - O mandado de injunção está amparado no artigo 5º da Constituição Federal, que estabelece alguns direitos e garantias fundamentais aos brasileiros e estrangeiros, conforme descrito abaixo:
"Art. 5º - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
LXXI – conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania;
..."

Conclui-se, assim, que o mandado de injunção pode ter como sujeitos ativos (impetrantes), a pessoa individualmente situada, o grupo, a associação, o sindicato, etc., enfim, pois o conjunto, é certo, deve prevalecer sobre o individual.

Analisando literalmente esse disposto, é possível concluir que o Poder Judiciário concederá ordem de injunção toda vez que, em razão da falta de norma jurídica, direito ou liberdade constitucional, não possa ser fruído, exercido ou aproveitado pelo impetrante. O pressuposto do mandado de injunção é, pois, a falta de regulamentação. De se concluir, ainda, que a falta de referida norma regulamentadora torne inviável ou obstaculize o exercício do direito. A ausência de tal norma regulamentadora pode partir de qualquer pessoa política, quer seja a União, os Estados ou os Municípios. Assim, é possível a impetração do mandado de injunção para a regulamentação de uma Lei.

Mandato viabiliza praça e lazer no Jardim Campos


Na próxima segunda-feira (31) terei a grata satisfação de participar da inauguração de uma praça no Jardim Campos (foto), no bairro do Itaim Paulista. A obra está sendo concluída com recursos orçamentários oriundos de uma emenda de minha autoria.

Ao proporcionar esse tipo de intervenção urbanística - e oferecer mais espaços de lazer e entretenimento à população -, o meu mandato cumpre sua função de ser o elo entre a parcela da população que representa e o poder público.

Parabéns à população local por mais essa conquista!

Futura AMA tira sossego em UBS no Itaim

Para cumprir o cronograma eleitoreiro em ritmo acelerado, o governo Kassab está prejudicando algumas das já combalidas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da Prefeitura. Este é o caso da UBS Jardim Campos, no Itaim Paulista, cujo térreo está sendo adaptado para abrigar mais uma unidade da Assistência Médica Ambulatorial (AMA).

No afã de entregar mais uma unidade da AMA na cidade, o prefeito ordenou que as obras no local sejam feitas durante 24 horas nos últimos dias - tudo para garantir que no dia 31 próximo (segunda-feira) o "prédio" esteja pronto. Falei sobre isso no pequeno e no grande expediente desta tarde na Câmara Municipal: a mania dos tucanos e aliados de tentar enganar a população com prédios sem condições de funcionamento, especialmente na área da saúde.

Também lembrei que os usuários, pacientes e funcionários da UBS atual sofrem com as obras no local, que trazem poeira, cheiro de tinta, barulho e tiram o sossego de todos que procuram a unidade em busca de atendimento médico.

Encerrei meu discurso sobre essa denúncia falando que o caso das AMAs em São Paulo se assemelha a uma pastelaria que só produz "pastéis de vento" - com uma carcaça por fora e sem recheio por dentro. Ou seja, a maioria das unidades de saúde na Capital - na atual administração - não passa de prédios até melhorados, bonitos, mas sem médico, enfermeiros ou remédios.

Traduzindo: tudo eleitoreiro!

Subindo mais ainda

Pesquisa CNI/Ibope divulgada na tarde de hoje (27) mostra o crescimento da avaliação positiva do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações são do portal Terra:

CNI/Ibope: governo Lula tem melhor avaliação desde 2003

"A pesquisa CNI/Ibope divulgada na tarde de hoje mostra que a avaliação positiva do governo de Luiz Inácio Lula da Silva atingiu seu nível mais alto desde março de 2003. Entre os entrevistados, 58% avaliam o governo como ótimo ou bom, o que representa um crescimento de sete pontos percentuais em relação à última pesquisa de dezembro passado. Desde a posse de Lula, somente em dezembro de 2006 a avaliação positiva do governo chegou a patamar semelhante, 57%. A pesquisa ouviu 2002 pessoas entre os dias 19 a 23 deste mês. A margem de erro é de dois pontos percentuais".

Cargos em ano eleitoral

Reproduzo abaixo trechos de matéria publicada na edição desta quinta-feira do Boletim Eletrônico PT Câmara SP - da Liderança do PT na Casa.

Manobra do governo cria “trem da alegria” no projeto da educação

"Uma manobra de última hora da base governista da Câmara Municipal impediu ontem a aprovação total do projeto (PL 127/08), de autoria do Executivo, que incorpora ao salário-base dos servidores da Educação a gratificação recebida pela categoria. Parte da proposta ainda será submetida à deliberação do plenário.

O governo apresentou durante a sessão um substitutivo ao projeto original contendo um “trem da alegria”: o texto cria três novos cargos de livre provimento (sem que os ocupantes precisem fazer concurso público) no gabinete do secretário da Educação. Além disso, alterou a forma de preenchimento de 30 outras funções no quadro de carreira. Inicialmente, as vagas deveriam ser ocupadas por servidores próprios da educação, mas no substitutivo o governo mudou os cargos para serem preenchidos também por livre provimento.

Ou seja, em ano eleitoral o Executivo deu um jeito de nomear 33 pessoas, para postos que em alguns casos os salários são de R$ 5 mil, sem que os ocupantes tenham feito concurso público".

Comentário - Sem ter votos para rejeitar as emendas do PT ao projeto do governo, a base governista passou a cobrar a presença dos vereadores do PSDB e do próprio líder tucano, Gilberto Natalini. Esse foi um dos 'papelões' que chamaram a atenção na votação ocorrida ontem à noite em Plenário.

Nota atualizada às 8h 30 desta quinta-feira (27).

quarta-feira, 26 de março de 2008

A disputa na Capital

"Haverá dois candidatos em São Paulo", diz presidente do PSDB, Sérgio Guerra". A frase está em matéria da Folha de S. Paulo de hoje (26).

Aguardo opiniões dos leitores do blog sobre a afirmação acima.

Olha quem está falando

Uma frase do tucano Geraldo Alckmin numa das notas do Painel da Folha de S. Paulo desta quarta-feira leva qualquer leitor mais atento a fazer algumas perguntas. Vamos ao trecho da referida nota:

"Quem tentar impor a 2008 a lógica de 2010 vai se dar mal. A eleição de SP tem importância em si".

PERGUNTA 1 - A tal "lógica" a que ele se refere não caberia a ele mesmo? Basta lembrar que Alckmin entrou na disputa de 2008 justamente para tentar não chegar a 2010 ainda sem cargo.

PERGUNTA 2 - Ele se refere à "lógica do Serra", que ganhou a Prefeitura de São Paulo em 2004, abandonou o cargo pelo governo do Estado em 2006 e só governa pensando em 2010?

PERGUNTA 3 - Pode ser que Alckmin se refira ao conjunto da oposição tucano-demo, que se desespera quando vê o fortalecimento do PT e do governo Lula agora e a caminho de mais vigor em 2010. Será isso?

Bom, qualquer que seja a lógica embutida na afirmação do tucano, sabe-se de antemão que ele fala por si quando se refere a 2008 ou 2010...

PHA e os negócios da filha de Serra nos EUA

O novo site Conversa Afiada, do jornalista Paulo Henrique Amorim (o PHA), não se intimidou depois que o portal IG tirou do ar o conteúdo lá hospedado. Agora, PHA faz um questionamento sobre negócios entre Verônica Serra, filha do governador tucano de São Paulo, e o banqueiro Daniel Dantas.

Desde ontem, PHA diz esperar uma resposta da bancada tucana na Câmara dos Deputados e no Senado sobre documentos que provariam o envolvimento do banqueiro Dantas no financiamento dos negócios de Verônica nos Estados Unidos.

Clique aqui e leia a matéria do Conversa Afiada sobre assunto que até agora a imprensa se nega a abordar, mesmo que seja para desmentir PHA, se for o caso.

Um detalhe no fracasso do leilão da Cesp

Além de representar um refluxo na sanha privatista dos tucanos, o fracasso do leilão da Cesp desmascara uma propaganda enganosa do PSDB e aliados desde que estes se dedicaram a seguidos processos de privatização no país e em São Paulo. Trata-se do "conto da carochinha" que promete a venda do bem público ao setor privado para "investir os recursos arrecadados em infra-estrutura".

Basta lembrar que a Folha de S. Paulo desta quarta-feira (26) informa o seguinte, em matéria sobre a tentativa fracassada de vender a Cesp: "O governo Serra esperava arrecadar R$ 6,6 bilhões, que pretendia investir em infra-estrutura, como transporte público".

A pergunta é: quem acredita numa história dessas? Um exemplo flagrante de mentira tucana nessa área são os investimentos baixíssimos do PSDB na construção do Metrô em São Paulo nos últimos 13 anos - pouco mais de 1 km de trilho por ano. Isso sem esquecer do abandono de todas as ações que melhorariam o transporte sobre pneus na Capital desde 2005.

Para não cair no esquecimento

O jornal O Estado de S. Paulo publicou no dia 3 de junho de 2007 uma matéria com o seguinte título: "Carandiru teve implosão superfaturada".

O ex-governador Geraldo Alckmin, depois de perder a eleição presidencial para Lula, ficou sem rumo e se "autoexilou" nos Estados Unidos. A referida denúncia coincidiu com o seu regresso ao Brasil.

A matéria tinha o seguinte conteúdo: "A implosão da Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru do cinema, do massacre de 111 presos e das fugas e rebeliões, foi superfaturada. Essa é a conclusão de investigação feita pela Corregedoria-Geral da Administração de São Paulo. O prejuízo aos cofres públicos na obra que transformou em pó o maior presídio da América Latina ainda não foi totalmente calculado, mas a corregedoria já constatou que ele chega pelo menos a R$ 547 mil". Leia mais.

A QUANTAS ANDA O INQUÉRITO?

"A Promotoria de Justiça da Cidadania abriu inquérito civil para investigar a denúncia de superfaturamento na implosão da Casa de Detenção, no Carandiru, revelada pela Agência Estado.

O objetivo da promotoria era de apontar responsáveis pelo superfaturamento do contrato e por irregularidades como o pagamento em dobro pela retirada do entulho e a implosão de piso inexistente, entre outras. Na época se noticiou que a promotoria deveria agir com rapidez, pois haveria o risco da acusação de improbidade administrativa prescrever".

E por falar em prescrição, a quantas anda tal inquérito? Esta é uma boa pergunta para o novo Procurador Geral do Estado, Fernando Grella Vieira, responder.

terça-feira, 25 de março de 2008

Lula investe no Metrô de São Paulo

Reproduzo abaixo trecho da nota da Liderança da Bancada do PT na Câmara Municipal versando sobre os investimentos do governo federal no Metrô de São Paulo:

Governo Lula investe no Metrô para melhorar o transporte público de São Paulo

A Bancada do PT fez um ato simbólico hoje, no plenário da Câmara Municipal, para registrar uma boa notícia para o transporte público de São Paulo. O Governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva acaba de liberar uma parcela de R$ 189 milhões para a ampliação do Metrô.

O dinheiro federal será empregado na ampliação da Linha 2 Verde (Vila Madalena-Oratório/Tatuapé), para implantar o trecho Alto do Ipiranga-Vila Prudente.

O presidente Lula está destinando no total R$ 270 milhões para a obra, conforme convênio entre a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), estatal vinculada ao Ministério das Cidades, e a Companhia do Metropolitano. O convênio (nº 610977) foi assinado em dezembro de 2007. A contrapartida do Metrô no projeto é de R$ 81 milhões.

A Bancada PT exibiu no plenário, durante o ato, um cheque simbólico do Banco do Brasil com o valor repassado pela CBTU ao Metrô.

De promessa em promessa...

A Agência Estado informa que o governador tucano José Serra prometeu iniciar mais uma linha de Metrô em São Paulo ainda no seu mandato. Trata-se da linha 6 - que receberá o nome de Linha Rosa - e ligará o Oratório (no Ipiranga) à Freguesia do Ó, na zona norte da cidade.

O título da matéria da Agência Estado - Serra promete iniciar Linha 6 do Metrô em sua gestão - cabe perfeitamente no modo como o tucano faz política: prometendo e não cumprindo as promessas. Basta lembrar suas promessas durante a campanha eleitoral de 2004 quando disputou o cargo de prefeito. Ele disse que investiria em Metrô, melhoria a CET, diminuiria os congestionamentos na cidade e que transformaria a saúde em seis meses. Também prometeu que ficaria os quatro anos no cargo. Deu no que deu e todo mundo já sabe o final da história.

A cidade está nesse estado justamente pelo excesso de promessas e pela falta de cumprimento destas - esta sim a marca registrada dos tucanos no Estado e na Prefeitura de São Paulo!

Só vale o que está escrito

O Diretório Nacional do PT esteve reunido ontem em Brasília. Entre outros pontos de pauta deliberou sobre a política de alianças para as eleições deste ano. Hoje pela manhã, lendo os principais jornais, deparei com versões diversas sobre a decisão tirada na referida reunião. Veja as manchetes dos principais jornais:

Correio Braziliense
“Cúpula do PT vai vigiar alianças com PSDB e DEM”

Jornal do Brasil
“Aliança com tucanos divide o PT”

O Globo
“PT aprova alianças com DEM e PSDB”

O Estado de São Paulo
“Diretório Nacional do PT dificulta aliança com Aécio em Belo Horizonte”

Folha de São Paulo
“PT centraliza poder de decisão sobre alianças com a oposição”

Afinal, qual foi mesmo a decisão do PT? Foi de vigiar? O PT está dividido? Vai fazer aliança com PSDB/DEM? Ou vai proibir?

Não é curioso ver tantas versões diferenciadas para uma mesma matéria?

Pois bem caro leitor, o site do PT publicou a resolução na íntegra e neste caso, vale o que lá está escrito e não as versões que circulam por ai. Leia abaixo um resumo da matéria e se quiser, acesse o link para ler a integra da resolução.

"O Diretório Nacional do PT, reunido nesta segunda-feira (24), aprovou as diretrizes para a política de alianças nas eleições municipais de 2008. Segundo a resolução aprovada, o PT deverá buscar, nos municípios, coligar-se prioritariamente a PCdoB, PSB e PDT, além dos partidos da base aliada do governo Lula, em especial o PMDB, desde que dialoguem com o programa petista.

Ainda de acordo com a resolução, eventuais alianças com partidos que fazem oposição ao governo Lula deverão ser referendadas pelas respectivas Executivas Estaduais, cabendo recurso à Direção Nacional do PT. No caso das capitais, das cidades com mais de 200 mil eleitores e daquelas que transmitem horário eleitoral gratuito de rádio e TV, tais alianças precisam também ser “obrigatoriamente” aprovadas pela Comissão Executiva Nacional". Leia mais.

Do jeito que o Serra gosta

O título de uma matéria assinada pela jornalista Mônica Bérgamo na Folha Online está "do jeito que o Serra gosta". Ao dizer que Serra anunciará mínimo maior que o de Lula em São Paulo, a Folha tenta induzir o leitor a ver nisso uma "bondade" do governador numa suposta disputa com o presidente. Nem uma coisa nem outra - tudo não passa de um jogo de palavras feito para aumentar algo que sequer terá efeitos para o funcionalismo estadual.

No corpo do texto, a jornalista lembra que o tal "salário mínimino" maior que Serra se prepara para anunciar hoje será pago apenas pela iniciativa privada. Ou seja, os servidores estaduais continuarão sofrendo sem reajuste salarial desde que o tucanato assumiu o poder no Estado, nos idos de 1995. Trata-se da famosa "gentileza com o chapéu alheio", e com uma mãozinha da Folha, a coisa fica mais próxima do que o governador costuma ver em boa parte da imprensa a seu favor.

Pesquisa indica onde o ensino público funciona

Do jornal O Estado de São paulo hoje (25)

"Apesar de não haver uma receita única, pesquisa fechada no final do ano passado e divulgada agora mostra que há dez metas indispensáveis para oferecer educação básica com qualidade e fazer da aprendizagem ferramenta de progressão social. A aplicação sistemática dessas metas transformou 37 municípios brasileiros - 0,66% das 5.564 cidades do País - em campeões de aprendizagem escolar.

Em todos os municípios vigora uma regra de ouro: 'Um a um, nenhum a menos'. Ou, como dizem os professores de Marilena (PR), "a agente não deixa nenhum aluno para trás'. O que, na prática, foi sentido por um estudante da escola municipal de Guaramirim (SC) desta maneira: 'Os professores insistem, insistem, até a gente aprender".

A pesquisa Redes de Aprendizagem-Boas Práticas de Municípios que Garantem o Direito de Aprender foi feita pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Ministério da Educação/Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Os dados serão apresentados e debatidos hoje, em Brasília, no Fórum da Undime. Leia mais.

Pirotecnia eleitoral

Do jornal O Estado de S. Paulo, hoje (25):

"As obras para melhorar o trânsito em São Paulo deveriam começar ontem em quatro pontos da cidade - na Avenida Teotônio Villela, nos Terminais Varginha e Bandeira e no encontro das Avenidas Ipiranga e Consolação -, mas nenhuma mudança foi vista nas ruas. Ocorreu apenas a instalação definitiva do corredor de ônibus da Rua Clélia, na Lapa, zona oeste, que já estava em teste desde o fim de 2007. “Evidentemente no primeiro dia não começa a obra. Há pequenos projetos e constituição de equipes. Você tem uma demanda inicial para que se possa preparar o início, mas foi dada a definição na semana passada”, justificou o prefeito Gilberto Kassab.

Na quarta-feira, a Prefeitura divulgou um pacote de medidas para o setor, que incluía a restrição de estacionamento em 17 ruas da cidade - que só deve começar a funcionar em 15 dias -, a divulgação de 175 rotas alternativas e 19 obras em corredores de ônibus.

Depois do feriado prolongado, a única mudança visível para o paulistano foi a barreira de cavaletes, colocados na quinta-feira, num trecho sem saída na altura do número 120 da Avenida Ipiranga, no encontro com a Rua da Consolação, no centro". Leia mais.

Comentário: Não é precisa ser um especialista para saber que as medidas adotadas pelo prefeito em nada vão aliviar os congestinamentos na cidade. Em ano eleitoral, o prefeito tenta jogar para a platéia. Passaram-se mais de três anos de governo PSDB/DEMO e o povo paulistano não consegue listar uma única intervenção significativa que apontasse qualquer perspctiva de solução, nem mesmo a médio prazo, para o caótico trânsito de São Paulo. Pelo contrário, todas as obras estratégicas vistas como solução para este problema estão paradas ou andando a passo de tartaruga. Um exemplo é o Rodoanel, visto por todos como o instrumento mais eficaz para retirar a maioria do tráfego intermunicipal das ruas da cidade. No rítimo atual, vai demorar mais de 40 anos para ser concluído. Outros duas saídas são: a expansão da rede metroviária, vista por todos especialistas como a solução para o transporte público - em São Paulo é de 1.5km por ano, quase nada diante das necessidades, e os corredores de ônibus, planejados para aumentar a velocidade dos ônibus e melhorar a qualidades dos serviços prestados por esta modalidade de transporte, foram pararalisados na atual administração.

A Companhia Engenharia e Tráfego (CET), responsável pela gestão do trânsito na cidade, foi sucateada. As viaturas são insuficientes para atender a demanda. O número de funcionários diminuiu e são mal pagos. A quantidade de semáforos quebrados por falta de manutenção contribui para aumentar os problemas da área. Até os uniformes comprados para seus agentes são inadequados, como bem denunciou o sindicato dos trabalhadores da CET.

Diante do caos instalado no trânsito da cidade, as medidas adotadas não passam de pirotecnia midiática com propósitos eleitoreiros. Mas como diz o ditado popular, "mentira tem pernas curtas" - logo a máscara cairá.

O povo está de olho!!!

segunda-feira, 24 de março de 2008

Velocidade cai em corredores de ônibus de SP

Do jornal Folha de São Paulo hoje (24)

"A velocidade média dos ônibus caiu em sete dos nove corredores municipais do transporte coletivo de São Paulo -prejudicando a viagem de 2 milhões de passageiros diários.

Somente nos oito quilômetros de faixas exclusivas da estrada de Itapecerica e avenida João Dias, na zona sul, quem gastava 27 minutos no trajeto passou a perder 37minutos.

A piora, agravada por fatores como invasão das pistas por táxis e carros de passeio e programação inadequada de semáforos e de pontos de parada, não se deu só na periferia.
No corredor das avenidas Rebouças/Consolação/Francisco Morato, os coletivos que trafegavam a 16 km/h, em 2006, passaram a rodar a 14,1 km/h, conforme balanço de 2007.

Um campeão da corrida de São Silvestre é mais rápido que os ônibus de qualquer um dos nove corredores exclusivos.

As velocidades médias aferidas em 2007 ficaram entre 12,2 km/h (Santo Amaro/Nove de Julho) e 17,9 km/h (Inajar de Souza/Rio Branco) -de 12% a 64% abaixo do mínimo necessário, de 20 km/h. Especialistas consideram entre 25 km/h e 30 km/h o ritmo ideal para os trechos exclusivos. No Fura-Fila, a média alcança 37 km/h". Assinante leia mais.

Comentário: A atual administração não construiu um único corredor de ônibus na cidade, pelo contrário, deixou os atuais entregue a própria sorte: sem manutenção e sem fiscalização. Diante de tanto descaso com o transporte público, o resultado só podia ser a superlotação e a diminuição da velocidade dos ônibus que trafegam pelos corredores.

Temperatura alta no ninho tucano

Do jornal Folha de São Paulo hoje (24)

"O PSDB paulistano deverá viver nesta semana um dos momentos mais intensos da queda-de-braço entre os favoráveis à candidatura de Geraldo Alckmin a prefeito de São Paulo e o grupo que defende o apoio à reeleição do democrata Gilberto Kassab.

O clima nos bastidores é tão tenso que um ato programado para quinta-feira à noite deverá se chamar "Tucanos Pró-São Paulo e Pela Paz na Política".
Hoje, os tucanos favoráveis a Alckmin iniciam a coleta de assinaturas pela candidatura própria nos 52 diretórios zonais da capital com objetivo de apresentá-las durante o evento.

O ex-governador, em conversas recentes, avaliou que, no limite, aceitaria as prévias como forma de definir a situação. Antes, no entanto, quer "ouvir as bases do partido na capital".

Reservadamente, o grupo pró-Kassab afirma que "utilizará seu peso político" para tentar evitar que o ato se transforme no lançamento da pré-candidatura de Alckmin pelas bases do partido. Eles alegam que um gesto dessa natureza "dinamitaria todas as pontes de diálogo" com o DEM e anteciparia a eleição, favorecendo a ministra Marta Suplicy (Turismo), nome mais forte do PT". Assinante leia mais.

Frases do Lula no programa "Em Questão"

Sucessão em 2010:

"Se alguém acha que, pelo fato de que não sou candidato, não vamos ganhar as eleições, pode começar a se preocupar. Eu estou trabalhando com muita vontade de fazer minha sucessão."

Terceiro mandato:

"Sou contra o terceiro mandato. Mais do que ético, é um valor democrático. A gente não pode brincar com a democracia. [Em 2006], fui candidato porque a lei [que permitiu a reeleição] foi aprovada. Mas não fui eu quem aprovei".

Nome para sucede-lo:

"Eu não tenho candidato porque eu trabalho com a seguinte idéia: acho que a base que sustenta o governo hoje tem que lançar uma candidatura".

Relação com PSDB:

"Acho impossível. Teoricamente, era para o PT ter uma belíssima relação com o PSDB. Eu tenho boa relação com Serra, com Aécio, com todos os governadores do PSDB. Trato eles com o maior carinho. Eu estou fazendo com o Serra o que o [ex-presidente] Fernando Henrique Cardoso não fez com [o ex-governador] Mário Covas. Não há possibilidade de não sermos amigos de quem está governando."

Reforma Tributária:

"A reforma tributária não é um projeto do governo. Quero que a reforma seja encarada como necessidade de civilizar o Brasil, de fazer com que diminua a carga tributária e aumente a arrecadação".

Medidas Provisórias:

"Eu quero que o Congresso encontre a melhor forma [de trabalho] para que o governo não precise editar medida provisória. Estou convencido de que o Congresso está correto quando defende o direito de ter liberdade legislativa, mas é preciso achar o ponto de equilíbrio."

domingo, 23 de março de 2008

Quem vai pagar por isso

Do jornal Folha de São Paulo hoje (23)

”São Paulo vai perder uma das últimas manchas verdes de sua área urbana. Dois terrenos vizinhos no Alto da Boa Vista, área nobre de Santo Amaro (zona sul), que juntos formam um bosque de 149,4 mil m2 -equivalente a 21 campos de futebol ou três vezes o parque Trianon, na Paulista serão loteados para a construção de casas de alto padrão.

Para remover 1.560 árvores do local, os donos do terreno fecharam um acordo com a prefeitura por meio de TCAs (Termos de Compensação Ambiental), comprometendo-se a manter parte das plantas e replantar outra parte em pontos espalhados pela cidade. Esse tipo de acordo é cada vez mais freqüente -em 2007 foram assinados 195 TCAs, 343% mais do que em 2005.

O número de desmatamentos autorizados pela Prefeitura de São Paulo mais do que quadruplicou em dois anos. Em 2005, a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente emitiu 44 TCAs (Termos de Compensação Ambiental) para empresas interessadas em construir em áreas arborizadas. No ano passado, foram 195 -aumento de 343%.

As conseqüências do desaparecimento de manchas verdes significam aumento da temperatura, diminuição da umidade do ar e mais alagamentos.

A impermeabilização do solo é a principal preocupação do professor do Departamento de Ciências Atmosféricas da USP, Augusto José Pereira Filho. "Todo mundo vê as enchentes cada vez mais freqüentes", comenta. "Não é por acaso." Ele continua: "Cada árvore na área urbana faz falta. Não adianta compensar em outro lugar".

No caso dos terrenos do Alto da Boa Vista, ele diz que o impacto deve ser localizado. "Deve haver um pequeno aumento na temperatura e diminuição da umidade do ar em mais ou menos um raio de 2 km. Como se trata de um lugar bastante alto, uma região maior pode sentir a diferença de calor."

Comentário: O prefeito Gilberto Kassab está na contramão da humanidade ao permitir a destruição do pouco verde que ainda existe na cidade de São Paulo. No caso em tela, é inadmissível que o prefeito permita a destruição de áreas verdes em troca de uma tal “compensação” ambiental dispersa, fragmentada, que pouco reverterá em qualidade de vida para o povo paulistano.

A nossa cidade precisa de mais áreas verdes, de preferência que estas áreas sejam transformadas em áreas de uso comum (parques).

É preciso também, aumentar a permeabilidade do solo como forma de ajudar a combater as enchentes. Além de preservar o que temos de áreas verdes é preciso evitar a ocupação dos fundos de vale e, para futuro, pensar até em desocupar alguns que formam bacias estratégicas e transformá-los em Parque Lineares como forma de ampliar o verde e ao mesmo tempo aumentar as áreas permeáveis.

São Paulo sofre hoje as conseqüências históricas de um processo de crescimento desordenado onde o planejamento cedeu lugar aos interesses imobiliários. Caso o poder público não intervenha com determinação para impedir que o mercado imobiliário continue ditando as regras do nosso desenvolvimento, o dinamismo da indústria da construção civil propiciado pela política econômica do governo Lula pode acarretar conseqüências ainda maiores para o futuro de São Paulo.

Chegou a hora do prefeito começar a aplicar as regras do Plano Diretor Estratégico como forma de projetar um crescimento mais ordenado da cidade e garantir que os interesses da coletividade comandem o futuro dos paulistanos.

Lula: alianças e eleições

"O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse não acreditar que a aliança PSDB-PT que está sendo articulada pelo governador tucano Aécio Neves (MG) e pelo prefeito petista de Belo Horizonte Fernando Pimentel para a sucessão na capital mineira seja repetida em outros Estados.

"Hoje [essa aliança no país] é impossível. O fato de o Aécio fazer um acordo com o prefeito Pimentel não quer dizer que seja aceito pelo PT", disse em entrevista ao programa "Em Questão", da TV Gazeta, gravado durante a semana e que vai ao ar hoje, a partir das 23h45.

Sobre eleições, o petista afirmou que trabalha para fazer seu sucessor em 2010, mas que ainda não está discutindo o assunto e nem tem um candidato. Ele espera que os partidos que compõem a base de sustentação do governo comecem a trabalhar um nome após as eleições municipais deste ano.

Lula relatou que o governo procura negociar com o Congresso Nacional uma nova maneira para editar as medidas provisórias, que têm sido alvo de reclamação de parlamentares. "Precisamos encontrar um ponto de equilíbrio para que nem o Congresso Nacional deixe de cumprir sua função nem o governo deixe de governar."

Jornal Folha de São Paulo de hoje (24) ( Assinante leia mais)

sexta-feira, 21 de março de 2008

A educação continua "na mesma" em São Paulo

Do jornal Folha de São paulo hoje (21)

Mais tempo na escola não resultou em melhores notas dos estudantes na rede estadual de São Paulo, apontam os dados do Saresp 2007 (exame aplicado pelo governo paulista).

Levantamento realizado pela Folha mostra que, das 60 escolas com período integral na capital, apenas 4 tiveram notas superiores às médias das demais unidades de suas respectivas regiões. No outro extremo, 20 ficaram abaixo.

Esses resultados se referem à prova de matemática de 4ª e 8ª séries. O panorama foi semelhante em língua portuguesa (veja quadro ao lado).
Lançado no início de 2006 pelo então governador Geraldo Alckmin (PSDB), a idéia do programa Escola de Tempo Integral é elogiada por educadores, mas criticada pela forma como foi implementada.

A principal reclamação é que não houve planejamento para as atividades extras nem uma melhoria da estrutura física das escolas para abrigarem os alunos por mais tempo.

quinta-feira, 20 de março de 2008

Dicas de filmes para seu fim de semana

Por Celina Sales

O SOBREVIVENTE (Rescue Dawn, EUA, 2006)

O diretor alemão Werner Herzog baseou-se em seu próprio documentário (Little Dieter Needs to Fly) para fazer este longa-metragem. Trata-se da história real vivida pelo piloto norte-americano Dieter Dengler (Christian Bale), capturado em Laos durante a Guerra do Vietnã. Lá, ele organiza uma missão suicida para escapar, recebendo a ajuda de refugiados norte-americanos, incluindo Duane Martin (Steve Zahn). (www.cineclick.com.br)

Elenco: Christian Bale, Steve Zahn, Jeremy Davies, GQ, Zach Grenier, Pat Healy, Toby Huss.

O SEGREDO DE BERLIM (The Good German, EUA, 2006)

Logo após a Segunda Guerra Mundial, em Berlim, o jornalista correspondente de guerra norte-americano Jake Geismar (Clooney) reencontra a ex-amante Lena Brandt (Cate Blanchett), que tenta esquecer seu passado em meio às ruínas do pós-guerra. Dirigido por Steven Soderbergh (Syriana - A Indústria do Petróleo), o filme conta com Cate Blanchett (Notas Sobre um Escândalo), George Clooney (Boa Noite, e Boa Sorte) e Tobey Maguire (Homem-Aranha 3) no elenco. Mesmo com um "time" desses, o drama é lançado diretamente em DVD, permanecendo inédito nos cinemas brasileiros. (www.cineclick.com.br)

Elenco: Cate Blanchett, Beau Bridges, George Clooney, Dominic Comperatore, Tony Curran, Brandon Keener, Tobey Maguire, Christian Oliver.

Perguntem pro Alckmin

O Estado de S. Paulo desta quinta-feira publica uma conclusão preliminar do Ministério Público Estadual (MPE) sobre a tragédia da Linha Amarela do Metrô paulistano que sugere a necessidade de alguém ser questionado. Vamos ao trecho da matéria Para MPE, obra no metrô foi acelerada e não seguiu projeto:

"O Ministério Público Estadual (MPE) já tem provas documentais e testemunhais de que a execução da obra da futura Estação Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, não seguiu as determinações dos projetistas. Os dados coletados até agora pelos peritos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) revelam pelo menos três desconformidades em relação ao projeto original, assinado pela Engecorps. São elas: inversão do sentido de escavação do túnel sob a Rua Capri; discrepância entre os registros dos diários de obra e o que foi encontrado pelos técnicos durante a investigação e uma inexplicável aceleração do ritmo de construção".

O QUESTIONAMENTO - Entendo que o jornal poderá prosseguir com o assunto e ouvir o maior responsável pela "aceleração" imposta à obra, o pré-candidato tucano à Prefeitura, Geraldo Alckmin. No mínimo, cabe perguntar o que levou o governo dele a aumentar o ritmo das escavações. Seria para mostrar no programa eleitoral de 2006? Quem autorizou essa alteração nas obras? Por fim, caberia também perguntar ao atual governador acerca do seu silêncio depois da tragédia consumada. Bom, mas aí já seria um problema para os jornalistas que cuidam do assunto - o risco é de demissão do jornal...

TCM aponta 'acréscimo injustificável' em Fura-Fila

Do jornalO Estado de São Paulo, hoje (20):

"O contrato de R$ 143,8 milhões para a execução do prolongamento do Expresso Tiradentes (antigo Fura-Fila) entre o Parque D. Pedro II e o Sacomã sofreu um acréscimo “injustificável” de 50%, no período de 2003 a 2006. É o que aponta o relatório do presidente do Tribunal de Contas do Município (TCM), Edson Simões, sobre o contrato. Ontem, o relatório não foi colocado em votação por causa da ausência de um dos cinco relatores no plenário e também porque o relator Mauricio Faria pediu vista ao processo.

Com os aditamentos, o valor do contrato 2004/086, ao final da execução dos 8 quilômetros do primeiro trecho do corredor, superou os R$ 255 milhões - R$ 31,8 milhões por quilômetro construído. A análise no TCM foi feita a pedido do Ministério Público Estadual (MPE), que já investiga a obra.

Antes do parecer do TCM, o Tribunal de Contas da União (TCU) já havia relatado, durante auditoria nas obras realizada em 2006, suspeitas de sobrepreço de 145% no concreto fornecido pelo Consórcio Queiroz Galvão/Andrade Gutierrez, em comparação com o valor do material verificado em um índice de preços utilizado como referência pela Caixa Econômica Federal.

O parecer do presidente do TCM diz que “a excepcionalidade não foi caracterizada para justificar o aumento no valor do contrato”. Simões afirmou que não poderia adiantar o voto “por questões regimentais”.

A impotência de um bico

DoPainel da Folha, hoje (20):

"Ai! Ai! Novo ditado ouvido na praça: "Tucano em São Paulo, quando bate o bico, faz DEM, DEM, DEM...".

Um bom artigo

Carlos Zaratinni, deputado federal e ex-secretário de Transportes da cidade de São Paulo, escreve hoje (20) um artigo com o título“O caos no transporte e a cidade tucana” , publicado pelo jornal Folha de S. Paulo que julgo muito importante para entendermos melhor as razões dos sucessivos recordes de congestionamento na Capital.

Ele faz um belo diagnóstico ao afirmar: “Muitos colocam a responsabilidade no crescimento econômico e no aumento de carros em circulação. Certos gestores municipais dizem que o que mudou foi a forma de medição dos congestionamentos. A culpa da febre vai para o termômetro!

Triste situação para uma prefeitura que se elegeu com a palavra de ordem do "planejamento". Como se essa não tivesse sido a tônica do governo de Marta Suplicy, que aprovou o Plano Diretor e o Plano de Transporte, um marco na história de São Paulo.

Triste, pois qualquer estagiário de engenharia poderia intuir que o crescimento econômico levaria a essa situação. E que era necessário colocar em prática um plano de reformulação do sistema de circulação, privilegiando o transporte coletivo, aumentando sua velocidade, melhorando sua qualidade tanto no tempo de espera como no conforto dos veículos. Barateando seu custo, ampliando o bilhete único”.

A crítica que o deputado faz ao modelo de gestão do transporte público implementado pelo PSDB/DEM é precisa. Veja neste outro trecho: “A gestão PSDB/DEM vem demonstrando que não é ruim só de planejamento, mas deixou claro que também é ruim na implementação.

Não ampliou os Passa Rápido e abandonou os já existentes, diminuindo a fiscalização e a velocidade média. sucateou a CET, deixando os operadores sem rádio e sem guinchos para remover os veículos que atrapalham o trânsito. Agora, no final do mandato, quando a crise do trânsito explodiu, surge com um tímido "pacote" de obras -um esparadrapo para conter uma hemorragia.

Essa incapacidade já havia sido demonstrada no governo estadual. Há 13 anos sob governo tucano, o Metrô tem andado pouco. A linha 4, prevista para ser entregue agora em 2008, só será parcialmente entregue em 2011.

A linha 5 (que liga o Capão Redondo a Santo Amaro) vive às moscas e está parada desde 2002. Os problemas operacionais que ocorrem quase diariamente são atribuídos ao bilhete único e ao excesso de passageiros”!

O deputado faz as seguintes propostas: É necessário retomar o plano deixado pelo governo Marta, com 325 km de Passa Rápido e 204 km de vias com tratamento preferencial para os ônibus, dos quais foram construídos 71 km de corredores exclusivos e outros 35 km reformados, reduzindo em 40% o tempo de viagem dos usuários das linhas que se utilizavam deles.

Urge adotar inovações, como o controle centralizado da operação -que também foi abandonado-, transformar os corredores num metrô de superfície, com velocidade e segregação da via. Dar passos adiante, adotando a cobrança fora do veículo em pequenas estações.

Infelizmente, não podemos esperar o tempo das obras do Metrô. É verdade que a prefeitura (e o governo federal) deve colaborar com os seus investimentos. Mas muito mais importante é chegar com o transporte de qualidade na periferia da cidade, evitando que ali também prevaleçam os automóveis na circulação.
Temos que garantir a qualidade e o conforto e baratear a tarifa, para que centenas de milhares deixem seus carros em casa ou em estacionamentos conectados com o transporte".

Por fim diz o deputado que "De nada adianta a simples maquiagem. O marketing político pode até surtir resultados nas eleições, mas não resolve os problemas da cidade. O povo está cansado do descaso, encoberto com frases de efeito e medidas cosméticas. Infelizmente, o "pacote" de medidas da gestão Kassab não será capaz de eliminar o gargalo da falta de atitudes que seriam necessárias para fazer a cidade circular".

Assinante clique aqui para ler o artigo. Vale a pena, é um bom artigo.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Serra quer tudo dominado

O jornal Folha de S. Paulo publica hoje que o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), não descarta a possibilidade de quebrar a tradição e indicar para o cargo de procurador-geral de Justiça do Estado o segundo colocado na eleição realizada pela classe no último sábado.

O mais votado pelos 1.822 promotores e procuradores foi Fernando Grella. Em segundo lugar, com 262 votos de diferença, ficou José Oswaldo Molineiro, candidato do atual procurador-geral de Justiça, Rodrigo Pinho, e do secretário estadual de Justiça, Luiz Antonio Marrey, três vezes procurador-geral - em terceiro ficou Paulo Afonso Garrido de Paula.

No fundo, o que José Serra quer é manietar - a exemplo do que faz no legislativo – o Ministério publico de São Paulo, e com isso impedir qualquer forma de controle externo do seu governo. O governador já controla a Assembléia Legislativa. O legislativo paulista hoje não passa de um “departamento” do poder executivo e, sem nenhuma independência, pouco tem exercido a função de órgão fiscalizador. Agora, caso venha a se concretizar sua intenção de não respeitar o processo democrático de escolha do Procurador-Geral do Estado de São Paulo, o governador definitivamente deixa claro o seu viés autoritário ao tentar estabelecer uma relação de submissão deste órgão de fiscalização ao seu comando.

Máquina girando...

Da coluna Painel da Folha de S. Paulo, hoje (19):

"Escalada - Depois de secretários municipais e vereadores do PSDB, estão para sair do forno declarações favoráveis à candidatura Kassab assinadas por tucanos instalados em subprefeituras e em escalões inferiores da administração paulistana".

Interesse "de um público"

A propósito das declarações de Alberto Goldman, vice-governador de São Paulo, acerca da disputa eleitoral travada entre tucanos e "democratas" cabe uma observação no tocante ao que ele chamou de "interesse público". Ao jornal O Estado de S. Paulo de hoje (19), Goldman disse que a luta entre Geraldo Alckmin (PSDB) e Gilberto Kassab (DEM) deve ser comandada "pelo interesse público".

Conhecendo bem o estilo tucano e do seu aliado tradicional em São Paulo seria mais fácil dizer que se trata de uma disputa na qual prevalecerá "o interesse de um público" - público esse formado apenas por tucanos e aliados. Ou seja, os demais "públicos" que integram a cidade não foram chamados até agora. Isso ficou claro na tal nota tucana intitulada "A cidade é nossa". Deles, eles acham...

Por que será?

Do site Carta Maior

"O jornalista Paulo Henrique Amorim confirmou por telefone, há alguns minutos, que foi demitido pelo portal IG por fax, informa Luiz Carlos Azenha, do site Vi o Mundo. Amorim relatou a Azenha que foi informado, por volta das 17 horas, por fax, que o portal não renovaria o contrato, que vence no dia 31 de dezembro deste ano. No fax, o IG menciona uma cláusula no contrato que daria ao portal o direito de tirar o site do ar dentro do prazo de 60 dias que antece o fim do contrato.

Paulo Henrique Amorim disse também que não poderia gravar entrevista por não ter consultado seu advogado. O jornalista disse que não foi informado do motivo que levou à decisão do IG.

"Paulo Henrique Amorim, que também é repórter da TV Record, é crítico tanto de José Serra quanto do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso", lembrou Vi o Mundo, que também informa:

Dentro de duas horas vai entrar no ar um novo site de Paulo Henrique Amorim. O endereço será http://www.paulohenriqueamorim.com.br".

Comentário: O governador tem mania de ligar nas redações dos jornais e exigir a demissão de seus críticos. Será que a demissão de Paulo Henrique Amorim foi uma exigência do Serra? O difícil é não ter sido!

Eleições em São Paulo - Capital

LULA É 100% MARTA EM SÃO PAULO

Estadão Online

SÃO PAULO - "A garantia de apoio de "100%" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva está pesando positivamente na avaliação da ministra do Turismo, Marta Suplicy, sobre concorrer à Prefeitura de São Paulo pelo PT este ano. "Eu tenho que agradecer ao presidente Lula, que me deu a possibilidade de me posicionar até o dia 5 de junho e falou que, se eu me resolver por São Paulo, ele dá um apoio de 100%. Isso foi muito importante e está pesando na decisão", afirmou Marta, após participar do 8º Fórum Panrotas, na capital paulista".

ALIANÇA AMEAÇADA

"Um dia depois de o PSDB alertar para punições ao apoio a candidatos de outras siglas, o líder do PSDB na Câmara dos Vereadores, Gilberto Natalini, divulgou documento em que defende a manutenção da aliança de tucanos e Democratas na capital paulista para as eleições 2008. A medida, apoiada pela maioria da bancada, resulta em apoio indireto à candidatura à reeleição do prefeito Gilberto Kassab (DEM). Trata-se da terceira manifestação do vereador neste sentido, até agora sem uma resposta da Executiva municipal".

terça-feira, 18 de março de 2008

Leilão da Cesp

da Folha Online

A bancada do PT (Partido dos Trabalhadores) na Assembléia Legislativa de São Paulo ajuizou na Vara da Fazenda Pública do Estado uma ação popular solicitando uma liminar de suspensão do leilão da Cesp (Companhia Energética de São Paulo), marcado para o dia 26.

Os deputados estaduais alegam que Metrô, Sabesp, Dersa, Daee e CPP são acionistas da Cesp e, por isso, deveria ter havido autorização prévia do legislativo para que essas ações pudessem ser vendidas.

O partido também informou que vai protocolar junto ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, nesta quarta-feira, um pedido para que seja feita uma reavaliação do valor da Cesp. A empresa será leiloada pelo preço mínimo de R$ 6,6 bilhões, valor considerado subavaliado pelo PT.

Não! A cidade é do povo paulistano!

Do Painel da Folha de S. Paulo , hoje (18):

"A bancada do PSDB na Câmara paulistana divulga hoje uma carta defendendo a aliança em torno da reeleição de Gilberto Kassab (DEM) e apontando os "êxitos" da parceria do prefeito com seu antecessor, o governador tucano José Serra. O título do manifesto dos vereadores é um balde de água fria lançado sobre a candidatura do correligionário Geraldo Alckmin: "A cidade é nossa, há 40 meses. Hoje, prefeitura e Estado dialogam e agem pelo bem da cidade". "Escrevi embalado pela solicitação da imensa maioria da bancada", diz o líder, Gilberto Natalini. A reunião semanal dos vereadores, hoje, será realizada no diretório municipal do PSDB e deverá ter a presença do secretário das Subprefeituras, Andrea Matarazzo".

Comentário: Veja o título do manifesto que a bancada tucana na Câmara de São Paulo vai divulgar hoje: "A cidade é nossa". Este título está bem adequado a relação que os tucanos estão construindo com a cidade. De fato, eles se sentem os verdadeiros donos de São Paulo. Aliás, tudo o que eles fazem está voltado muito mais para os interesses eleitoreiros do PSDB do que para as soluções dos problemas da cidade.

O povo paulistano merece mais respeito!

segunda-feira, 17 de março de 2008

Leitora mostra inoperância municipal


Recebi da nossa leitora e colaboradora Celina Sales uma foto que ilustra a inoperância administrativa da Prefeitura de São Paulo. A foto ao lado é da Praça Benemérito José Brás, situada embaixo do viaduto do Metrô Brás. A Prefeitura quebrou a calçada e sumiu, diz a leitora em sua correspondência, cobrando ação do poder público.

Uma bela solenidade em Santana!


A entrega do Título de Cidadão Paulistano ao bispo Dom Joaquim Carreira, da região episcopal de Santana, foi uma bela solenidade organizada pelo meu mandato na última sexta-feira (14). A festa aconteceu na Igreja Nossa Senhora da Salette e contou com a participação de cerca de mil pessoas.

A minha fala na solenidade foi no sentido de destacar o papel da igreja como pólo agregador social - e a presença do bispo Dom Joaquim é um exemplo de determinação para a comunidade da Zona Norte.

Dom Joaquim destacou em seu discurso a necessidade da união entre a igreja e a sociedade para melhorar as relações sociais, tendo como inspiração o Evangelho.

Agradeço a participação e o empenho de todos no sucesso deste evento!

Crise no PSDB

O jornalista Josias de Souza publica hoje (17) uma boa análise sobre a crise vivida pelo PSDB no que se refere a escolha de sua candidatura com vistas as próximas eleições na cidade de São paulo. leia e tire suas concluões:

"Chama-se Marta Suplicy (PT) a maior adversária do PSDB em São Paulo. Antes de encará-la, porém, o tucanato terá de vencer um inimigo que lhe rói as entranhas: a divisão interna.

Sob atmosfera de aparente cordialidade, o PSDB convive com uma batalha encarniçada. Envolve o governador José Serra, o candidato Geraldo Alckmin e os grupos de ambos.

A suposta rendição de Serra à candidatura municipal de Alckmin é formal. Nos subterrâneos, o governador avalizou a postulação do prefeito paulistano Gilberto Kassab (DEM). Prometeu ajudá-lo a se reeleger. O auxílio começa imediatamente.
Serra assegurou a Kassab que, independentemente dos rumos que a campanha eleitoral venha a tomar, a parceria de ambos na prefeitura não será alterada. O governador disse ao prefeito que os quadros tucanos que o ajudam a gerir a cidade não abandonarão os postos.

Escorado na palavra de Serra, Kassab informou à direção do DEM que a inclusão de seu nome na cédula de 2008 tornou-se irreversível. Ou seja, o tucano Alckmin vai à campanha tendo contra si duas máquinas poderosas: o governo tucano do Estado e a administração demo-tucana do município.

Nesta semana, a direção nacional do PSDB mexerá os pauzinhos para tentar pacificar a seção paulistana da legenda. Sérgio Guerra (PE), presidente nacional do partido, deve viajar para São Paulo na quarta ou na quinta-feira. Encontrará um terreno conflagrado". Leia mais.

Sobre a integração da América Latina

O assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, disse em entrevista à BBC Brasil que o governo prefere ter "uma posição mais discreta" na América do Sul porque uma posição "mais protagônica" ajudaria menos na integração."A liderança não é uma coisa que se reivindica. A liderança é uma construção coletiva", afirmou.

Garcia diz que vê uma situação paradoxal na região, que vive um bom momento econômico, com avanços sociais e presidentes eleitos democraticamente, em que a integração nunca foi tão discutida.

Ao mesmo tempo, lembra que continuam existindo crises como a do início do mês, quando a Colômbia invadiu o território equatoriano para atacar um acampamento das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

Clique aqui e leia a íntegra da entrevista:

Eleições em Porto Alegre

A deputada federal Maria do Rosário venceu no domingo (16) as prévias do PT para a prefeitura de Porto Alegre e será a candidata do partido na disputa pela reconquista da capital gaúcha. Ele venceu o ex-ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, por 56 votos, numa disputa bastante acirrada.

Numa demonstração de força e de empolgação da militância, 4.379 filiados compareceram às prévias.A apuração das prévias começou às 18h45 e acabou por volta das 23h40 de domingo.

Maria do Rosário é a primeira mulher petista a concorrer ao Paço Municipal desde a fundação do partido. Emocionada, ela chegou à sede municipal do PT, onde ocorria a apuração, carregada pelos militanes. “Foi um resultado muito equilibrado. Considero positivo. Como quero unir o PT, nunca tive interesse ou vontade de derrotar ninguém”,ela afirmou. Leia mais.

O desespero da oposição

"Será que a estratégia de obstruir as votações de Medidas Provisórias no Plenário e paralisar as reuniões de comissões temáticas é apenas uma reação à MP que criou a nova TV pública do país ou inconformismo tem motivações inconfessáveis? O desespero que leva parlamentares de oposição a renunciarem ao exercício legislativo que lhes foi delegado pelo voto popular deve ser visto como algo pontual, motivado pelo requerimento do líder do governo, senador Romero Jucá (RR ), pedindo o fim de manobras protelatórias em votações de interesses relevantes, ou aponta para algo mais profundo?

O crescimento de 5,4% do Produto Interno Bruto (PIB), provocado pelo aumento do consumo interno e de investimentos não terá acendido o sinal vermelho nos gabinetes de lideranças demotucanas e nas grandes oficinas de consenso? O que temos não são apenas números favoráveis à política econômica do governo Lula, mas uma inédita mudança de eixo da economia brasileira. Mercado interno aquecido, investimento crescente em bens de capital e inflação controlada significam que, pela primeira vez na história, o país logrou encontrar o caminho do crescimento sustentável. Ruíram como castelos de areia o mito do PIB potencial e os sofismas da cartilha neoliberal. Aqueles que pregavam uma “inadiável” reforma da Previdência e a supressão imediata de direitos trabalhistas como requisitos para o desenvolvimento.

A uma oposição sem bandeira para as eleições de 2010, só resta atribuir ao governo o que tem sido sua prática desde a derrota de 2002: violentar a nação e o regime democrático.

Por tudo isso são emblemáticas as palavras do líder do PSDB no Senado, Arthur Virgilio: “Se der para aprovar, deu, se não deu, dane-se?” Nada mais ilustrativo de como se comporta um dos cardeais do tucanato quando defrontado com o vazio de sua própria existência política.É um desses momentos raros, que põe a nu a farsa de republicanismos de fachada. É didático ao expor, sem meias palavras. o que o jornalismo de campanha tenta ocultar".

A análise acima é parte do artigo, "O desespero da oposição pautada", de Gilson Caroni Filho, publicado no site Carta maior.

Vivemos um período que a grande mídia subvaloriza os acertos do governo Lula e supervaloriza as ações de uma oposição sem programa e sem rumo. Diante deste quadro, é sempre recomendável diversificar as fontes de informações para melhor aperfeiçoar nossas análises. Clique aqui e faça a leitura completa do artigo.

ESCÂNDALO NO RIO GRANDE DO SUL

Do site Carta Maior

PORTO ALEGRE - A governadora Yeda Crusius tem motivos para se preocupar. Um de seus coordenadores de campanha, nas eleições de 2006, o empresário e lobista Lair Ferst, é um dos principais nomes citados no inquérito da Polícia Federal sobre as fraudes no Detran. "Quadrilha criminosa. Crime organizado. Corrupção de agentes públicos com metas empresariais". Essas foram algumas das expressões utilizadas pelo superintendente da Polícia Federal, Ildo Gasparetto, para descrever os crimes praticados no órgão.

Ferst trabalhou na coordenação da campanha (na área financeira), ou como definiu a governadora no ano passado, “estava ali dando uma mão”. Ex-coordenador da bancada do PSDB na Assembléia, Ferst chegou a ser cogitado para ocupar uma secretaria no governo estadual. Até aqui, Yeda e o PSDB não esclareceram qual era mesmo o papel de Lair Ferst na campanha eleitoral.

Na época da campanha, o esquema de fraudes no Detran ainda não havia sido descoberto. No momento em que Ferst é apontado pelas investigações da Polícia Federal como envolvido no crime (mais do que isso, um dos principais protagonistas), em curso em 2006, a sua atuação na coordenação financeira da campanha de Yeda ficou sob suspeita. Nas últimas semanas, a governadora fez várias críticas à Polícia Federal e à CPI do Detran, instalada na Assembléia Legislativa. “A CPI é política e quer chegar no meu gabinete”, protestou. Nesta sexta, o ministro da Justiça, Tarso Genro, defendeu as investigações da PF e recomendou cautela à governadora em suas declarações. Leia mais.

Metrô de SP terá R$ 150 mi/mês do governo federal

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva combinou com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), um financiamento para as obras de ampliação do Metrô, informa a coluna de Mônica Bergamo na Folha desta segunda-feira.

O projeto está a cargo do Ministério das Cidades. O governo federal passaria a destinar R$ 150 milhões por mês às obras. Em contrapartida, a prefeitura entraria com R$ 50 milhões.

domingo, 16 de março de 2008

Crescimento era 'palavrão' para PSDB, diz Gaspari

O trecho inicial de um artigo publicado na Folha de S. Paulo de hoje (16) do jornalista Elio Gaspari reflete sobre o modo como os tucanos viam o crescimento econômico do país na época em que estiveram no governo federal. Veja o que diz Gaspari sobre o PSDB em matéria de economia:

O Brasil reencontrou o crescimento

"O CRESCIMENTO DE 5,4% do PIB em 2007 indica que o Brasil se livrou da urucubaca do regresso, iniciada em 1982. Encerrou-se um período durante o qual, pela primeira vez desde 1930, a economia do país foi dirigida por pessoas que colocaram o crescimento econômico em segundo (ou terceiro) plano. Não o faziam por mal e, em certos casos, faziam por bem, pois buscavam a estabilidade da moeda. Ainda assim, taxas medíocres de crescimento (sempre acompanhadas por gordas taxas de juros) eram consideradas remédio adequado, mesmo quando mostravam-se daninhas. O Brasil poderia ter saído do buraco há mais tempo se a ekipekonômica do tucanato não tivesse amarrado o país ao câmbio fixo, experiência que ruiu em 1999. Crescimento chegou a ser palavrão". Leia aqui o artigo completo (assinantes da Folha/UOL).

sexta-feira, 14 de março de 2008

Uma dica de vídeo para você

Por Celina Sales, com informações do portal Cineclick:

PIAF - UM HINO AO AMOR (La Môme/La Vie En Rose, França/ Reino Unido/ República Tcheca, 2007)

Sinopse: Marion Cotillard brilha nesta cinebiografia da cantora francesa Edith Piaf. Tanto que foi indicada a diversos prêmios, inclusive o Oscar, pela atuação. O filme conta como ela foi descoberta por um caça-talentos, que lhe apelidou de Piaf (passarinho, em francês) e lhe deu a oportunidade de cantar em alguns cabarés bem freqüentados. O nome Edith Piaf passou, então, a ser reconhecido por toda a Europa, região que vive um período de guerras e tristes canções.

Elenco: Marion Cotillard, Sylvie Testud, Pascal Greggory, Emmanuelle Seigner, Jean-Paul Rouve, Gérard Depardieu, Clotilde Courau, Jean-Pierre Martins, Catherine Allégret, Marc Barbé, Caroline Sihol, Pauline Burlet.

Nossas dicas de Shows para seu fim de semana

HOJE, DIA 14

ANA CAÑAS A cantora e compositora apresenta músicas de seu primeiro álbum, "Amor e Caos", das quais se destacam regravações de Caetano Veloso ("Coração Vagabundo") e Bob Dylan ("Rainy Day Women"). Sesc Santana - teatro - av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana, região norte, tel. 6971-8700. 349 lugares. 21h. 90 min. 7 anos. Ingr.: R$ 2 a R$ 8. Estac. (R$ 3,50 a R$ 7 a 1ª h mais h adicional).

LÍVIO TRAGTENBERG Sob a direção de Tragtenberg, a Orquestra de Músicos das Ruas de São Paulo, formada por músicos japoneses, paraguaios, bolivianos e nordestinos, apresenta o espetáculo "Neuropolis". Sesc Ipiranga - teatro - r. Bom Pastor, 822, Ipiranga, região sul, tel. 3340-2000. 200 lugares. 21h. 75 min. 10 anos. Ingr.: R$ 4 a R$ 16.

MARIA RITA Seu terceiro disco, "Samba Meu" (2007), é a base para a nova turnê. Mas sucessos de seus dois álbuns anteriores, como "Caminho das Águas" e "Encontros e Despedidas", também serão relembrados. Citibank Hall - av. dos Jamaris, 213, Moema, região sul, tel. 6846-6000. 1.450 lugares. 22h. 90 min. 14 anos. Ingr.: R$ 60 a R$ 150 (p/ estudantes: R$ 30 a R$ 75). CC: AE, D, M e V. Valet (R$ 20).

AMANHÃ, DIA 15

BARBATUQUES O grupo, famoso por sua criativa percussão corporal, se reúne para os shows de lançamento do DVD "Corpo do Som Ao Vivo". O músico Stênio Mendes participa das apresentações. Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran - r. Paes Leme, 195, Pinheiros, região oeste, tel. 3095-9400. 1.010 lugares. 21h. 80 min. 7 anos. Ingr.: R$ 3,50 a R$ 15. Estac. c/ manob. (R$ 5 e R$ 7 p/ 3 h mais R$ 1 p/ h adicional).

MARIA RITA Citibank Hall. 22h. Ingr.: R$ 60 a R$ 150 (p/ estudantes: R$ 30 a R$ 75).

ORQUESTRA JAZZ SINFÔNICA Cyro Pereira, Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Chico Buarque e até Miles Davis, entre outros, têm composições executadas pela orquestra neste espetáculo, que tem regência de
João Maurício Galindo e Cyro Pereira. Memorial da América Latina - auditório Simón Bolívar - av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, região oeste, tel. 3823-4600. 876 lugares. 21h. 80 min. Livre. Retirar ingr. no dia, a partir das 14h. Estac. (R$ 12).

TIÊ Com influências que vão de David Bowie e Rita Lee à música francesa tradicional, a jovem cantora mostra sua voz em arranjos originais. Thiago Pethit e Gabi Caraffa são seus convidados neste show. Studio SP - palco do café - r. Inácio Pereira da Rocha, 170, Vila Madalena, região oeste, tel. 3817-5425. 80 lugares. 22h30. 60 min. 18 anos. Ingr.: R$ 15. Valet (R$ 12).

DOMINGO, DIA 16

ANA PAULA LOPES A cantora apresenta faixas de seu segundo CD, "Mil Rosas", para o qual escolheu um repertório que abrange jazz, samba, bossa nova, blues, baião e baladas. Livraria Cultura - Shopping Market Place -av. Dr. Chucri Zaidan, 903, Vila Cordeiro, região oeste, tel. 3474-4033. 90 lugares. 16h. 60 min. Livre.

BARBATUQUES Sesc Pinheiros - teatro Paulo Autran. 18h. Ingr.: R$ 3,50 a R$ 15.

MARIA RITA Citibank Hall. 20h. Ingr.: R$ 60 a R$ 150 (p/ estudantes: R$ 30 a R$ 75).

RUBENS NOGUEIRA O instrumentista e compositor lança seu terceiro disco, "Quando Eu Canto o Meu Samba", repleto de parcerias com Paulo César Pinheiro. Uma banda formada por nove músicos acompanha Nogueira no palco. Teatro do Colégio Santa Cruz - r. Orobó, 277, Alto de Pinheiros, região oeste, tel. 3024-5191. 500 lugares. 21h. 75 min. Livre. Ingr.: R$ 15 (p/ estudantes: R$ 7,50). CC: D, M e V. Valet (R$ 10).

Fonte Guia da Folha

Salve, Jorge Amado

Do Jornal da Tarde hoje (14)

No primeiro ato das comemorações do relançamento da obra do escritor, Chico Buarque e Caetano Veloso fazem leitura

Em agosto de 2001, Jorge Amado deixou esta vida e a literatura brasileira ficou menos emocionante e colorida. Os temperos da exótica Bahia deixaram de ser tratados em histórias com tamanha intimidade. Mas o escritor baiano deixou personagens para a eternidade, como as sensuais Dona Flor e Gabriela, o malandro Vadinho, as vidas de Quincas e os rumos incertos dos 'capitães da areia'. Se sua obra já era imortal, ganha um sopro com a reedição de todos os livros pela editora Companhia das Letras, até 2012, quando Jorge Amado faria 100 anos. As homenagens começam no dia 21 e envolvem nomes das mais diversas áreas. Até Chico Buarque e Caetano Veloso vão participar. E você não pode ficar de fora. Portanto, programe-se. Leia mais.

quinta-feira, 13 de março de 2008

Piorou!

A Rádio CBN acaba de divulgar o novo recorde no índice de congestionamentos na cidade de São Paulo no início desta noite: 218 quilômetros de lentidão. Ontem, esse índice chegou a 186 quilômetros.

Comentário: A propósito, não custa perguntar: onde está o Serra numa hora dessas com seus planos mirabolantes que mudariam o trânsito de São Paulo como num passe de mágica? Ah, mas isso foi na campanha eleitoral de 2004, o Serra já virou governador e agora só pensa na campanha eleitoral de 2010...

Dom Joaquim será Cidadão Paulistano amanhã


Realizo na noite de amanhã a solenidade de entrega do Título de Cidadão Paulistano ao bispo Dom Joaquim Justino Carreira (foto ao lado), da região episcopal de Santana, na zona norte da Capital. Dom Joaquim também ocupa o cargo de bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo e nasceu na cidade de Santa Catarina da Serra, em Portugal.

A entrega do título ao bispo acontecerá na Paróquia Nossa Senhora de Salette, com início às 19h 30. O cardeal arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, confirmou presença no evento, que também será prestigiado por um grande número de autoridades eclesiásticas e políticas da cidade.

EVENTO: Entrega do Título de Cidadão Paulistano ao Bispo Dom Joaquim

LOCAL: Paróquia Nossa Senhora de Salette - Rua Dr. Zuquim, 1746, Alto de Santana

HORÁRIO: 19h 30

Você sabia?

Que há 20 anos atrás a cidade de São Paulo possuía uma frota de automóveis de pouco mais de três milhões de automóveis? Hoje (2008), já ultrapassou a casa dos seis milhões de carros em nossas ruas.

Que a vinte anos atrás o número de agentes de fiscalização do trânsito era de cerca de 2200 (dois mil e duzentos)? Hoje o número diminuiu para 1.800 agentes.

Que a distribuição dos fiscais também é desigual? Hoje, 90% deles atuam no centro expandido, que tem cerca de 800 km de vias. Segundo o Sindviários, os principais corredores e pontos de fiscalização estão nessa área. Mas quase todo o restante da capital tem pouca fiscalização: 10% dos profissionais cuidam de 16.200 km de vias. Para especialistas, o efetivo precisaria dobrar.

Estes são alguns elementos que ajudam a explicar os seguidos recordes de congestionamentos nas ruas de São Paulo.

Mercado interno puxa economia

Do jornal Folha de São Paulo hoje (13)

O Brasil cresceu 5,4% em 2007 e fechou o ano com o PIB (Produto Interno Bruto) "rodando" acima de 6%. Uma série de fatores positivos continuam sustentando a atual fase de expansão, embora analistas e o próprio governo prevejam um crescimento menor neste ano.

O mercado interno está aquecido pelo forte aumento da massa salarial, e os investimentos produtivos batem recordes esperando uma demanda ainda maior no futuro. Para este ano, porém, a crise externa, principalmente nos EUA, deve reduzir o ritmo de crescimento.

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), o crescimento de 5,4% no ano passado é o segundo maior da série pela atual metodologia, aferida desde 1996. O recorde anterior havia sido em 2004, com alta do PIB de 5,7%.
Em valores, o PIB brasileiro atingiu R$ 2,55 trilhões em 2007. Já o PIB per capita cresceu 4% em termos reais (acima da inflação), chegando a R$ 13.515,00 no ano passado.

A "qualidade" da atual fase de crescimento é totalmente distinta, e melhor, na comparação com 2004. Naquele ano, o PIB brasileiro cresceu apoiado principalmente nas vendas externas, com a produção das indústrias e do setor agropecuário e mineral especialmente voltada para as exportações.

Neste momento, é o mercado interno quem puxa a forte expansão, bem distribuída pelos diversos setores. O consumo das famílias, que representa cerca de 60% no cálculo do PIB, aumentou 6,5% em 2007. Assinante Leia mais.

quarta-feira, 12 de março de 2008

O que é, o que é ?

"Acho que Alckmin vai ser candidato e Kassab vai ser candidato", disse Serra ontem aos jornalistas.

Pergunto ao leitor do Blog: a frase do Serra é uma constatação ou revela a sua vontade política? Comente-a.

Precatórios, 10 anos de calote em SP

Recomendo a leitura do excelente artigo de autoria de Marco Antonio Innocenti, membro da comissão de precatório da OAB-SP, publicado hoje (12) no Jornal da Tarde.

Em relação aos Precatórios Judiciais, os sucessivos governos tucanos vem praticando uma flagrante ilegalidade em nosso estado. Por força de Lei, os pagamentos de precatórios devem seguir a ordem cronológica com prioridade para os precatórios alimentares. Esta norma não vem sendo respeitado em São Paulo. Vale a pena ler o artigo abaixo:

"A mídia vem noticiando com destaque, nas últimas semanas, o escândalo relativo ao descontrole no uso dos cartões corporativos do governo federal, que beira os R$ 75 milhões. A oposição tucana chia e exige, corretamente, a apuração dos fatos. Em São Paulo, porém, o governador tucano José Serra usa e abusa de sua maioria na Assembléia Legislativa para impedir uma CPI que apure escândalo do mesmo porte, que envolve R$ 108 milhões em gastos em cartões de débito. E 40% desse valor foi sacado na boca do caixa, sabe-se lá para o quê.

Nenhuma novidade nessa postura ambígua do PSDB, que posa de guardião da moral e, onde governa, mostra um rosto diferente. Em São Paulo, há dez anos, sucessivos governos tucanos vêm aplicando calote nos precatórios alimentares. Um triste recorde que leva milhares de aposentados e pensionistas a morrerem na fila, sem receber seus direitos em processo, quase sempre, de pequeno valor. São bilhões de reais que deixam de ser pagos a cada ano que passa.

Segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Estado de São Paulo lidera o ranking nacional de devedores de precatórios e deixou de pagar na última década cerca de R$ 12 bilhões. Já os municípios paulistas devem cerca de R$ 10 bilhões. Cálculos do Supremo Tribunal Federal indicam que o poder público brasileiro (federal, estadual e municipal) deve cerca de R$ 64 bilhões.

Passaram pelo Palácio dos Bandeirantes os governadores Mário Covas, Geraldo Alckmin e, agora, José Serra, e nada foi solucionado. A fila dos precatórios alimentares vem desde 1998. Enquanto isso, os precatórios não alimentares que favorecem empresários, usineiros, construtores e proprietários de terras estão absolutamente em dia. Por uma questão de justiça, não deveria ocorrer exatamente o contrário na definição de prioridades? Já o governo federal está absolutamente em dia com o pagamento dos precatórios alimentares. Na verdade, está até adiantado: quitou em janeiro precatórios que só deveriam ser pagos em dezembro. Essa medida revela ao mundo dos negócios uma situação positiva para as contas públicas. E pode ser importante para que o Brasil, finalmente, receba das agências internacionais de classificação de risco o grau de investimento.

Não por acaso, dezenas de milhares de credores temem uma eventual ascensão tucana ao Palácio do Planalto, que poderia amplificar muito o calote paulista. O Estado de São Paulo vem agindo à margem da ordem jurídica. Milhares de aposentados e pensionistas são vítimas desse descalabro".

terça-feira, 11 de março de 2008

Crescimento generalizado da indústria

É opinião geral que o resultado da produção industrial de janeiro (aumento de 1,8% sobre dezembro e 8,5% sobre o mesmo mês de 2007) já praticamente garante um bom desempenho da economia em 2008.

De fato, verifica-se que, em comparação com janeiro do ano passado, das 14 regiões pesquisadas, apenas uma, o Estado do Ceará, apresentou queda, em razão apenas das férias coletivas de uma grande empresa têxtil, que acarretaram queda de 37,6% da produção do setor naquele Estado, enquanto outros apresentaram bom desempenho.

Todas as outras regiões do País apresentaram resultado positivo. O porcentual de crescimento varia de 0,5% na Bahia a 19,7% no Paraná. Cinco regiões tiveram crescimento acima de 10% (inclusive São Paulo, com 12,5%), e a mediana ficou em 9%, o que mostra bem que se trata de um crescimento robusto e generalizado. Leia mais.

segunda-feira, 10 de março de 2008

200 mil marcham contra Uribe na Colômbia

Da Agência Carta Maior

BOGOTÁ - Como um rio furioso cujas águas tivessem estado represadas por anos, a maior multidão vista nos últimos tempos saiu às ruas de 21 cidades colombianas, no dia 6 de maço, para render tributo às vítimas dos paramilitares e de crimes de Estado.

Nesta capital, pelo menos 200 mil pessoas caminharam pela central Carrera Séptima rumo à Praça de Bolívar, que ficou cheia pelo menos três vezes ao longo de quase cinco horas, durante as quais os manifestantes lançaram duras críticas ao governo do presidente Álvaro Uribe.

As marchas que tinham sido qualificadas por altos funcionários governamentais como “de apoio à guerrilha”, foram uma verdadeira avalanche humana em que a maioria dos manifestantes acusou Uribe de ser aliado dos grupos paramilitares de extrema direita.

“Vamos à rua, derrubar o governo paramilitar”, gritavam centenas de estudantes da Universidade Nacional, enquanto milhares de trabalhadores de empresas estatais acusavam o mandatário colombiano de “fascista, lacaio imperialista”. Leia Mais.

Criaturas marinhas raras e comuns

Mesmo para quem já mergulhou nas águas às vezes turvas de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, as imagens captadas por fotógrafos-cientistas expostas a partir de hoje na Estação Ciência da USP, na capital paulista, são fascinantes. O objetivo do grupo de biólogos marinhos é revelar a vida escondida do oceano, que muitas vezes passa despercebida até por quem submerge.

Seres microscópicos foram fotografados em aquários especiais ou diretamente, ao microscópio, com luz. Outros cliques foram feitos sem luz normal, no microscópio eletrônico de varredura, como é conhecido tecnicamente esse tipo de aparelho que dispara sobre os objetos feixes de elétrons de alta energia.

À disposição dos olhos, águas-vivas (uma delas traz junto a si um caranguejo), corais, esponjas, equinodermos. Larvas microscópicas. Um belo exemplar de uma espécie de lula. Pequenos crustáceos. "Nós usamos aquários especiais, feitos aqui mesmo, em São Sebastião", explica o pesquisador Alvaro Migotto, da USP, autor de várias fotos expostas na Estação Ciência. Ele é também diretor do Cebimar (Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo).

Esse talvez seja um dos segredos dos fotógrafos. Ele fizeram do laboratório -e não do fundo do mar- um estúdio. Dessa forma, o controle de iluminação, por exemplo, acaba ficando mais fácil. O próprio organismo fica mais disponível para as lentes também.

"As imagens dos corais profundos não foram feitas no Brasil. Aqui ainda não existe infra-estrutura adequada para isso, o que deve ocorrer no futuro", explica Alberto Lindner, também pesquisador da USP, de São Sebastião. As fotos feitas pelo biólogo, que foram colocadas na exposição, são principalmente do hemisfério Norte. E foram feitas em ambiente natural.

Fonte site do ambiente Brasil

Tesouros arqueológicos

Uma fundição de cobre do século sexto, cozinhas medievais ainda equipadas com panelas e potes e os restos de palácios renascentistas estão entre os achados apresentados na sexta-feira, 7, por arqueólogos que realizam escavações em Roma em preparação para um novo metrô. Pesquisadores vêm sondando a Cidade Eterna em 38 sítios, muitos dos quais estão perto de famosos monumentos ou vias movimentadas.

Nos últimos nove meses, vestígios - incluindo tavernas romanas e as fundações de um palácio do século 16 - apareceram na Piazza Venezia e perto do antigo fórum, onde operários preparam a construção de uma das 30 estações da terceira linha do metrô romano.

"Os achados medievais e renascentistas que vieram à luz na Piazza Venezia são extremamente importantes, por serem raros", disse a arqueóloga Mirella Serlorenzi, que trabalha no local. Serlorenzi disse que, entre as descobertas mais interessantes, estão uma cozinha do século nono, onde três potes eram usados para aquecer temperos. Apenas duas outras tinham sido encontradas, anteriormente, na Itália.

A fundição de cobre era usada para trabalhos em ligas do metal, e consistia de pequenos fornos, vestígios dos quais podem ser vistos. Pequenos lingotes de cobre foram encontrados e estão sendo analisados.

(Fonte: Estadao.com.br)

De Itamar Franco, sobre Fernando Henrique

O ex-presidente Itamar Franco deu uma entrevista ao Jornal do Brasil desta segunda-feira em resposta às constantes afirmações do também ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acerca das mudanças na economia introduzidas pelo Plano Real. Nela, Itamar também fala sobre a escolha do seu sucessor - que nem seria FHC. "Eu me arrependo de ter escolhido ele candidato", disse. Veja alguns trechos abaixo:

JB - O senhor pediu para começar com um depoimento sobre as posições assumidas por seu sucessor, Fernando Henrique Cardoso.

Itamar - Vai ser a primeira vez que eu vou responder ao presidente Fernando. No período em que ele (FH) trabalhou comigo, eu nunca respondi e questiono até que o chamassem de primeiro-ministro. Na época, eu tinha uma pesquisa da Presidência da República que indicava que ele não era nosso candidato. Nosso candidato era o (Antônio ) Brito. Eu chamei o Brito e disse: "Eu gostaria que você fosse o candidato da Presidência da República e do PMDB para levar o senador (Pedro) Simon junto". Ele me disse o seguinte: "Itamar, eu sou muito novo, primeiro vou ganhar no Rio Grande do Sul". Apesar da pesquisa apontar o Fernando com menos de 4%, o Brito com 16% e o presidente Lula já com 35%.

JB - Mas o senhor admitiu a candidatura de FH?

Itamar - Eu deixava tudo aquilo acontecer. O que interessava era que ele ganhasse as eleições. Havia muito tempo que um presidente não fazia o seu sucessor.

JB - Mas foi isso que o incomodou no depoimento de seu sucessor?

Itamar - Não, mas não vou fugir de nenhum ponto da entrevista que ele deu (à Gazeta Mercantil). O Fernando tem mania de beliscão, mas agora eu não vou aceitar mais. Afirma nesta entrevista que o Plano Real se chamava Plano FH. É muita pretensão, mas vamos deixar...

JB - Mas o que o senhor teria feito diferente?

Itamar - A parte principal que quero re bater é a afirmação de que quando ele deixou o Ministério da Fazenda para se candidatar, tudo estava pronto e feito. Isto é uma inverdade. Para esclarecer isso, vou repetir as palavras do ex-ministro Ricúpero, que foi quem o substituiu, em entrevista a Folha de S. Paulo em junho de 2001. "Quando assumi o ministério, procurei o presidente Itamar porque tinha encontrado a equipe econômica com algumas dúvidas. Especialmente em relação ao prazo apertado em virtude da eleição (à Presidência da República que aconteceria seis meses depois) que me deixava com receio de lançar o plano". Aí eu falei: mas o que senhor acha, dá tempo? Ricúpero respondeu que nós poderíamos lançar até julho. Quando perguntado de quem era o mérito do sucesso do Plano, Ricupero respondeu: "tecnicamente de FH, e de sua equipe que admiro e com quem trabalhei quando assumi o cargo. Politicamente, de Itamar Franco. Sem Itamar, não haveria Real, não haveria FHC, não haveria equipe, não haveria nada. As pessoas não valorizam adequadamente o papel do Itamar".

JB - Qual era a dificuldade a ser superada?

Itamar - Na mesma entrevista à Folha o Ricúpero relembrou que ao receber o cargo de FH em abril de 1994, conversou rapidamente com ele e com uma certa surpresa descobriu que ainda não havia uma estratégia para aprovar a medida provisória do Plano Real no Congresso e nem uma data para introdução da nova moeda", ao contrário do que diz o senhor Fernando, que fala que entregou tudo prontinho e bonitinho. Não foi assim.

JB - FH reclamou de resistência em várias áreas do seu governo ao Plano Real?

Itamar - Nunca houve isso, isso não é verdade. Ele enfrentava algo normal em qualquer governo. Ele não era presidente, então tinha que se sujeitar a ser interpelado.

JB - Mas o lançamento do plano foi um sucesso no final?

Itamar - O significado disso pra mim é que não sou eu que estou falando, é o Ricúpero. Mas eu não me arrependo, apesar de ter passado por bobo da corte. Nós queríamos ganhar a eleição, e se não fosse assim, não ganharíamos. Acabou-se cometendo até um desatino perante a Justiça Eleitoral pois mesmo depois de deixar o cargo de ministro da Fazenda, o Fernando Henrique era quem assinava as primeiras cédulas de Real. E o mais grave é que eu fingi que não vi.

JB - O senhor se arrepende disso?

Itamar - Eu me arrependo é de ter escolhido ele candidato. Tenho o maior respeito pela inteligência dele, mas ele errou. Ele já não era mais ministro (da Fazenda) e, mesmo assim assinou cédulas (de Real). Isso é a primeira vez que eu estou revelando. Isso é grave porque só poderia ter assinado a cédula o ministro Ricúpero (Rubens Ricúpero, que substitui FH de março a setembro de 1994, durante a implementação do Plano Real). O ministro Ricúpero foi o sacerdote do Plano Real. Mais até do que o FHC.