quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

O leitor do blog comenta (6)

Publico mais um comentário de autoria de um leitor habitual do blog sobre o assunto que postei abaixo:

"Acompanhei os últimos textos seus e agora concordo mais ainda com a idéia do plebiscito que tem pregado nos últimos dias. Ainda mais sabendo que esse pessoal que foi à Câmara (fiquei impressionado com isso!) não está disposto a informar nada, a dizer nada, simplesmente quer enfiar um pedágio goela abaixo. O "pedágio do Serra", como você diz, deve ser repudiado porque não faz sentido e não tem fundamento legal, sequer. Logo eu que moro em Osasco e vou sempre a São Paulo serei vítima preferencial desse embuste que é prometer resolver um problema criando outro. À luta, vereador!".

Armando Viana (SP)

Secretários na Câmara: muita atenção, pouca eficácia

Estiveram hoje na Câmara Municipal de São Paulo os secretários Francisco Vidal Luna (Secretaria Estadual de Economia e Planejamento) e Manuelito Pereira Magalhães Júnior (Secretaria Municipal de Planejamento). Vieram para fazer uma exposição sobre o projeto que cria as novas vias pedagiadas nas marginais - o "Pedágio do Serra".

Para viabilizar tal propósito, encontra-se tramitando na Câmara Municipal o projeto de lei 701/06, de autoria do Executivo, que autoriza a celebração de "Convênio de Cooperação entre a Prefeitura do Município de São Paulo e o Governo do Estado, delegando a titularidade do serviço de operação dos Sistemas Viários das Marginais Tietê e Pinheiros". O Governo do Estado, por sua vez, passa a ser o titular e, através de uma PPP (Parceria Público-Privada), construirá quatro novas pistas de cada lado das marginais - que serão pedagiadas.

Como o leitor pode ler no resumo da propositura, o projeto do governo municipal que está na Câmara é apenas autorizativo, ou seja, os vereadores - caso venham a votar o referido projeto - estarão dando um cheque em branco ao governador do Estado fazer o que ele bem entender. Veja algumas perguntas feitas pelos vereadores durante a exposição dos representantes do governo na Câmara Municipal de São Paulo:

Por que esta obra tem de ser feita pelo governo do Estado e não pela Prefeitura?

O secretário Francisco Luna disse que o município não tem dinheiro para realizar o contrato de contrapartida com a iniciativa privada.

Qual será o impacto ambiental da obra?

Vidal Luna respondeu que os estudos ainda estão sendo feitos e, portanto, não tinha como responder a esta indagação.

Quais os custos da obra?

A resposta do secretário foi que o projeto da obra ainda está sendo concluído e que não teria ainda um valor objetivo da obra.

Qual o valor do pedágio para tornar a parceria viável economicamente?

O secretario respondeu que ainda não tem estes estudos e que vai depender também do tipo da obra.

Também foi perguntado a ele: quantos carros usam marginais que tem como destino a cidade de São paulo e quantos atravessam as marginais com destino a outros centros econômicos?

O secretário Luna não tinha respostas, ou seja, não obtivemos nenhum dado sobre esta questão.

Rodoanel - Ele também foi questionado em quanto tempo o trecho Norte do Rodoanel estaria pronto, ja que sabemos que só com a conclusão dessa obra o problema da saturação das marginais será resolvido.

Respondeu o secretário que este trecho não fica pronto em menos de 12 anos.

Esta resposta faz com que presumamos que, no fundo, o que eles estão projetando é que as novas pistas das marginais e a conclusão das obras da av Jacu-Pêssego substituam o Rodoanel neste período.

Conclusão - Depois de tantas perguntas importantes sem respostas chego à conclusão definitiva: eles querem um cheque em branco para fazer o que bem entenderem. O pior é que já anunciam que quem vai pagar a conta é o cidadão paulistano.

Eu acho um absurdo a Câmara votar este projeto.

Diga não ao Pedágio do Serra!!!

O controle da informação no Brasil

O site Vi o Mundo, do jornalista Luiz Carlos Azenha, traz uma matéria ilustrativa do controle da informação que se exerce em determinados lugares do Brasil, a despeito de se falar exaustivamente em "liberdade de expressão" como se este fosse um valor respeitado por todos.

A matéria de Azenha fala de uma reportagem sobre prostituição que sua equipe foi fazer para o Globo Repórter, da TV Globo. E mostra a reação dos "donos do poder" ao conteúdo que foi exibido - curiosamente a "eletricidade sumiu" exatamente numa cidade alagoana onde se concentrava uma denúncia que envolvia as principais "autoridades" municipais em casos de prostituição infantil. Na cidade, ninguém viu a reportagem...

Clique aqui e leia a matéria do Vi o Mundo.

Cadê o 'planejamento' do Serra?

Uma frase do prefeito Gilberto Kassab hoje (28) no Jornal da Tarde é reveladora de uma fraude no discurso dos tucanos e pefelistas nas últimas eleições. Todos se lembram do velho bordão de Serra: "Isso se faz com planejamento". E o que disse o prefeito, herdeiro da fuga de Serra para o governo do Estado? “A Cidade nunca teve um planejamento adequado para a manutenção dessas estruturas”. Ele falava sobre o problema das pontes e viadutos de São Paulo que estão sem manutenção - matéria de capa de hoje do JT.

Para quem se elegeu falando em "planejamento" (Serra) e deixou um substituto que nega a existênia deste, a cidade realmente vai mal.

A propósito, teria o Serra levado o tal "planejamento" - que não aplicou na Prefeitura - para o governo estadual? De novo, pergunto: onde foi parar o "planejamento?". Não está aqui e nem no Palácio dos Bandeirantes...

A elite e os plebiscitos, na visão de um jurista

O eminente jurista Fábio Konder Comparato escreve hoje (28) na Folha de S. Paulo um artigo com um título provocador: Delegados do povo ou donos do poder? (na Folha ou UOL, para assinantes). É uma reflexão ácida sobre o comportamento das elites políticas e oligarquias quando o assunto é a "participação popular". Trata, naturalmente, da questão dos plebiscitos.

Venho defendendo aqui no blog e em falas na imprensa a convocação de um plebiscito para a população paulistana decidir sobre a idéia do governador José Serra (via prefeito Kassab) de criar pedágio nas marginais do Tietê e do Pinheiros. No caso da cidade, esse instrumento de participação popular está na nossa Lei Orgânica.

Já o jurista Fábio Konder fala do medo que as elites têm da opinião pública, não só aquela que se consagrou como sendo a da imprensa, mas a opinião dos eleitores, do povo através das consultas a este. No artigo da Folha, ele resume numa frase a postura dos tradicionais detentores do poder político e da informação no país: "Admite-se, quando muito, que o povo escolha periodicamente os seus tutores ou curadores. Mas a esmagadora maioria destes, como ninguém ignora, exerce o encargo no seu próprio interesse e benefício".

Outro ponto de destaque do texto de Comparato diz respeito aos projetos de lei e propostas de emenda constitucional que tratam da questão dos plebiscitos: ele fala sobre a interpretação que parte da mídia dá ao assunto, sem contar o modo como velhos oligarcas e seus representantes no parlamento tentam distorcer o debate "com o mal disfarçado objetivo de preservar uma inconfessável usurpação da soberania popular", no dizer de Comparato.

Aproveito para renovar minha provocação: quem tem medo da democracia direta?

A Prefeitura usada como escada

O governador José Serra, para se eleger prefeito de São Paulo, assinou um documento registrado em cartório se comprometendo a ficar os quatro anos na Prefeitura. Mentiu. Um ano e quatro meses depois, renunciou ao seu mandato, virou as costas para o povo paulistano e foi ser candidato a governador.

Serra, quando prefeito, já pensando no uso político da Prefeitura para sua candidatura futura, trouxe para São Paulo ex-prefeitos do interior, sem o mínimo de conhecimento dos nossos bairros, e os nomeou subprefeitos. Estes, em sua grande maioria, utilizaram a máquina das subprefeituras como alavanca para suas candidaturas a deputado. Alguns se elegeram.

O uso da Prefeitura como instrumento político tem sido a conduta dos atuais titulares do Executivo paulistano.

Para confirmar o que estou escrevendo leia a postagem abaixo.

Uso descarado da máquina

Do Jornal da Tarde de hoje

Cargo de secretário, agenda de deputado

Apesar de ter se licenciado do mandato para assumir pasta de Serviços em dezembro, Dimas Ramalho mantém compromissos de parlamentar

Mesmo após se licenciar, em meados de dezembro, da Câmara federal para assumir a Secretaria de Serviços da Capital, responsável pela coleta de lixo, Dimas Ramalho (PPS) continuou tendo compromissos de deputado em dias de semana, em hora de expediente. Isso ocorreu em ao menos cinco ocasiões, segundo o JT apurou com base em jornais da região de Araraquara, reduto eleitoral do parlamentar, e agendas oficiais. Dimas nega prejuízos à pasta.

Em fevereiro, foram três agendas: nos dias 8 e 9, quinta e sexta-feira, ocorreram em Araraquara (a 273km de São Paulo). A primeira foi evento com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. O ato começou às 10h, segundo a prefeitura. No dia seguinte, Dimas foi á assinatura de convênio da Santa Casa local. Dia 13, terça-feira, na Capital, se reuniu à tarde com o secretário estadual de Saúde, Luiz Barradas, para tratar de melhorias na Santa Casa.

Em janeiro, outras duas ocasiões. No dia 9, uma terça, reunião em São Paulo com o secretário estadual de Desenvolvimento Alberto Goldman, para tratar de investimentos em infra-estrutura de Araraquara, às 10h30. No dia 12 à tarde, em Araraquara, ele teve reunião com vereadores - a assessoria da Casa foi procurada, mas não informou o horário.

Nos últimos meses, a limpeza pública, administrada pela secretaria, teve aumento de reclamações. Em dezembro, foram 1.561, contra 582 do mesmo mês em 2005. Até 21 de janeiro, eram 1.081, contra 920 em 2006.

Dimas enviou comunicado, no qual afirmou que os compromissos em questão são “públicos e trataram de assuntos importantes”. “Os eventos mencionados sempre tiveram meu acompanhamento como deputado federal, antes de assumir a secretaria.” Ele ainda alegou ter informado o prefeito Gilberto Kassab (PFL), sobre a ida aos atos, e disse que “não houve prejuízos às atividades da secretaria”.

O secretário também nomeou no gabinete Raul Vicentini e Luiz Carlos Galatti, que, no site do PPS paulista, constam como presidentes municipais do partido em Batatais e Taquaritinga. Dimas alegou, porém, que os dois “trabalham e residem em São Paulo, possuem experiência no serviço público e preenchem os requisitos legais”.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Dois novos projetos de lei

Protocolei hoje (27) dois novos Projetos de Lei na Câmara Municipal. Tratam de dois assuntos distintos: um propõe a permissão de tráfego de motocicletas nas faixas exclusivas de ônibus e o outro torna obrigatória a pintura das tampas dos poços de visita com o objetivo de evitar acidentes nas ruas e avenidas da cidade. Veja abaixo um resumo dessas novas proposituras do meu mandato:

PL 0082/07 - "Institui o acesso dos motociclistas ao tráfego pelas faixas exclusivas de ônibus". A idéia é contribuir para diminuir o número de acidentes que envolvem motociclistas na capital, já que a medida proporcionará mais um espaço seguro ao tráfego dessa categoria que usa as motocicletas principalmente para ganhar a vida. Além disso, as chamadas "motos" - por serem veículos de pequenas dimensões - não interferem no aumento ou na diminuição do fluxo de veículos nas vias da cidade.

PL 0083/07 - "Torna obrigatória a pintura dos poços de visita com tinta nas cores amarela ou branca - antiderrapante e reflexiva". Esta iniciativa também visa a proteção dos condutores de motocicletas, as maiores vítimas do furto das tampas de poços de visitas das companhias de água, gás, telefonia e eletricidade. Por terem equilíbrio instável, as "motos" são ainda mais sensíveis a irregularidades no asfalto - isso sem falar na falta de manutenção dos principais corredores viários da nossa cidade. Dessa forma, o alerta se dará através da pintura das tampas dos poços de visitas e das bordas destes aos motociclistas e motoristas de um modo geral.

PS - Em breve protocolo um outro Projeto de Lei que considero importante para a cultura e educação na cidade. Aguarde!

Comissão de Constituição e Justiça: continuo presidente

Fui reconduzido à presidência da CCJ da Câmara Municipal de São Paulo.

A Comissão de Constituição e Justiça exerce o controle preventivo de constitucionalidade, ou seja, tem o papel de impedir que leis inconstitucionais contaminem o nosso Ordenamento Jurídico.

Todos os projetos de lei ou vetos - sejam eles do Executivo ou de vereadores - passam, obrigatoriamente, pela apreciação e aprovação dos menbros da CCJ. Em caso de votada a inconstitucionalidade ou ilegalidade de um projeto, este vai ao arquivo.

Agradeço a confiança de todos que me reconduziram à presidência.

Vereadores são afastados no Guarujá

O Tribunal de Justiça decidiu afastar oito vereadores acusados de receber dinheiro para votar projetos na Câmara Municipal de Guarujá.

Foram declarados impedidos: Gilson Salgados, Nilson Fontes, Marcos Evandro Ferreira, Mário Lúcio da Conceição, Joaci Cidade Alves, Honorato Tardeli Filho, Sirana Bosonkian e Helder Haraiva.

Foi negado o recurso do Ministério público que pedia o afastamento do prefeito da cidade. O chefe do executivo local é acusado de oferecer dinheiro aos vereadores em troca de apoio a projetos de seu interesse.

Pedágio do Serra: secretários vão à Câmara

Os secretários Francisco Vidal Luna (Secretaria Estadual de Economia e Planejamento) e Manuelito Pereira Magalhães Júnior (Secretaria Municipal de Planejamento) vão à Câmara Municipal de São Paulo fazer uma exposição sobre o modelo para as novas vias expressas das Marginais do Tietê e do Pinheiros.

Só para relembrar: o projeto de lei 701/06, de autoria do Executivo, autoriza a celebração de "Convênio de Cooperação entre a Prefeitura do Município de São Paulo e o Governo do Estado, delegando a titularidade do serviço de operação dos Sistemas Viários das Marginais Tietê e Pinheiros". O Governo do Estado, por sua vez, passa a ser o titular e, através de uma PPP (Parceria Público-Privada), construirá quatro novas pistas de cada lado das marginais - que serão pedagiadas.

Na Câmara, este projeto recebeu o apelido de Pedágio do Serra.

O presidente da Câmara Municipal de São Paulo está convidando os 55 vereadores para participarem da exposição.

A reunião será às 11h de quarta-feira, dia 28 (amanhã).

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Disputa tucana agora atinge a TV Cultura

Disposto a liquidar com a 'herança maldita' do ex-governador Geraldo Alckmin, o também tucano José Serra incentiva grupos do seu círculo a disputar o comando da TV Cultura, segundo revelou o colunista Ricardo Feltrin, do UOL News na coluna Ooops! desta segunda-feira (26). A idéia, não abraçada publicamente por Serra, é lançar um candidato para concorrer com Marcos Mendonça, atual diretor-presidente da Fundação Padre Anchieta, que controla a Cultura. Mendonça é ligado a Alckmin.

A matéria de Feltrin mostra um forte viés político-partidário no movimento que visa derrotar o atual presidente da fundação. Basta ver o título: Tucanato se mobiliza para mudar direção da TV Cultura (assinante do UOL clica aqui e lê o texto ou tem acesso ao comentário do colunista).

POSSÍVEL NOME DE SERRA - Já no Portal da Imprensa é sugerido um nome diretamente ligado ao governador Serra - o do atual secretário de Relações Institucionais do Estado de São Paulo, José Henrique Reis Lobo. Ele é membro efetivo do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta e já presidiu o Memorial da América Latina. Por 'coincidência', Lobo coordenou a campanha de Serra ao governo do Estado.

PS - Desde que Serra tomou posse crescem as especulações e ações que sugerem o desejo do governador de controlar pessoalmente todos os setores do Estado. É típico do seu estilo a 'concentração de poder', o que venho chamando aqui de 'a face autoritária do Serra'.

Prêmio Milton Santos: inscrições abertas

A Câmara Muncipal de São Paulo já está recebendo inscrições para o Prêmio Milton Santos, cujo objetivo é homenagear um dos mais importantes geógrafos brasileiros e propor ações relativas à inserção dos cidadãos no seu espaço por excelência - o município. As incrições vão até o dia 27 de abril próximo.

O regulamento do referido prêmio diz: "O Prêmio Milton Santos foi instituído pela Câmara Municipal de São Paulo através da Resolução 06/2002 e destina-se a reconhecer publicamente projetos ou iniciativas que promovam formas locais de organização e desenvolvimento social no município de São Paulo".

Cliqu aqui e acesse o regulamento do prêmio, disponível no site da Câmara Municipal de São Paulo.

Por que não um plebiscito para decidir sobre o pedágio nas marginais?

A nossa Lei Orgânica, sabiamente, estabeleceu que em obras de grande impacto para cidade poderá haver consulta ao povo (plebiscito) para sua realização. Veja o que diz, literalmente, o seu artigo 10:

Art. 10 - O Legislativo e o Executivo tomarão a iniciativa de propor a convocação de plebiscitos antes de proceder à discussão e aprovação de obras de valor elevado ou que tenham significativo impacto ambiental, segundo estabelecido em lei.

O referido artigo descreve exatamente como será a obra das Marginais: é uma obra de elevado valor - falam em R$ 3 bilhões. É uma obra de grande impacto ambiental: tornará o solo ainda mais impermeável, acabará com o pouco verde que existe às margens dos rios Tietê e Pinheiros, dificultando a despoluição de sua águas

Por essas razões, defendo com base no artigo 10 da nossa Lei Orgânica que seja convocado um plebiscito para decidir sobre esta obra. O povo saberá escolher o que for melhor para cidade.

Quem tem medo da democracia direta?

Abandono proposital

Matéria desta segunda-feira (26) do Jornal da Tarde mostra mais um exemplo do abandono proposital das principais marcas da administração Marta Suplicy na capital. Desta vez são os corredores de ônibus - os famosos "passa-rápido". Veja dois trechos da reportagem:

"Três anos depois da sua inauguração, os corredores de ônibus exclusivos da Cidade, criados para dar mais velocidade aos veículos e conforto aos passageiros, sofrem com o abandono. Antigamente chamados de 'Passa-Rápido', as nove vias exclusivas dão mostras de degradação nos 113,5 km de faixas 'só ônibus' existentes em todas as regiões".

"Os pontos estão escuros à noite, trazendo riscos para a segurança dos passageiros. As faixas de sinalização estão apagadas, inclusive as de pedestres. O asfalto com buracos e ondulado causa solavancos e trepidações nos veículos em vários corredores - quem está em pé pode cair dentro do ônibus. E, no Centro, até moradores de rua dormem nos pontos mal iluminados".

Clique aqui e leia a matéria completa no JT.

Eu pergunto: como a cidade estará ao final desta administração, mantido o atual ritmo de abandono? Opine!

Aumenta o número de chacinas em São Paulo

Nos dois primeiros meses de 2007 o número de chacinas aumentou assustadoramente na Grande São Paulo. Neste final de semana ocorreram duas: uma no Itaim Paulista e outra na cidade de Mauá.

Foram 21 mortes nestes dois primeiros meses, em sua grande maioria jovens com menos de 18 anos de idade.

Os números assustam (2)

da Folha Online:

"Cerca de 90% dos adolescentes brasileiros que permanecem internados por terem cometido algum tipo de crime não completaram a oitava série e, conseqüentemente, não chegaram ao ensino médio. A informação está em uma pesquisa da Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SEDH) realizada com dados referentes a 2002.

Os dados mostram ainda que, de um total de 9.555 jovens pesquisados, 51% não freqüentavam a escola. O levantamento mostra que, além de terem baixa escolaridade, 90% dos adolescentes internos eram sexo masculino, 76% tinham idade entre 16 e 18 anos, mais de 60% eram negros, 80% viviam com renda familiar de até dois salários mínimos e 86% eram usuários de drogas.

Segundo a secretaria, o número de adolescentes infratores que cumprem medida privativa de liberdade em todo o país cresceu 363% nos últimos dez anos. No ano passado, havia 15.426 jovens em unidades de internação, enquanto em 1996 eram 4.245."

Os números publicados pela Folha são fortes argumentos contra aqueles que acham que reduzir a maioridade penal é uma medida importante para combater a violência. Os adolescentes não precisam de cadeia e sim de educação.

Custa menos para o Estado uma criança na escola do que manter um adolescente no Casa (ex-Febem).

Os usuários vão pagar a conta

Começa hoje (26) a cobrança de Zona Azul para os usuários do Parque do Ibirapuera. É assim neste governo: dão sempre um jeitinho das contas serem pagas pelos cidadãos paulistanos.

A lei determina que o dinheiro arrecadado com multas e cobranças de Zona Azul seja investido na melhoria do trânsito. A cidade vive um caos nesta área. O que eles fizeram com mais de R$ 500 milhões arrecadados no ano de 2006?

A próxima para os paulistanos pagarem vai ser o Pedágio do Serra nas marginais. Fiquem atentos!

domingo, 25 de fevereiro de 2007

O bicho

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem.

MANUEL BANDEIRA

Senado contra OAB

Do InformeJB:

"A proposta de reforma política elaborada pela Ordem do Advogados do Brasil com o apoio do ministro Tarso Genro, na qualidade de secretário do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, pode nem ser recebida no Congresso. O ex-presidente da República José Sarney está comandando um movimento contra o texto. A maior irritação dos políticos é com a idéia de se aumentar o número de plebiscitos e, principalmente, diminuir o tempo de mandato dos senadores, de oito para quatro anos. A OAB diz que não volta atrás".

Estou plenamente de acordo com a proposta da OAB. Aliás, é o que defedemos na tese "Um novo rumo para o PT" e vamos trabalhar para vê-la vitoriosa no 3º Congresso do Partido dos Trabalhadores.

O 3º Congresso do PT

Ontem (24) fui à Baixada Santista para discutir com a militância do PT a tese Novo Rumo, que assino juntamente com outros parlamentares e dirigentes do PT. O encontro reuniu 110 filiados. Estavam lá a deputada Maria Lúcia Prandi e também vereadores e militantes das seguintes cidades: Santos, Bertioga, São Vicente, Peruíbe, Itanhaém, Guarujá e Cubatão.

Anotei algumas frases que ouvi e decidi publicá-las aqui no blog. Veja:

- O PT precisa valorizar mais o contraditório, sem ele não haverá elaboração política coletiva (Riesco, sindicalista e militante do PT de São Vicente);

- Os mandatos parlamentares não podem servir apenas a seus apoiadores, devem estar a serviço da construção partidária e da sociedade (Salvador Pires, sindicalista, ex-presidente da Frente Nacional do Trabalho e militante do PT de Peruíbe)

- Concordo que o PT precisa radicalizar na defesa da democracia direta, facilitando a convocação de plebiscito, porém não vejo a Suíça como paradigma (Salvador Pires);

- Não à 'refundação' do PT. Refundar é negar a nossa própria história (todos que falaram no evento);

- O PT não disputou o primeiro governo Lula (Marcos, do PT de Santos);

- O PT está envelhecendo, precisamos de uma política para a juventude (Emerson, do PT de São Vicente);

- Radicalizar a democratização dos meios de comunicação (Jeam da JOC, Juventude Operária Católica);

- PT é a militância, nada de poucos darem as ordens (Sr. Romildo, 68 Anos);

- Por denunciar os privilégios na Câmara de Cubatão estou sendo perseguida e tendo de responder a quatro ações judiciais. Não tive apoio nenhum da direção estadual (Márcia Rosa, vereadora de Cubatão);

- Precisamos repensar o PT e seu projeto estratégico (Marcos, da cidade de Santos)

-Reclamação geral: a direção do partido está cada vez mais distante da base.

PS - Ouvindo, aprendemos muito. Taí o remédio para alguns descerem do salto!

sábado, 24 de fevereiro de 2007

Só pensa naquilo!

Da coluna Holofote, na Veja desta semana:

"O tucano Geraldo Alckmin vinha garantindo que não disputaria a Prefeitura de São Paulo em 2010 (sic). Agora, mudou o discurso. Alckmin e seu grupo estão certos de que, sem a prefeitura paulistana, perderão influência até no PSDB. Recolhido nos Estados Unidos, Alckmin pavimenta seu projeto com discrição. Já conquistou o apoio de Fernando Henrique Cardoso, que passou a defender sua candidatura. As conversas de Alckmin ganharão voltagem em março, quando ele virá ao Brasil."

Pelo visto, muitas águas vão rolar até que PSDB/PFL decidam quem será seu candidato. Mesmo porque Kassab deseja o posto e existem outros pretendentes dentro do próprio PSDB.

O Serra não esqueceu a maldade que o Alckmin fez com ele. Como no PSDB são poucos que mandam e o governador está internamente muito fortalecido, dificilmente será candidato alguém que não seja afinado com ele.

Fiquem atentos!!!

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara municipal de São Paulo vai convocar audiência pública para debater o projeto de lei do Kassab que transfere a administração das marginais do Tietê e do Pinheiros para o Estado.

A verdadeira intenção do projeto é fazer uma Parceria Público-Privada (PPP), construir quatro novas pistas de cada lado das marginais e, através de um contrato de concessão, entregar sua administração para a iniciativa privada. Como contrapartida, a empresa operadora teria direito de cobrar pedágio nas novas pistas construídas.

O argumento utilizado pelo Serra, que é o verdadeiro autor da proposta, é que as marginais encontram-se saturadas, ou seja, não comportam mais a quantidade de veículos que trafegam pelo viário.

Eu não discordo do argumento. Porém, a solução definitiva virá com a construção do Rodoanel - que possibilitará a retirarada do tráfego pesado (caminhões) das marginais. Qualquer outra medida é paliativa, não resolverá problema em definitivo. Sendo assim,por que cobrar dos contribuintes (pedágio) por algo que não vai ser a solução?

Sem falar do impacto ambiental da medida, da impermeabilização do solo e do impacto urbanístico, a depender do tipo da obra. Falam até em construir um elevado no curso das marginais.

Participem das audiências públicas que serão convocadas pela Câmara Municipal. Dê sua contribuição. Só com a participação de todos, debatendo temas relevantes para nossa cidade, é que vamos construir uma cidade melhor.

Por que não um plebiscito para povo o decidir sobre esta matéria? A nossa Lei Orgânica prevê a realização de consulta popular (plebiscito) em caso de obras impactantes e de importância para toda a cidade.

Depois de 12 anos de governo tucano...

O Jornal da Tarde de hoje (23) publica uma matéria que permite um balanço real do que foi a política educacional do PSDB no Estado de São Paulo nos últimos 12 anos. Veja:

“Aos 17 anos, a estudante Renata Santos Emídio da Silva tomou uma atitude incomum em outubro do ano passado: apesar de freqüentar a escola e ter boas notas, decidiu que queria ser reprovada na 3ª série do colégio. Com isso, entrou para a estatística dos 262.960 alunos reprovados em 2006. Ao todo, 1,6 milhão de jovens cursam o ensino médio na rede estadual.

O grande número de alunos reprovados tem assustado a Secretaria de Estado da Educação. E o pior é que o índice está crescendo. Em 1998, a taxa era de 3,6%. Agora está em 17,8%. Para reverter esse quadro, a secretaria está preparando mudanças na grade curricular para 2008.

'Decidi que queria ser reprovada porque simplesmente não tinha aula. Os professores faltavam muito e, em outubro, percebi que não sabia nada de novo em relação ao ano anterior. Prefiro ter esperanças de que neste ano eu vá aprender', justifica Renata, que mora e estuda no Jardim Lapena, bairro pobre da Zona Leste.

A taxa de reprovação é alarmante, segundo a secretária estadual da Educação, Maria Lúcia Vasconcelos. Segundo ela, a reprovação é mais grave que o abandono - que vem caindo -, já que 51% dos reprovados perderam o ano por faltas. Eles ultrapassaram as 50 faltas ao ano permitidas pela Lei de Diretrizes e Base. Aos 17 anos, a estudante Renata Santos Emídio da Silva tomou uma atitude incomum em outubro do ano passado: apesar de freqüentar a escola e ter boas notas, decidiu que queria ser reprovada na 3ª série do colégio. Com isso, entrou para a estatística dos 262.960 alunos reprovados em 2006. Ao todo, 1,6 milhão de jovens cursam o ensino médio na rede estadual”.

NÚMEROS
1,6 milhão
são os alunos no Ensino Médio
127 mil
foram reprovados em 2006 na 1ª série do Ensino Médio
81,4 mil
foram retidos na 2ª série
54,5 mil
são os reprovados no último ano

Não precisa dizer mais nada, os números falam por si.

Cancelamentos de títulos

Os eleitores que deixaram de votar nas últimas eleições terão seus títulos cancelados. O TSE estabeleceu um prazo de 60 dias a contar da próxima segunda-feira (26), para os faltosos regularizarem a situação.

Os nomes dos faltosos serão postados no site do TSE.

1.896.000 eleitores poderão ter os seus títulos cancelados.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

Carta Maior: o IPT e o 'choque de gestão' tucano

Indico a leitura de uma reportagem que está no site da Agência Carta Maior sobre a situação do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) sob a gestão dos tucanos. O título não deixa dúvidas quanto aos riscos que a instituição pública corre desde que o PSDB assumiu o governo: IPT, um centro de excelência vitimado pelo “choque de gestão”.

O texto fala sobre a "adaptação do IPT" aos ditames do mercado a partir do governo Mário Covas, problema este que tem se acentuado nos últimos anos. Representantes dos funcionários do órgão temem pela 'independência política' deste. O IPT - atualmente ligado à secretaria controlada pelo vice-governador Alberto Goldman - é responsável pela elaboração do laudo que indicará as causas do acidente na linha 4 (Amarela) do Metrô paulista, ocorrida em janeiro passado.

Clique aqui e leia a matéria completa.

Dica de filme para o final de semana

A nossa colaboradora Celina Sales volta com a dica semanal de cinema para os leitores do blog. Toda sexta-feira tem uma ou mais indicações.

DICA DE CINEMA

Por Celina Sales

FILHOS DO PARAÍSO - (Bacheha-Ye aseman, Irã, 1997)

Elenco: Mohammad Amir Naji, Amir Farrokh Hashemian, Bahare Seddiqi, Nafise Jafar-Mohammadi, Fereshte Sarabandi, Kamal Mirkarimi, Behzad Rafi, Dariush Mokhtari, mais...

Sinopse - Ali, menino de 9 anos e filho de pais humildes, perde o único par de sapatos da irmã. Os dois começam a revezar a utilização do par restante, enquanto Ali treina para conseguir uma boa colocação em corrida, o prêmio da qual será um novo par de sapatos (E-PIPOCA).

Meu comentário: Esse filme é uma verdadeira poesia, sensível, comovente... na verdade o prêmio perseguido por Ali é o do segundo lugar – um par de sapatos novos – e ele nem cogita ficar em primeiro!!!

Não tenha preconceito por ser um filme iraniano, ele é uma lição de vida que nos faz refletir!!!

Bom fim de semana!!!

Desviando o foco

É público e notório o desgaste da administração PSDB/PFL na cidade de São Paulo. Prometeram demais para ganhar as eleições, passaram-se mais de 2 anos de governo e a gestão Kassab continua patinando, sem mostrar a que veio.

SAÚDE - A saúde pública continua um caos. Prometeram melhorá-la em seis meses, já se passaram dois anos e o que vemos é só noticia negativa - até fechamento de hospital por falta de médicos já houve.

TRANSPORTES - O transporte está piorando a cada dia: diminuíram o tempo do bilhete único e o número de ônibus nas ruas, e o chamado sistema local (vans) está ameaçando parar por falta de remuneração.

EDUCAÇÃO - Na educação continua o "turno da fome", os CEUs estão sem atividades culturais e desportivas. Até mesmo os instrumentos utilizados nas oficinas, máquinas fotográficas e computadores desapareceram, fecharam telecentros e estão praticamente acabando com o Vai e Volta. Tudo isso sem contar as péssimas condições de trabalho e remuneração dos profissionais da educação.

SUBPREFEITURAS - As subprefeituras estão sendo esvaziadas: reduziram os seus orçamentos - só para se ter uma idéia, as subprefeituras de Capela do Socorro e Itaim Paulista tinham um orçamento no último ano de governo Marta de, respectivamente, R$ 150 e 120 milhões; o atual orçamento será, respectivamente, de R$ 26 e 23 milhões, sem contar o profundo esvaziamento de todas, retirando poderes, enfraquecendo as coordenadorias. Estamos vivendo um processo inverso de profunda concentração de poder e quase nenhuma forma de participação popular foi fortalecida ou implementada.

SERVIÇOS BÁSICOS - Até mesma a manutenção mínima dos serviços não está acontecendo a contento: praças estão tomadas pelo mato, os ratos proliferaram em quantidade assustadora por toda a cidade, os bueiros estão entupidos e os córregos completamente assoreados contribuindo para aumentar as enchentes na cidade; o serviço de varrição de ruas diminuiu e o viário público, principalmente na periferia, está esburacado, sem a devida manutenção.

O DESVIO DE FOCO - Diante de tanta inoperância não podia ser diferente: prefeito perde o controle e chama um homem trabalhador de “vagabundo”, é vaiado em todas manifestações públicas (a ultima foi no Sambódromo), e agora - para desviar o foco da crítica ao seu governo e o desgaste com a tragédia da linha 4 do Metrô - inventou, dois anos depois, de “cancelar” o contrato do túnel sob a avenida Rebouças.

Por que só agora?

A informação em 'tucanês' é assim

"O presidente do Metrô quis pedir demissão, alegou razões pessoais. Ele continua contando com a nossa admiração, é um técnico de muita competência, e a vida continua." (Hubert Alquéres, Secretário de Comunicação do governo José Serra, falando em tucanês ao jornal Folha de S. Paulo).

A história real: o presidente do Metrô, Luiz Carlos David, foi demitido por telefone depois de uma discussão com o secretário dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella. David foi o "bode expiatório", segundo interpretou o jornalista Paulo Henrique Amorim, do site Conversa Afiada.

PS - A propósito, depois de não encontrar condições políticas de nomear a ex-secretária Rose Neubauer para a Secretaria da Educação, Serra 'ressuscitou' o ex-secretário-adjunto de Rose, exatamente o senhor Hubert Alquéres. Ambos foram os líderes do processo de desestruturação no ensino público paulista nas eras Covas/Alckmin...

Novo rumo

Os signatários da tese Um Novo Rumo Para o PT se reunirão no próximo dia 3 de março para aprovar a versão final da tese que será inscrita como contribuição ao debate interno com vistas ao III Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores.

A reunião será às 10h na Apeoesp (Sindicato dos Professores), na Praça da República, Centro de São Paulo.

Clique aqui e leia ou baixe o texto da tese.

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Tucanos pensando no país...

Está no portal UOL uma notícia da agência Reuters sobre o comportamento tucano quando estão em jogo os interesses do país. Advinha como eles reagiram:

Chinaglia define relatorias do PAC, e PSDB recusa-se a participar

"BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP,) designou nesta quinta-feira os relatores das medidas provisórias que compõem o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), mas não conseguiu incluir deputados do PSDB entre eles, como desejava.

O líder do PSDB na Câmara, Antonio Carlos Pannunzio (SP), recusou todas as três relatorias oferecidas ao partido. O deputado Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB-ES) também recusou a presidência da comissão especial que examinará a Lei do Gás, aprovada no Senado e relacionada ao PAC".

Precisa dizer mais acerca do "espírito público" tucano?

SP terá mais moradores de rua

Do site No Mínimo:

Triste São Paulo, ó quão dessemelhante!

Por Xico Sá*

"Tenho me esforçado, mas anda realmente difícil postar boas notícias ou comentários mais amenos sobre a gestão da cidade de SP, a parte que me cabe neste latifúndio virtual. Depois da vergonhosa e imoral decisão da Justiça de mandar para a rua cerca de 2.000 moradores do edifício Prestes Maia, o que vai ocorrer por causa da omissão da Cohab, agora a prefeitura resolveu cortar a bolsa-aluguel das 510 famílias do edifício São Vito, também no centrão de SP.

Os habitantes do São Vito foram retirados do cortição gigante do parque dom Pedro para que o edifício fosse revitalizado pela prefeitura. Isso aconteceu em 2004. Em acordo com o poder municipal ficou decidido que as famílias receberiam a bolsa-aluguel (R$ 300) para bancarem novos imóveis. O tempo passou, Kassab assumiu e o destino dessas pessoas vai ser mesmo a calçada, a praça, o viaduto, a casa de papelão e os cobertores Parayba…

A não ser que a Defensoria Pública do Estado de São Paulo, que já entrou na Justiça contra a prefeitura, consiga o milagre e vete a medida. Pelo que se vê nas decisões dos juízes paulistas, sempre a favor da grana que ergue e destrói coisas belas, teremos mais sem-teto nas ruas da cidade.

Como dizia Gregório de Mattos sobre a velha Bahia, triste São Paulo, ó quão dessemelhante!".

*Jornalista e colunista do No Mínimo e do blog Blonicas.

Leão do Santa Bárbara leva o título em SP


O Bloco Carnavalesco Unidos de Santa Bárbara, do Itaim Paulista, foi o campeão do Grupo Especial 2007 com o enredo que homenageou o jornalista e apresentador de TV Leão Lobo (veja abaixo a letra do samba-enredo). O desfile aconteceu no dia 20 passado no Anhembi, em São Paulo. A foto acima foi reproduzida do portal Itaim Paulista.

A agremiação levou 1.200 componentes ao Sambódromo com o samba-enredo Dignidade Já: Leão Lobo um arco-íris de talento e alegria, composição de Edson Pires, Jorginho Soares, Bezerra, Caxambu e Toninho Oliveira. A interpretação ficou a cargo de Jorginho Soares, MB, Geovan Garcia e Rogério Papa.

Estou ainda mais orgulhoso com a vitória do Unidos de Santa Bárbara, agremiação que apóio historicamente por reconhecer como um trabalho que vai além das fronteiras do samba e da paixão pelo Carnaval. O grupo, nas pessoas dos companheiros Nel e Cássia, trabalha diretamente na comunidade do Itaim Paulista com ações de cidadania, inclusão social e resgate da cultura local - sem nunca perder de vista o seu papel enquanto bloco carnavalesco que se firma cada vez mais no Carnaval de São Paulo.

SAMBA-ENREDO

Vem minha Santa abençoar!!!
Este artista genial
Um arco-íris de talento e alegria
Faz colorir o nosso carnaval

Chegou com coragem e humildade
Na simplicidade mostra seu valor!!!
Vem amor!!! Ver como tudo começou...
No jardim dos amores pelo teatro se apaixonou

Luz da inspiração em seu coração
O radialista, jornalista vibra de emoção
Comemora a tiragem, sucesso na redação
Do JT um pulo pra televisão

Leão guerreiro rugiu...
Lobo festeiro surgiu...
Para um novo despertar!!!
Disse não ao preconceito
E sim à dignidade já!!!

Alô, mulheres!!! Note e Anote
Dá um break que a pulguinha vai contar
Arroz com feijão e fofoca
De olho nas estrelas o show vai começar!!!

Clique aqui e ouça o samba-enredo campeão do Unidos de Santa Bárbara.

O dia de hoje na Câmara Municipal de São Paulo

Teremos sessão ordinária hoje (22) na Câmara. O mais provável é acontecer somente o Pequeno e o Grande expedientes. Votação, só a partir de terça-feira próxima.

A eleição dos presidentes das comissões permanentes que se realizaria na última quinta, véspera do Carnaval, por acordo de lideranças ficou para a próxima terça- feira. O acordo permanece o mesmo já divulgado aqui no blog.

PS - A Comissão de Administração Pública vai ser presidida pelo vereador Aurélio Nomura (PV).

Aparelhando a Nossa Caixa

Tucano adora abrir o bico para contar histórias e despejar números sobre a atuação alheia, esquecendo-se das próprias penas. O Painel da Folha de S. Paulo desta quinta (22) traz, discretamente, uma nota reveladora de uma pontinha do iceberg do aparelhamento de empresas e órgãos ligados ao governo do Estado por figuras do rol do eterno candidato José Serra. Todos tucanos, claro:

Nosso conselho

Os economistas Roberto Macedo, Francisco Luna, Gesner Oliveira e Carlos Américo Pacheco e o contabilista Iran Siqueira Lima formarão o Conselho de Administração da Nossa Caixa, presidido pelo secretário Mauro Ricardo (Fazenda).

PS - Diz uma lenda contada em tucanês que políticos e/ou técnicos emplumados "não ocupam cargos no Estado", mas "sentam-se à mesa de empresas do Estado para administrar".

Todos eles serão muito bem remunerados.

PT mostra como Serra chegou ao 'superávit'

Não precisa ser mágico, como comentou um leitor do blog, para se chegar aos números que o governador tucano José Serra tem apresentado como "equilibrados" nas contas estaduais. A bancada do PT desfaz esse 'mito' do Super Serra II através de artigo do seu líder na Assembléia Legislativa, Ênio Tatto, publicado hoje (22) na Folha de S. Paulo na seção Tendências/Debates (assinante da Folha/UOL lê clicando aqui).

Tatto não deixa dúvidas quanto ao caráter autoritário da gestão Serra, que tenta passar à sociedade a idéia de que o Orçamento 2007 ainda não foi votado por "culpa dos deputados": "Esta gestão (Serra) que se inicia, vale a pena lembrar, é, na prática, seqüência da anterior (Alckmin).
É o mesmo partido (PSDB), com a mesma composição de base de apoio na Assembléia Legislativa e que tem ampla maioria de deputados aliados ao governador. Logo, se não votou o Orçamento para 2007 foi porque o governo não quis. Mesmo antes de se eleger, em 1º de outubro passado, o então candidato José Serra já operava no sentido de segurar a votação tanto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) quanto do Orçamento
.

Noutro trecho do artigo, o líder do PT começa a enumerar os cortes feitos por Serra para a aparecer em reportagens com a suposta "casa em ordem": "Uma simples verificação do que foi utilizado do recurso financeiro disponibilizado para janeiro revela que, em áreas vitais do Estado, não foi aplicado um mísero centavo. Serra contingenciou (congelou) tudo. Para a Secretaria de Ciência e Tecnologia, por exemplo, ficaram disponíveis R$ 26,2 milhões, e o governador utilizou apenas R$ 68 mil. Já para a Secretaria de Administração Penitenciária o recurso financeiro era de R$ 17,3 milhões, e o investimento foi zero".

Mas os cortes não pararam por aí, com destaque para a área de propaganda predileta de Serra, a da Saúde, revela Tatto: "Em quase todas as secretarias estaduais há redução de investimentos na comparação entre 2006 e 2007. Na Saúde, o corte foi de 37,2% (de R$ 685 milhões para R$ 430 milhões). Para a pasta da Habitação, menos 28% (de R$ 823,7 milhões para R$ 586,8 milhões). Para Transportes Metropolitanos a queda é de 61% (de R$ 394,2 milhões para R$ 151 milhões). O pior é na Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer, cuja redução é de 86% (de R$ 14,4 milhões para modestos R$ 2 milhões)".

A educação, pelo histórico serrista de cortar investimentos nesse setor desde sua passagem pela Prefeitura, também teve seus recursos diminuídos, com o claro propósito de "aguardar o calendário eleitoral". No artigo, o petista mostra isso claramente: "Aliás, em se tratando de educação, beirou a casa dos 70% o corte de investimento previsto para informatização do ensino médio, que, em 2006, contou com R$ 24,9 milhões -neste ano terá que se contentar com modestos R$ 9 milhões".

Por fim, o deputado Ênio Tatto mostra em qual secretaria Serra mandou aumentar os 'investimentos': a Secretaria de Comunicação Social, que salta de R$ 38,2 milhões, em 2006, para R$ 48,2 milhões, em 2007; o que significa 26% a mais.

Traduzindo: a "eficiência tucana" não passa de propaganda, alías uma área onde eles sempre investem bastante, preferencialmente premiando agências de publicidade que realizam as campanhas eleitorais do partido. Esse é o Serra!

O presidente do Metrô caiu

Pouco mais de um mês após o acidente na estação Pinheiros na linha 4 (Amarela), o presidente do Metrô Luiz Carlos David foi demitido ontem (21) - por telefone. Inventaram uma saída honrosa para o ex-presidente, combinando o conteúdo de uma carta na qual ele alega "motivos particulares" para sua demissão. Combinaram até para ele dizer que seu pedido era irreversível, pois assim o governador teria mais facilidade de explicar sua saída.

Realmente, depois do acidente na linha 4 o senhor David terá motivos particulares de sobra para tratar: responder às ações judiciais que serão movidas contra ele para apurar a sua provável culpa na tragédia da futura estação Pinheiros.

PS - A diretoria do Metrô havia decidido contratar bons advogados, sem licitação, para as ações judiciais que apuram responsabilidades de seus integrantes no acidente da linha Amarela. E agora? Quem será que vai defender o ex-presidente? Quem vai pagar seus advogados?

O bloco da privatização sob o comando de Serra

O jornalista Paulo Henrique Amorim publicou uma entrevista de leitura obrigatória no site Conversa Afiada. Trata do projeto tucano, sob a batuta do maestro José Serra, de privatizar a educação de nível superior em São Paulo. A afirmação-título da entrevista - SERRA QUER PRIVATIZAR A EDUCAÇÃO - é do presidente da Associação de Docentes da USP (Adusp), César Augusto Minto.

Clique aqui e leia a entrevista. Vale a pena.

PS - Está cada vez mais fácil identificar o que chamo aqui de "a face autoritária de Serra".

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

As palavras são novas

As palavras são novas: nascem quando
No ar as projectamos em cristais
de macias ou duras ressonâncias

Somos iguais aos deuses, inventando
Na solidão do mundo estes sinais
Como pontes que arcam as distâncias.

JOSÉ SARAMAGO

Duas máquinas eleitorais em 2008 e 2010

Os dados da execução orçamentária trazidos hoje por alguns jornais mostram que a máquina eleitoral em São Paulo fez praticamente dobrar o gasto do governo paulista entre 2002 e 2006. O período correspondeu à reeleição de Alckmin (2002), passou pela eleição de Serra à Prefeitura (2004) e coincidiu com a manutenção dos tucanos no Palácio dos Bandeirantes (2006).

Como Serra agora só trabalha para si pensando em 2010, eis que surge uma tarefa eleitoral mais próxima: manter o prefeito Gilberto Kassab (PFL) como representante tucano na cidade de São Paulo entre 2008 e 2012. Assim, nada mais 'compreensível', como se diria em tucanês, do que "unir as duas administrações para o bem comum" (eufemismo tucano para "uso do dinheiro público para fins eleitoreiros").

A cidade de São Paulo e o Estado correm o risco de assistir, simultaneamente, ao uso escancarado de duas máquinas públicas em benefício de uma candidatura - no caso a do prefeito. Que, se eleito, em 2010 daria "todo o apoio ao chefe".

Ambos terão que combinar antes com os eleitores-cidadãos de São Paulo, pois Alckmin fez tudo isso em 2006 e a força do povo o impediu de governar o país que, sorte nossa, escapou de "ir pro buraco".

Superávit que é déficit...

O "Super José Serra" já apareceu, agora no Estado, e anuncia um "superávit nas contas do governo estadual da ordem de R$ 2 bilhões". Todo mundo sabia que São Paulo saiu das mãos de Geraldo Alckmin quebrado, correndo o risco do substituto deste, Cláudio Lembo, ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Agora, não: Serra anuncia até que fará um Plano de Investimentos. Essa espécie de PAC estadual certamente não deve receber críticas de parte da imprensa, ao contrário do governo Lula.

A 'novidade' de Serra está nas páginas dos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde de hoje (21): Serra quer mais investimento, de olho em 2010. Na reportagem do JT, no entanto, nota-se como o que é "superávit" vira "déficit" de um parágrafo para o outro. Acompanhe a mudança:

SUPERÁVIT - "São Paulo reduziu sua dívida para menos de duas vezes a receita corrente líquida e é uma das poucas unidades da Federação com disponibilidade de caixa superior às obrigações financeiras - segundo o balanço fiscal, 2006 fechou com superávit de R$ 2 bilhões. Só em operações de crédito, o Estado poderá captar mais R$ 6 bilhões em organismos de financiamento.

DÉFICIT - A situação confortável, segundo o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, é relativa, já que existem outros passivos financeiros não considerados no indicador de superávit. São obrigações financeiras que precisam ser honradas e que devem fazer com que o Estado feche o balanço financeiro com um déficit de R$ 1,4 bilhão...".

O suposto "equilíbrio" nas contas estaduais foi fácil de ser conseguido, nos moldes serristas: cortar programas sociais, congelar o dinheiro das universidades, deixar de pagar precatórios, paralisar obras, cancelar contratos, adiar pagamentos - enfim fazer de tudo para que os "relatórios" apontassem o tal "controle financeiro". O mesmo filme que Serra ensaiou quando assumiu a Prefeitura.

Lá no finalzinho, a matéria aponta quem torceu o bico para essa história de superávit que pode ser déficit: a turma do Geraldo Alckmin, que passará à história como "gestão sob suspeita".

Economizando no marketing

O ainda PFL e futuro PD do prefeito Kassab e outras más companhias fará um 'reaproveitamento' dos restos mortais do marketing tucano da campanha presidencial de Geraldo Alckmin. O slogan que o PD usará será O cidadão em primeiro lugar. A mesmice tucana de Alckmin no governo do Estado e na campanha de 2006, quando se repetia exaustivamente um tal Gente em primeiro lugar.

Como nem uma coisa nem outra correspondeu ou corresponde à realidade, tanto faz se isso veio de um tucano ou de um aliado. E prova como o caixa de marketing dos dois partidos, pelo menos isso, ainda continua unido. Ou, quem sabe, em temporada de aproveitamento, de mudança de penas, sabe-se lá em que fase...

Turma estranha!

Jogo de palavras

O colunista José Simão, da Folha de S. Paulo, não criou a expressão tucanês apenas para ironizar a mania tucana de usar uma espécie de 'linguagem própria' quando o assunto é tentar esconder os seus erros. Principalmente quando são graves, como é o caso das privatizações, dos problemas na construção de estradas, do Metrô e tantos outros.

Assim, em tucanês "erro" seria "incorreção"; "erro grave" poderia ser "incorreção notada muito fora do tempo", e por aí se vai. É sempre um jogo de palavras, em geral repetido por parte da mídia que apóia o tucanato nessa jornada de permanência no poder. O senador tucano Eduardo Azeredo, ao criar o esquema de caixa dois do Mensalão e alimentar o publicitário Marcos Valério, teria incorrido - segundo o idioma partidário - em "desvio involuntário". Qualquer adversário, no mesmo caso, segundo o tucanês autêntico, seria "criminoso", "bandido", "delinqüente" etc.

Tome-se como exemplo o caso mais recente da briga da equipe de José Serra para 'limpar de vez o terreno' de ex-colaboradores deixados no Estado por Geraldo Alckmin. O Metrô é um dos focos da 'resistência alckmista', mas está sob fogo cruzado de Serra e auxiliares. Os jornais já anteciparam a queda do presidente do Metrô, Luiz Carlos David, para hoje (21). Serra tenta, em bom tucanês, passar a idéia que existe "harmonia na equipe".

Outra coisa que se nota numa reportagem sobre a demissão de David, na Folha de S. Paulo desta quarta-feira de cinzas, é o abuso do contorcionismo lingüístico: ao falar do que realmente teria provocado a queda do presidente do Metrô, o palavreado usado é o seguinte: "O governo queria averiguar se houve morosidade para correção das desconformidades". O trecho em negrito se refere aos relatórios encomendados pelo próprio Metrô - e exibidos no programa Fantástico, da Rede Globo, que mostram "erros graves na construção da Linha 4". Em tucanês, claro, tudo vira "desconformidades". E o tempo que levaram para tomar medidas, inclusive que poderiam ter evitado mortes na obra, termina sendo chamado de "morosidade".

Ou seja, o tucanês deveria ser "varrido do mapa", como propõe o próprio criador do termo. Certamente o Zé Simão se arrependeu da brincadeira que fez, pois os tucanos gostaram até demais e "não deixam de repetir o gesto", ou melhor, "não perdem a mania"...

Enfim, só!

Tony Blair, primeiro-ministro do Reino Unido, deve anunciar a retirada dos 7.100 soldados britânicos do Iraque. O cronograma será divulgado hoje(21).

O Reino Unido é o principal aliado dos EUA na invasão do Iraque. Sua retirada deixa ainda mais isolado o presidente Bush.

PS: O presidente George W. Bush encontra forte oposição do povo americano e não conta mais com o apoio do Congresso de seu país para a manutenção de seus propósitos invasores.

Pacote social

Do Jornal do Brasil, hoje:

"Novas vagas nas universidades federais, internet banda larga nas escolas municipais e reajuste dos benefícios pagos pelo programa Bolsa Família - cujo teto seria elevado de R$ 95 para R$ 107 - estão entre as medidas incluídas no pacote social que o governo pretende lançar em março. Ainda sem resposta concreta para a violência nas grandes cidades, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu pressa aos ministérios da área social para finalizar o pacote, batizado provisoriamente como PAC social, que pretende integrar as ações e medidas das pastas de Educação, Saúde, Desenvolvimento Social, Trabalho e Desenvolvimento Agrário."

Faltando prestígio

O prefeito da cidade de São Paulo tem sido alvo constante de manifestações contra sua administração. A última foi no Sambódromo: no primeiro dia de desfile das escolas de samba paulistanas, Kassab recebeu uma sonora vaia ouvida até no interior dos carros daqueles que passavam nas imediações.

Durante a apuração o prefeito também foi alvo de protestos: uma organização chamada Aliança da Juventude Revolucionária estendeu nas arquibancadas uma faixa onde se lia 'Fora Kassab!' .

terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

Vai fechar muitos hospitais...

O prefeito Gilberto Kassab exonerou a direção do Hospital de Vila Nhocuné, situado na Zona Leste da cidade. O seu ato foi motivado devido ao fechamento do Hospital, sábado de madrugada, por falta de médicos.

O cidadão só procura um hospital quando precisa de um médico para diagnosticar um problema de saúde. Hospital sem médico é apenas uma estrutura física, portanto, desprovida de sua função precípua que é tratar da saúde dos que o procuram para este fim.

A saúde pública na cidade de São Paulo tem piorado a cada dia. Faltam médicos, funcionários e estrutura adequada para atender aos pacientes. Nos postos de saúde a situação não é diferente: só quem precisa do serviço de saúde do município sabe exatamente o que se passa.

Veja o que diz um usuário do sistema:“Esse é o terceiro hospital da Zona Leste em que procuro atendimento hoje. E aqui estou há mais de duas horas. Meu bebê está com febre,‘molinho’. Mas eles só dizem que vão atender casos urgentes. Não sei o que fazer”. Esse foi o depoimento de Jairo Alves do Nascimento ao Jornal da Tarde na edição de hoje(20).

Ele não é o único. Em qualquer hospital público na cidade de São Paulo o caos é o mesmo - ouvimos centenas de reclamações semelhantes.

Caso o prefeito continue demitindo direções de hospitais para justificar sua incapacidade de colocar médicos para atender nos hospitais, não é exagero: vai ter que trocar mais de 50% das diretorias hospitalares do nosso município.

Volto a dizer: para quem se elegeu dizendo que o serviço de saúde da cidade iria melhorar nos seis primeiros meses de governo está demorando demais para, pelo menos, amenizar o problema.

Além do teto

Do Painel da Folha de São Paulo de hoje(20)

Folia. O prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi (PSDB), aproveitou a dispersão carnavalesca e elevou seu salário de R$ 15 mil para R$ 17.212. É mais que ganham o presidente Lula e o governador José Serra.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007

Quatro escolas estão no páreo para levar o título em São Paulo

Do jornal O Estado de São Paulo

Império, Vai-Vai, Unidos de Vila Maria e Mocidade fizeram os melhores desfiles; apuração começa às 9h30 de terça.

SÃO PAULO - Desfiles de boa qualidade técnica, baterias com coreografia e paradinha, nada de atrasos, a disputa de musas entre a loira e a morena do Tchan, luxo e todo o desfile feito à noite, para garantir o brilho. Ao fechar o segundo dia de apresentações no Sambódromo com lotação esgotada, o carnaval paulistano deu mostras domingo de que já se iguala ao do Rio - em profissionalismo, pelo menos. “Estão muito iguais os desfiles das duas cidades”, disse a sambista Beth Carvalho, símbolo da Mangueira, que saiu na Vai-Vai.
Também o nível das escolas cresceu na segunda noite, com menor disparidade entre as concorrentes. A platéia ficou em pé do início ao fim do desfile da Vai-Vai, que fez frente à atual bicampeã, a Império de Casa Verde. Outros destaques de ontem foram a Águia de Ouro - o samba levantou a platéia e garantiu o melhor desfile da história da escola - e a Mocidade Alegre. A disputa do título deve ficar entre duas escolas do primeiro desfile, Império e Unidos da Vila Maria, e duas da segunda noite, Vai-Vai e Mocidade. A apuração do carnaval 2007 começa amanhã, às 9h30.

PÉROLA NEGRA

Apesar da animação, já na abertura, às 22h40, a escola da Vila Madalena reconheceu que não estava entre as favoritas: pediu ao público garra e vibração para permanecer no Grupo Especial. O segundo carro alegórico teve problemas e quebrou na concentração. O carro saiu por último, mas o esforço sensibilizou a platéia, que aplaudiu e cantou com a escola.

VAI-VAI

Na seqüência, os aplausos viraram gritos e bandeiras brancas se agitaram por toda a arquibancada quando a escola do Bexiga voltou ao Anhembi. No abre-alas, prateado, a tradicional coroa deu lugar à tecnologia: um telão digital exibia cenas dos 12 campeonatos vencidos pela Vai-Vai e cenas da natureza para apresentar o enredo O 4º reino - O reino do absurdo, sobre reciclagem. Os cinco carros alegóricos foram confeccionados com materiais como plásticos e CDs. Madrinha da bateria, a dançarina Scheila Carvalho disputa o posto de musa do carnaval de 2007 com seu ex-colega do É o Tchan Sheila Mello, que brilhou na Império.

UNIDOS DO PERUCHE

O desfile não empolgou adultos, mas, para as crianças, nenhum carro chamou mais a atenção que o Xodó, onde havia 12 berços com a Turma da Mônica em versão bebê. Aos 71 anos, o homenageado, Maurício de Souza, não fez feio. Dançou por 1 hora e 2 minutos. “O mais emocionante foi ter sido ovacionado.”

A Mancha já desfilou como campeã da Liga Esportiva, mas não pode, pelo regulamento, concorrer ao título do Grupo Especial. Se não fosse por isso, estaria no páreo. O enredo sobre profecias falava do conflito entre o bem e o mal de forma criativa e teatral. A Mancha entrou na avenida rezando a Ave-Maria e dedicou o desfile ao menino João Hélio Fernandes, de 6 anos, assassinado no Rio.

ÁGUIA DE OURO

O presidente da Águia, Sidnei Carrioulo, resumiu o espírito do desfile antes de entrar na avenida. “Estamos com esse título entalado”, gritou, pedindo garra. O samba Deus fez o Homem do Barro e a Águia de Ouro, um Brasil Feito à Mão fez o público dançar como nunca antes num desfile da escola. Mas os carros alegóricos, especialmente o último, deixaram a desejar.

ROSAS DE OURO

A comissão de frente emocionou o público ao representar o quadro Retirantes, de Portinari. Os bailarinos encarnaram migrantes nordestinos atingidos pela seca, com maquiagem impecável. Um tapete arrastado ao longo da avenida representava o solo rachado do sertão. Outra atração foi o astronauta Marcos Pontes, para quem estar no espaço ou na passarela tem “o mesmo nível de emoção”. A Rosas fez um desfile suntuoso, mas com pouca emoção.

MOCIDADE ALEGRE

Fechando o carnaval, a Mocidade levou o riso para o Anhembi. Fez o desfile mais colorido, indo além do vermelho, verde e branco de sua bandeira, para retratar o universo infantil. Pôs palhaços na comissão de frente, mesma fantasia usada pelo puxador de samba, Daniel Colette. A Mocidade soltou centenas de balões no céu e, no último carro, comemorou seus 40 anos, fechando um desfile que credencia a escola do Bairro do Limão ao sexto título.

Sete anos de pastor Jacó servia

Sete anos de pastor Jacó servia

Labão, pai de Raquel serrana bela,

Mas não servia ao pai, servia a ela,

Que a ela só por prêmio pertendia.



Os dias na esperança de um só dia

Passava, contentando-se com vê-la:

Porém o pai usando de cautela,

Em lugar de Raquel lhe deu a Lia.



Vendo o triste pastor que com enganos

Assim lhe era negada a sua pastora,

Como se a não tivera merecida,



Começou a servir outros sete anos,

Dizendo: Mais servira, se não fora

Para tão longo amor tão curta a vida.

LUIZ VAZ DE CAMÕES

Os ratos tomam conta da cidade

O Jornal da Tarde de hoje (19) publica uma matéria que julguei interessante comentá-la aqui no blog. Veja:

"Do mais pobre ao mais rico, nenhum bairro de São Paulo escapou da leptospirose no ano passado. Foram 273 casos da doença transmitida pela urina do rato distribuídos por todas as subprefeituras, incluindo áreas carentes como Parelheiros e nobres como Vila Mariana. O número de mortes cresceu 36% em relação a 2005 e chegou a 41.

O aumento da letalidade da doença, segundo o Programa de Controle de Roedores, teria três causas principais: o aumento do número de ratos, um novo grupo de risco e a qualificação de médicos para identificar o problema, o que teria permitido que mais casos fossem conhecidos.

De cada cem imóveis da Capital, 22 têm ratos. O número é resultado de uma pesquisa realizada em julho passado em 17 mil endereços espalhados por toda a área urbana. Em 2005, a primeira consulta sobre o tema apontou exatamente metade desse número".

Ainda ontem eu postei uma matéria mostrando que a Prefeitura de São Paulo mantém R$ 3 bilhões aplicados no mercado finaceiro. O que o prefeito está esperando para gastar este dinheiro? Com exceção de algumas avenidas que estão sendo recapeadas, o restante da cidade está completamente abandonada: nas praças o mato e o lixo tomam conta, os bueiros estão entupidos e nas ruas o lixo se acumula por falta de varrição.

Não podia ser diferente: o resultado é a proliferação de ratos em toda a cidade e a conseqüente epidemia de leptospirose.

Na Câmara e aqui no blog, tenho alertado os órgãos competentes da administração municipal para o tema, mas nada de concreto tem sido feito para, pelo menos, amenizar o problema.

Talvez estejam esperando a proximidade das eleições para gastar o dinheiro público em factóides midiáticos na tentativa de ludibriar o povo e assim tentar permanecer no poder por mais quatro anos.

domingo, 18 de fevereiro de 2007

O factóide dos pacotes de Serra

O governo do Estado prepara mais um factóide - mais uma vez em forma de pacote. Desta feita, com a promessa de "acabar com as filas na saúde". Hoje, em São Paulo, a espera por consultas pode chegar 90 dias, segundo reportagem de capa do Jornal da Tarde. E foi ao referido jornal que o secretário estadual da saúde deu entrevista cujo teor não passa de uma tentativa de justificar o sucessivo fracasso dos tucanos na administração dos problemas do Estado - e os da Saúde se agravam a cada dia.

A promessa é a "contratação imediata de médicos". Uma medida necessária que, porém, não passará de factóide, visto que o setor público não paga salários atraentes a esses profissionais. Uma parte pode até vir a compor o quadro estadual da saúde para, pouco tempo depois, pedir demissão. O motivo, além dos baixos salários que os tucanos achataram nos últimos 12 anos, é a insegurança que a categoria enfrenta. Sem contar o abandono dos hospitais e postos de saúde, principalmente na Capital.

Ou seja, é criar a manchete, prometer resolver o problema e, ao fim de algum tempo, a sociedade notar que foi tapeada. Bem ao estilo do que Serra fez na Prefeitura, quando prometeu "acabar com os problemas da saúde em seis meses". Hoje, todos sabem, a situação se agravou e o que os governos estadual e municipal fazem, em São Paulo, é exclusivamente, "privatizar" a saúde pública.

Mais uma manchete que se esfumaçará em breve. Infelizmente a saída não virá com o que Serra propõe - como não veio quando este passou pela Prefeitura.

Um 'país' chamado interior paulista

De O Estado de S.Paulo, hoje:

"Com uma força econômica superior à de países como o Chile, o interior paulista tem atraído cada vez mais empresas da capital e de outros Estados que buscam custos menores, espaço para crescer e um sistema logístico que favoreça o escoamento da produção, sem os congestionamentos crônicos da cidade de São Paulo. Fortalecido com essa migração de empresas, o interior viu sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) paulista crescer 3,7 pontos porcentuais no curto período de quatro anos. Hoje, a região já responde por praticamente metade da soma de todas as riquezas produzidas no Estado."

Bem diferente

Com o prefeito Gilberto Kassab, 290 mil residências perderam a condição de isentas, não por falta de dinheiro, pois a Prefeitura estima um Orçamento de R$ 22,5 bilhões para 2007 e mantém R$ 3 bilhões aplicados no mercado financeiro.

É a fúria arrecadatória dos tucanos em ação.

Você sabia?

Quando a prefeita Marta assumiu a Prefeitura de São Paulo menos de quinhentas mil residências eram isentas de IPTU.

No segundo ano do seu governo, a prefeita isentou todos os imóveis com valor venal até R$ 50.000 - o que significou mais de 1.100 residências sem pagar IPTU.

Cerca de 60% das residências dos bairros periféricos foram beneficiados pela medida.

sábado, 17 de fevereiro de 2007

O famigerado 'rodízio escolar'

Que a educação está funcionando precariamente no município de São Paulo qualquer um que leciona, tem filhos na escola ou trabalha na área sabe. O problema é quando as coisas começam a se agravar e não se vê uma luz no fim do túnel.

Tome-se como exemplo a repetição de um fenômeno comum no atual governo: estudantes sendo obrigados a estudar em locais improvisados e, ainda pior, sendo obrigados a ficar em casa por falta de vagas nas escolas municipais.

Não precisamos ir muito longe. Uma matéria de capa de Diário de S. Paulo de hoje (17) ilustra essa situação de caos que, dois anos depois de Serra/Kassab na Prefeitura, parece não ter fim. Veja um trecho da matéria abaixo:

Sem salas, escola cria rodízio de estudantes

"Por falta de salas de aula, a Escola Municipal Clemente Pastore, no Jardim Nakamura (Zona Sul), criou o rodízio de alunos. Como o rodízio de carros, o aluno tem dia para ficar em casa. Quatro salas estão fechadas, há infiltrações e o teto pode cair".

Essa história de rodízio de estudantes seria cômica se não fosse trágica!

Prefeito vaiado

Gilberto Kassab foi vaiado por toda a arquibancada do sambódromo ontem (sexta, 16), primeira noite do carnaval paulistano.

O prefeito - que quando assumiu era um ilustre desconhecido - vem ganhando cada vez mais notoriedade. Pena que pelas bobagens que fala e pela péssima administração que está fazendo.

De fato, depois de chamar um trabalhador de "vagabundo", o nome do prefeito está mais conhecido. Meu palpite é que as próximas pesquisas vão registrar uma brutal rejeição ao seu governo. É só esperar para confirmar.

Nossa! Quem e quantos são?

Nota do Painel do jornal Folha de S. Paulo:

Só love. Os petistas são só elogios ao secretário da Casa Civil do governo paulista, Aloysio Nunes Ferreira. "Tudo o que pedi até agora foi encaminhado", diz um opositor.

Acho que estes deputados petistas estão confundindo simpatia com atendimento de demandas.

Os vereadores de São Paulo conviveram com o estilo Aloysio quando era titular da Secretaria de Governo aqui na cidade de São Paulo na gestão Serra. Os pleitos encaminhados pela bancada petista não eram atendidos, nem mesmo as emendas orçamentárias acordadas com o prefeito foram executadas.

Aqui na cidade, nós da oposição éramos tratados por esse mesmo secretário a pão e água.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2007

Lula e a maioridade penal

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou a proposta de redução da maioridade penal, que tramita no Congresso (...)

"Eu fico imaginando que se a gente aceitar a diminuição da maioridade penal para 16 anos, amanhã estarão pedindo para 15 [anos], depois para 10 [anos] e depois para 9 [anos]. Quem sabe um dia queiram [culpar] até o feto se souberem o que pode acontecer no futuro", afirmou ele hoje em São Paulo após participar da inauguração de um call center da Atento.

(...) Lula relacionou o ato violento com a estagnação da economia e criticou o fato do país não crescer há 26 anos e não ter gerado a quantidade de emprego e renda que a população precisava. 'Eles [criminosos] são o resultado de um momento longo em que o Estado brasileiro não cumpriu as suas funções.'"

Que bom que o nosso presidente pensa assim. Violência se combate com emprego, distribuição de renda, combate a corrupção nas polícias, investindo na inteligência policial e muito investimento na educação.

As ensinanças da dúvida

Tive um chão (mas já faz tempo)

todo feito de certezas

tão duras como lajedos.



Agora (o tempo é que fez)

tenho um caminho de barro

umedecido de dúvidas.



Mas nele (devagar vou)

me cresce funda a certeza

de que vale a pena o amor

THIAGO DE MELLO

Novidade: dicas de cinema no blog

O Carnaval está começando. Para quem passará o período festivo em casa ou, mesmo em viagem, não participará da folia, o blog preparou uma novidade: uma coluna sobre cinema - que será semanal.

A cinéfila Celina Sales, nossa colaboradora a partir de agora, dá dicas de ótimos filmes, além de comentar produções que podem ser vistas no conforto do sofá. Durante e depois do Carnaval, pois toda sexta-feira o leitor encontrará esta seção aqui. Afinal, nem só de política vivem os nossos leitores, embora seja esse o interesse primeiro de quem acessa esta página que atualizo todos os dias desde dezembro passado.

Boa leitura, bons filmes e ótimo Carnaval a todos!

DICAS DE VÍDEO

Por Celina Sales

ELSA E FRED - UM AMOR DE PAIXÃO (Elsa y Fred, Espanha/Argentina, 2005) - Elenco: Manuel Alexandre, China Zorrilla, Blanca Portillo, Roberto Carnaghi, José Ángel Egido.

Sinopse - Fred (Manuel Alexandre) tem mais de 80 anos e descobre que está doente. Quando ele conhece uma nova vizinha, a espevitada Elsa (China Zorrilla) - também na casa dos 80 anos -, descobre que nunca é tarde para realizar sonhos e viver novas experiências (cineclick.com.br)

Meu comentário: é um filme delicioso, despretensioso, que aborda a forma como cada um encara a velhice. Fred é metódico, certinho, medroso... Elza é cheia de vida, espevitada é a palavra certa para defini-la. Eles se conhecem, começam a namorar e ele descobre que ainda há muito por viver... uma delícia!!!

A FESTA DE BABETTE - (Babettes Gaestebud, Dinamarca, 1987)
Elenco: Stéphane Audran, Jean-Philippe Lafont, Gudmar Wivesson, Jarl Kulle, Bibi Andersson, Ebbe Rode.

Sinopse - Uma curiosa produção dinamarquesa sobre uma mulher que promove um refinado banquete na comunidade ascética aonde vive. O filme levou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1988 (Cineclick).

Meu comentário: é um filme europeu, a fotografia escura dá o tom da época e do lugar, uma pacata aldeia longe da civilização. Belíssimo. Babette trabalha na casa de duas solteironas e ao receber um dinheiro resolve usá-lo oferecendo um banquete. O preparo, o encontro, o vinho, a sensibilidade, a descoberta do prazer sem culpa fazem dele um filme obrigatório.

HOMENS DE HONRA - (Men of Honor, EUA, 2000) - Elenco: Cuba Gooding Jr., Robert De Niro, Charlize Theron, David Keith, Aunjanue Ellis, Hal Holbrook e Michael Rapaport.

Sinopse - Carl Brashear (Cuba Gooding Jr.) entra para a Marinha e, apesar das barreiras que enfrenta por ser negro, consegue o que sempre sonhou: ser aceito para o programa de mergulho. Seu treinador, Billy Sunday (Robert De Niro), famoso tanto por sua bravura quanto por suas encrencas, trata Carl de modo a fazer com que ele desista. Mas Carl tem muita determinação e impressiona até mesmo seu treinador, que mudará de atitude (Cineclick)

Meu Comentário: é um filme sobre determinação, sobre perseverança naquilo em que se acredita.

FOGO CONTRA FOGO - (Heat, EUA, 1995) - Elenco: Al Pacino, Robert De Niro, Val Kilmer, Jon Voight, Tom Sizemore, Diane Venora, Jeremy Piven, Begonia Plaza, Natalie Portman, Ashley Judd.

Sinopse - Neil McCauley (Robert De Niro) é um ladrão especialista em grandes e arriscados roubos. Ele atribui parte de seu sucesso a uma decisão: não criar laços afetivos que não possa abandonar de uma hora pra outra. Do outro lado está Vincent Hanna (Al Pacino), um policial determinado a pegar McCauley e que vê sua vida pessoal afundar em problemas por se dedicar demais ao trabalho. Os dois são mais que inimigos: o trabalho de um desafia o trabalho do outro, faz com que ajam com mais cautela e com mais coragem, que tracem planos mais elaborados e inteligentes. O resultado é um filme de ação e suspense como poucos, no qual a presença de Al Pacino e Robert De Niro é apenas parte do espetáculo (Cineclick)

Meu comentário: a sinopse diz tudo, apenas complemento: obrigatório!!!!

Até a próxima!

Hospital em Cidade Tiradentes

A ex-prefeita Marta Suplicy foi quem iniciou a construção do hospital em Cidade Tiradentes, zona leste da cidade. O ex-prefeito Serra assumiu a Prefeitura com 60% da obra deste hospital edificada.

O hospital será inaugurado em abril deste ano com apenas 40% da capacidade de atendimento.

Para quem se elegeu prometendo em 6 meses resolver o problema da saúde na cidade, é muita inoperância entregar um hospital inacabado depois de mais de dois anos de governo.

Tem um detalhe: assim que ficar totalmente concluído (previsão 2008), o referido hospital vai ser terceirizado - será gerido por uma Organização Social de Saúde(OSS).

É o PSDB/PFL privatizando a saúde pública na cidade. Já vimos essa história antes, e isso pode não acabar bem.

Será o PAS 2 que está a caminho?

Ficção educacional

Nota do Painel da Folha de S. Paulo, hoje:

"Na lousa. José Serra retomou ontem a prática de dar aulas em escolas da rede pública, como fez na prefeitura. Estreou com uma turma de 5ª série no Jardim São Luiz, zona sul paulistana. O governador explicou aos alunos como funciona o Orçamento".

Comentário 1 - Sobre Orçamento, Serra deveria explicar por que prefere governar o Estado "por decreto", em vez de agilizar os acordos necessários à aprovação da peça orçamentária.

Comentário 2 - Já sobre "dar aulas" em escolas públicas, o governador poderia dizer o que leva milhares de professores em todo o Estado ao desemprego desde que os tucanos assumiram o governo - foram mais de 40 mil, de Covas a Serra, os demitidos e centenas de escolas fechadas. E também falar sobre as dificuldade que os professores enfrentam para conseguir aulas neste momento.

Ficção educacional é o que se pratica no Estado, que ostenta os piores índices em sucessivas avaliações. E eles (tucanos) estão no governo há mais de 12 anos!

Metrô: reportagem reforça necessidade de CPI

É grave o teor de uma matéria da revista Época, que revela: Consórcio e Metrô conheciam riscos um ano antes do desabamento, diz revista. O conteúdo está disponível no portal de notícias G1, da Globo, com base em matéria de Época (leia a matéria clicando aqui).

Uma sucessão de revelações toma conta do assunto nos últimos dias. A suspensão das obras na maioria das futuras estações da linha 4 - medida adotada pelo governador Serra depois de forte pressão do Ministério Público - tem o mérito de garantir que se veja de perto a quantas anda a construção. Mas não é tudo: é preciso abrir uma frente de investigação na Assembléia Legislativa que tenha poder de solicitar documentos, convocar depoimentos e cruzar dados. Senão ficamos reféns do noticiário cada vez mais preocupante, como este de Época e de vários jornais desde que a crise se instalou em São Paulo com o desabamento ocorrido mês passado.

Não tem outra saída a não ser a abertura imediata da CPI do Metrô na Alesp. Pelo menos para que não se corram riscos do problema cair no esquecimento - este sim o desejo de tucanos e aliados que barram esta e as demais investigações há mais de uma década no nosso Estado.

Paulistano pagará para PPS fazer política em SP

Do Jornal da Tarde, hoje:

"O prefeito Gilberto Kassab (PFL) nomeou o ex-deputado federal Roberto Freire, de Pernambuco, presidente nacional do PPS, como integrante do conselho de administração da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb). Com o cargo, Freire deve receber R$ 4 mil mensais, independente do número de reuniões do conselho.

O JT procurou a assessoria da empresa, que confirmou a nomeação e a remuneração, mas não explicou o porquê da indicação de ex-parlamentar de fora de São Paulo. Integrantes do PPS alegam que Freire, sem mandato, passará mais tempo em São Paulo, articulando o partido de olho nas eleições de 2008 e uma eventual chapa com tucanos".

Uma nomeação imoral, pois é o dinheiro do contribuinte que será usado para financiar atividade política e eleitoral, segundo reconhecem integrantes do próprio partido do ex-deputado ouvidos pelo jornal.

O truque governista de usar empresas como a Emurb para fins diversos daqueles para as quais foram criadas teve início com Serra, ao assumir em 2005. Todos se lembram que o atual governador paulista fez nomeações de secretários para os referidos conselhos de empresas públicas municipais visando driblar imposições legais no tocante ao salário do secretariado paulistano.

Mais uma vergonha que precisa ser denunciada e investigada pelos órgãos competentes!

Trânsito: o 'apagão' dos semáforos

Cresce entre os paulistanos a sensação de um abandono cada vez maior da cidade. E numa capital com mais de 5 milhões de veículos, o trânsito é, sem dúvida, uma das pontas desse iceberg de desleixo administrativo. A tucanos e aliados da base do governo na Câmara Municipal só resta repetir o bordão: "Isso é invenção do PT, isso é coisa do PT!". Mas não é!

Mesmo com um 'guarda-chuva de mídia' de fazer inveja a qualquer governante, O PSDB/PFL administra tão mal a cidade que conseguiu produzir uma espécie de 'apagão' nos antigos semáforos inteligentes, segundo revela reportagem de capa do Jornal da Tarde de hoje (16). Só 18% dos semáfotos inteligentes funcionam é a reportagem de capa do jornal. O problema, segundo a matéria: falta de manutenção - como é notório em praticamente todas as áreas na cidade.

"De 'inteligentes', os 1.256 semáforos que deveriam medir eles mesmos os volumes de tráfego e se auto-programarem, abrindo e fechando em tempos diferentes de acordo com o movimento, não têm quase nada. Dos equipamentos instalados desde 1994, e que deveriam contribuir para a fluidez no trânsito, apenas 18% (230 semáforos em toda a Capital) estão funcionando como deveriam, de acordo com levantamento atualizado feito pelo Sindviários, o Sindicato dos Marronzinhos", diz reportagem de Daniel Gonzales no JT (clique aqui e leia a matéria completa).

Como explicar a falta de manutenção numa área vital para a cidade que é o trânsito? Em vez de esbravejarem contra o PT, os governistas deveriam adotar alguma medida para diminuir o caos nessa área.

Enquanto isso, a "indústria da multa" campeia na cidade...

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

Homenagem à Fundação Abrinq

A Câmara Municipal aprovou na tarde de hoje (15) uma homenagem de minha autoria intitulada "Salva de Prata" à Fundação Abrinq.

A Abrinq, com a ajuda de vários parceiros, beneficia milhões de crianças e jovens através de suas ações, projetos e programas, promovendo a defesa dos seus direitos e cidadania.

Por isso considero merecedora da referida honraria.

João Paulo Cunha

A Câmara Municipal aprovou hoje o título de Cidadão Paulistano para o deputado João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara Federal.

A iniciativa da honraria foi do ex-vereador Augusto Campos.

PS:A votação foi simbólica, não houve oposição de nenhuma agremiação partidária.

A privatização da saúde pública

O prefeito Gilberto Kassab assina hoje o primeiro contrato terceirizando os serviços de saúde. O contrato prevê o repasse da gestão de 15 unidades básicas de saúde para o controle de uma Organização Social de Saúde (OSS). Nesse caso quem vai assumir a gestão é Casa de Saúde Santa Marcelina.

Os bairros escolhidos para essa primeira experiência foram Guaianases e Cidade Tiradentes, na zona leste da Capital.

O tipo de contrato de gestão feito pela Prefeitura passa toda a responsabilidade dos serviços de saúde para a OS, a saber: atendimento de saúde propriamente dito, contratação de funcionários à administração, administração do contrato de limpeza e segurança, ou seja, toda a responsabilidade passará para terceiros.

Este tipo de contrato, na minha opinião, é inconstitucional. É uma fórmula inventada pelos tucanos para driblar a lei de responsabilidade fiscal, uma vez que as organizações sociais não estão obrigadas a cumpri-la. Além disso, não vão precisar mais de concurso público para contratar funcionários, o que possibilitará todo tipo de apadrinhamento político que, aliás, já está acontecendo. Fere também a Lei 8.666 (Lei das Licitaçães), pois a escolha da Organização Social é uma ato discricionário do prefeito, não se submete a nenhuma modalidade de licitação.

O PT está questionando a constitucionalidade da lei através de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), aqui no TJ/SP, referente à lei municipal e no STF, questionando lei federal. Não bastasse a inconstitucionalidade da lei que instituiu esse modelo de terceirização, tenho também profundas divergências quanto ao mérito da proposta pelas seguintes razões:

- A Prefeitura se exime da responsabilidade ao "privatizar" os serviços de saúde na cidade, deixando a população à mercê de terceiros;

- Não é razoável o poder público disponibilizar recursos, estrutura fisíca (prédios, equipamentos etc) para terceiros, de forma autônoma, administrarem um serviço essencial sem nenhum controle.

- Não há previsão de nenhum tipo de participação popular na fiscalização e gestão dos serviços prestados. Os vereadores petistas apresentaram uma emenda instituindo um Conselho gestor, mas o ex-prefeito Serra teve o capricho de vetá-la.

- A decisão de contratar a Organização Social é um ato discricionário do prefeito, ou seja, ele escolhe, segundo os seus critérios, quem ele quiser.

-Por fim, as OS recebem uma verba estipulada para atender a um número pré estabelecido de pessoas, não ficando obrigada a atender o excesso, caso venha a ocorrer.

É temerosa essa nova política para a saúde pública aqui no município. No fundo eles estão repetindo algo muito parecido com PAS do Maluf. Também naquela época, a saúde foi terceirizada. Respondiam pela saúde pública na cidade as chamadas Cooperativas e deu no que deu: falência total do sistema e corrupção generalizada em todos os módulos. ´

Para ficar ainda mais parecido, só resta o prefeito lotear a saúde, escolhendo Organizações Sociais fajutas (não é o caso das Marcelinas), indicadas por apadrinhados.

Espero sinceramente que eu esteja enganado. Desejo que os serviços de saúde possam, de fato, melhorar para o bem dos cidadãos desta cidade. Porém, do jeito que as coisas estão acontecendo nessa área o futuro não é promissor.

Uma autocrítica necessária

Olhe só o que o presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati, disse à revista Veja desta semana:

"O PSDB tem obrigação de tornar mais claras suas posições e seus projetos para o país".

Enfim um tucano com coragem para fazer autocrítica. De fato, as posições tucanas são confusas e obscuras e seus projetos inconsistentes e elitistas. Quem confirma é o povo brasileiro, haja vista a votação histórica obtida por Lula nas últimas eleições.

"Quando eu morrer quero ficar"

Quando eu morrer quero ficar,
não contem aos meus amigos,
sepultado em minha cidade,
saudade.

Meus pés enterrem na rua Aurora,
no Paiçandu deixem meu sexo,
na Lopes Chaves a cabeça
esqueçam.

No Pátio do Colégio afundem
o meu coração paulistano:
um coração vivo e um defunto
bem juntos.

Escondam no Correio o ouvido
direito, o esquerdo nos Telégrafos,
quero saber da vida alheia,
Sereia.

O nariz guardem nos rosais,
a língua no alto do Ipiranga
para cantar a liberdade.
Saudade...

Os olhos lá no Jaraguá
Assistirão ao que há de vir,
o joelho na Universidade.
Saudade...

As mãos atirem por aí,
que desvivam como viveram,
as tripas atirem pro Diabo,
que o espírito será de Deus.
Adeus.

MARIO DE ANDRADE

Contribuição do leitor Ferrão

Os números assustam

Foram 550.000 brasileiros que sangraram até a morte nos últimos 24 anos, vítimas de armas de fogo. Desses, mais de 205.000 tinham entre 15 e 24 anos de idade, o que põe os adolescentes e jovens como vítimas preferencias da violência armada.

Entre 1979 e 2003 foram 8.541 mortes de jovens por ano, o que signififica 23 por dia.

FONTE: Unesco (estudo Mortes Matadas por Armas de Fogo no Brasil- análise de dados de 1979 a 2003)

AeroSerra

O Serra disse que é necessário ter um avião para o governador do Estado e readquiriu o antigo avião usado pelo o ex-governador Alckmin. Em outras palavras, dá a entender que a proposta feita pelo o ex-governador de vender o avião presidencial foi mera demagogia.

O "picolé de chuchu" está sendo desmoralizado pelo seu próprio colega de partido já nos primeiros meses de governo.

Eu já sabia que era uma farsa, pura propaganda a chamada “eficiência” administrativa dos tucanos no Estado de São Paulo.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

Caciques demais

A ex-deputada federal Zulaiê Cobra Ribeiro está pensando em sair do PSDB. Reclama não ter mais paciência de 'usar os cotovelos' para disputar espaço na legenda. Foi convidada pelo PPS e pelo PSB.

Foi para o PV

O vereador Roberto Trípoli, que deixou o PSDB para ser presidente da Câmara Municipal nos dois primeiros anos desta legislatura, anunciou na tarde de hoje sua filiação ao Partido Verde (PV).

Era pura demagogia!

Lembra da proposta tucana na campanha presidencial, quando o candidato derrotado Geraldo Alckmin anunciou com alarde em um debate que, se fosse eleito, venderia o avião presidencial? Na época, pegou mal, subestimaram a inteligência do povo brasileiro.

Na realidade, era pura demagogia, mero discurso eleitoral, que em menos de três meses acabou desmoralizado. Veja:

A jornalista Mônica Bérgamo, na Folha de hoje, noticia que José Serra, o governador que não dorme, recomprou o avião HS, que era da CESP, vendido por Cláudio Lembo para que Geraldinho Alckmin fizesse demagogia na campanha eleitoral de 2006, criticando o avião presidencial.

Não tenho nada contra a atitude do governador. O Estado de São Paulo, com sua importância econômica e sua dimensão geográfica, é plenamente justificável a compra de um avião para o deslocamento rápido do governador.

O que eu não concordo é com a incoerência tucana: falaram uma coisa na campanha eleitoral e estão fazendo outra aqui no governo de São Paulo.

Notas do blog no 'Diário'

O Diário de S. Paulo desta quarta-feira (14) repercute dois assuntos levantados ontem aqui no blog: um fala da ida do vereador Carlos Apolinário para o PFL e outro da antecipação dos nomes dos presidentes das comissões permanentes da Câmara Municipal. A eleição acontece amanhã. Está na coluna Diário Paulista:

Tudo acertado

"O blog do vereador João Antonio (PT) antecipou o acordo para escolha, amanhã, dos presidentes das comissões permanentes da Câmara. Ele ficará com a Comissão de Justiça, seguido do pefelista Wadih Mutran, em Finanças. PTB e PSDB terão Transporte, Politica Urbana e Educação. O PT ainda terá a de Saúde".

Pela democratização dos meios de comunicação

O meu mandato é signatário do Compromisso de Honra em apoio às rádios comunitárias - que objetiva defender a democratização do acesso aos meios de comunicação.

Clique aqui e veja a íntegra do documento redigido pela Mesa de Trabalho que tratou do assunto. Mais informações sobre o tema você pode obter visitando a página da Oboré na internet.

Violência Urbana

Chegaram todos juntos, certa vez,
e roubaram-me a única esperança.

Voltaram no outro dia e seqüestraram
meu sorriso que inda era de criança.

Depois me perguntaram se queria
ficar com meu olhar de olhar estrelas.

Para quê, se com elas não sorria,
nem guardava esperança mais de tê-las?

ALBERTO COHEN

Volta a tensão em obra do Metrô

O que se viu ontem no Jornal Nacional e está na imprensa escrita hoje é como um filme que volta a ser exibido - sorte que com tempo e divulgação para que se tomem providências: um laudo que aponta o risco de desabamento de uma nova estação que está sendo construída na linha 4 (amarela) do Metrô paulistano. A estação é a Fradique Coutinho.

Reproduzo abaixo um trecho de uma reportagem de capa de um dos jornais da Capital que trazem o assunto hoje (14):

Do Jornal da Tarde

Laudo: risco na Estação Fradique

Só foram realizados cerca de 20% dos reparos indicados pelos técnicos que fizeram a inspeção

Camilla Rigi, Eduardo Reina, Juliano Machado e Sérgio Duran

"Um laudo elaborado pela empresa Tecnoplani Inspeções 15 dias depois do acidente no canteiro de obras da Estação Pinheiros da Linha 4 do Metrô apontou problemas na estrutura metálica que sustenta as paredes da Estação Fradique Coutinho, e que poderiam causar “acidentes de proporções imprevisíveis”. O documento veio a público ontem durante o Jornal Nacional".

Leia a notícia completa clicando aqui.

PS - A propósito, não é demais lembrar que o pedido de CPI protocolado pela bancada do PT na Assembléia Legislativa tem mais um motivo para sair da fila interminável de CPIs que dormem no legislativo paulista sob o controle rigoroso dos tucanos e futuros 'democratas'. CPI já!

Entrevista hoje na Record

Logo mais, a partir do meio-dia, estarei sendo entrevistado pelo jornalista Sérgio Cursino no programa Balanço Geral - da Rádio Record (1.000 khz). Vamos comentar e discutir os principais assuntos do dia neste que é um dos programas campeões de audiência no horário.

Não faltam assuntos interessantes e, ao mesmo tempo, preocupantes para um bom debate e bons comentários, pois a cidade vive uma espécie de "era da incerteza" desde que Serra assumiu a Prefeitura, abandonou o barco e nos deixou na mão do então vice-prefeito. No Estado, o governador ainda está decidindo se governará São Paulo ou aguardará a chegada de 2010 para disputar a sucessão do presidente Lula. Isso sem esquecer de assuntos como a política nacional e a violência, que dominam o noticiário nos últimos dias.

O Balanço Geral vai ao ar de segunda à sexta-feira, das 12h às 13h.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

Vai mudar

O vereador Carlos Apolinário, ex-candidato a governador pelo PDT e atual lider do partido na Câmara, vai mudar de legenda. O parlamentar está de malas prontas para o partido do prefeito Gilberto Kassab.

NADA DE BRIGA - Apolinário está saindo sem mágoas, em paz com seus antigos colegas de legenda.
PS: O PDT ficará com apenas um vereador na Câmara Municipal

Tudo tranqüilo

Quinta feira(15) várias comissões permanentes da Câmara Municipal de São paulo se reunirão para escolher seus presidentes. O acordo é o seguinte:

Comissão de Justiça - João Antonio (PT)

Finanças e Orçamento- Wadih Mutran (PFL)

Transporte e Trânsito - Celso Jatene (PTB)

Política Urbana - Dalton Silvano (PSDB)

Educação: Claudinho (PSDB)

Saúde - José Ferreira "Zelão" (PT)

PS: O mandato dos integrantes das comissões é de um ano.

Elogio da Dialética

A injustiça passeia pelas ruas com passos seguros.

Os dominadores se estabelecem por dez mil anos.

Só a força os garante.

Tudo ficará como está.

Nenhuma voz se levanta além da voz dos dominadores.

No mercado da exploração se diz em voz alta:

Agora acaba de começar:

E entre os oprimidos muitos dizem:

Não se realizará jamais o que queremos!

O que ainda vive não diga: jamais!

O seguro não é seguro. Como está não ficará.

Quando os dominadores falarem

falarão também os dominados.

Quem se atreve a dizer: jamais?

De quem depende a continuação desse domínio?

De quem depende a sua destruição?

Igualmente de nós.

Os caídos que se levantem!

Os que estão perdidos que lutem!

Quem reconhece a situação como pode calar-se?

Os vencidos de agora serão os vencedores de amanhã.

E o "hoje" nascerá do "jamais".

BERTOLT BRECHT

Charge sem a tecla SAP



Reproduzo acima uma charge de Táia Rocha publicada originalmente no site Fazendo Media. Auto-explicável!

Um sonho americano e um sofisma

O jornal norte-americano USA Today faz uma análise crua sobre o dilema do imperador George W. Bush de retirar ou de manter a ocupação militar do Iraque. Atolado até o pescoço numa aventura bélica que custou milhares de vidas de soldados americanos e de centenas de milhares de iraquianos, o governo Bush persegue seu maior sonho: encontrar uma "saída honrosa".

Só que nessa tentativa, Bush usa - como é costume de quem invade - o sofisma de que "a democracia prevalecerá". O USA Today resgata um discurso do presidente de janeiro do ano passado no qual ele disse: "A história demonstrou que as nações livres são nações pacíficas". Se ele se referiu ao seu país está correto. Se quis dizer em relação ao Iraque, sofismou feio: o Iraque, hoje, não é uma nação livre e nem a política de ocupação trará liberdade e, muito menos, democracia àquele país.

Outro ponto, usando ainda a afirmação de Bush: os Estados Unidos, de fato, são livres e têm uma democracia vigorosa, mas nem por isso podem ser classificados - e a história prova isso - como "uma nação pacífica". Pelo menos no que diz respeito aos países onde resolve patrocinar invasões, guerras fraticidas e estimular o belicismo com a venda de armas e treinamento de rebeldes etc.

Os números da violência policial assustam...

Somente no ano passado policiais de São Paulo eliminaram 705 pessoas, sendo que 570 morreram porque resistiram ao trabalho da polícia (confronto), segundo os registros da Secretaria de Segurança Pública.

As outras 138 perderam a vida assassinadas por policiais que estão sendo investigados por homicídios culposos ou dolosos.

Fonte: Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo.

É possível combater a violência sem um processo de reeducação da polícia?

O que fazer?

Comoção faz CCJ do Senado desenterrar projeto sobre maioridade penal

Redução da maioridade penal não reduzirá crime, diz presidente da OAB

Ellen Gracie defende cautela na discussão de projeto sobre a violência

Na Câmara, Chinaglia recusa acelerar discussão sobre a maioridade penal

Estas foram as manchetes de jornais e de telejornais nos últimos dias. Como podemos presenciar, o debate sobre a maioridade penal voltou com força, infelizmente, devido ao crime bárbaro que ocorreu no Rio de Janeiro causando a morte do garoto João Hélio, de seis anos de idade.

Não tem como fugir: algo muito consistente precisa ser feito para combater a violência e o crime organizado que se instalou em alguns estados da federação com poder de fogo, em alguns casos, maior do que aparato estatal.

Porém, como diz o ditado, “cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”. Em momentos de grande comoção sociail a cautela deve dobrar. Sabe por quê? Políticos, em sua grande maioria, gostam de dar satisfação à opinião pública, mesmo que tenham que adotar medidas superficiais, paliativas e sem muita consistência para enfrentar o problema. Para muitos, estar de bem com seu eleitorado é o bastante, à poucos importam as questões programáticas.

Debater? Claro! Precisamos de muita discussão para construir uma saída que resolva o problema da violência.

Deliberar? Aí precisa de mais paciência, equilíbrio. Nada deve ser decido de afogadilho, apenas para dar satisfação à opinião pública.

Anunciar a redução da maioridade penal como uma medida capaz de solucionar ou mesmo amenizar o problema da violência é enganar a opinião pública. Para combater o crime organizado e a violência em nossa sociedade é preciso procurar as raizes do problema. Quero citar algumas medidas que considero mais urgentes do que qualquer mudança do Código Penal:

Preparar melhor as nossas polícias, investindo na inteligência e modernizando equipamentos, bem como, investir na melhoria das condições de trabalho dos policiais;

Combater a corrupção nas corporações policiais. Qualquer cidadão sabe o tamanho da corrupção nas polícias. Não entendo por que não há um combate organizado deste tipo de prática;

Colocar mais policiamento nas ruas com o devido preparo para a função.

Investir em educação, mais escolas profissionalizantes, melhorar a qualidade do ensino e democratizar o acesso às universidades;

Fazer a economia brasileira crescer, gerar emprego e distribuir melhor a renda em nosso país;

Mudar o Código Penal talvez seja também necessário, porém, anunciar 'alterações' como se fossem o remédio para curar o mal é uma receita errada - poderia até acalmar a população momentaneamente, mas não resolveria o problema.

Com relação à diminuição da maioridade penal não vejo nenhum sentido na medida. Nossos adolescentes, em sua grande maioria, não precisam de cadeia - precisam de educação. Para aqueles que cometem crimes hediondos, talvez seja preciso alguma alteração na legislação para impossibilitar que depois de três anos volte a ser uma ameaça à sociedade. No entanto, estas medidas só se justificariam se viessem acompanhadas de mudanças consistentes nas instituições estatais que hoje são responsáveis pela ressocialização desses jovens.

Que futuro terá um adolescente com a educação dada na Febem aqui no Estado de São Paulo?